PF indicia Mantega, Palocci e Coutinho por corrupção e propinas no BNDES

Resultado de imagem para mantega, palocci e coutinho

Mantega mandou nomear Coutinho para “operar” o BNDES

Deu na Folha

A Polícia Federal indiciou sete pessoas, entre elas os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci, o empresário Joesley Batista, da JBS, e o ex-presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) Luciano Coutinho, por operações ilícitas na instituição financeira.  Relatório final da Operação Bullish, com as conclusões sobre o caso, foi enviado nesta quinta-feira (23) à Justiça. Com base no documento, o MPF (Ministério Público Federal) decidirá se oferece denúncia contra os envolvidos.

Segundo o inquérito, os ex-ministros da Fazenda receberam propinas para viabilizar a compra de ações e a liberação de financiamentos às empresas da J&F, holding que controla a JBS. O objetivo era capitalizar o grupo em seu projeto de internacionalização.

GESTÃO COUTINHO – As operações superaram os R$ 10 bilhões em governos do PT e teriam provocado rombo de cerca de R$ 1 bilhão. Em sua delação premiada, Joesley disse que pagou subornos a um amigo a Mantega por meio de um de seus amigos, o empresário Victor Sandri, para conseguir operações no BNDES na gestão de Coutinho. O valor teria superado os R$ 100 milhões.

A Mantega, os investigadores atribuem crimes de gestão fraudulenta, formação de quadrilha, corrupção passiva e patrocínio de interesses privados na administração pública.

A PF sustenta que ele atuou como agente duplo, gerenciando projetos das empresas de Joesley e, ao mesmo tempo, implementando as políticas governamentais que viabilizaram esses projetos.

INCRIMINAÇÃO – Palocci recebeu R$ 2,5 milhões da JBS por meio de sua empresa de consultoria, a Projeto. Esse dinheiro, segundo a leitura dos investigadores, foi uma contrapartida para que ele intermediasse interesses da JBS no governo.

Ao ex-ministro, atualmente preso pela Lava Jato, os investigadores imputaram os delitos de corrupção passiva e lavagem. Joesley foi indiciado por gestão fraudulenta, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

De acordo com o relatório, Luciano Coutinho assumiu o BNDES para dar continuidade a um ciclo de pagamento de propinas inaugurado na gestão de Mantega. O documento ressalta que os aportes feitos pela instituição nas empresas da J&F eram muito superiores ao necessário para o projeto de internacionalização.

VÁRIOS CRIMES – O indiciamento de Luciano Coutinho é por gestão fraudulenta, corrupção passiva, formação de quadrilha e patrocínio de interesses privados na administração pública.

Os outros implicados são Victor Sandri (quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro), o ex-executivo do BNDES Caio Marcelo de Medeiros (gestão fraudulenta) e o empresário Gonçalo Ivens Ferraz (quadrilha, corrupção ativa e lavagem). A Folha não conseguiu contatar nesta quinta as defesas de Mantega, Palocci, Sandri e Ferraz.

A advogada de Caio Medeiros, Flavia Rahal, disse que só vai se pronunciar depois que tiver acesso ao relatório da PF.

“TOTAL SURPRESA” – O ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho manifestou, em nota de sua assessoria, “total surpresa” em relação ao indiciamento. Ele reiterou que “todos os seus atos e procedimentos frente à administração pública sempre foram pautados pelo rigor de conduta, integridade, impessoalidade e respeito à lei”. Acrescentou que não teve acesso ao relatório da PF e que aguarda o desenrolar das investigações “com tranquilidade”.

A defesa de Joesley ressaltou que a investigação contou com a colaboração do empresário. “Além do conteúdo trazido no acordo firmado com o Ministério Público, o colaborador apresentou nesse inquérito detalhes de todos os fatos ilícitos dos quais tinha conhecimento”, afirmou, por escrito, o advogado André Callegari.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A “total surpresa” de Luciano Coutinho concorre à Piada do Ano. Foi ele quem aprovou todos os financiamentos do BNDES, sem garantias, aos “países amigos” do PT, por onde passou um festival de propinas que ainda precisa ser investigado. Até hoje o Brasil não tem um porto moderno para escoar suas exportações, mas o governo de Cuba ganhou de presente o porto de Mariel, com dinheiro do BNDES e a ser pago pelo programa “Mais Médico”. E Coutinho ainda se diz surpreso ao ser incriminado… (C.N.)

6 thoughts on “PF indicia Mantega, Palocci e Coutinho por corrupção e propinas no BNDES

  1. O que o Juiz Sergio Moro sugere abaixo, somente Bolsonaro e Álvaro Dias se posicionaram a respeito. Ninguém mais.

    O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato, em Curitiba, sugeriu que os candidatos à Presidência da República sejam questionados durante a campanha eleitoral sobre seis temas específicos relacionados ao combate à corrupção. Moro elencou a necessidade dos candidatos serem abordados sobre suas posições em relação ao cumprimento de pena após 2.ª instância, anistia ao caixa 2, lei de abuso de autoridade, foro privilegiado, padrão de governança pública e, por fim, concessões à corrupção para garantir governabilidade.

    “Nós precisamos que a classe política e nossas lideranças políticas façam a sua parte e deem seu exemplo, não só com atitudes consistentes contra a corrupção, mas com posições vigorosas contra ela”, disse Moro. O magistrado falou para cerca de mil pessoas, entre elas cerca de 250 delegados federais, que participaram do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, realizado pela Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), em Salvador.

    Sobre a prisão após 2ª instância, que segundo o juiz, foi um passo importante para o combate a impunidade, Moro afirmou que quem quiser ser candidato tem que ter uma posição firme sobre o tema para evitar um retrocesso. “Não pode ser aquela posição titubeante e dizer: isso é responsabilidade das cortes de Justiça. Não! Isso é responsabilidade da liderança política, do governo”, disse o juiz sobre como deve ser a resposta do candidato a respeito do tema.
    Continua depois da publicidade

    O juiz sugeriu também a necessidade dos candidatos serem confrontados sobre a possibilidade de extinção total do foro privilegiado. Segundo Moro, além de gerar impunidade, uma vez que tribunais superiores não têm estrutura para julgar esses casos, o foro vai contra o “sentimento básico” da democracia sobre todos serem iguais perante a lei. “Deveria ser tomado o compromisso expresso de eliminação do foro para todas as autoridades, inclusive juízes”, disse.

    • O Juiz Moro, é JUIZ, é ezenolo de Dignidade e Amor a Justiça, é exemplo para tos os Cidadãos, suas Equipes da PF e MPF, estão servindo a Pátria enxovalhada pelos politiqueiros criminosos hediondos da caneta metralhadora que fuzilam 220 milhões. nem a sua classe -Juiz, ele tira os corruptos juizecos, como disse a Desembargadora Drª Eliane Calmon: Há juizes bandidos com toga, e a 2ª turma dos três mosqueteiros, prova suas,não nos deixa mentir. Oremos a Deus que proteja e ilumine o Juiz Moro e suas Equipes, e aqueles que os tomam como exemplo. Por um Brasil decente e justo. 89 anos nunca vi tanta podridão, que Deus ilumine o eleitor trabalhador em 07 /10/18, em votar com consciência, pra não acabar de afogar o Brasil agonizante!

  2. NR, assino, FHC começou a destruição do Brasil e Lula continuou, instalando uma bandidagem hedionda para roubar escandalosamente o cofre público, Lula Traidor da Pátria, que o trabalhador tome consciência que Lula e seus quadrilheiros são “cancer” maligno, e o VOTO é o “bisturi” para salvar o paciente Brasil que está “nas últimas” na UTI, que não fiquemos no salve-se quem puder.
    Que Deus nos ajude.

  3. Ainda dá tempo de instituir a forca no país? Que pena… Seria uma boa punição para essa elite corrupta.
    Nosso pais necessitava muito do dinheiro que esses irresponsáveis e corruptos jogaram fora. Muita gente sofre e deve ter morrido por causa desses canalhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *