Polícia Federal deflagra operação para prender os corruptos da ferrovia Norte-Sul

Resultado de imagem para jose francisco das neves

Juquinha Neves é o chefe da quadrilha ferroviária

Deu em O Globo

A Polícia Federal (PF) deflagrou a operação “De volta aos trilhos” na manhã desta quinta-feira, que investiga crimes de lavagem de dinheiro decorrente do recebimento de propina em obras da ferrovia Norte-Sul. Trata-se de um desdobramento da Lava-Jato e de uma nova etapa das operações “O Recebedor” e “Tabela Periódica”. São cumpridos dois mandados de prisão preventiva, sete de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva em Goiás (GO) e no Mato Grosso (MT). Estima-se que tenham sido lavados pelo menos R$ 4,4 milhões, em valores de 2012.

Os principais alvos são o ex-presidente da Valec, José Francisco das Neves, seu filho Jader Ferreira das Neves e o advogado Leandro de Melo Ribeiro. Jader (o filho) e Leandro (advogado) tiveram prisões preventivas decretadas. Já as conduções coercitivas são para Juquinha, o advogado Mauro Césio Ribeiro (sócio e pai de Leandro), Jeovano Barbosa Caetano e Fábio Junio dos Santos Pereira, suspeitos de prestarem auxílio para a execução da lavagem.

PAI E FILHO – Juquinha e Jader — pai e filho — são acusados de continuarem a lavar dinheiro de propina. Já o advogado é incriminado por ser laranja dos dois primeiros e auxiliá-los para ocultar o patrimônio.

As buscas e apreensões miram a casa dos investigados e a sede das empresas Pólis Construções e Noroeste Imóveis. Os endereços funcionariam no escritório de advocacia de Mauro Césio e Leandro Ribeiro.

A operação se baseia em acordos de delação premiada de executivos das empreiteiras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez assinados junto ao Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO). Eles afirmaram ter pago propina ao então presidente da Valec, José Francisco das Neves, que é chamado de Juquinha. Investigações da PF em Goiás também levaram à identificação e à localização de parte do patrimônio ilícito que era mantido oculto sob nome de terceiros.

CONDENAÇÃO ANTERIOR – José Francisco das Neves, o Juquinha, e seu filho Jader Ferreira das Neves já foram condenados anteriormente, na operação Trem Pagador. A pena foi de 10 e sete anos de prisão, respectivamente, sob acusação de formação de quadrilha e lavagem de aproximadamente R$ 20 milhões pelos crimes de cartel, fraudes de licitações, peculato e corrupção também em obras da ferrovia Norte-Sul, quando Juquinha presidiu a Valec. Eles recorreram da decisão da Justiça e aguardavam em liberdade.

Os investigadores afirmam que, mesmo depois das condenações, os investigados continuam a lavar dinheiro, produzir provas falsas no processo que são acusados e ainda pagam despesas da defesa (advogados) com dinheiro oriundo de propina. O juízo, porém, considerou que não havia provas suficientes de que Juquinha seguisse com atuando criminosamente e, por isso, indeferiram o pedido de prisão preventiva contra ele.

A operação “De volta aos trilhos” foi batizada desta forma, pois significa “trazer as coisas de volta ao seu lugar”. É uma alusão à tentava de recuperar parte dos recursos desviados da ferrovia Norte-Sul.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Apesar do corte de verbas pelo governo Temer, a Polícia Federal segue implacável no combate à corrupção, passando este país a limpo. (C.N.)

4 thoughts on “Polícia Federal deflagra operação para prender os corruptos da ferrovia Norte-Sul

  1. Infelizmente é um grupo muito pequeno do judiciário que esta tentando consertar este País. Se o stf acordasse de sua letargia, talvez este País não estaria na situação em que se encontra. A cada dia mais um caso escabroso nos é revelado. Um exemplo da lerdeza do nosso stf é o Reunão Calheiros, um dos exemplos da impunidade deste País.

  2. Esse juquinha já é conhecido de outros “carnavais”.
    O problema é sempre o mesmo, condenam mas não prendem. Fica o ladrão por ai fazendo novos trambiques até que o processo prescreva.
    Enquanto não houver a agilização do judiciário, infelizmente não teremos justiça.

  3. Dizei-me onde não há corrupção no Brasil, e eu vos afirmarei que temos esperança!

    No entanto, conforme constatamos, o país está absolutamente tomado pela desonestidade, completamente dominado pelo comportamento nefasto e nocivo dos Três Poderes, sendo sangrado por empresários sonegadores, e tendo um povo submetido pelas autoridades que lhes determinaram duas tarefas:
    Obedecer e outorgar poderes!

    Conclusão:
    Se até a esperança nos roubaram, o futuro inexiste com essa forma como os governantes comandam esta nação!

  4. Quando teremos um país de políticos sérios, caramba! Só dá ladrão, é uma vergonha, são tantas denúncias de corrupção, até quando o povo vai aguentar esta bagunça com o dinheiro público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *