Paulo Guedes baixa o tom após fala sobre AI-5, mas é alvo de críticas no Congresso e no STF

Guedes tentou contornar e pediu “democracia responsável”

Deu no Estadão

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi alvo de críticas após dizer que as pessoas não deveriam se assustar se alguém defendesse o AI-5 no caso de radicalização de manifestações de rua.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), líderes partidários e a oposição criticaram a citação ao mais duro dos cinco atos institucionais da ditadura militar (1964-1985) e apontaram para possíveis riscos para a imagem do País frente a investidores. Horas depois, Guedes baixou o tom e defendeu que se pratique uma “democracia responsável” no País.

“INCOMPATÍVEL” – “O AI-5 é incompatível com a democracia. Não se constrói o futuro com experiências fracassadas do passado”, afirmou Toffoli. O presidente do Supremo havia sido criticado por ter demorado a se posicionar, no fim de outubro, quando o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) defendeu “um novo AI-5” para conter eventuais manifestações de rua, caso “a esquerda radicalizasse”.

A declaração de Guedes foi dada no fim da noite dessa segunda-feira, dia 25, em Washington. O ministro comentava os discursos feitos recentemente pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que incitou a militância a “seguir o exemplo do povo do Chile”, onde protestos de rua contra o governo causaram mortes e deixaram centenas de feridos, e declarou que “um pouco de radicalismo faz bem à alma”.

DECLARAÇÃO – Guedes e a política econômica do governo de Jair Bolsonaro têm sido os principais alvos de Lula, que já chamou o ministro de “destruidor de sonhos”. “Quando o outro lado ganha, com dez meses você já chama todo mundo pra quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5”, afirmou o ministro da Economia. “Chamar o povo para a rua pra dizer que tem o poder, para tomar… Aí o filho do presidente fala em AI-5, aí todo mundo assusta. Acho uma insanidade chamar o povo pra rua pra fazer bagunça”, concluiu.

Apoiador da pauta econômica de Guedes, Maia também criticou o ministro. “Ele gera uma insegurança na sociedade e, principalmente, nos investidores. Usar dessa forma, mesmo que sendo para explicar o radicalismo do outro lado, não faz sentido. Por que alguém vai propor o AI-5 se o ex-presidente Lula, que acho que está errado também porque está muito radical estimula manifestação de rua?”

“INADEQUADA” – Líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM) disse que a declaração de Guedes foi “absolutamente inadequada”. Líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP) afirmou que é “inadmissível que novamente se considere um novo AI-5 como caminho viável”. “(Guedes) precisa ter cautela. Tudo que ele fala tem consequências na questão econômica”, afirmou.

A oposição ao governo Bolsonaro pretende usar a declaração de Guedes para atacar o discurso de que a agenda econômica estaria blindada das declarações polêmicas de outros setores do governo. “Não tem essa. O governo é um só. Essa divisão que se faz de que o Bolsonaro é um louco e o Paulo Guedes toca uma agenda racional não existe”, disse o deputado Rui Falcão (PT-SP), ex-presidente do PT. Bolsonaro não comentou as declarações de seu ministro ontem. “Eu falo de AI-38”, disse, em referência ao número que escolheu para seu novo partido.

17 thoughts on “Paulo Guedes baixa o tom após fala sobre AI-5, mas é alvo de críticas no Congresso e no STF

  1. Quanta besteira, o que Guedes disse demais? Ele não fez apologia ao AI-5, não disse que o governo poderia fazer um AI-5. Disse que se houver baderna, o povo pode começar a falar em AI-5. Qual o problema dona mídia?

    • O problema é o Guebbels, um funcionário público que só faz merda….

      E, por sinal, se voce for brasileiro, a merda que ele faz é com o seu patrimônio e imposto.

      O problema é o Guedes ser um impostor do sistema podre que rege o sistema.

      • A mim ele não fez nenhuma bobagem, por mim vendia a Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica, o Palácio do Planalto, da Alvorada.. incluindo mesas e cadeiras… Todas essas “instituições” só serviram ate agora para tirar dinheiro do meu bolso…

        Estatais não pertencem a população, pertencem a burocracia e ao establishment se comportam conforme os interesses desta.

        Perca essa ilusão que essas coisas são patrimônio do povo.

        • Então, seguindo seu argumento, para que ser cidadão, prezar pelo direito democratico, garantias trabalhistas, exigir ética na educação, ter direitos?
          Se tá contente com a roubalheira toda dos ladroes da União, deve ser do time, ou acha ótimo npoder moer o proximo pra ter carne na sua esfiha…
          Tá explicado.
          Só falta te contarem no que vai dar a venda de tudo isso, os bordéis em que terá que trabalhar, ou, no caso deste governo, a milícia que tera que integrar.
          Falou silverinho kebab!!!!

        • Incrivel conhecer o que pensam os analfabetos ignorantes que nunca tiveram um dia sequer de vida ou propósitos íntegros.
          Chuta o balde, se depois disser que lhe cobram até pra respirar vai culpar o Lula que quebrou o Brasil….

          Nunca assentou um tijolo pra saber o valor das coisas…

          Experimente sair do Brasil e conhecer outras terras. Aqui no UK os cidadãos costumam dizer:
          “Acredito que a vida é só tomar e nada dar, England é minha e me deve uma vida.
          Se perguntar por quê, cuspo na sua cara”

          Um Paulo Guebbels aqui não tem vez…

  2. O partido do presidente votou em massa para que o Botafogo se reelegesse presidente da Câmara. E o cachorrinho de estimação do chefe da ORCRIM é quem está protegendo o filho 01 do presidente. vá se informar antes de escrever besteira.

  3. JÁ VIMOS ESSE FILME ANTES, na então União Soviética, sob a era Gorbatchev, 1985/1991, com a Perestroika-Glasnost , e todos sabemos no que deu, tentativa de golpe armado com uso da força militar, sufocada pela população, com soldados sendo tirados à força pelos cabelos de dentro de tanques poderosíssimos, queda de Gorbachev, ascensão de Boris Yeltsin, desintegração da União Soviética e derrubada do Muro de Berlim. O Brasil de Bolsonaro e CIA, devorado pela corrupção centenária, tem tudo a ver com a União Soviética de Gorbatchev, com sinais trocados, tipo capricho e ironia do destino. E o melhor de tudo é que lá, na União Soviética, cada região foi cuidar da sua própria vida, caminhar com as próprias pernas, conforme as suas próprias peculiaridades, se reinventaram, e todos melhoraram de vida. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2019/11/26/tropa/?fbclid=IwAR3Di6yzwRGX3b-LbE_-b_6bwtgHmYQprWUfmsiJpp_avmBKRWIHPzled8U

  4. Muito bem…

    BC limita os juros do cheque especial
    O Antagonista

    O Banco Central limitou os juros do cheque especial. A partir de 6 de janeiro, serão de 8% ao mês, no máximo.

    Com isso, os juros anuais alcançarão um teto de 150%. Hoje, a taxa média é de 305,9% ao ano.

    Em contrapartida, os bancos poderão cobrar uma tarifa mensal de até 0,25% do valor que exceder 500 reais no cheque especial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *