Parabns presidente Dilma pela retomada de Furnas, pela ordem de demisso para toda a diretoria, pela resposta intimidao, por mostrar que no h medo de chantagem.

Helio Fernandes

Foi a primeira grande deciso poltica, altiva e altaneira, mas sem a menor arrogncia. No demitiu ningum pelo telefone, como fez e no apenas uma vez o presidente Lula, usou a tecnologia adequada.

Investigou, coordenou, conversou, convocou, decidiu e colocou tudo no site. Ningum sabia de nada, mesmo os que se julgavam senhores das nomeaes que sejam exigidas atravs de dossis ou de ameaas com esses pretensos e supostos arquivos, guardados para emergncias ou recusas.

O deputado Eduardo Cunha, como faz sempre, exigiu. E essa exigncia era baseada em intimidao, no jogo que ele faz sempre, que este: Se perdermos o controle e o comando de Furnas, romperemos, mesmo fazendo parte da base partidria.

O conhecido lobista (agora revelando a face de chantagista), colocou esse se PERDERMOS Furnas ROMPEREMOS, abandonando o singular e passando para o plural ou coletivo. Para isso, deu a impresso de que falava pelos 9 deputados do PMDB. No era verdade, e a presidente Dilma tambm no se preocupou.

No fim da semana passada, afirmou: Vou nomear um tcnico para Furnas, a indicao ser minha e de nenhum partido, seja qual for.

Essa deciso provocou os que estavam acostumados a ameaarem e serem recompensados. Ficaram surpreendidos ao tomarem conhecimento do que estava no site do Planalto, publicado sem a menor consulta.

Perplexos, mas ainda imprudentes, acreditavam que poderiam mudar as coisas, conversarem, fazerem a presidente rever o comportamento. S que ela no estava mais no Planalto, verificou que suas ordens foram cumpridas, ponto final.

O novo presidente de Furnas, Flvio Decat, engenheiro respeitadssimo, seu nome vinha sendo guardado para uma estatal de energia eltrica, de escolha e nomeao exclusiva da presidente.

A dificuldade surgiu em Furnas, foi deslocado para l, sorte da estatal do Rio de Janeiro. Com isso foram desembaraadas outras estatais do setor, que apresentavam possveis (e at j conhecidos) problemas.

***

PS Tratei do assunto duas ou trs vezes, e sem exceo, escrevi que a presidente Dilma no poderia de maneira alguma, se intimidar, nomear ou (governar) sob intimidao.

PS2 Dei exemplos de DEMISSES ou NOMEAES atendendo a INTIMIDAES polticas ou partidrias.

PS3 Portanto, como a presidente Dilma fez o que estava obrigada a fazer, no se deixar intimidar por ningum, no posso ficar com medo de elogi-la, por infantilidade ou falsa oposio.

PS4 No fao oposio por oposio. E se passei a vida sem querer coisa alguma, sem trocar a opinio por favores, estou rigorosamente satisfeito com o acerto da presidente Dilma.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.