PGR denuncia governador Azambuja (MS) por propina de R$ 67 milhes da JBS

PGR acusa Azambuja de comandar organizao criminosa

Deu no Estado

O Ministrio Pblico Federal denunciou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), os empresrios Joesley e Wesley Batista, da JBS, o ex-secretrio de Fazenda do MS e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Mrcio Campos Monteiro, e outras 20 pessoas por corrupo ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organizao criminosa.

A acusao envolve um esquema que, entre 2014 e 2016, envolveu o pagamento de R$ 67 milhes em propina. Como contrapartida, os servidores pblicos garantiram isenes fiscais e benefcios ao grupo empresarial JBS em valores que ultrapassam R$ 209 milhes.

PERDA DE CARGO – O Ministrio Pblico Federal quer, alm da condenao dos denunciados pelos crimes imputados, a decretao da perda do cargo pblico para os que so servidores pblicos e o pagamento de indenizao por danos morais coletivos no valor de R$ 277 milhes.

Na pea enviada ao Superior Tribunal de Justia, a subprocuradora-geral da Repblica Lindra Arajo juntou provas obtidas na Operao Vostok, assim como informaes compartilhadas a partir da Operao Lama Asfltica, alm de delaes premiadas e dados da quebra dos sigilos telefnico e bancrio dos envolvidos.

Segundo a Procuradoria, h registros de que o esquema de corrupo entre a JBS e o governo do MS ocorre desde pelo menos 2003, envolvendo sucessivos governadores. Ainda na campanha eleitoral, Azambuja procurou os empresrios em busca de doaes e, a partir daquele momento, comearam as tratativas para manuteno do esquema criminoso, caso ele fosse eleito, o que ocorreu em 2015, diz a PGR.

COMANDO DA ORGANIZAO – A PGR acusa Azambuja de se valer do cargo de governador para exercer o comando da organizao criminosa e praticar crimes como corrupo ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Ele pediu e aceitou promessa de vantagens indevidas repassadas pela empresa JBS. A contrapartida para a empresa foi a concesso de benefcios fiscais ilegais, por meio da assinatura de Termos de Acordos de Regime Especial (Tares) ou aditivos. Cerca de 30% dos valores que a JBS deixava de recolher aos cofres pblicos em impostos, em decorrncia dos Tares assinados, eram repassados para a organizao criminosa. Os acordos eram assinados por Mrcio Campos Monteiro, na condio de secretrio de Finanas, explicou a Procuradoria em nota.

DISSIMULAO – De acordo com os investigadores, o pagamento das vantagens indevidas era dissimulado de diferentes maneiras: por meio de doaes eleitorais oficiais, que em seguida eram descontadas de uma conta propina, mantida pela JBS; por meio de notas fiscais frias emitidas por empresas e pecuaristas indicados pelo prprio Azambuja, sem a devida contrapartida em produtos ou servios e com os valores revertidos direta ou indiretamente em benefcio do governador; e por meio da entrega de dinheiro em espcie a emissrios de Azambuja. A denncia aponta ainda que principal operador do esquema era o filho do governador, Rodrigo Souza e Silva.

5 thoughts on “PGR denuncia governador Azambuja (MS) por propina de R$ 67 milhes da JBS

  1. Onde tem bilho tem tucano ladro.
    No adianta eles borrifarem o Spray da tica por onde passam.
    So viciados em roubar.
    At merenda escolar j foi alvo da Quadrilha do FHCorleone.
    Respiradores, mscaras, caf pequeno para a Quadrilha.

    Vive La France.!!!
    Mais uma festa de arromba na Manso da Avenue Foch.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.