Pedofilia, abuso sexual e violência contra a mulher: crimes hediondos praticados por seres repugnantes

Abusos covardes provocam traumas muitas vezes irreversíveis nas vítimas

Pedro do Coutto

Sem dúvida, a pedofilia, como colocou de forma excelente o Papa Francisco, é um crime repugnante praticado em surpreendente escala por membros da Igreja Católica, envolvendo padres e até cardeais, como já se verificou no episódio de Boston. O Papa tem sido firme quanto às denúncias sobre essa prática imunda que atinge crianças e adolescentes que frequentam a Igreja Católica. Ele não tem dado trégua ao combate de ações em que padres se aproveitam de suas condições para criarem traumas que vão acompanhar as pessoas ao longo de suas vidas. Não são poucos os casos.

Quando Bento XVI assumiu o Vaticano houve ações indenizatórias de alto valor movidas por famílias das vítimas de abuso e da imoralidade. O Papa Francisco tem afastado de imediato os dignitários acusados de tais comportamentos. No sábado, o sumo pontífice elogiou a atuação da imprensa por ter sempre revelado os abusos sexuais no clero, abusos que continuariam ocultos não fosse o jornalismo. O Papa disse que a missão do jornalismo é revelar o que acontece no mundo para conter a desinformação que é encontrada na internet.

TRAUMAS – No caso da pedofilia, tal prática é encontrada no homossexualismo contra meninos e adolescentes do sexo masculino. Há menor número de casos entre padres, bispos e até cardeais contra meninas e adolescentes do sexo feminino. Mas os traumas ocorrem por igual, infelizmente. Trata-se de uma fase sombria que o ser humano carrega consigo: o sexo envolvendo a ingenuidade, o sexo contra a vontade, o sexo sem consentimento. Uma coisa terrível. Um universo complicado que exige atenção cada vez maior dos pais, avós e tios.

Os abusos que ocorrem entre os muros dos seminários e das igrejas não são menos importantes e traumáticos do que os abusos sexuais de modo geral, acrescentando-se um aspecto. Os abusos sexuais na adolescência e na vida adulta abrangem homens, mas na maioria ameaçam e agridem monstruosamente mulheres sem que essas consintam o toque físico. Ocorre nas ruas, nos ônibus, nos trens, no metrô de grandes cidades, claro que não só no Brasil, embora aqui tal tipo de violência seja comum.

O sexo sem consentimento é algo medonho. Uma invasão e uma estupidez absoluta que expõe o caráter e até a saúde mental dos agressores, pois como é possível alguém sentir prazer em aterrorizar uma mulher ou um adolescente, chegando ao prazer com o sofrimento da vítima? É preciso ter respeito pelo ser humano, pela integridade do outro, pela vontade das pessoas. São pontos sagrados, mas infelizmente são temas que ainda perduram até hoje, por mais progressos que tenhamos tido.

TRAGÉDIA – Existem até casos de abusos de pais contra filhas, como há casos de vendas de menores obrigando-as à prostituição. Um aspecto da miséria humana e da tragédia que marca a passagem das épocas que se sucedem na história universal. Como conter essas violências? É um problema cuja resposta o Papa Francisco tem oferecido.

É ao mesmo tempo o máximo e o mínimo que pessoas normais podem realizar contra a imundície que habita o cérebro dos abusadores de menores, dos violadores nas relações, dos assassinos que ameaçam a vida das mulheres nas diversas classes sociais e não apenas nos segmentos de menor renda. As páginas policiais dos jornais brasileiros estão cheias de exemplos de desfechos trágicos. Deus permita que o Papa Francisco e o seu exemplo sejam seguidos e que suas palavras tenham efeito em todos os ambientes que podem proporcionar a pressão de um sobre o outro ou de um sobre a outra, no caso a mulher.

AUXÍLO BRASIL – Em reportagem publicada na edição de ontem da Folha de S. Paulo, Fernando Canzian destaca que o Auxílio Brasil que o presidente Bolsonaro luta para colocar em prática tem como meta abalar a força eleitoral de Lula nos grupos de menor renda, especialmente do Nordeste. Essa pode ser e certamente é a intenção de Bolsonaro. Mas pessoalmente não creio no êxito de tal iniciativa com reflexo nas urnas de 2022.

A questão do voto, como focalizei no meu livro “O voto e o povo” é mais complexa, os motivos são diversos e não se esgotam com vantagens eventuais. Até porque Lula é o criador do Bolsa Família e enquanto Bolsonaro estabelece o limite do Auxilio Brasil a dezembro de 2022, nada impede que na campanha eleitoral tanto Lula quanto ele assegurem que o episódio possa se transformar em permanente.

A concessão assim a prazo fixo perde para um apelo que está incorporado à realidade humana: o desejo de obter um pagamento, uma posição de caráter permanente. Se tal regra vale para profissionais de nível universitário, valerá na certa para os segmentos de renda menor. A eleição se ganha na urna, o voto é também o resultado de uma sintonia entre o candidato, o eleitor e a eleitora. As razões do voto têm uma base lógica, mas também incluem um aspecto emocional.

ALTA DA SELIC – Excelente e oportuna reportagem de Reneé Pereira e Talita Nascimento, o Estado de S. Paulo de ontem, domingo, destaca que o aumento da taxa Selic deve funcionar para travar investimentos, isso porque quando a rentabilidade da aplicação financeira supera a rentabilidade dos investimentos econômicos, os aportes de capital se deslocam para o setor financeiro.

A matéria acentua também um fato que destaco como de importância fundamental: os bancos, os fundos de investimentos, os fundos de pensão de estatais e de grandes empresas, todos eles incluindo a complementação das aposentadorias, são credores e não devedores da Selic. Esta é a verdade que a opinião pública deve tomar conhecimento. Inverter a questão é desinformar, é falsificar a verdade dos fatos.

9 thoughts on “Pedofilia, abuso sexual e violência contra a mulher: crimes hediondos praticados por seres repugnantes

  1. O Papa Francisco é um enviado de Deus, um combatente contra as injustiças presentes no mundo. Ele combate os desvios dos próprios prelados. Não é corporativista como tantos líderes e pessoas, que atacam os inimigos, mas fecham os olhos para seus ídolos com pés de barro.
    Pedro do Couto, sempre atento aos efeitos da violência social contra as crianças na linha do tempo. Contra as mulheres também, principalmente no círculo familiar, aonde elas estão muito mais desprotegidas, do que no ambiente externo.

  2. O Auxílio Brasil é uma medida Eleitoreira, destinada a angariar votos para a eleição de 2022.
    Bolsonaro tem Zero de preocupação social, mas, tem um sentimento Eleitoreiro aguçado para angariar votos, aprendido em mais de 30 anos, elegendo e se reelegendo para o Congresso. Bolsonaro era do Centrão, ele mesmo confessou e aprendeu aquela malandragem política, anos a fio.
    Se tivesse mesmo, aquela vontade de ajudar os mais pobres, o presidente deveria prorrogar o Auxílio Emergencial e manter o Bolsa Família até aumentando o seu valor, sem precisar apelar para a PEC dos Precatórios, também chamada de PEC do Calote.
    Neste Auxílio Brasil, a confusão é tão grand, que não sabem só menos, quem irá receber os 400 reais. Abrirá caminho para fraudes, quer dizer, o pagamento a quem não precisa.
    Vamos ver.

  3. Os economistas do Banco Central aumentam a taxa SELIC na expectativa de conter a inflação, mas, provocam recessão econômica.
    Sempre, a população mais pobre é a mais prejudicada, pois os empresários e os super- ricos, os magnatas do comércio e da indústria têm a opção de investir nos paraisos Fiscais, principalmente nas Ilhas Virgens Britânicas ou no Panamá, sem o olhar da Receita Federal. Paulo Guedes sabe o caminho das pedras. Investiu 9 milhões e faturou 15 milhões. E o povo, não tem saída, porque com salários baixos, fica impossível poupar. E Caderneta de Poupança paga dividendos quase Zero. Zero, que Bolsonaro e os bolsonaristas adoram citar.
    Quando dizem : Chance Zero e Desmatamento Zero, estão querendo dizer exatamente o contrário.
    É preciso cada vez mais, ler nas entrelinhas desse povo, que estava na Caverna de Platão e saiu daquela escuridão para nos infernizar.

    • Matéria de Daniela Amorim, no Caderno de Economia do Estadão de sábado descreve um apontamento do IBGE, sobre a queda de 0,6% no setor de serviços, assim como na Indústria e no varejo, em relação ao mês de agosto.
      A única alta foi registrada no setor de Restaurantes.
      Interessante notar, que mesmo com esse fraco resultado no setor de serviços, o Banco Central ainda elevou a taxa de juros em 1,75%.
      Insta salientar, que será inocuo, a elevação da taxa de juros para conter a inflação, pela simples razão de que o consumo está em queda. Isso agravará ainda mais a recessão.
      As causas da inflação estão relacionadas ao aumento das taxas de juros bancárias e das tarifas públicas, dos combustíveis ( gasolina, diesel e gás) e do aumento da energia elétrica ( bandeira vermelha), que pressionam os custos da Indústria e do Comércio. A situação vai piorar em 2022, pois o governo já anunciou um aumento de 21% nas tarifas de energia elétrica.
      Só mesmo deixando de tomar banho quente, desligar o ar condicionado e não passar roupa, de modo a economizar algum dindin para o povo comprar itens de primeira necessidade nos supermercados.
      Vamos observar os índices nós apontamentos econômicos do IBGE para outubro e novembro.
      Se vierem notícias ruins, há o perigo de Bolsonaro demitir toda a Diretoria do órgão de Estatística do governo.
      E viva a Dolce Vida, a moda Feliniana.

  4. Bom dia!
    Acho que tem algum equívoco no título e no texto do nobre Pedro Couto…

    Isso porque não são apenas as pessoas do sexo feminino (expressão melhor porque mulheres é referência às adultas) vítimas de pedófilo e abuso sexual.

    Embora pela realidade são elas a esmagadora maioria das vítimas (proximadamente 85%) caso um articulista no artigo queria falar do abuso dentro da Igreja (especialmente católica romana) tem que observar e ser preciso na apuração, que nesta realidade tem maioria das vítimas são do sexo masculino.

    • Ao longo do artigo o autor faz essa diferenciação, porém, que misturou um pouco pedofilia, abuso infantil, sexo sem consentimento, importunação sexual…
      Acredito que a melhor forma de conscientização é discussão é tratar assuntos diversos em capítulos ou tópicoas separados ainda que num mesmo artigo.

  5. Na parte em que o nobre articula da Tribuna fala “que são mais comuns os casos no Brasil”, seria bom citar a fonte – embora não seja de se duvidar… enquanto no Brasil estamos com 50 anos de atraso na educação sexual nas escolas e de maneira mais apropriada com profissionais preparados para cada etapa e idade.
    Na Alemanha, foi há décadas a revisão curricular e se aborda questões de conscientização sobre as partes do corpo e de zonas inadequadas que terceiros toquem (senão a própria pessoa porque íntimas) desde os 5 anos de idade… isso é, a educação sexual não é falar apenas para o público juvenil, mas também na infância, com outra abordagem, lúdica, própria para esta fase de desenvolvimento.

    • Fundamental atenção e consciência que a Educação sexual não é limitada (nem deve ser limitada) a tratar de sexo seguro – e que geralmente se vê militante ignorante e fundamentalista contra – na escola a partir das turmas em que adolescentes frequentam. É importante antes mesmo sob o tema na área da saúde e cuidado com o corpo.
      Infelizmente, no Brasil, não existe consequência para os pais de ideologias tortas como temos na Inglaterra, Alemanha ou França onde pais embora tenham direito de serem informados dos assuntos que serão abordados na educação sexual a cada série, não tem direito algum de decidir sobre ter ou não seus filhos contato com o conteúdo – simplesmente são presos e multados se verificada falta dos alunos proposital às aulas.

      • Angela Merkel é de direita
        Macrin é de direita
        Boris Jonson é de direita.

        Não estou vendo nenhum esquerdista entre os principais países europeus que prendem pais que querem seus filhos privados de informação e sujeitos a abusos e vivendo sob questões de saúde deficiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *