Parabéns a Jorge Béja, um grande advogado e também um exemplo de humanista

Resultado de imagem para jorge beja

Béja é um jurista que faz falta ao Supremo Tribunal Federal

José Carlos Werneck

Ele jamais se omitiu. Sua palavra vigorosa, suas verdades, suas denúncias, suas campanhas incomodam e intranquilizam os maus brasileiros e os poderosos sem escrúpulos. Sempre pensou mais na coletividade, notadamente naquela parcela da sociedade, em que se encontram os mais humildes.

Combateu o bom combate. Nunca pleiteou nada pessoal. Poderia ser um grande magistrado e chegado ao Supremo Tribunal Federal. Não lhe faltam notório saber jurídico e, principalmente, reputação ilibada.

ADVOGADO E INTELECTUAL – Dedicou-se à Advocacia por inteiro, na frente do bom combate, das boas e legítimas causas nacionais. Sua pena firme e erudita, sempre a serviço dos interesses do Brasil. Por muitos anos, façanha inerente aos verdadeiros guerreiros, escreveu muito e bem, e continua nos brindando com seus artigos, sempre pontualíssimos.

Domina os mais diferentes assuntos. Escreve bem sobre todos eles. Sua vasta obra precisa virar livros. Gosta de conversar e trocar ideias com pessoas de todas as idades e segmentos sociais. É admirado e muito respeitado por integrantes de diversas gerações.

Recebeu muita gente ilustre e também gente muito humilde em seu escritório-biblioteca, na Rua Acre, onde foi entrevistado por jornalistas do Brasil e do exterior.

UM NOME NA HISTÓRIA – Sua trajetória profissional confunde-se com a própria história contemporânea da Advocacia brasileira, notadamente a carioca.

Quero aqui lembrar o aniversário do grande advogado e brilhante jurista Jorge Béja, que hoje completa 73 anos de idade. A este brilhante advogado, minhas sinceras homenagens, grande admiração e votos de muitas felicidades e plena saúde em sua bonita trajetória de vida.

Grande abraço, Dr. Jorge Béja, e continue brilhando sempre!

14 thoughts on “Parabéns a Jorge Béja, um grande advogado e também um exemplo de humanista

  1. Brasília: Do sonho de Dom Bosco ao sonhar de Carlos Newton

    Posted on novembro 27, 2014 by Tribuna da Internet

    Jorge Béja

    No artigo de hoje (“Brasil Precisa de Um Presidente Como o Uruguaio Pepe Mujica“), nosso editor Carlos Newton exalta a maneira, simples e franciscana, de Pepe Mujica governar o Uruguai. De fato, em nenhuma outra parte do Mundo existe um governante assim. No final do artigo, Carlos Newton, exclama: “Mas sonhar ainda não é proibido. Talvez um dia cheguemos lá”. Chegaremos, sim, Carlos Newton. E este dia não está distante. Sonhar não é mesmo proibido.

    BRASIL, BRASÍLIA

    Brasil, em latim, se escreve Brasilia, substantivo próprio e que pertence à 1ª declinação. Brasilia Terra Est (O Brasil é um País). Portanto, Brasil é Brasília. E Brasília é Brasil. E sempre com a letra “s“. Escrever o nome do Brasil com “z“, mesmo lá fora, no exterior, ou é desmerecimento ao nome do nosso país, ou é mesmo falta de cultura.

    O artigo de Carlos Newton faz reviver o sonho do sacerdote italiano Giovanni Melchior Bosco (Dom Bosco, 1815-1888), fundador da Congregação Salesiana. O sonho se deu na noite de 30 de Agosto de 1883. E como consequência, Brasília nasceu embalada no privilégio de ter sido sonhada por um Santo e é por isso que a devoção a Dom Bosco é tão popular entre os brasilienses. E foi atendendo a uma petição assinada em 1961 por três ex-alunos salesianos, Janio Quadros (Presidente da República, ex-aluno do Colégio São Joaquim, de Lorena, SP), o Prefeito Paulo de Tarso (ex-aluno do Colégio Dom Bosco, do Araxá, MG) e o Presidente da Novacap, Randall Espírito Santo Ferreira (ex-aluno do Ginásio Salesiano de Silvânia, GO), que a Santa Sé declarou, ao lado de N. S. Aparecida, Dom Bosco Co-Patrono (padroeiro) de Brasília.

    O SONHO

    São João Bosco foi o mais célebre vidente da Humanidade. As visões vinham sempre em sonhos. E eram infalíveis. Existe farta literatura sobre os sonhos proféticos de Dom Bosco. Para os Espíritas, um médium. Um “médium mecânico“, como registra o notável jornalista, roteirista e escritor Marcel Souto Maior. Em “Por trás do Véu de Ísis” (Editora Planeta), em que Marcel apresenta a mais completa reportagem sobre a vida de Chico Xavier, o jornalista foi buscar no Livro dos Médiuns, de Kardec, a conceito do que venha ser “médium mecânico“: é o fenômeno que ocorre quando o Espírito atua diretamente sobre o médium e seu inconsciente.

    Dom Bosco, em sua “Memorie Biografiche” (16.130 páginas em 19 alentados volumes), ele próprio conta com foi o sonho daquela noite. Que viajava de trem pela América do Sul. Que entre os paralelos 15 e 20, entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Atlântico (exatamente onde Brasília foi erguida) Dom Bosco via uma enseada, longa e larga, onde se formava um lago. Foi quando uma voz disse ao santo: “quando se vier cavar as minas escondidas no meio desta enseada, aparecerá aqui a terra prometida, que vai jorrar leite e mel. Será uma riqueza inconcebível. Isso acontecerá antes que passe a segunda geração. A primeira geração não conta. Será uma outra, depois outra. E cada geração compreende 60 anos”.

    INTERPRETAÇÃO (1)

    Estudiosos ao longo dos anos, concluíram que, se a primeira destas gerações começou em 1883, ano do sonho, a segunda teve início 60 anos depois, em 1943 e se estende até o ano 2003, quando tem início a era em que o Brasil (Brasília) começará a jorrar leite e mel, símbolos de fartura. E foi quando Lula e o Partido dos Trabalhadores assumiram o poder central do Brasil.

    INTERPRETAÇÃO (2)

    O sonho de Dom Bosco não falhou. Nenhum deles deixou de acontecer. Sabemos que as conquistas sociais são duras e demoradas de serem conseguidas e muitas das vezes alcançadas à base de convulsão social intestina com derramamento de sangue. Não é o caso do Brasil, de Brasília. Com o fim do regime militar e o advento da Constituição Federal de 1988, a democracia se restabeleceu. E é graças à democracia que o Brasil vai tomando o rumo sonhado por Dom Bosco. Nem mesmo o livre-arbítrio dos que estiveram e estão no poder central, o despudor deles, a ganância,os crimes que cometem contra o patrimônio do povo e tudo mais que de podre existe no administrador público, vão ser óbices para que o sonho de Dom Bosco se concretize. Parece que Dom Bosco também ouviu a voz dizer, mas o santo não deixou escrito o que dela ouviu: “nas décadas iniciais será difícil, mas Brasília (Brasil) e seu povo a tudo vão superar”.

    CONCLUSÃO

    Então, nobre Carlos Newton e diletos leitores, sonhar não é proibido. A época de jorrar leite e mel já começou. Consolidá-la e torná-la perene é questão de tempo.

  2. Parabenizei o dr.Béja duplamente ontem, dia do seu aniversário.

    Hoje, escrevo para parabenizar Werneck e seu artigo impecável, irretocável, quanto ao enaltecimento justo que faz ao nosso eminente e célebre advogado, articulista da TI, e amigo de todos nós, dr. Jorge Béja!

    Faltava, de fato, um registro que homenageasse à altura o dr.Béja, e nada melhor que o seu colega, advogado também, brilhante articulista, que nos brinda com suas palavras e conhecimentos quase que diariamente neste blog incomparável.

    Se, 23 de abril, comemoramos o natalício de uma pessoa ímpar, um cidadão exemplo a ser seguido, um profissional notável, nesta quarta-feira, 24 de abril, devemos festejar efusivamente quando as qualidades alheias são transcritas com tanta sinceridade, respeito e reverência, exatamente conforme o texto de Werneck, um cidadão que me orgulho e sinto-me honrado em tê-lo como amigo!

    Parabéns a ambos advogados, que enriquecem sobremaneira este espaço democrático, e colocam a TI como inegavelmente o melhor blog nacional!

    Meu forte e fraterno abraço aos dois advogados, articulistas, pessoas inigualáveis, Béja e Werneck.
    Saúde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *