Petrobras diz que seus diretores não recebem mais propina

Deu na Agência Brasil

A Petrobras entendeu que em nenhum momento, a manifestação do Ministério Público Federal (MPF) que levou à prisão preventiva de Nestor Cerveró ontem afirma que os atuais diretores da companhia receberam propina. Em nota, a empresa destacou que Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, investigados na Operação Lava Jato, “são ex-diretores da companhia, e não diretores”.

De acordo com a empresa, na manifestação do MPF, de 31 de dezembro de 2014, os procuradores da República afirmam que “Paulo Roberto recebeu pagamentos de propina mesmo em 2014, pois as empresas pagam ao longo da execução de contratos, e não raro atrasam pagamentos, conforme se apurou”.

Segundo a Petrobras, ainda na manifestação, o MPF conclui que, “se Paulo Roberto continuou recebendo propina, e muita, até 2014, mesmo tendo deixado a diretoria em 2012, é razoável inferir, num juízo de probabilidade, que Cerveró esteja em posição semelhante, o que está sob investigação”.

A nota termina com a análise de que a Petrobras tem sido reconhecida como vítima, pelo Poder Judiciário, e reitera que manterá seu empenho em continuar colaborando efetivamente com as autoridades para a elucidação dos fatos.

7 thoughts on “Petrobras diz que seus diretores não recebem mais propina

  1. Hoje foi publicada essa matéria na Veja. Vejam a leiam a matéria e depois vejam o vídeo.
    “E então, como a Petrobras fará com as Braskem, que é sua sócia e controlada pela Odebrecht, hoje proibida de participar de licitações na estatal? (leia mais aqui)
    Questionada pela própria Braskem, a Petrobras confirmou que o bloqueio comercial, para negócios futuros, imposto às 23 empresas investigadas na Lava-Jato (e a seus respectivos “grupos econômicos”), passa longe da gigante petroquímica.
    A Braskem não apenas tem a Petrobras como sócia, mas tem na estatal a fornecedora de sua principal matéria-prima, a nafta.
    A partir dessa resposta sobre o caso Braskem, as empreiteiras esperam que caia também a extensão do veto à contratação das demais subsidiárias dos grupos que controlam as 23 construtoras”.
    Por Lauro Jardim
    PS.: O mais estarrecedor é a maneira pela qual a Braskem foi ” formada’ com a participação de TODA a cúpula da Petrobras. Vejam esse vídeo do antigo dono.

    https://www.youtube.com/watch?v=wvCluNRVcsg

  2. O inquérito da “lava jato” é que vai dizer se continuam recebendo ou não!
    As vítimas desse esquema sórdido são todos os funcionários de todas as empresas envolvidas (estatais e privadas) que não participaram do conluio. Pessoas trabalhadoras, competentes e eficientes que verdadeiramente construíram e mantiveram a grandeza dessas empresas, apesar das células cancerosas corruptas que habitam todos os organismos e que se proliferam ao estímulo financeiro ilegal e de ganância pelo poder, que deverão ser extirpadas pela quimioterapia implementada pela “lava-jato”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *