Pare, olhe e escute o crime organizado ditando as leis aos Poderes da República

Imagem relacionada

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Percival Puggina

Estamos num desses momentos em que se reduz o tempo entre a distração e o atropelamento. Decisões tomadas pelas instituições da República impõem esclarecimento e reação. No ano passado, a nação votou pelo fim da impunidade. Não suportava mais que o Brasil fosse pátria mãe gentil dos criminosos e corruptos, e madrasta dos demais. A nação foi vigorosamente às urnas, superando sua notória desconfiança na correção das mesmas e da respectiva apuração. Era necessário salvar-nos daquela perdição.

Não foi preciso correr um ano inteiro para a maioria do novo Congresso Nacional mostrar-se gêmea da anterior. A outra se lambuzava; esta protege os lambuzados. Cria leis impulsionadas por movimentos peristálticos. Delibera em causa própria, para ônus nosso. Derruba vetos presidenciais para colocar deitados no chão, de barriga para baixo, os órgãos e agentes de Estado dedicados à Justiça, à defesa da sociedade e ao combate à criminalidade. Haverá prisão para quem se mexer e levar a sério seu trabalho. É o garantismo em seu mais deslavado esplendor. Perante ele, os potenciais bandidos são o delegado, o promotor, o juiz.

MÍIDIA APOIA – Pare, olhe, escute! Quantas matérias jornalísticas você leu, ouviu ou assistiu ao longo destes dias condenando, com a necessária veemência, a decisão do Congresso Nacional? Qual veículo cuidou de levar ao conhecimento público os líderes desse movimento? Qual deu nome aos lobos da matilha? Qual esmiuçou as desastrosas consequências do que foi votado?

Que diabo de jornalismo é esse? Se usassem para defender a sociedade 10% do tempo e esforço que gastam para combater o Presidente da República, provavelmente gerassem constrangimento e evitassem alguns desses disparates legislativos. Mas não. Até ao examinar os vetos do Presidente derrubados pelo Congresso no projeto das despesas partidárias, as críticas da Globo não convergiram para a derrubada dos vetos, mas para um preceito que o Presidente não vetou, como se não vetá-lo fosse um mal e derrubar todos os vetos fosse um bem.

Noutra ocasião, uma jornalista, mesmo sabendo que Davi Alcolumbre, nacionalmente detestado pelos eleitores de Bolsonaro, foi flagrado pela câmera votando contra todos os vetos do presidente, não se constrangeu em qualificá-lo como seu “principal aliado”.

ESCÁRNIO -Na semana passada, o STF legislou sobre processo penal e levou ao escárnio seu conhecido desprezo à opinião pública e aos mais justos anseios da sociedade. Criou nova gambiarra no insólito e prodigioso sistema recursal brasileiro. Agindo com o intuito vingativo de derrotar a Lava Jato, preparou o retorno de 32 condenações à eternidade dos trâmites, para alegria de 143 corruptos e corruptores já condenados.

Pare, olhe, escute! Quantas matérias você leu, ouviu ou assistiu, fora das redes sociais e da mídia alternativa, tratando desse assunto com o rigor que requer? A imprensa, a outrora grande imprensa, quando passa a usar seu poder exclusivamente em favor de causas particulares, gera débitos sociais. A conta vem para todos, como estamos a ver.

Enquanto o chamado quarto poder caça o mito, as bruxas assombram o país. No Pará, magistrados se mobilizam. Só no Pará? Juízes, promotores, policiais permanecerão inertes enquanto o crime dita leis aos poderes da República? É hora de parar, olhar, escutar e resistir!

23 thoughts on “Pare, olhe e escute o crime organizado ditando as leis aos Poderes da República

  1. Infelizmente esta é a realidade deste país que, envolvido por uma ideologia nefasta, o socialismo (começou com Getúlio e seu famoso Estado Novo, socialista-fascista ), fez com que o estado se agigantasse e inchasse de burocratas e políticos corruptos, resultando no que ele é hoje: totalmente falido e com 30 milhões de desempregados, sendo que 13 milhões deles foram acrescentados ainda há pouco pelos governo nefasto do partido do crime (Socialista-comunista, PT)

  2. Porque não há nenhum comentário (P.S) dos postadores dessa Tribuna. Onde C.N e seu novo assecla anti-governo. Onde estão os senhores para comentarem o artigo? Se posicionem. Deixem de ser corporativistas.

  3. Parar na porta dos Quartéis organizadamente é um claro sinal pro mundo que a sociedade já tentou tudo. Estando lá, não tem como as Mídias Sociais sequestrarem nossas vozes …

  4. Excelente artigo. Mostra muito bem a desconexão entre a grande mídia e a sociedade. A imprensa brasileira foi a grande perdedora da última eleição, e agora faz aliança com o resto da politicalha corrupta que manda em Brasília, para assegurar a impunidade geral dos corruptos, e pilhar a ralé que tem a infelicidade de viver aqui.

    • Tá, todo mundo é corrupto e tem laranjas, menos o pessoal do PT. O Collor um dia foi corrupto, como o próprio PT o acusava, mas se integrou a base aliada, por isso foi perdoado pelo lulismo, e tem de ser perdoado por todos nós e agora sua presidência deve ser objeto de louvor, como outros comentaristas mostraram aqui ontem.
      E essas acusações serão comprovadas dentro dos princípios garantistas? Significativamente, o PT fez muitas acusações de corrupção ao longo de sua história, mas não fez esforço nenhum para punir políticos corruptos, com exceção talvez do idiota do Demóstenes Torres.

  5. A oposição está sendo tão poderosamente forte contra Bolsonaro, que ocasiona por parte de quem ainda o apoia a mesma reação contra seus críticos e detratores.

    O ruim dessa situação é que não se estabelece um quadro verdadeiro sobre o seu governo pois, se de um lado, lemos e ouvimos críticas, ofensas, agressões, exageros, mentiras, uma campanha sórdida contra o presidente desde que assumiu, do outro, de modo a amenizar os ataques e até mesmo os textos legítimos quanto às suas falhas, o endeusamento, as explicações, a defesa intransigente, ampla, geral e irrestrita à atuação de Bolsonaro, cujo objetivo é de neutralizar as agressões e permanentes depreciações que vem recebendo a partir da sua eleição ao Planalto.

    Não há como definir a sua administração verdadeiramente, em face dessa radicalização da oposição e da situação, que adulteram a realidade deste governo.

    Se a oposição fosse apenas e tão somente política, vá lá, faz parte do jogo “democrático”, mas sabemos que extrapola não só o bom senso como escorrega para o terreno pessoal e familiar de Bolsonaro, corroborado pelo combate tenaz contra a Lava Jato, contra a operação que impediu a continuação dos roubos praticados por Lula e sua quadrilha, o PT, e aliados!

    No entanto, para os que ainda querem ser isentos, imparciais, e não só vítimas dessa situação nacional de anos a fio em crise e sem solução, a verdade não pode ser solapada como a oposição deseja e muito trabalha nesse sentido, de impedir que a realidade venha à tona, que os gravíssimos problemas que nos defrontamos atualmente são consequências de seus desmandos, descalabros, roubos, explorações e manipulações de 16 anos ininterruptos!

    De uma hora para outro, o desemprego, a miséria, a pobreza, o caos econômico, a devastação da Amazônia, a violência, a saúde pública deteriorada, a educação pífia, as péssimas estradas, a corrupção … surgiram no governo de Bolsonaro!

    Antes, com Lula e Dilma, vivíamos no melhor dos mundos, parafraseando Voltaire o seu dr.Pangloss; hoje, conforme divulga a oposição fanática e inconsequente, o Brasil se defronta com o pior dos mundos!

    Não querem admitir e tampouco deixar transparecer, que Lula iniciou a construção desse mundo pior, horrível, violento, corrupto, incomparável a qualquer outro que exista pelos crimes praticados contra o povo e país, mediante o estado que nos encontramos atualmente.

    A guerra existente entre nós, o povo, entre a esquerda e a direita nos dias de hoje, tanto pode ser definida como insana, doida, quanto irreal, mentirosa, absurda:
    “ “O otimista afirma que vivemos no melhor dos mundos (bolsonaristas) e o pessimista (lulistas) tem medo de que isso seja verdade”.

    Logo, vivemos o imaginário de lados opostos, cuja essência, conteúdo, verdade, simplesmente estamos ignorando, desprezando, para enfatizarmos a política, mãe das adulterações, enganos, mentiras e traições.

    Os aspectos cruciais do país, deixados de lado criminosamente, ficaram definidos surpreendentemente entre otimistas e pessimistas.
    Por mais que o povo sofra, padeça, Bolsonaro será o salvador, apregoa o otimista do atual governo;
    Por mais que o povo sofra, padeça, Lula seria o salvador, divulga o pessimista do atual governo!

    Ambos mentem, enganam, iludem, portanto, deveriam ser acusados de falsos, de traidores, de gentalha!

    Albert Schweitzer, teólogo, filósofo e médico alemão, dizia:
    “Meu pensamento é de pessimista, mas a minha vontade e a minha esperança são de otimista”.

    Em outras palavras:
    Temos a mente petista (pessimismo), mas nos comportamos como bolsonaristas (otimistas).
    Não pode dar certo porque se a ideia diz uma coisa, a conduta diz o contrário, ou seja, vivemos no mundo da contradição, da ilusão, de uma irrealidade que nos movimenta, que nos empurra … para trás, para o retrocesso, que nos deixa a cada ano que passa mais pobres e miseráveis, mais analfabetos absolutos e funcionais, mais desempregados e endividados!

    Enquanto assim agimos e pensamos, as elites, as castas, estas vivem mesmo no melhor dos mundos!
    Nós, petistas e bolsonaristas ou pessimistas e otimistas, dependendo de quem esteja no governo, existimos como parte do enredo de um livro onde somos figurantes, e relatados como pessoas desprezíveis, que merecem a dor, o sofrimento, que vivem pobres e miseráveis porque o livro conta a história dos vencedores, dos que conquistaram, dos que detém o poder!

    Os autores dessa história, por mais criminosos que sejam, também colocaram que os algozes desses inferiores, desses seres descartáveis, devam ficar impunes, protegidos por tribunais que desejam estar acima dos problemas alheios, e gozarem dos benefícios e regalias concedidas aos seres humanos superiores, as tais castas brasileiras.

    Nesse meio tempo, otimistas e pessimistas fazem parte desta ficção elaborada pelos nossos governantes, que ora são advindos da oposição, ora originários da situação.
    E, se otimistas e pessimistas ainda não se deram conta, enquanto ficamos a nos digladiar e mais ainda transformar as nossas vidas em permanentes necessidades e carências, a situação e a oposição, vivem A REALIDADE absoluta, incontestável, e final da história da obra, NO MELHOR DOS MUNDOS!

    • Perfeito. O que não consigo imaginar é que pessoas eleitas pelo povo para representá-las e fazer o país sair do marasmo continuam a torpedear todas as tentativas de sair do buraco. O que aconteceu com os novos parlamentares eleitos a favor da ética e da transformação do país na última eleição? Se misturaram à banda podre que se reelegeu na câmara e aos senadores que estão em meio de mandato? Às vezes passa pela cabeça, não seria melhor fechar e começar tudo de novo no congresso e no stf? Que dá vontade dá, pois eles estão brincando com fogo!

      • Geraldo,

        Não existe solução que não passe pelo fechamento do Legislativo e alterações profundas na escolha de ministros dos tribunais superiores.

        Qualquer outra tentativa será inócua, insuficiente e inútil.

        Observa:
        o procedimento do congresso em legislar em causa própria;
        o repúdio ao projeto de Moro contra o crime;
        a ânsia por dinheiro público;
        o desprezo pelo povo;
        nenhum projeto de lei no que concerne à correção do IR sobre a restituição;
        impostos elevados e em demasia …
        queremos o legislativo quê??!!

        Reitero que tenho clamado pelo fechamento do congresso para que o país faça as alterações que precisa sem a politicalha preponderar.

        Após a diminuição de parlamentares, de assessores, de despedir quem não é servidor de carreira, diminuir salários, acabar com as indenizações pessoais, proibir auxílios para isso e aquilo, fim da reeleição, então que retorne a escolha do povo para seus novos representantes.

        Assim, com o roubo, exploração e manipulação do cidadão pelo legislativo absolutamente livre de qualquer admoestação ou até mesmo de limites, ali adiante o povo pode dar um basta, e nada diplomático, mas violento!

        Abraço.

  6. Esse texto de Percival Puggina diz bastante. Que ele é um conservador da ultra-direita. Despeja críticas à imprensa, ao Congresso e ao STF. A divisão de poderes para ele é algo que não deveria existir. Defende que a mídia deve direcionar suas críticas a outros, que não o presidente atual. E que o Congresso endosse todas as medidas emanadas pelo executivo.
    Por fim, acusa o STF de não seguir os anseios do povo (povo, a qual povo se refere?) ao criticar uma decisão desse órgão, como se a obrigação do Supremo não fosse seguir a Constituição, mas referendar tudo o que a lava jato faz.
    Certamente a nossa democracia é imperfeita, precisa avançar bastante, mesmo assim funciona. Os poderes dados ao MPF são relativamente recentes e muito já foi feito. A lava jato é só uma parte do combate à corrupção, a qual sempre foi endêmica no Brasil, atingindo todas as camadas.
    Certamente ainda estamos mal nesse aspecto, mas ouve avanços importantes. É só verificar nos meios de comunicação tão criticados, mas tão essenciais para que fiquemos sabendo das falcatruas e do combate a elas.
    Portanto, sou otimista. Acredito que estamos avançando, pelo menos nessa parte. Quanto à economia, sou pessimista, pois grande parte das medidas tomadas até agora vão de encontro ao que penso.
    Para exemplificar, coloco uma questão que a imprensa colocou como derrota do governo (o abono salarial para quem ganha até 2 SM). Ora, isso eu não considero uma derrota do governo. O Senado apenas corrigiu uma injustiça, porque esse item nem deveria constar na reforma da Previdência. Nessa alguns senadores foram sensíveis e votaram com o povo.
    Puggina fala que a mídia é parcial ao criticar o, segundo ele, mito. Mas esquece de comentar o apoio quase maciço da mídia à reforma da previdência, deixando de colocar os malefícios desta aos mais necessitados, Esquece que a mídia não toca na taxação dos lucros e dividendos, que a mídia apoia todas as privatizações praticadas. E assim por diante.
    Enfim, como digo sempre: não somos imparciais. Falta-nos capacidade para tal.

  7. Guardada as proporções,o governo do Sr. Bolsonaro,cultiva as “MESMÍSSIMAS MAZELAS”,dos seus antecessores.

    Mesmo não votando no Bolsonaro,esperava que as promessas de campanha fosse elevada a efeito..

    Exemplo,as manobras nada republicanas fosse contida,parada,cessassem.

    Mas, não,o EFEITO é assustador.

  8. Fica cada dia mais claro que a Rede Esgoto lava dinheiro para o crime organizado:
    Ou é para os traficantes de drogas ou é para os políticos corruptos estaduais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *