Petrobras ainda no sabe o tamanho do rombo da corrupo


Cludia Schffner, Ana Paula Ragazzi e Fernando Torres
Valor Econmico

A Petrobras segue negociando intensamente com credores um prazo mais alongado para apresentar suas demonstraes financeiras, com ou sem o aval dos auditores, em uma corrida contra o tempo para evitar que dvidas gigantescas tenham vencimento antecipado j no fim de janeiro ou at o fim do primeiro semestre de 2015. As cifras envolvidas seriam um pesadelo para o ministro da Fazenda de qualquer pas, e no diferente para o prximo ocupante da pasta, Joaquim Levy.

Se no tiver o balano de 2014 auditado at o dia 30 de junho, ou 180 dias aps o fim deste ano, a Petrobras entrar tecnicamente em “default”, o que vai disparar clusulas contratuais que preveem a antecipao da cobrana de US$ 56,7 bilhes.

Isso pode acontecer porque, ao no apresentar o balano, a estatal descumpre clusulas restritivas (covenants) de alguns emprstimos de longo prazo que tomou para se financiar. A cifra apenas do que vence em junho equivale a aproximadamente 15% das reservas cambiais do Brasil, de US$ 374,8 bilhes.

PAGAMENTO INTEGRAL

Na sexta-feira a companhia informou que, da dvida total de US$ 135,3 bilhes que tinha em 30 de setembro, existem obrigaes relacionadas divulgao de balano, seja trimestral ou anual, auditado ou no, de US$ 97,8 bilhes, um quarto das reservas cambiais. Sobre essas, os vencimentos podem ser “acelerados”, com os credores podendo cobrar antecipadamente o pagamento integral antes do vencimento, observados os prazos contratuais previstos.

Um analista de um grande banco observou que acelerar os vencimentos no interessante para bancos e nem bondholders da Petrobras e, portanto, acha que o risco de uma acelerao de dvidas “apenas terico”. Contudo, as negociaes para o perdo por descumprimento das clusulas contratuais devem vir acompanhadas de taxas maiores e outras condies mais duras. “Com isso o fluxo de caixa livre da empresa deve ficar mais apertado.”

ROLANDO R$ 7 BILHES…

Nas ltimas semanas, a Petrobras conseguiu estender para 31 de janeiro o vencimento de dvidas de US$ 7 bilhes que teriam que ser pagas at o fim deste ms, antecipadamente, porque no tem sequer o balano auditado do terceiro trimestre. E j iniciou negociaes para o restante. Alm de aumentar o prazo do vencimento, parte dos credores aceitou alterar a obrigao desses contratos. Agora, bastaria um balano pro-forma, sem o aval da auditoria PwC, para que a companhia cumpra o acordado. Mas o segundo adiamento, anunciado na sexta, mostra que a companhia no se sente confortvel para publicar nem mesmo nmeros no auditados, j que no conhece o tamanho do rombo.

A manobra trouxe um flego de 46 dias para que se decida como ser feita a baixa contbil dos bilhes que foram superfaturados nos ltimos anos por ex-diretores associados a fornecedores de equipamentos e servios para abastecer um esquema bilionrio de corrupo e suborno, cuja extenso ainda desconhecida j que a cada dia vm tona novas e devastadoras apuraes dos responsveis pela Operao Lava-Jato na Justia de Curitiba.

Alm do ru confesso Paulo Roberto Costa, outros trs diretores devem ser denunciados por corrupo. A situao da atual diretoria tambm comea a ficar insustentvel, apesar de ser reconhecida como sria e de ter conseguido “entregar” resultados h muito prometidos. E isso tambm preocupa o analista ouvido ontem pelo Valor. “ complicado trocar a liderana agora, pode atrasar as metas por mais alguns anos. E 2015, que deveria ser o ano de consolidao, pode ser mais um ano perdido”, avalia.

CORRIDA CONTRA O TEMPO

Com um obstculo creditcio contornado temporariamente, a estatal enfrenta uma corrida contra o tempo, enquanto sangra. Se no divulgar qualquer balano do terceiro trimestre, dispara o pagamento de dvidas de US$ 40,3 bilhes. Alm dos US$ 7 bilhes que j foram objeto de aditivo contratual, h duas outras linhas, uma de US$ 10,6 bilhes, outra de US$ 22,7 bilhes, que completam o total e que so passveis de ter vencimento antecipado para abril e maio. A divulgao de demonstraes trimestrais, mesmo sem reviso do auditor, no perodo entre 120 e 150 dias aps 30 de setembro, atende s exigncias desses credores. Em 30 de junho de 2015 vence a clusula da dvida mais relevante, de US$ 56,7 bilhes.

A Petrobras reapresentou seu formulrio de referncia na sexta-feira, agregando essas informaes, por exigncia da Comisso de Valores Mobilirios (CVM). A companhia reafirmou que possui apenas uma clusula restritiva ligada mtrica dvida lquida/Ebitda, que no pode passar de 5,5 vezes. Ela se aplica a um emprstimo de R$ 25 bilhes do BNDES. Em junho, esse indicador estava em 4 vezes e deve ter subido em setembro.

(texto enviado por Guilherme Almeida)

7 thoughts on “Petrobras ainda no sabe o tamanho do rombo da corrupo

  1. A corrida agora pela quantificao da perda de ativos do patrimnio da empresa com os desvios e a corrupo a fim de possibilitar o registro correto dessas perdas nas demonstraes contbeis.

    Sem o registro correto dessas perdas e seu reflexo patrimonial impossvel obter novas demonstraes contbeis devidamente auditadas por auditores externos independentes, conforme determina a Lei 6.404/76 – Lei das Sociedades por Aes.

    Por enquanto a disponibilidade de caixa da Petrobras de R$66,3 bilhes. Logicamente insuficientes caso haja pedido de antecipao judicial de quitao das dvidas da empresa pelos seus fornecedores, conforme explicita o artigo.

    Outro fato preocupante, a mdio prazo o grau de endividamento da empresa e a possibilidade de inviabilizao do processo de explorao do pr-sal que vai exigir a continuidade de investimentos por parte da empresa.

    Como a capacidade de receita continua sendo comprimida em razo dos preos dos combustveis estarem sendo represados pelo governo, fica a dvida se a empresa continuar tendo a capacidade de endividar-se sem se tornar insolvel. Justamente porque a capacidade de gerao de receita foi comprimida pela politica de preos administrados pelo governo.

    Em suma, a Petrobras uma tremenda incgnita. E justamente por falta de uma boa e clara perspectiva que o valor de suas aes est derretendo. Nenhum investidor consegue antecipar o que vai ocorrer no curto e mdio prazos com a empresa.

    E sem previsibilidade no h investimento; fato que abarca toda a economia nacional.

    • O ndice de endividamento da empresa continua em 55%. Isto , 55% de todo o ativo da Petrobrs est comprometido com o pagamento de seus fornecedores (Passivo Circulante + Passivo no Circulante).

      O que causa muita indignao que continua a poltica de conteno de preos administrados por parte do governo. Incluindo os combustveis. O que tem debilitado em um tero a capacidade de gerao de receitas e, consequentemente, do lucro lquido pela empresa.

      A queda dos preos do petrleo ajudou a empresa sob a parcela que importa correspondente a 24% do consumo interno. O diabo que o dlar disparou e a vantagem da diferenciao do preo interno com o externo foi desfeita pela desvalorizao cambial.

  2. Amigos do Blog,

    Este Blog no tem anunciantes nem patrocinadores. Para se manter, necessita de contribuies voluntrias, No podemos deixar que o Blog pare de ser publicado.

    Faa sua contribuio nas seguintes contas:

    1) Em qualquer (Loteca) Caixa Econmica Federal (104); Agncia -0211; Conta Corrente -323-4; Titular – Carlos Newton Leito de Azevedo. CPF 100101497-91,

    2) No Banco Ita; Agncia 6136, Conta Corrente 12318-6; Titular – Carlos Newton Leito de Azevedo. CPF 100101497-91.

    ESTE BLOG LIVRE. CONTRIBUA PARA MANT-LO LIVRE.

  3. A coisa t estranha. Hoje no Centro do Rio, prximo ao Edifcio da Petrobras recebi um “santinho”: era de “Nossa Senhora das Candeias, Padroeira da Petrobras, dos Petroleiros e do Petrleo Brasileiro, rogai por ns !” Nada contra… mas sugere que o desespero est comeando a chegar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.