Paulo Cezar Caju diz que está torcendo pela Bélgica no jogo contra o Brasil

Resultado de imagem para paulo cesar caju

Paulo Cezar Caju se tornou um rebelde sem causa

Bruno Mateus
O Tempo

Tricampeão mundial em 1970, Paulo Cezar Caju há um bom tempo não vibra pela seleção brasileira. Segundo ele, o nosso futebol distanciou-se das origens e tornou-se pragmático. Por ironia do destino, o time que ele adotou como seu é o adversário de hoje da equipe de Tite. “Não estou nem aí para a seleção”, comenta. Com opiniões firmes e personalidade forte, PC Caju não foge das divididas e fala sobre racismo, corrupção na CBF e na Fifa e a falta de posicionamento político dos nossos jogadores: “São um bando de alienados”.

Em maio, você afirmou que a lista de convocados não te empolgou e que não te entusiasma a maneira de jogar da equipe – pragmática, na sua opinião. Você também já comentou que a seleção não conta com a sua torcida há muito tempo. O futebol brasileiro está decadente, longe de suas origens?
As arenas no Brasil se transformaram em estádios para rico. Quem ganha mil reais não consegue ir aos jogos. E a qualidade do nosso futebol está uma porcaria. Os melhores jogadores do país estão na Europa. A seleção brasileira não me interessa, gosto de futebol bonito, não importa de onde. Independentemente se ganha título ou não, gosto da escola belga e não é de agora. Eles têm um estilo gostoso. Não quero falar sobre seleção brasileira, sobre Neymar. Não estou nem aí para a seleção, queria que acabasse tudo, que explodissem o Brasil. Estou torcendo para a Bélgica. Gosto de futebol leve, solto, limpo. A Bélgica tem jogadores talentosos que amadurecem a cada Copa. Não gosto de força, gosto da caneta, de balãozinho.

Você sempre se manifestou sobre assuntos que extrapolam os gramados. No Brasil, existe uma cultura de que futebol e política não se misturam. Não é muito comum o jogador brasileiro se posicionar politicamente ou sobre alguma questão social. Por que isso acontece?
Porque são um bando de alienados. Sabem de tudo o que acontece. Aqui no Brasil não precisa contar com ninguém. Só depois que jogaram banana para o Daniel Alves ele foi ver que é filho de preto. O Neymar disse que não é preto. Você vê esses caras assumirem alguma posição? Nem com relação à corrupção na CBF. Um está preso (José Maria Marin, ex-presidente da entidade) e tem dois (Marco Polo Del Nero e Ricardo Teixeira, também ex-presidentes) que a Interpol só está esperando que eles pisem fora do país para prendê-los. Fui cortado da Copa de 1978 porque bati de frente com o Almirante Heleno Nunes, ex-presidente da CBD (Confederação Brasileira de Desportos, hoje CBF). Mandei ele passear, cuidar de armas, porque de futebol ele não entendia nada. Zico, Rivellino, Luís Pereira… ninguém se levantou para me defender, mas tudo bem. Não cobrei nada de ninguém. Não dependi da minha classe, me defendi sozinho. Não vou me preocupar agora. Se eu jogasse hoje, reuniria os jogadores e falaria para não jogarmos na seleção enquanto os casos de corrupção não fossem resolvidos. Tem uma música do Bezerra da Silva que é genial: “Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão”.

Inclusive, você não poupa crítica a jogadores da seleção e ao Tite, por exemplo, que, na sua opinião, não poderiam se calar diante dos casos de corrupção da CBF.
O Tite é um pastor chato. Não suporto esse cara, estou de saco cheio dele, da escola gaúcha de Mano Menezes, Celso Roth, Dunga… Eles fizeram muito mal ao futebol brasileiro e, por causa de essa gaúcha, não temos mais um diferencial. Por falar em treinador, o Aliou Cissé, de Senegal, é o único técnico negro na Copa do Mundo e o que recebe o menor salário.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É pena que o Caju ainda continue cultivando complexo de inferioridade. Ele é um vencedor, o tempo passa, mas o complexo não diminui. Falar mal da seleção por questões pessoais é inaceitável. Pessoalmente, gosto do Caju. Na década de 70, quando era um superstar, ele frequentava meu apartamento em Copacabana, levado pelo Bayma, outro craque maravilhoso. Mas não posso aceitar este proceder dele. A seleção deve ser considerada um espaço nobre na sociedade brasileira, especialmente porque nela não há racismo e os melhores são escalados. Mas para Caju isso nem interessa. (C.N.)

33 thoughts on “Paulo Cezar Caju diz que está torcendo pela Bélgica no jogo contra o Brasil

  1. Concordo com voce Carlos Newton, se quiser mudar algo na forma de como o Brasil e governado entre na politica e seja eleito um brasileiro nacionalista e o que mais precisavamos na epoca ., agora falar mal nos tempos atuais e muito mais facil, Nasceu com o Dom de ser jogador e parou no tempo , acho que todos devem ter suas opinioes , respeito a dele , mas me lembro nos bailes de carnaval do vermelho e preto a figura do Caju, era bem outra .

  2. Esse cara não mudou nada, sempre foi muito arrogante e não jogou nem 10 por cento do que ele acha que jogou; acima de tudo é um imbecil completo, um recalcado. No Brasil é muito comum acontecer essas coisas, jogadores que foram campeões deste “torneio” torcem para que outras gerações não consigam; se acham o supra sumo. Querem se eternizar como campeões.

    Francisco

  3. No futebol todos os países adotaram a tática européia . O Brasil e todos os sul americanos que até a década de 80 praticavam o futebol arte deixaram de lado a magia. O futebol ficou feio e hoje um BRASIL X BÉLGICA é disputado em iguais condições para as duas equipes. Prefiro a seleção de 82 sem título mas com aquele futebol que encantou o mundo.

  4. Discordo de Carlos Newton em suas observações. Essa de misturar futebol se se fosse um “espaço nobre na sociedade brasileira, especialmente porque nela não há racismo e os melhores são escalados” é pura ilusão.

    Enquanto as luzes da ribalta não apagarem, o caixa altí$$imo não baixar e figurões dentro e fora da CBF dominar uma população ignorante, essas observações que você fez continuarão a ocupar o lugar de sempre: esquecem e vão de plim plim.

    Basquete nos EUAS tem racismo, tem grana altíssima e ninguém mistura coisas de Estado com prazer em ir a uma quadra.

    Caju está corretíssimo. Assim como ele manifestou sua opinião, sem aparar arestas (poderia), as suas, caríssimo Carlos Newton estão pari passu com a dele.

    Não tenho nada contra o Tite, mas que tem cara de pastor ou padre aposentado, isso tem.

  5. Caju me lembra um pouco Wilson Simonal, não agora, claro, mas enquanto jogador e que chegou à seleção.

    Certamente por não dourar a pílula em certos assuntos, PauloCésar foi também muito criticado pelas suas posições.

    Obteve muita antipatia do pessoal, que misturava a sua classe como jogador com a sua personalidade controvertida.

    Torcer para a Bélgica, conforme entrevista, pode ser discutível, mas está no seu direito de fazer o que bem entende, ainda mais em se tratando de futebol, que, de certa forma não tem pátria, basta ver a contratação de jogadores estrangeiros pelos clubes mundo afora, e que se enfrentam em campeonatos mundias de clubes.

    • Bendl, este é um campeonato Europeu e não mundial. Na Europa é onde jogam quase todos os jogadores que agora, na Copa, estão na Rússia. Então, países são apenas a origem deles. E, a seleção Brasileira é convocada e escalada pela Nike. O Tite pode até ser o treinador, mas não é ele que define quem vai para o campo.

      • Paulo2,

        E quem escala o time?
        Qual o dirigente que tem autoridade moral para decidir quem joga ou não?

        Talvez o único erro de Tite foi escalar o fraco Fernandinho, que também fez o gol contra, mas não vejo outros nomes no futebol brasileiro que tenham sido deixados de lado porque melhores do que alguns que foram convocados!

        E devemos entender que faz tempo que a nossa safra de jogadores está fraca, sem grandes nomes.

        Neymar é um excelente jogador, mas sozinho não faz verão, e aqueles que jogaram bem anteriormente naufragaram hoje, e cito Coutinho, Paulinho e a atuação medíocre de Fagner.

        Enfim, até o Catar!

        Abração.

  6. Concordo com Paulo Cezar Caju em gênero
    número e grau.

    Os bons tempos se foram….Heleno,
    Garrincha, Jairzinho….Rivelino….Tostão…jogavam por amor.
    Hoje Neymar tem até avião!WWAWW
    Parabéns a ele por sua autenticidade e por tudo que disse!
    Assino embaixo!

  7. A começar, que este “caju” em 70 era reserva, poucas vezes atuou com titular da seleção.
    Sempre foi um boca grande, com criticas a tudo e todos.
    Quando parou de jogar, entregou-se as farras e orgias e dito por ele mesmo, torrou todo o patrimônio conseguido durante os anos com a bola.
    Diz ele ter posto fora 11 imóveis e com o dinheiro, feitos farras homéricas.
    Quando acabou a grana, acabou a festa, viu-se na “rua da amargura”, como dizia-se antigamente de quem estava em situação para lá de ruim.
    O lula, como o “bom samaritano”, criou uma lei obrigando ao INSS pagar uma pensão vitalicia a todos os atletas que tenham ganho algum título internacional e que estariam em má situação.
    O “caju” foi um dos beneficiados porque alem de duro, também estava desempregado.
    Quando arrumou um emprego numa rádio como comentarista, ficou bravíssimo, porque cortaram a pensão, achava que deveria continuar recebendo.
    Deveriam era ter perguntado a ele, se esta empregado, ou continua mamando na viúva, talvez disso ele não fale.

    • Pois é.

      Paulo Cesar Caju é mais um defensor do Estado agigantado e possa de salve salve pátria amada Brasil.

      Patético esse cara.

  8. O PC Caju lembra um pouco o Romário. Arrogante, mau exemplo, mas de vez em quando diz umas verdades duras que nenhum outro atleta tem coragem de falar.

  9. Quanto a maior falta de informação, a censura pior .
    VivA a liberdade !
    Descobri o enriquecimento ilícito de governadores, autoridades e políticos. Mem de Sá (governador-geral do Brasil entre 1558 e 1572), por exemplo, já era acusado de enriquecimento ilícito. No Rio de Janeiro, dizia-se que os mercadores de escravos que saíam da África e seguiam para o Rio da Prata e tinham que parar no Rio para abastecer já sabiam que tinham que pagar propina ao governador da capitania. Para que essas embarcações parassem na costa era exigido algum tipo de contribuição ilícita, como o direito de subir a bordo e escolher os melhores escravos.

    Há outros corruptos que chamam a atenção?

    Dedico uma parte do livro a dom Lourenço de Almeida, que governou Minas entre 1720 e 1732. Ele era acusado de ter constituído fortuna a partir do ouro e diamantes por meio de práticas ilícitas. Em pouco tempo estava riquíssimo, com mais de 100 contos de réis, que era um valor considerável para a época. Encontrei o testamento dele em Portugal e o inventário. Com base na reconstituição do patrimônio, consegui identificar o enriquecimento ilícito, dando razão às sátiras que já denunciavam isso. Havia dois tipos de requisitos para que a pessoa pudesse roubar sem ser importunada no Brasil colônia. Ela deveria agir com discrição e respeitar determinados limites. Dom Lourenço transgrediu tudo isso e chegou a extrair diamantes sem notificar a Coroa.

  10. Foi um bom jogador mas jamais poderia ter participado da seleção de 70 no lugar de um dos maiores jogadores da história do futebol mundial : DIRCEU LOPES.

  11. Das Américas só o Brasil ficou….

    Europa mostrando sua superioridade…

    Só nos resta torcer, Dá-lhe Neymarzinho

    Boa sorte aos meninos.

  12. A Rede Globo se apodera de maneira tão indevida da seleção brasileira que fica impossível torcer por ela. Não dá, francamente é nojento. E para completar a gente nem sabe o que pensam os jogadores, falam o português e é só o que tem em comum com o povo brasileiro. Por fim, empresas patrocinadoras monopolistas surfam num patriotismo que lhes falta o ano inteiro, numa patriotada barata e rastaqüera que nem por um minuto dá para vacilar: perde seleção! você não é o Brasil e sequer passa perto do que o Brasil tem de melhor, muito pelo contrário.

  13. Nelson Rodrigues afirmava que o último refúgio dos canalhas éo nacionalismo. Porém, não é o caso do Caju.

    Ele fala, e com propriedade, de fatos que deveriam nos envergonhar, e mesmo assim, transformam em orgulho uma seleção que não representa o nosso futebol alegre e vibrante dos tempos que um único clube, como o incomparável Clube de Regatas Vasco da Gama, era a base de uma seleção e que o time perdia com a horrosa camisa amarela no Maracanã por 2 x 1 e no ano seguinte, com a gloriosa camisa cruzmaltina, foi à Montevidéu e deu de 3 x 0 nos uruguaios.Mas isso é para quem tem memória.

    Portanto, tem muita gente triste com essa realidade brasileira e externado sua indignação dessa forma. Se tem razão ou não, faz pouca diferença. Qual o problema?

    O Caju falou muitas verdades, e isso incomoda, mas não concordo com tudo.

    A única certeza que temos, é que o Vasco joga de faixas, enquanto as seleções querem alcançá-las.

    • Nelson Rodrigues pode ter dito isso, mas deve ser dado crédito ao britânico Samuel Johnson, o autor original da frase”Patriotism is the last refuge of a scoundrel.”

      “http://www.samueljohnson.com/refuge.html

      Francamente, acho difícil Nelson Rodrigues ter dito isso, não condiz com o próprio nacionalismo que lele gostava de apregoar.

  14. Carlinhos Vidente é o chulé do capeta. Ele previu: a final vai ser travada entre duas seleções:
    -Uma tem o francês como idioma oficial.
    -A outra: tem o francês como uma das línguas oficiais.
    -São vizinhas limítrofes.
    -Em português, ambas soam como topônimos femininos.
    -E finalmente, uma das seleções tem um craque que parece e o seu nome rima com macaco.

  15. Valeu Caju. Abaixo esta Seleção Européia, que se diz Brasileira. Tudo por dinheiro, com o apoio da Mídia. Tite vendendo TV. Programa do Fantástico com as mães dos jogadores em Moscou. Taí, o resultado de tanto marketing. Mudança de época, requer mudança de postura. Está na hora de se pensar num Educação séria, incluindo a esportiva. Quem sabe em vinte anos veremos resultado. Voltemos ao mi..mi..mi.

  16. Safado, canalha, recalcado.. Por acaso, em 70, na ditadura, quando se matava, se torturava, ‘”sumiam’ com as pessoas, esse safado se posicionou? Crápula, oportunista, covarde.

  17. Ah! Carlinhos vidente!!!! Quem consultou com ele?
    Só cobra uma cesta básica ou R$ 50,00. Mas…durante a consulta, a gente está carregada e precisa de um trabalho que custa (os olhos da cara).
    Disse que o Aécio ganharia. Depois disse que ele não ganhou porque ele não sabe de manipulações. E tantas e tantas que ele chutou. Percorre o Brasil todo, mais de uma vez.

    • E errou mais de 4 vezes.
      1° disse q a Alemanha seria campeã.

      2° disse que Neymar só jogaria no máximo dois ou três jogos, e ele jogou 5 jogos.

      3° disse que o Brasil seria eliminado por uma seleção que não estava na copa de 2014, e a Bélgica estava na copa de 2014.

      4° disse que o Brasil sairia em 3° ou 4° lugar, e o Brasil com essa derrota não deve sair nem com a 6° colocação.

  18. Paulo Cezar “Caju” fi um bom jogador, com tudo o que os bons jogadores de sua época tinham. Na verdade, o correto é dizer que “ele jogava bola”. Não era atleta. Hoje, a maioria é atleta e o preparo físico é necessário.

    Com a comercialização mundial de jogadores, seria legal que as seleções utilizassem somente aqueles que jogassem no país!

    No fundo, é um ” saladão”. Jogadores se nacionalizando, outros nascidos em países onde os pais foram morar e alguns que, mesmo sendo brasileiros, eram desconhecidos por aqui.

    Talvez fortalecem os clubes aqui. Basta ver-se quais dos convocados ainda estão no Brasil.

    Importante registrar que em todas a seleções existem bons jogadores, alguns com muita técnica. Olhando jogos das copas anteriores (de 50 até 82/atual), as equipes da Europa não tem apenas preparo físico e força, mas muita técnica também.

    Agora é assistir os finais e esperar, se Deus permitir, a próxima.

    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *