Paulo Guedes mantém sigilo sobre os setores do INSS em que vão recair os cortes

Imagem relacionada

Será que Guedes acha que conseguirá manter os dados em sigilo?

Pedro do Coutto

Na sessão da Comissão Especial da Câmara que ouviu explicações do Ministro Paulo Guedes, o titular da Economia não disse quais as aposentadorias e pensões que vão estar nos cortes programados pela reforma da Previdência. Lendo-se com atenção a reportagem de Idiana Tomazelli, Lorena Rodrigues e Cláudia Torelli, que capitou em profundidade o giro dos debates, por diversas vezes foram encaminhados pedidos a Paulo Guedes para que explicitasse concretamente quais os setores que englobam aposentados e pensionistas que vão sofrer reduções.

Paulo Guedes, na minha opinião, tenta sempre escapar do assunto porque prefere que tal item fundamental fique para depois.

CHEQUE EM BRANCO – O economista Felipe Campello colocou bem a questão ao dizer que o projeto nesse ponto significa uma proposta de delegação como um cheque em branco. Concordo com ele: a indicação exata contida nas reduções de proventos de aposentados e pensionistas está pautada em síntese no seguinte alvo: primeiro aprovando a reforma, os parlamentares só vão saber exatamente em que pontos será ela feita depois de aprovada a emenda constitucional. 

Trata-se de uma inversão na ordem lógica, pois é essencial saber o que estará sendo votado concretamente. O Ministro Paulo Guedes disse recentemente que os direitos adquiridos serão respeitados, como estabelece a Constituição. Mas faço a pergunta é como poderá ele reduzir despesas num montante de 100 bilhões de reais por ano sem conter algumas despesas.  É preciso, portanto, que ele informe concretamente quais os cortes que estão programados na sua escala no rumo de um trilhão de reais em 10 anos.

Voltando ao tema inicial, vamos esperar as informações realmente concretas sobre que setores vão ser atingidos pela Emenda Constitucional da reforma.

OUTROS ASSUNTOS – Ao comparecer na Câmara Federal a uma audiência para tratar dos rumos do Coaf , o Ministro Sérgio Moro chamou o General Eduardo Villas Bôas de herói nacional, rebatendo assim indiretamente os  ataques do filósofo Olavo de Carvalho. O General Villas Bôas esteve presente e, como se constata, recebeu na sessão não somente o apoio de um ministro do governo Bolsonaro, mas também de grande número de parlamentares.

O ex-superintendente da Secretaria Estadual de Transportes do Rio de Janeiro, Delmo Pinho foi indicado pelo PP para o cargo de Secretário de Transportes. A indicação partiu do ex-deputado Júlio Lopes, que faz parte da direção do Partido Progressista.

6 thoughts on “Paulo Guedes mantém sigilo sobre os setores do INSS em que vão recair os cortes

  1. Mais um arrogante produtor de terrorismo econômico na macabra historia do Brasil. Estes tipos se sucedem neste dominó de terror.

    Somente uma REVOLUÇAO SOCIAL, com fuzilamento em massa, dará solução aos seculares problemas brasileiros.

  2. “CHEQUE EM BRANCO – O economista Felipe Campello colocou bem a questão ao dizer que o projeto nesse ponto significa uma proposta de delegação como um cheque em branco. Concordo com ele: a indicação exata contida nas reduções de proventos de aposentados e pensionistas está pautada em síntese no seguinte alvo: primeiro aprovando a reforma, os parlamentares só vão saber exatamente em que pontos será ela feita depois de aprovada a emenda constitucional.”

    Pararabéns, BOLSOTOLOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *