Paulo Guedes propõe ‘congelar’ salários e deixar a inflação corroer seu poder aquisitivo

Resultado de imagem para salario do servidor charges

Charge do Gilmar Fraga (Gaúcha/ZH)

Pedro do Coutto

Num encontro no final da semana passada com o senador Rodrigo Pacheco e com o deputado Arthur Lira, dirigentes de Senado e Câmara, o ministro Paulo Guedes afirmou que uma das alternativas para prosseguir o pagamento do auxílio de emergência é congelar os salários dos funcionários públicos pelo prazo de três anos. Entretanto, o que ele deseja mesmo é reduzir os vencimentos ao longo do mesmo prazo.

A reportagem é de Flávio Pupo, na Folha desta quarta-feira.

PROPOSTA SINISTRA – Explico. Na realidade, congelam-se salários quando são reajustados pela inflação do IBGE. O ministro da Economia sabe muito bem disso. Quando se promove a estagnação dos vencimentos pelo valor nominal, isso significa reduzi-los no mesmo ritmo do índice de inflação.

Exemplo: o índice inflacionário de 2020 foi de 4,3%. Assim essa é também a perda que atinge 450 mil funcionários federais, exceto o dos magistrados e integrantes do Ministério Público.

E parece que o congelamento não é para atingir o Exército, Marinha e Aeronáutica. Isso porque, nesse caso Guedes e sua equipe temem a reação das Forças Armadas.

IMPACTO SOCIAL – O ministro da Economia espera receber o apoio do Congresso Nacional para mais essa perversidade, que punirá inclusive funcionários públicos que recebem salários baixíssimos.

É uma perversidade que causará impacto social inevitável, como consequência da diminuição do valor real dos salários dos servidores. Essa redução vai se refletir também no consumo, que, no final das contas é a base insubstituível da receita tributário. Menor salário, menor consumo.

Isso já aconteceu no ano passado com a redução do lucro das empresas, matéria de Eduardo Cucolo, também na Folha. A pesquisa foi realizada pela FGV. A previsão para o primeiro trimestre de 2021, de acordo com a FGV, é permanecer a retração, porque as pessoas estão com medo de perder o emprego. Portanto, como digo sempre, qualquer corte salarial reflete na arrecadação. Por isso os economistas, segundo matéria de Vinicius Neder no Estadão, apontando risco de recessão.

CANDIDATOS DO PSDB – O presidente do PSDB, Bruno Araujo, numa entrevista a Carolina Linhares, da Folha, afirmou que o candidato tucano à sucessão presidencial de 2022 será definido até o final deste ano.

Bruno Araujo disse que os nomes são João Dória, governador de São Paulo, Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, e o senador cearense Tasso Jereissati.

5 thoughts on “Paulo Guedes propõe ‘congelar’ salários e deixar a inflação corroer seu poder aquisitivo

  1. Mais uma proposta para prejudicar os que ganham menos. A proposta da reforma administrativa vai na mesma linha. O congelamento do teto da área de saúde também. A proposta da carteira verde amarelo idem.

    Em vez de diminuir as desigualdades, Guedes quer aumentá-las.

    Não existe um plano de desenvolvimento. Parece que a única opção é diminuir a renda média dos brasileiros e retirar direitos sociais dos trabalhadores.

  2. Esta fórmula foi usada por FHC. Durante os 8 anos dos seus dois mandatos não concedeu reajustes para os civis e nem para os militares.
    E lembro ainda que a inflação de 2002 foi de 12,5%. Ou seja o plano real já estava fazendo água. O dólar já tinha batido em R$4. Mas chegou o Lula, todos foram reajustados, o salário mínimo superou em muito a barreira dos US$ 100. E o dólar baixou!!! Nunca tinha visto dólar baixar!

  3. O pessoal do andar de baixo tá sempre tomando na tarraqueta!

    O pessoal do andar de cima tá semore tomando “Champã”, como se dizia antigamente.

    Com o demônio no controle do trem fantasma e o paulo jegue vendendo ingressos para os incautos, todos nós vamos tomar nas preg… ops digo , pences… rsrs

    Não sobrará nenhuma!!

    JL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *