Pela primeira vez, público será revistado na posse presidencial

O cerimonial do Palácio do Planalto faz os ajustes finais da cerimônia de posse da presidenta Dilma Rousseff, marcada para o dia 1 de Janeiro.(Elza Fiúza/Agência Brasil)

Superesquema de segurança da posse terá 4 mil homens

Luana Lourenço
Agência Brasil

A estimativa do PT, que organizou grande número de caravanas, é de que cerca de 30 mil pessoas compareçam ao evento, que terá  4 mil agentes de segurança das Forças Armadas, das polícias Federal, Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do Departamento de Trânsito do Distrito Federal. Além de controles de acesso à Esplanada, o esquema inclui observadores no alto dos prédios dos ministérios e o controle do espaço aéreo.

A Polícia Militar alerta que os carros que ainda estiverem ao longo do Eixo Monumental serão removidos. “Iniciaremos os bloqueios parciais. Se [o carro] estiver dentro do estacionamento, não tem problema, somente nas vias laterais”, explica o subcomandante-geral da PM, Paulo Batista de Oliveira.

SEM MOCHILAS E BOLSAS

Aproximadamente 3,4 mil homens farão a segurança e a revista do público. Por isso, a PM pede que as pessoas evitem usar mochilas e bolsas, para facilitar a identificação. O acesso ao gramado da Esplanada será feito apenas pela Catedral. O subcomandante Paulo Oliveira lembra que, dependendo do ponto onde o motorista estacionar, a caminhada poderá ser longa. “Nâo há como cruzar do lado norte para o sul ou do sul para o norte, em função dos gradis montados para garantir a segurança da presidenta e dos demais chefes de estado que aqui estarão.”

As pistas só serão totalmente liberadas por volta das 23h, quando termina o coquetel que a presidenta vai participar com demais chefes de estado no Itamaraty.

ENSAIO GERAL

Todos os passos da cerimônia de posse foram ensaiados no domingo. Na chegada ao Congresso, prevista para as 15h, a presidente Dilma Rousseff e o vice Michel Temer serão recebidos pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, e seguirão para o plenário da Câmara dos Deputados. Prestarão o compromisso constitucional perante os parlamentares e assinarão o termo de posse. Em seguida, o Hino Nacional será executado e Dilma fará um discurso. A estimativa é que o rito dentro do Congresso dure cerca de 45 minutos.

Na saída do Parlamento, Dilma receberá honras militares com salva de 21 tiros de canhão antes de seguir para o Palácio do Planalto, do outro lado da rua. A presidenta entrará na sede do Executivo pela rampa principal e seguirá para o parlatório, onde falará ao povo por volta de 16h30. O público poderá acompanhar o discurso da Praça dos Três Poderes.

Após o discurso, Dilma vai par o Salão Leste do Palácio do Planalto onde recebe com o vice os cumprimentos de chefes de Estado e de Governo que virão a Brasília para a posse. No Salão Nobre, a presidenta dará posse aos 39 ministros de sua equipe, e, em seguida, no Salão Oeste do prédio, posa para fotos oficiais.

No fim das solenidades no Palácio do Planalto, Dilma e Temer descerão a rampa e irão para o Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, para uma recepção com convidados, marcada para as 18h30.

SHOW CONTRATADO PELO PT

Para o público que for à Esplanada e à Praça dos Três Poderes, a festa continuará com shows de artistas populares contratados pelo PT, partido da presidenta, que organiza caravanas para atrair militantes para a posse.

São esperadas para a posse de Dilma delegações de 60 países e 27 chefes de Estado e de Governo, entre eles, o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden; os presidentes do Uruguai, José Mujica; da Venezuela, Nicolás Maduro, e do Chile, Michelle Bachelet.

21 thoughts on “Pela primeira vez, público será revistado na posse presidencial

  1. Vão dar show, sanduíche, para os 145 ônibus dos R$ 70,00 ! Mesmo assim vão ter 7.600 seguranças e 18 Km de grades. Belo começo de governo. O stalifascismo mostrando a sua cara ! Estou deitando de rir com o ‘partido de massas ” !

  2. Gente, gente !
    Não entendo.
    Não importa como ela foi ”eleita”.
    Mas se ela vai suceder a si mesma, porque esse aparato todo.
    Segurança com mais de 8.000 homens ?
    Entendo que deveria ser uma cerimônia das mais simples.
    Ela, passando para ela. E pronto.
    Porque esse aparato todo. GASTOS E MAIS GASTOS.
    Mas, põe na nossa conta. Nós pagamos !!!
    Não concordo com De Gaulle.
    NÓS SOMOS SÉRIOS. O BRASIL É UM PAÍS SÉRIO.
    Agora, nossos atuais ”governantes” …

    • E o bando lá está preocupado com isso ? (2)…
      Dados do Portal da Transparência apontam que o Distrito Federal gastou R$ 408.731.693,25 nos últimos quatro anos com diárias e passagens aéreas – uma média de R$ 279.761,59 por dia. O montante seria suficiente para construir 140 centros de educação da primeira infância, que atendem 112 crianças de até 5 anos, 43 UPAS, que recebem 400 pessoas por dia, ou mesmo quitar as dívidas da Secretaria de Saúde, estimadas em R$ 150 milhões no início deste mês.
      O benefício é concedido a servidores e funcionários do governo que se afastam para estudo, congressos, seminários e reuniões. Não é necessário prestar contas em relação às diárias, que variam de R$ 148,77 (para cargos de nível médio) a R$ 385,60 (para governador). A exigência é apresentar cópias dos bilhetes de embarque e um relatório das atividades desenvolvidas no período. ( G1 )

  3. Um pouco do Aldo Rebelo…
    O deputado já apresentou centenas de proposições em sua carreira,6 sendo que alguns dos projetos mais famosos e polêmicos são o de limitação de estrangeirismos, o da criação do Dia Nacional do Saci-Pererê e o Pró-Mandioca. Por causa do projeto de estrangeirismos entrou com processo contra Millôr Fernandes, após este dizer que seu projeto era “uma idioletice”.7

    Dia Nacional do saci-pererê
    Em 2003, o deputado apresentou o PL-2762/2003, que propõe transformar o dia 31 de outubro no Dia Nacional do saci-pererê, visando substituir a importação cultural do “Halloween”.8

    Pró-Mandioca
    Em abril de 2006, através do projeto de lei nº 4.679/2001, que ficou popularmente conhecido como o Pró-Mandioca, tentou tornar obrigatória a adição de 10% de raspa de mandioca na farinha de trigo destinada à fabricação do pão francês (ou pãozinho, pão de sal). Dentre as justificativas para o PL estavam a ideia de melhorar a quantidade de nutrientes do pão e impulsionar a cadeia de produção da mandioca, produto do qual o Brasil é o maior produtor mundial. O projeto chegou a enfrentar forte resistência da indústria da farinha de trigo e também dos padeiros, que em protesto passaram a exibir cartazes com fotos de Aldo Rebelo expressando a insatisfação com o projeto de lei do deputado, justamente no período de campanha eleitoral. O projeto recebeu diversas emendas e foram elaborados dois substitutivos, mas acabou sendo vetado pela Comissão especial criada para discutir o tema.9 [1].

  4. Nunca antes na história deste pais, o povo foi revistado
    em solenidade de posse de presidente.
    O revistado deveria ser quem está com o bolso cheio.
    Quem ? Ora, ora . . .

  5. A coisa só não acaba de vez, pela total falta de organização do lado de cá. Os descontentes só falam e não vão às ruas. Amanhã, talvez tenhamos manifestação de grupos anti-petistas.
    Tem 1 segurança para cada 7/8 assistentes.
    Mais um pouquinho e colocarão o exercito na rua. Quem viu o PT com apoio popular e agora tem de carregar, pagar e ainda agradecer!

  6. Simplesmente patético, a mediocridade é a tônica desse momento que estamos vivendo. Hoje vai ser um festival de gente FEIA em Brasília, tanto por parte das “otoridades” quanto da claque contratada a um sanduíche de “mortandela”. Um bando de idiotas aplaudindo uma mulher medíocre e despreparada. Triste República!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *