Patrulhamento dos prprios jornalistas sobre discusso do racismo no pode ser tolerado

Jornalistas da Folha de S. Paulo se rebelam contra direo do jornal.  "Racismo  fato concreto", fazem advertncia aos chefes - Brasil 247

Jornalistas da Folha criticam a discusso sobre o racismo

Eduardo Affonso
O Globo

Existiu, at os anos 60, o Index Librorum Prohibitorum, lista das publicaes que iam contra os preceitos da Igreja Catlica motivo por que eram canceladas pela Inquisio e seus sucessores no departamento de censura religiosa. Heresia, concupiscncia ou o que quer que desafinasse o coro cannico estava condenado fogueira ou, no melhor dos casos, a ser banido das estantes. Eventualmente, o autor era queimado com a obra, como no caso do Giordano Bruno.

Censura e intolerncia nunca foram monoplio de uma religio ou de Estados totalitrios. Mesmo nas democracias, arrumam um jeito de dar as caras. E onde menos se esperaria: nas universidades (centros de produo e difuso do conhecimento) e na imprensa (que vive no s da notcia, mas tambm da informao crtica, da manifestao do pensamento).

IMPRENSA LIVRE? – Pluralismo e liberdade de expresso devem ser os princpios de qualquer publicao que pretenda ter alguma relevncia. No se espera de um folheto de sindicato que abra espao opinio do patro, ou que o porta-voz oficial de um partido (principalmente se for do tipo partido nico) permita o contraditrio. Mas de que adianta uma imprensa livre se ela mesma se impuser tabus, lanar antemas?

A tese de que discutir o racismo seja relativiz-lo a desculpa de quem deseja que o tema seja interditado ao debate. Saem de cena os mandamentos do sagrado e entram os da ideologia. Divergncia vira blasfmia. O assunto passa a ser to somente uma relao entre opressores e oprimidos a velha luta de classes reloaded.

Usar a noo de raa para discriminar algum mesmo que de forma positiva tem como efeito refor-la, e no o contrrio. Acreditar que raas existem a base de todo o racismo. E no outra coisa o que fazem os devotos do identitarismo. Demtrio Magnoli j discorreu brilhantemente sobre o tema, em Uma gota de sangue: histria do pensamento racial, e Antonio Risrio, em suas obras mais recentes.

PROIBIDO DISCORDAR – Porm, de algum tempo para c, tudo o que diga respeito a essa questo (racismo estrutural, racismo reverso, lugar de fala) tomou ares de virgindade perptua de Maria, estendendo a infalibilidade papal aos militantes da causa identitria.

Discutir, debater, investigar ganharam, na novilngua dos progressistas, o sentido de normalizar. Quem discorda ou questiona automaticamente rebaixado a racista, supremacista assim como os crticos da linguagem neutra so homofbicos, transfbicos, de masculinidade frgil, os que no se alinham esquerda so isentes ou fascistas etc.

Ideias devem ser refutadas, no caladas. Ou o que se ter autoritarismo sob a pele de justo combate s injustias. Imprensa livre a que estimula o exerccio da liberdade de expresso e abre espao pluralidade de pensamento. Quando um jornalista se transforma na D. Solange de si mesmo e dos colegas, e prope um novo Index, ficamos todos mais burros.

2 thoughts on “Patrulhamento dos prprios jornalistas sobre discusso do racismo no pode ser tolerado

  1. Concordo que a liberdade de expresso deva ser absoluta. At porque a certeza e convico s so alcanadas aps a anlise de muitos pontos de vista.
    Ocorre que aos poucos estamos cedendo terreno ao “politicamente correto”. Quer um exemplo? A proibio da propaganda de cigarros.
    Ah, mas isso outra coisa. Ser?

  2. As Ongs, institutos e movimentos negros no Brasil so financiados por estrangeiros. A maioria desses financiamentos vem de pases muito mais racistas e preconceituosos que o Brasil.

    NO TEM NADA DE LUTA PELO FIM DO RACISMO OU IGUALDADE RACIAL!

    Os brasileiros esto acordando e vendo que muitos dos tais militantes negros, militante indigena, etc, so os novos vendedores de escravos que se aliam a europeus, norte-americanos e canadenses, negociando pessoas e no caso entregando o prprio Brasil para interesses estrangeiros.

    Cada ONG, instituto e movimento racial, social , etc, aqui no Brasil devem ser urgentemente INVESTIGADOS para ver quem financia tudo isso para colocar brasileiro contra brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.