Pensando bem, o fanatismo por Bolsonaro ou Lula tem muitas características em comum

TRIBUNA DA INTERNET | Fanatismo político é uma doença degenerativa da mente  e da alma. Pense nisso.Francisco Bendl

Bolsonetes prá cá, luletes prá lá, a verdade é que os dois responsáveis pela divisão de fãs, admiradores e sectários no Brasil, têm muito em comum: ambos sempre detestaram o pobre, o miserável e o desempregado e, como consequência, jamais se importaram com o ensino/educação, pois não há razão para se investir nessa área com a “qualidade” do povo brasileiro, pensam.

Lula aumentou a condenação de mais alguns milhões de brasileiros à condição de carentes e necessitados, ao ampliar o Bolsa Família; Bolsonaro agora quer mudar o nome da esmola para Renda Cidadã, um deboche sádico e cruel com os beneficiados, ao definir o auxílio como “renda”, e aumentar os condenados à miséria e à pobreza.

MOTIVAÇÕES – Lula deve ter tido como motivação – apoiava fervorosamente a Teologia da Libertação – que, de fato, Deus ama os pobres, pois os fez em quantidade, ora! Bolsonaro, crendo em Deus de uma forma diferente, imaginou que o Criador também ama os medíocres, pois fez alguns, então os escolheu para seu staff, conforme o seu alcance mental.

Ambos líderes de torcida não melhoraram a vida do povo, mas, em compensação, foram pródigos na manutenção e proteção às castas, elites e sistema econômico.

O comandante petista ainda tem um outro aspecto, pois lhe disseram que Jesus não era contra os ricos. Resultado: foi nos dois períodos governados por ele que os bancos mais lucraram na história brasileira!

AGORA, EMPOBRECENDO – E, curiosamente, tem sido no primeiro mandato de Bolsonaro, que o povo mais empobreceu, pois também o ex-capitão e ex-deputado federal entende que não se deve jogar pérolas aos porcos, haja vista ser essa a maneira como interpreta os desvalidos.

Lula é ateu, assim como a maioria absoluta dos petistas. Menos,  é claro, quando precisam do voto, então participam de missas, cultos, frequentam sinagogas, mesquitas, templos, santuários, e acendem velas para os santos católicos, morubixabas, e visitam terreiros de conhecidos pais de santos (o que não se faz por votos…).

Bolsonaro se diz fiel a Deus e afirma sempre tê-lo ao seu lado. Ainda diz ser católico, para não perder votos, mas se comporta como evangélico pentecostal, para ganhar votor.  Chegou a dizer que a sua eleição era obra divina, declarou-se “enviado de Deus”… No entanto, a sua forma de “entender” Deus é egoísta, vaidosa, ambiciosa, exclusivista e pretenciosa.

AO LADO DE DEUS – O presidente deveria saber que a sua preocupação não é se Deus está ao seu lado, porém, se ele, o presidente, está do lado de Deus.

Resumo da ópera: tanto os ateus quanto os crentes que nos governaram não se saíram bem. Hoje, um pseudo evangélico exerce a presidência, o que me deixa preocupado, pois receio  que Bolsonaro se ache o Moisés, e mais pragas ocasione contra o país e povo, imaginando que, até sem cajado, resolverá os nossos graves problemas!

Na medida que existem dificuldades imensas entre quem crê e quem descrê de Deus, ou seja, é difícil surgir um candidato que se declare agnóstico, pois não seria eleito.

A sina do povo será esta, permanentemente: com crentes, a miséria aumenta; com ateus, os ricos ficam mais ricos.

A escolher, em 2022!

28 thoughts on “Pensando bem, o fanatismo por Bolsonaro ou Lula tem muitas características em comum

    • Excelente artigo do grande amigo Chico Bendl.

      Bolsonaro e Lula são líderes da destruição, da perversidade, da traição, e de tudo o que há de pior na sociedade humana.

      Porém souberam formar algumas boiadas insanas que os seguem de forma cega e alucinada.

      E fanatismos assim nunca trazem nada de bom, conforme comprova a história deste planeta Terra.

      • Isac, meu caro,

        Bom dia,

        Há quanto tempo?!
        Por que o sumiço?
        Tudo bem contigo e família?

        Olha, meu amigo, precisamos ser honestos neste momento delicado do país:
        esquerda e direita são a mesma merda em se tratando de abandonar o povo, desprezá-lo, abandoná-lo, e deixá-lo à míngua.

        Jamais tivemos algum plano que o povo fosse o objetivo, a intenção de qualquer governo.
        Pelo contrário, então o aumento do pobre, do miserável e do desempregado.

        Diferentemente da situação que as castas, elites e os poderosos economicamente têm à disposição.

        Trata-se exatamente da forma como postei:
        com crentes (Bolsonaro), a miséria aumenta; com ateus (PT), os ricos ficam mais ricos.

        Abração.
        Saúde e paz.

  1. Artigo sem pé nem cabeça. Um monte de opiniões sobre os mais diversos assuntos em grande parte baseados em achismo.

  2. Ronaldo,

    Bom dia,

    De fato, tens razão de postar “achismos”.

    Durante o período que o PT comandou o país, achamos inúmeros roubos;
    achamos erros nos fundos de pensão;
    achamos aparelhamento do Estado;
    achamos propinas em todas as obras federais;
    achamos formação de quadrilha;
    achamos muita traição com o povo e Brasil!

    Saúde e paz.

    • Então vc acha que nos governos tucanos não tinha “essa roubalheira” toda?…vc acha que nos governos, anteriores, em sua maioria, de Direita, não havia também “essa roubalheira toda”….ou vc é um semi ignorante ou vc é só mais um fariseu!

      • Dizem, vários especialistas, que a violência não aumentou, pelo contrário, diminuiu, comparados a tempos idos….o que aumentou foi a percepção e o conhecimento da violência, através de mecanismos mais sofisticados, midia em geral

        • Ou tu estás no mundo da lua ou não acompanhas os noticiários do dia.

          Prá tua informação:
          Número de assassinatos no Brasil cai 19% em 2019; no total, são 41.635 mortes. O número de assassinatos no Brasil caiu 19% em 2019 em relação ao ano anterior. Foram 41.635 mortes violentas, contra 51.558 em 2018 –quase 10.000 a menos.
          Mesmo assim, em 2019 foram quase 42 mil pessoas assassinadas!

          Em compensação, os dados apontam que:
          o país teve 3.950 assassinatos em abril de 2020. houve 294 mortes a mais na comparação com o mesmo mês de 2019, uma alta de 8% já de janeiro a abril, foram 15.868 crimes violentos, um crescimento de 9%!

          Crimes contra a vida como homicídios, latrocínios e lesão corporal aumentaram no primeiro semestre de 2020, com 22.680 brasileiros mortos.

          Faltam seis meses atá o final do ano, conforme informação acima, logo, a violência tende a superar 2019.

          Mas o meu assunto era o aspecto social, e não a violência.

      • Até então estamos trocando ideias.
        Não admito que me desrespeites por causa de ladrões!!!

        Se eu tiver de retornar mais ainda no tempo, eu diria que o país está sendo roubado desde o dia que foi descoberto.
        Serve assim?

        Pois usei os últimos 20 anos, e nos encontramos nessa bosta, a ponto que denomino o MEU PAÍS de republiqueta.

        Não sou semi-ignorante ou um fariseu, mas constato que ages como um robô petista, igual aos robôs do Bolsonaro.

        Se não sabes ou não tens condição de um debate elevado não te mete!

  3. Analisa o Sr. FRANCISCO BENDL que o Brasil teve 14 anos de Governos de Esquerda (PT-Base Aliada) e a não ser no Governo LULA/JOSÉ ALENCAR – MEIRELLES, muito graças as melhorias das condições do Mercado Internacional devido a expansão da Demanda Chinesa, o Padrão de Vida melhorou com o Salário Mínimo passando de +- US$ 100, do Gov. FERNANDO HENRIQUE para +- US$ 300 Governo LULA e formação de RESERVAS de US$ 400 Bi que é o que está escorando nossa estabilidade Monetária.
    Com o segundo Governo DILMA a coisa começou a deteriorar rápido com imensa Fuga de Capitais.

    O Governo TEMER/MEIRELLES fez um excelente trabalho de Estabilização e aprovou LEI DE TETO DE GASTOS, LEI DE OURO, algumas Reformas, e preparou as Bases para um crescimento lento mas SUSTENTADO e crescente.
    O Povo não entendeu o sacrifício e Trabalho que é ESTABILIZAR uma Economia em decadência herdada da Presidenta DILMA e na Eleição Presidencial VOTOU maciçamente, não na continuação do bom Governo ( dentro das circunstâncias) do Presidente TEMER/MEIRELLES, que seria o competentíssimo Min. HENRIQUE MEIRELLES, mas no Anti-PT, JAIR BOLSONARO / PAULO GUEDES que uniu Conservadores Sociais, Religiosos principalmente Evangélicos, boa parte das FFAA, e quase toda a Classe Média que “queria o Fim do “Socialismo” PT-Base Aliada.
    PAULO GUEDES tinha planejado crescimento Econômico de:
    2019…………1%, entregou 1,3%
    2020………….2% Pandemia Mundial entregará -4,5%

  4. Cont.
    2021………3%, entregará 2%
    2022………4%, entregará 2,5%

    Constata o Sr. FRANCISCO BENDL que assim o Governo BOLSONARO/MOURÃO também não melhorará o Padrão de Vida do POVO sendo que o Salário Mínimo já caiu para menos de US$200 e nossas REDERVAS para US$ 350 Bi.

    Lamentavelmente a Pandemia Covid-19 tem um Custo Enorme para o Mundo, +- 10% do PIB Mundial de +-US$ 100.000 Bi = US$ 10.000 Bi, e para o Brasil +- 10% do PIB de US$ 2.000Bi = US$ 200 Bi +- = R$ 1.000Bi. Isso tudo rebaixa o Padrão de Vida do POVO.

    Mas depois da Vacinação Imunizadora, com PRODUÇÃO/TRABALHO voltaremos a crescer e sairemos dessa também.

    Tem razão o Sr. FRANCISCO BENDL em clamar pelos mais Pobres e Miseráveis +- 35% da População) onde se encontram +- 40% das CRIANÇAS BRASILEIRAS o que é de cortar o coração, e que se dê EMPREGO para esses INVISÍVEIS e assim Meio de Vida para TODO esse Pessoal.

    Tem toda razão o Sr. FRANCISCO BENDL em se preocupar com a SUBSISTÊNCIA da grande parte mais desamparada de nosso POVO.

    Abração.

    • Mestre Bortolotto,

      Obrigado, sempre, por concordares comigo quanto ao aumento a cada ano de desvalidos nesse país!

      Se a miséria e a pobreza aumentam é sinal evidente que o modo como o governo conduz esta nação não está correto.

      Ou o povo, o cidadão, o ser humano, passam a ser o objetivo fundamental de qualquer administrador que se preze ou, ali adiante, o Brasil implodirá totalmente!

      Mais um abraço.

      • Mas no Gov. BOLSONARO/MOURÃO temos que levar em conta a tragédia Econômica Mundial causada pela Pandemia Covid-19 que causou um choque de DEMANDA e até de OFERTA.

        Mas o senhor tem toda razão, independente disso o Governo tem que olhar mais para a SUBSISTÊNCIA DO POVO, especialmente os mais DESAMPARADOS.

        Abração Sr. FRANCISCO BENDL.

  5. Mestre Bortolotto,

    Bom dia,

    Obrigado pela tua participação e comentário apropriado, pois consegues detalhar essa nossa economia muito complicada para o povo.

    Deves ter percebido, que insisto sempre na questão social.
    Entendo que de nada adianta apenas se preocupar com a economia, se o povo passa cada vez mais atribulações para viver.

    Jamais foi o dinheiro a causa de desenvolvimento, mas o trabalhador, que produzia e gerava receita para a sua cidade, município, estado e país.

    Com quase 80 milhões de pessoas dependendo do benefício governamental, desempregadas e labutando na economia informal, o Brasil não pode pensar em se desenvolver ou sair dessa estagnação que se encontra, se não der um jeito de ocupar essa imensa quantidade de mão de obra ociosa!

    Logo, a tal Renda Cidadã ou como é ainda hoje, Bolsa Família, mais traz atrasos econômicos, mais diminui receitas, menos gera impostos, e condena milhões à miséria e à pobreza.

    Muito antes de gastar os bilhões de reais sem volta nesse falso projeto social, o governo deveria abrir frentes de trabalho, pagar o salário mínimo que engordaria a arrecadação para a Previdência, haveria mais dinheiro circulando e consumo, afora a abertura de novos negócios.

    Mas, o governo pensa diferente ou, melhor, age de acordo como querem as castas, elites e poder econômico.
    O povo que se dane ou vá comprar arroz na Venezuela, conforme Bolsonaro respondeu para um cidadão no fim da semana, quando este pediu que o arroz tivesse o seu preço diminuído.

    Abração, mestre.
    Saúde e paz.

  6. Acho o auxílio aos miseráveis uma coisa não desejável, mas é inevitável, a menos que condenemos uma parcela grande da população a inanição.
    O bom era termos emprego para essa gente, porém a nossa realidade não é essa. Como o aumento crescente da tecnologia eles minguarão. Erramos lá atrás quando não incentivamos o controle de natalidade. E não temos, infelizmente, faz muito tempo, um plano de governo que entre outros coisas, foque na nossa reindustrialização.
    Quanto a acreditar ou não em Deus, digamos que são escolhas e convicções. Eu, particularmente, gosto do poema de Anand Dílvar:

    “Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

    Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

    Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

    Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

    Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

    Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

    Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

    Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

    Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

    Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno. Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste
    comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste… Do que mais gostaste? O que aprendeste?

    Pára de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

    Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?… Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

    Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro… aí é que estou, batendo em ti.”

    Abraço, saúde e vida longa.

  7. Vidal, meu conterrâneo,

    Bom dia,

    Obrigado pela participação e ótimo comentário, que tem sido a tua característica neste blog.

    Vamos lá:
    “Acho o auxílio aos miseráveis uma coisa não desejável, mas é inevitável, a menos que condenemos uma parcela grande da população a inanição.”

    Não falei em cortar totalmente o Bolsa Família.
    Eu me referi aos que podem e devem trabalhar, onde receberiam um salário mínimo – melhor que o benefício -, e haveria retorno para o país e à economia com essa medida.

    “O bom era termos emprego para essa gente, porém a nossa realidade não é essa. Como o aumento crescente da tecnologia eles minguarão.”

    Por que não podemos mudar a realidade, Vidal?
    Se temos milhões de pessoas desempregadas, e pudéssemos dar trabalho para cinco ou seis milhões, a situação começaria a melhorar!
    Já falei como poderíamos ocupar a maior parte dos beneficiados pelo Bolsa Família.
    Evidente que idosos, problemas de saúde, locomoção, crianças, continuariam recebendo o donativo, mas o homem e a mulher saudáveis que lhes fosse ofertado trabalho.
    Olha, limpar ruas, calçadas, bueiros, praças, beiras de estradas, substituição de placas, limpeza de acostamentos, limpeza de córregos, riachos, limpeza de escolas, pinturas, conserto dos banheiros, cozinhas … nada melhor que a mão de obra braçal.

    “Quanto a acreditar ou não em Deus, digamos que são escolhas e convicções. ”

    Concordo plenamente.
    Por isso que o governo não pode professar uma religião que interfira na sua administração, como acontece com Bolsonaro.
    Ou o Estado é laico ou não.

    Abração.
    Saúde e paz.

    • Boa tarde Mr. Bendl.
      Parabéns pela matéria!
      Como sempre, leio com prazer e respeito bastante as suas colocações, chegando a mim muitas vezes, até como um consolo , por saber que ainda temos pessoas bem intencionadas como o Sr. e que,claramente, deseja dias melhores ao nosso País, denunciando com indignação merecida, as inúmeras mazelas destes políticos imundos e nojentos, sem perder a elegância, como eu próprio acabo de fazer…
      Sorry.
      Abraço.
      Ricardo Lemos.

      • Lemos, meu caro amigo,

        Por favor, não me trates por senhor.
        Somos amigos, combinado?

        Obrigado pelo comentário e participação.
        Na minha idade, prezado, tenho mais que reclamar, reivindicar, apontar erros, criticar, exigir, de tanto que fui roubado, explorado e manipulado durante a minha vida inteira!

        Tenho filhos e netos. Do jeito que vamos, povo e país, nada vai sobrar para as futuras gerações.
        A conclusão minha é óbvia:
        se a cada ano aumentam a pobreza e a miséria, em cinco, dez anos … restará do Brasil o quê??!!
        Castas, elites e poder econômico??

        A nossa responsabilidade é enorme.
        Lamentavelmente estamos sendo irresponsáveis com o país, então os governantes fazem o mesmo, pois não são cobrados!

        Tá na hora de nos fazermos presente nas questões de Estado.

        Abração.
        Saúde e paz.

        • É a pura verdade Bendl.
          Infelizmente.
          Abraço extensivo à Família !
          Felicidades á todos…

  8. Senhor Bendl, estou realmente estarrecido pelo o que foi mostrado pelo senhor neste pequeno artigo.

    Vejo os comentários aqui expostos, por pessoas qualificadas, sobre o que está a acontecer no nosso país, e como leigo fico a questionar.

    Qual é a nossa saída?
    Gerações vão embora, gerações chegam, e nada muda….

    • Caro David,

      Antes de mais nada:
      Não me trates por senhor porque somos amigos, combinado?

      Olha, guri, para qualquer observador político ou testemunha ocular da história, como se dizia no passado – tenho 71 no lombo -, a nossa situação é mesmo estarrecedora e sem qualquer exagero.

      Se a cada ano que passa o Brasil registra crescimento da pobreza, da miséria, de desempregados, fuga para a economia informal, educação/ensino deprimentes, saúde pública ruim, algo não está certo com esta nação!

      Porque se fosse igual para todos nós as dificuldades vá lá, mas as castas, elites e poder econômico crescem, aumentam suas riquezas e domínio sobre a população e país.
      E querem mais, sempre mais:
      Regalias, mordomias, privilégios, penduricalhos, salários milionários, e trabalhar 8 dias por mês!

      Saída existe, David, claro que tem.
      O problema é que nossos governantes não administram para o povo, mas apenas e exclusivamente para aqueles que mandam, que elegem, que derrubam qualquer mandatário.

      Tenho reiteradamente escrito que, pela falta de iniciativa, falta de criatividade, desinteresse pelos desvalidos, o Brasil não tem solução,
      E não terá mesmo, se esse tipo de governo parcial, tendencioso, IDEOLÓGICO, perdurar.

      Lula e Bolsonaro, independente de arqui-inimigos políticos, governam do mesmo jeito:
      condenam o povo a ser dependente da caridade do Planalto, conseguem seus currais eleitorais, mas não tentam, pelo menos, tirar essas pessoas da situação indigna que vivem!

      – Ah nós não estamos deixando que morram de fome!
      Mas é a mesma coisa trancá-las em casa sem trabalho, que vão destruindo as famílias porque essas aumentam desnecessária e irresponsavelmente!

      Se houvesse a contrapartida para quem ganha o benefício (Bolsa Família), tipo um rigoroso Planejamento Familiar, tudo bem, mas é o contrário!
      Quem tem filhos tem um auxílio de 48,00 a mais, ou seja, 96,00 não são desprezíveis para quem nada tem,.
      Todavia, continuará na mesma situação até morrer!!!

      Enfim, como bem escreveste:
      gerações vão embora, chegam, e nada muda …
      porque assim nos transformaram, em pessoas alienadas, sem censo cívico, sem capacidade de discernimento, analfabetos funcionais!

      Abração.
      Saúde e paz.

  9. Essa polarização esquerda x direita aqui no Brasil, é para deixar a politica brasileira nessa mesmice que já vem há muitas décadas.

    Essa polarização faz com que futuros candidatos fiquem intimidados e não surjam candidatos criativos e com pensamentos nacionalista para que o brasileiro se identifique cada vez mais com o seu país e sua cultura, e construa a nação com as nossas origens.

  10. Renato,

    Obrigado pelo texto e participação.

    No entanto, desde que o Brasil é Brasil sempre tivemos a polarização na política.

    A Revolução de 30 aconteceu para interromper a sequência de presidentes ora paulistas ora mineiros, o café com leite, como foi denominado.
    Acabou o troca-troca mas, ironicamente, um gaúcho nos comandou por 15 anos ininterruptos.

    Quando retornou ao poder pelos votos do povo, Vargas constatou que não tinha apenas oposição, porém inimigos figadais.
    Acusado de corrupção, matou-se com um tiro no peito.

    De lá para cá, de 54 em diante, a polarização política derrubou um presidente democraticamente eleito.
    E jamais tivemos paz nesta área, pelo contrário, se antes era partidária, agora a ideologia predomina.

    Portanto, tens razão quando afirmas que o radicalismo político inibe a candidatura de pessoas com ideias diferentes da esquerda e direita.
    O povo não conhece outra forma de identificar quem é quem.

    Abração.
    Saúde e paz.

  11. Esta “Síndrome de Pai da Pátria” é uma coisa que passa pela cabeça de todo chefe de Estado. E por presidente da república tem se mostrado uma verdadeira obsessão. O 51 usou e abusou da “esmola”, não gosto de dizer assim mas é verdade, usando-a para se reeleger e eleger e reeleger aquela pobre infeliz. Sabedor disto o boçal agora faz o mesmo, vai se valer do mesmo recurso, repagina a esmola renomeando-a, titulando-a agora como “renda”, nome chique e vai pavimentando a estrada da sua reeleição, um horror anunciado. Os poderosos odeiam os necessitados mas sabem que sem eles não são poderosos.

  12. Impio,

    Perfeita a tua colocação.

    Nada muda com relação aos desvalidos, pelo contrário, agrava-se a situação a cada ano que passa.

    Entra e sai governo e só ouvimos falar em economia, como se o ser humano não tivesse importância alguma. E não me venham com a falácia que, primeiro, o “bolo” deve crescer para depois dividi-lo.
    Com quem, a não ser com os mesmos de sempre?!

    Agora, agradeço estares concordando comigo quanto ao falso e criminoso “projeto social” Bolsa Família ou Renda Cidadã.
    Que os devidamente necessitados – e eles existem! – continuem recebendo o benefício, mas muito mais que a metade das pessoas inscritas poderia trabalhar, se encontrasse emprego ou ocupação.

    Repudio essa condenação imposta pelo governo desalmado, que despreza o pobre e miserável, que o segrega e diferencia, em deixá-los à mercê da caridade governamental, a bem da verdade de impostos que pagamos que são desviados de seus destinos!

    A solução, caso Bolsonaro quisesse, se tivesse disposição, se fosse sensível com os desvalidos seria abrir postos de trabalho, e fazer os necessitados produzir.
    Então, sim, o presidente estaria indo ao encontro de melhorias para seres humanos que não têm a mínima esperança de sair da situação irremediável de dependência alheia que se encontram.

    Obrigado pelo comentário e participação.

    Abraço.
    Saúde e paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *