“Pedido de desculpas” da Odebrecht est envolto numa desfaatez inaceitvel

Resultado de imagem para odebrecht pede desculpasJorge Bja

A nota de duas pginas “Desculpe, a Odebrecht errou”, que a empresa estampa hoje nos jornais, uma lstima. A nota dirigida a quem? A pergunta faz sentido, porque a nota no tem destinatrio. E acima deste ttulo est escrito “Expresso de Opinio”, o que estraga e desmerece ainda mais a nota. mera “Expresso de Opinio”, e no um Ato de Contrio. E a primeira frase desta nota sem destinatrio contm uma mentira que no tem mais tamanho. Uma mentira to gigantesca quanto o tamanho da empresa e o estrago que ela cometeu por causa da corrupo.

Comea assim: “A Odebrecht reconhece que participou de prticas imprprias em sua atividade empresarial”. E desde quando crimes reiterados contra o errio nacional, contra o dinheiro do povo brasileiro, contra a Nao Brasileira podem ser etiquetados como “prticas imprprias”? Ou seja, a empresa demonstra querer abrandar o que no pode ser abrandado. Tornar leve, suave e suportvel o que monstruosamente pesado e insuportvel.

PRESSES EXTERNAS? – E prossegue: “No importa se cedemos a presses externas, tampouco se h vcios que precisam ser combatidos ou corrigidos no relacionamento entre empresas privadas e o setor pblico”.

Importa, sim. E como importa! Ou vocs da Odebrecht acham que o povo no sabe o que cidadania, que o povo brasileiro detesta a desonestidade, sabe o que decncia e no aceita a corrupo?. E mais: “Vcios”? Quer dizer ento que os crimes que a empresa e seus dirigentes cometeram contra o povo foram meros “vcios”? Vcio prtica repetida de mau hbito. conduta imprpria.

de se reconhecer que os senhores usaram um substantivo suave para se referir aos hediondos crimes de lesa-ptria que cometeram, sejam como corruptores e/ou corrompidos ou as duas coisas juntas.

AGRESSO A VALORES – “Foi um grande erro, uma violao dos nossos princpios, uma agresso a valores consagrados de honestidade e tica. No admitiremos que isso se repita”.

Que saiba esta empresa, que apesar de sua inegvel tradio e dos relevantes servios prestados, os crimes cometidos jamais poderiam ter ocorrido, no passado, no presente e no futuro. Logo, prometer que daqui para frente os crimes no mais se repetiro no uma virtude, mas comezinho dever no relacionamento da empresa com o setor pblico, relacionamento que a empresa desprezou e deu no que deu.

E essa frase “Por isso, a Odebrecht pede desculpas, inclusive por no ter tomado antes esta iniciativa” no externa arrependimento. Muito menos arrependimento eficaz. O pedido era para ser de perdo. Pedir desculpas muito pouco. Desculpas se pede quando algum, sem querer esbarra na outra pessoa, na rua, no nibus, quando d um encontro no outro… Para se redimir da reiterada prtica de atos criminosos contra o povo, o mnimo que se espera pedir perdo. Pedir perdo por toda a vida. E pedido de perdo tendo o povo brasileiro como destinatrio.

VRIAS LIES – E acrescenta a nota: “A Odebreccht aprendeu vrias lies com os seus erros. E est evoluindo. Estamos comprometidos, por convico, a virar essa pgina”.

Se v que do incio ao fim a empresa rotula os crimes que cometeu como meros “erros”. E garante que est evoluindo, que est comprometida, por convico a “virar essa pgina”. No, senhores, no foram “erros”, mas crimes hediondos. E nem era preciso dizer que est evoluindo… que est comprometida, por convico, a virar essa pgina. So garantias que no precisam ser prometidas.

E aqueles 10 compromissos que os senhores assumem no verso da pgina da nota nem precisavam estar escritas. “No tolerar a corrupo”, “dizer no desonestidade”… e os demais compromissos deveriam ter sido sempre rotineiramente praticados. obrigatrio. civilidade. ordem. da lei. da moral.

Por fim, o pior da nota: “A sociedade quer elevar a qualidade das relaes entre o poder pblico e as empresas privadas”. Que barbaridade afirmar isso! Deixa a impresso que ns, a sociedade, o povo brasileiro, que baixamos a qualidade das relaes, quando, na verdade, quem as tornaram promscuas e imundas foram os senhores e os administradores pblicos. No fomos ns, o povo brasileiro.

6 thoughts on ““Pedido de desculpas” da Odebrecht est envolto numa desfaatez inaceitvel

  1. Se no tivessem pego , talvez hoje esse anncio seria sobre o exemplar modelo de gesto empresarial , que gerou lucros enormes, alm de seu crescimento…

  2. Triste um empreendimento do porte da Odebrecht ter se tornado letras garrafais das manchetes policiais. bvio que a empresa vai falir, j no o fez pelo gigantismo de sua estrutura, mas a longo prazo a Odebrecht no se sustenta. lamentvel. Tanta riqueza, tanta eficincia jogada no lixo. O preo da Lava Jato ser o preo da Odebrecht. Os polticos vo se safar, voltaro pras seus domnios nos cafunds do Judas deste imenso pas. claro que a famlia Odebrecht continuar rica. Mas sem dvida perderemos a referncia de uma das maiores fontes de riqueza que j tivemos. No , porm, o primeiro caso. Este conluio Estado brasileiro -empresrio j deu noutros semelhantes: Baro de Mau, por exemplo. O Brasil parece no ter vocao pra ser uma Koreia, onde empresas grandes tm ntima relao com o Estado. Aqui o empresrio ou usado pelo Estado ou se obriga a montar no Estado. Em todo caso o empresrio vai perder. Mais cedo ou mais tarde o grande empresrio brasileiro humilhado. muito cmodo criticar a postura da Odebrecht, mas algum em s conscincia achava que os negcios da empresa quando estava no auge de produo nacional no eram sob presso poltica? O poltico brasileiro se aproveita da vontade do empresrio em crescer e se monta nas costas dele. Sabe, uma relao de parasitismo. O empresrio a vtima, carrega o poltico nas costas e depois picado nas costas e sucumbe. O poltico acaba levando a vantagem, afinal ele faz a Lei. O empresrio apenas paga o pato. No querer justificar os erros da Odebrecht no, mas que a ideia que se tem passado que o grande mal o empresrio corruptor, o empresrio sonegador, o empresrio ambicioso que faz de tudo pra ganhar dinheiro, mas quem no faz? O empresrio brasileiro mais uma vez lesado, o empresrio brasileiro que tanto contribuiu mais uma vez ter seu legado nas fichas policiais. Assustador isso tudo. O maior erro da famlia Odebrecht no ter ido embora desse pas h uns vinte anos, quando j estavam milionrios. Ficar aqui deu nisso. Brasil no merece os filhos que tem.

    • Muito bem ponderada sua observao, Francisco Menezes. Mas essa grandiosa empresa tinha o dever de resistir, de no se envolver em corrupo, custasse o que custasse. A dignidade de uma pessoa, de uma empresa, no tem preo. A Justia do Brasil concede reparao por dano moral s pessoas jurdicas. Logo, sua reputao tem preo, tem valor econmico. E quando foi posta prova por corruptores, cedeu. Com isso, co-partcipe da corrupo.

  3. Tanto o Dr. Bja quanto os comentaristas supra expuseram consideraes pertinentes.

    A ttulo meramente colaborativo, longe de esgotar o tema, constata-se que um dos aspectos mais perversos da nossa situao est no aproach dado aos criminosos, segundo seu perfil scio-econmico.

    queles envolvidos na simbiose poltico-empresrio so garantidos a vedao tortura e ao tratamento desumano/degradante; a observncia do juzo natural; o respeito reserva legal; ao contraditrio e ampla defesa (CB, art. 5, III, XXXVII, XXXIX e LV, respectivamente), entre outros direitos fundamentais. Ao cabo, podem gozar plenamento dos frutos decorrentes de ilcitos, sem a devida compensao sistmica.

    Enquanto isso, aos criminosos comuns aplica-se um Sistema de Justia cujos crceres so preteridos morte, nas palavras de um Ex-Ministro da pasta…

    Outro triste recorte da nossa realidade.

    Que repblica (Helio Fernandes).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.