Paulo Guedes admite que o governo “falhou miseravelmente” na entrega das vacinas

Ações para enfrentar coronavírus totalizam R$ 700 bi, diz Guedes | Agência  Brasil

Para variar, desta vez o ministro Paulo Guedes foi sincero

Pedro do Coutto

Em reportagem publicada nesta quarta-feira em O Globo, Manoel Ventura reproduz afirmações de Paulo Guedes reconhecendo “que falhamos miseravelmente na entrega das vacinas mas agora o governo saberá agir se a pandemia se agravar”.

A meu ver, as declarações do ministro da Economia são surpreendentes, aliás como a maioria de suas ideias e seus projetos. Paulo Guedes, digo eu, ao longo de dois anos tem se mostrado um ficcionista desconcertante.

GRAVE DERROTA – O texto que ele (Guedes) produziu traduz um reconhecimento de uma grave derrota do governo do qual faz parte. A tarefa que Guedes se propõe fazer, além de extremamente complexa, torna-se impossível. Examinando bem a questão verifica-se que ele é ao mesmo tempo ministro da Fazenda, Trabalho e Previdência Social. Não há no mundo uma pessoa capaz de as 24 horas do dia exercer as funções múltiplas que o seduzem.

Por isso ocorrem fatos que o expõe a cometer absurdos como por exemplo dizer que o dólar flutuante entre 4 e 5 reais não significa mudança. Esqueceu que existe uma infinidade de compromissos financeiros que são liberados pelo valor do dia. Entre 4 e 5 reais existe uma diferença de 20%. Algo capaz de elevar o valor dos pagamentos.

FAZ TUDO ERRADO – Há pouco tempo, Paulo Guedes estimou em 16 bilhões de reais o valor do sistema Eletrobrás. Por 16 bilhões, a venda demoraria apenas uma hora.

É só confrontar a incorporação da Fox pela Disney, muito superior a um ativo que se constitui de Furnas, CHESF, Eletronorte e Eletrosul.

Acrescente-se a isso a transmissão feita por Furnas da energia de Itaipu.

EVANGÉLICOS E CATÓLICOS – As entidades evangélicas que agrupam Presbiterianos, Metodistas, Luteranos, Batista dentre outros, e também a CNBB apresentaram terça-feira pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

Foi uma reação das religiões cristãs em relação as falhas do governo no caso das vacinas. Assim o documento revelado por Danielle Brand, Folha de ontem. visa também combater o uso de religiões no plano político.

ATRASO NO ORÇAMENTO – Adriana Fernandes e Idiana Tomazelli, O Estado de São Paulo de 27, revelam que o atraso no orçamento de 2021 coloca em risco o pagamento de civis e militares a partir de abril. Isso porque o orçamento encontra-se atrasado e dessa forma recursos financeiros não podem ser liberados a partir do final de março.

O Congresso ainda não aprovou a chmada lei de meios nem o Ministro Guedes percebeu o que isso significa. No Legislativo não há oposição contra a aprovação da matéria. Pela lei em vigor basta considerar que o reajuste deve ser de 5% sobre o total de 2020, que foi de 3,6 trilhões de reais.

5 thoughts on “Paulo Guedes admite que o governo “falhou miseravelmente” na entrega das vacinas

  1. Estão preparando uma intervenção no Brasil!

    A alegação?!

    Suposto “descontrole” da pandemia e suposto caos na preservação da Amazônia!

    Quem DEIXOU chegar nesse ponto?

    TODOS OS PODERES INSTITUIDOS, INCLUINDO A IMPRENSA!

    Desde a nossa classe politica e judiciaria, e também a NOSSA IMPRENSA em que AMBOS estranhamente precisam da aprovação dos governos dos ditos “países do primeiro mundo” para fazer algo.

    O Bozo só foi a desculpa criada para essa finalidade para a futura intervenção no território brasileiro.

  2. Vergonhosa esta união entre evangélicos e os bispos bolivarianos da CNBB. Sente-se no ar o cheiro de despeito desta gente, notadamente dos bispos bolivarianos, não conseguem entender porque o poder que tinham nos tempos do pestismo se esfumou, estão quase falando sozinhos. Agora só voltando ao passado para os bispos bolivarianos terem um pouco de atenção vindo do estado laico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *