Pastor que recebeu repasse de propina de Eduardo Cunha é muito amigo de Temer

Temer, Manoel e Samuel no aniversário do pastor 

Eduardo Militão
Correio Braziliense

A Polícia Federal quer saber se o pastor Samuel Ferreira tinha conhecimento ou não se que R$ 250 mil que recebeu de Eduardo Cunha era propina obtida a partir de desvios e achaques na Petrobras. Houve uma triangulação de repasses de propinas com a igreja evangélica Assembleia de Deus, fundada pelo pastor Manoel Ferreira, ex-deputado federal, que é pai de Samuel Ferreira, que preside a Assembleia de Deus do Ministério Madureira, no Rio de Janeiro.

NA CONTA DA IGREJA – A “doação” que Eduardo Cunha fez à igreja rendeu frutos. E muito além da evangelização, educação e ação social típicas das instituições religiosas. Os autos da Operação Lava-Jato também se multiplicaram. Primeiro, o deputado tratou de repartir a última parte de seu butim de US$ 5 milhões em propinas acertadas com os lobistas Júlio Camargo e Fernando Baiano. O primeiro deveria depositar R$ 250 mil na conta da Assembleia de Deus do Ministério Madureira.

Revelada a trama, sobrou para o pastor Samuel Ferreira. Ele passou a responder a um inquérito por suspeita de lavagem de dinheiro. O caso está agora com o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. A PF verifica se o pastor tinha conhecimento ou não de que o dinheiro recebido era propina obtida por Cunha a partir de desvios e achaques na Petrobras.

LOBISTA E FARISEU – Quando o deputado Eduardo Cunha foi cassado pela Câmara, em setembro de 2016, sua fé foi lembrada duas vezes no plenário da Casa, dessa vez associada não a votos, mas a controvérsias criminais.

Filha de um ex-aliado e inimigo mordaz de Cunha, a deputada Clarissa Garotinho (PR-RJ) não perdoou a relação de fé que, a contragosto, mantém com o adversário. Ao discursar na sessão, disse que o peemedebista fazia papel de “caixeiro viajante”, “fariseu”, “lobista” e “psicopata”.

“O terceiro papel desempenhado pelo deputado é o de fariseu, porque ele teve a coragem de colocar carros luxuosos, comprados com dinheiro de propina, em nome de uma empresa fundada por ele, chamada Jesus.com”, apontou Clarissa. Os fariseus eram uma espécie de casta de sacerdotes judeus que, no tempo de Jesus Cristo, no século I, falavam o que deveria ser feito, mas praticavam o contrário, desprezavam a essência da fé em Deus e ainda se apegavam a tradições irrelevantes.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A investigação é perda de tempo, não vai acontecer nada ao pastor, que simplesmente dirá que todo igreja aceita doações, o que é rigorosamente verdadeiro. Só por curiosidade, informamos que o presidente Temer diz ser amigo do pastor Manoel Ferreira há 35 anos e costuma participar das festas de aniversário dele, em São Paulo. Aliás, Samuel Ferreira foi um dos escolhidos pelo presidente para “abençoar” sua posse no Planalto, quando Temer assumiu interinamente, em maio. O pastor Samuel Ferreira fez então um pedido, que Temer imediatamente atendeu, pois um de seus primeiros atos foi mandar o ministro José Serra conceder passaporte diplomático ao filho do criador da Assembleia de Deus, justamente o pastor Samuel Ferreira, que já era investigado na Lava Jato, e à mulher dele, chamada Keila. Como dizia nosso amigo Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe. (C.N.)

17 thoughts on “Pastor que recebeu repasse de propina de Eduardo Cunha é muito amigo de Temer

  1. No pronunciamento de ontem do Temer só havia uma realidade, a homenagem a Dom Paulo , o resto foi o de sempre : Vamos apertar o cinto para o futuro e o Brasil espera que cada abestalhado cumpra o seu dever .

  2. Newton, essa é para você relembrar: Quando da primeira eleição de Sergio Cabral para o senado. Houve “uma jogada para fraudar as eleições”. Quem participou da trama foi Marcelo Crivella, Mamoel Ferreira e Cabral. Acontece que Manoel vendo que Crivella teria mais possibilidade de se eleger que ele. Quis dar-lhe um golpe encima do golpe.Naquele momento tudo era muito fácil para eleger-se. Era só ter grana para comprar a eleição. Com a maior cara pau Manoel Ferreira procurou Brizola para fazer-lhe uma proposta dizendo que seu pai fora brizolista e que em 1961 apoiara a “Cadeia da Legalidade” (uma rede de emissoras que espalhou por todo o Brasil a resistência que Brizola fizera no RS). Brizola disse que qualquer proposta devia ser feita em um programa de rádio.Foram os dois convidados por uma rádio, não me lembro qual. Manoel simplesmente pediu a Brizola para desistir da candidatura. Ele queria golpear o Crivela. Lógico que Brizola o ironizou. Resultado: Cabral teve 4.900.000 votos, Crivella segundo colodado 2.700.000 votos, Manoel Ferreira 1.800.000 votos, Brizola 1.200.000 votos Artur da Távola PSDB 800.000 votos e Edson Santos PT 400.000. Bizola foi mais uma vez roubado. Com dinheiro o TRE do RJ elegia qualquer um. “O artista Manoel foi convidado agora para fazer parte de um papel na Lava Jato”. Estamos “fricatos”.

  3. Fico pensando cá com os botões dos deputados e senadores fisiológicos do congresso nacional, delle$, se aquela mulher, política e intelectual de direita, que invadiu a câmara federal junto com um bando de lunáticos de extrema direita, que confundiu a bandeira do Japão com uma suposta nova bandeira comunista do Brasil, assim como todos os deputados, senadores, vereadores e cia, eleitos pelo sistema político podre, teriam alguma chance de serem aprovados num sistema de Democracia Direta com meritocracia Eleitoral, como representantes do povo ou de estado-membro, para exercício de mandatos de apenas 5 anos, sem reeleição ? Intervenção popular já, cerco e pressão total, pacífica e democrática, ao congresso nacional, pela rendição do sistema político podre em prol da Democracia Direta Já. Feliz Natal a todos, todas, e ao Novo que precisa nascer. DEMOCRACIA DIRETA JÁ. CHEGA DOS ME$MO$. XÔ CONTINUÍSMO DA ME$MICE. XÔ CRISE. BASTA DE 171. VEM COMIGO BRASIL. “O historiador José Honório Rodrigues que estudou a fundo a conciliação de classe sempre de costas ao povo, afirma com razão:”a liderança nacional, em suas sucessivas gerações, foi sempre anti-reformista, elitista e personalista…A arte de furtar é nobre e antiga praticada por essas minorias e não pelo povo. O povo não rouba, é roubado… O povo é cordial, a oligarquia é cruel e sem piedade…; o grande sucesso da história do Brasil é o seu povo e grande decepção é a sua liderança”(Conciliação e Reforma no Brasil, 1965, pp. 114;119).” https://www.youtube.com/watch?v=ituZrWROlxU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *