PDT perde seu Ministério, mas não vota contra o trabalhador

Figueiredo, líder do PDT, já avisou a Temer

Paulo de Tarso Lyra
Correio Braziliense

O PDT, que na semana passada votou integralmente contra a MP 665, avisou no final de semana ao vice-presidente Michel Temer que repetirá a votação negativa na análise da MP 664 que altera regras para o pagamento das pensões. O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo (CE), sequer aceitou participar da reunião dos líderes da base com Temer, na manhã desta terça-feira, no gabinete da vice-presidência.

Ao Correio, Figueiredo afirmou que o partido votará contra as duas MPs por uma questão programática e caso a presidente Dilma Rousseff deseje, poderá tirar o ministério do Trabalho do controle do partido.

“É uma decisão de qual base a presidente deseja ter no Congresso. O que é melhor: o PDT que avisa de antemão que votará contra uma proposta do governo, ou outras legendas que prometem apoiar as medidas mas só entregam metade dos votos da bancada?”, questionou o líder do PDT.

A crítica do pedetista é voltada especialmente ao PP e ao PTB que racharam durante a votação da MP 665 na semana passada. O PP, inclusive, tem reunião marcada para esta terça-feira (12/5) para definir se permanecerá na base de apoio ao governo como desejam os líderes da legenda, ou se assume uma postura de independência como cobra a base do partido.

2 thoughts on “PDT perde seu Ministério, mas não vota contra o trabalhador

  1. Quem votar com o governo estará indo contra a ideologia do partido, este é o lema do PDT de Brizola e Getúlio Vargas, não é do PT, este se diz dos trabalhadores para inglês ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *