Polícia Federal indicia Gilberto Kassab e mais dois por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Os crimes têm penas que variam de três a 12 anos de prisão

Cleide Carvalho
O Globo

A Polícia Federal indiciou o ex-ministro Gilberto Kassab e o irmão dele, Renato Kassab, por crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral (caixa 2 eleitoral), lavagem de dinheiro e associação criminosa no inquérito que investigou repasses de R$ 58 milhões feito pelo grupo J&F.

Além deles, foi indiciado Flávio Castelli Chuery,  ex-tesoureiro do PSD e apontado como intermediário de Kassab, que teria movimentado R$ 12,6 milhões em um período de 8 anos. O relatório foi encaminhado à 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. Os crimes têm penas que variam de três a 12 anos de prisão.

DELAÇÕES – O inquérito faz parte da Operação Lava-Jato em São Paulo e foi encaminhado à Justiça Eleitoral em maio de 2019 pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A investigação foi iniciada com base nas delações premiadas de acionistas e executivos do Grupo J&F.

De acordo com a PF, além das delações foram obtidos dados com quebra dos sigilos bancário e fiscal dos investigados e das empresas que utilizavam, além de quebra de sigilo de mensagens trocadas por aplicativos. Oito pessoas foram ouvidas como testemunhas.

MESADA – De acordo com a Procuradoria Geral da República, dos R$ 58 milhões, R$ 30 milhões foram repassados por meio de mesada paga entre 2010 e 2016, no valor de R$ 350 mil, que serviria para “eventual influência política futura em demandas de interesse da JBS”. Os R$ 28 milhões restantes foram repassados ao PSD pelo apoio ao PT nas eleições presidenciais de 2014, segundo a PGR.

Kassab foi alvo de operação da Polícia Federal em 2018 e os agentes apreenderam R$ 300 mil no apartamento dele. Na época, Kassab afirmou que não existia nada que maculasse sua imagem e que estava à disposição da Justiça.

Kassab é presidente do PSD. Foi ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações da presidente Dilma Rousseff (PT) e continuou no governo federal durante o governo do presidente Michel Temer (MDB). Foi ainda secretário da Casa Civil no governo de João Doria, mas pediu afastamento para defender-se das acusações de corrupção. Por duas vezes, foi prefeito de São Paulo. Procurado, o ex-ministro ainda não se pronunciou.

4 thoughts on “Polícia Federal indicia Gilberto Kassab e mais dois por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

  1. Esse faz parte de um dos puxadinhos da Quadrilha do FHcorrupto.
    Foi vice do famoso Vampiro Sanguessuga e depois sentou na cadeira mais suja do Tucanistão..
    FHCorrupto não dá uma dentro, como se dizia antigamente, sempre sujo, podridão mais fétida de tudo que tem despejado naquele esgota no meio das Marginais…
    O Kibe Loco é só mais um no Lamaçal da Corrupção….
    È uma pena que nosso Páis não tem a Pena Capital.

Deixe uma resposta para vicente limongi netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *