Paragominas, município do Pará, mostra como virar o jogo na preservação da Amazônia

| PSDB –  Partido da Social Democracia Brasileira

Paragominas é exemplo de desenvolvimento sustentável

Tasso Azevedo
O Globo

No ano em que o Inpe anunciou a maior taxa de desmatamento na Amazônia em dez  anos, Paragominas, um município do tamanho de Sergipe,  no leste paraense,  teve a menor taxa  registrada em três décadas. Como isso é possível?  Ainda mais em ano de eleição?

Paragominas começou a ser colonizado nos anos 50, foi emancipado em 1965 e cresceu no entorno da Rodovia Belém-Brasília.  Nos anos 80 e 90, era o maior polo madeireiro do Brasil e um dos maiores do mundo em florestas tropicais.

CONVOCAÇÃO – No início dos anos 2000, o desmatamento corria solto e bateu em 330 quilômetros em 2005, o que levou em 2008 Paragominas a ser inserido na listo suja dos municípios que mais desmatavam a Amazônia.

 O então prefeito Adnan Demachki, um jovem e renomado advogado paraense que experimentava sua primeira experiência como administrador público, convocou a sociedade para reagir oferecendo duas opções: ou partiam para o confronto ou promoviam uma reviravolta para sair da lista e se tornar um exemplo de sustentabilidade.

MUNICÍPIO VERDE – Nascia o projeto Município Verde. Já em 2010 o desmatamento tinha caído abaixo de 40 quilômetros quadrados e mais de 80% do município estavam registrados no Cadastro Ambiental Rural, que veio a se tornar obrigatório no Brasil só em 2012 com o novo Código Florestal. Paragominas se tornou o primeiro município a sair da lista suja do desmatamento.

Entre 1985 e 2007,  a proporção do município coberta por florestas caiu de 81% para 67%. Em 2020 o desmatamento em Paragominas ficou em dez quilômetros quadrados, uma queda de 97% em relação a 2005. Com a forte queda do desmatamento associada a ações de reflorestamento e restauração, a área de floresta voltou a crescer, e hoje o município tem 68% de cobertura florestal.

DIZEM OS NÚMEROS – Mas qual o impacto econômico, social e político desta transformação? Os números falam por si: entre 2009 e 2017, o PIB municipal saltou de R$ 878 milhões para R$ 2,6 bilhões, e o PIB per capita saltou de R$ 9 mil para R$ 27 mil.  O Ideb passou de 4.3 em 2009 para 5.8 em 2019; a mortalidade infantil caiu de 19,56 para 10,62 no mesmo período. O acesso à água tratada subiu de 56% para 82%, e o esgotamento sanitário de 2% para 23% entre 2008 e 2019.

Iniciado com um chamado à  sociedade, o Município Verde na partida já era pensado para ser um projeto da sociedade, e não do governo. E o resultado se viu nas urnas nos quatro pleitos realizados desde então, com o eleitor consagrando vitorioso sempre o candidato comprometido com a continuidade do projeto.

ISSO DÁ VOTOS – Sim, combater o desmatamento, proteger a floresta e promover a sustentabilidade geram crescimento econômico, prosperidade e, de quebra, votos.

Paragominas é a prova viva de que uma sociedade organizada conjugada com uma administração pública comprometida com a sustentabilidade é capaz de promover uma transformação rápida, abrangente e consistente e nos enche de esperança de que ainda podemos virar o jogo na Amazônia até 2030.

10 thoughts on “Paragominas, município do Pará, mostra como virar o jogo na preservação da Amazônia

    • Desculpe, a matéria é verdadeira e o autor, Tasso Azevedo, é considerado o maior especialista brasileiro em preservação ambiental.

      CN

    • Lá, até a década de 80, foi um campo de trabalho forçado. Tive alguns colegas de infância que foram quebradores de milho (matadores), naquele município.
      Meu irmão, J. Reinaldo era escravo de fazendeiros capixabas; saiu de dali fugido, chegou em casa com as mãos arrebentadas de calos e com a boca ferida de comer mamãos verdes. Meia dúzia de parentes meus estão dormindo lá no subsolo. Um deles, a mãe me convidou para irmos exumar e trazer os 206 ossos..
      Quem conhece arroz só no prato e vive roçado pelo “peido” de ar-condicionado ou ar condicionado, não tem prenoção do que é o Brasil, sobretudo, o Brasil selvagem.
      Pará+Goiás+Minas (Gerais) = Paragominas.

  1. Projetos de reflorestamento de madeiras nobres. Existe muito capital no mundo(principaalmente fundos de pensão) a disposição, projetos de longo prazo. Está mais do que na hora de se usar inteligencia e competencia e deixar de lado o imediatismo e a estupidez.

  2. Boa Sandoval; não entendo nada de agricultura ou menos ainda reflorestamento mas, em minha visão poderia ser reflorestado com canteiros de seringueiras, intercalados com castanheiras e madeiras nobres, de modo que em 5(cinco) anos já poderia ser extraída a borracha e com isso começar o ciclo econômico exitoso.
    Louvo alguns projetos no sul onde se remunera quem planta araucária e depois de certo tempo, as pessoas vivem das castanhas como ciclo econômico.
    Desculpem minha ignorância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *