Piada do Ano! “Deixei o Rio para não ser morto em queima de arquivo contra Bolsonaro”, diz Queiroz

Deixei o Rio para não ser morto, diz Queiroz em entrevista

Outra piada: morava na casa de Wassef, mas não o conhecia

Deu no Correio Braziliense

O policial militar aposentado Fabrício Queiroz afirmou, nesta terça-feira (23/11), que teme ser morto e disse sonhar em voltar a amizade com o presidente Jair Bolsonaro. As declarações foram dadas em entrevista ao SBT.

Queiroz é investigado no esquema das “rachadinhas” no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), quando ele era deputado estadual no Rio de Janeiro. De acordo com o Ministério Público, Queiroz atuava como organizador do esquema.

SEM RACHADINHAS – Na entrevista, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro falou pela primeira vez em três anos sobre a investigação. Ele se disse inocente e que não existia esquema de rachadinhas. “Se Deus quiser, vou provar a minha inocência. Meu sonho é voltar a ter amizade com o presidente”, afirmou.

Queiroz disse que saiu do Rio de Janeiro porque temia pela própria vida. De acordo com ele, o crime teria a intenção de culpar o presidente. “Seria queima de arquivo para cair na conta do presidente, como aconteceu com o capitão Adriano”, disse.

Adriano da Nóbrega é apontado como líder de uma das maiores milicias do Rio. Ele foi morto durante uma operação policial na Bahia no ano passado.

QUEM É WASSEF? – Na entrevista, Queiroz também negou conhecer o advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef. Queiroz foi preso, ano passado, na casa de Wassef em Atibaia, no interior de São Paulo.

Segundo Queiroz, ele só estava na casa do principal advogado da família Bolsonaro para realizar um tratamento de saúde.

Em março deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu liberdade a ele e à mulher, Márcia Aguiar, que estavam em prisão domiciliar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Nessa época, abundam as Piadas do Ano. Todo mundo quer competir com Lula e Bolsonaro, que já merecem ser considerados “hors concours” (vencedores por antecipação), tal o grande número de anedotas que criam, sem cessar. Quanto a Queiroz, não é profissional como Bolsonaro e Lula, mas sempre tenta se projetar nessas entrevistas arranjadas pelo Planalto no SBT ou na Record. Antes da eleição, ele voltará a aparecer com novas piadas eleitorais, podem esperar, mas suas piadas são sempre as mesmas. (C.N.)

7 thoughts on “Piada do Ano! “Deixei o Rio para não ser morto em queima de arquivo contra Bolsonaro”, diz Queiroz

  1. Só duas perguntas:
    1) o STF ordenou a instalação dessa CPI?
    2) se ordenou, não estaria a PGR preocupada com alguma questão prévia relacionada a esse suposto fato?

    Faço essas perguntas porque boas respostas para elas poderiam explicar a novidade do proceder da PGR.

    • Não é fixação, o fato é quando se trata de roubalheiras,fraudes, corrupção, vadiagem, vagabundagem e outros males, o nome do apedeuta ex presidiário é e sempre será lembrado.

      Qual a dúvida?

      Sabemos que muitos tem seus bandidos de estimação, mas pessoas de bem, não são obrigadas a concordar.

      Quem vai lembrar de um sujeito que não presta quando se fala em coisas boas?
      Ninguém.

  2. Finalmente reapareceu o Queiroz, que tinha se escafedido desde a sua gloriosa aparição durante o 7 de setembro na av. Atlântica. Com a falha do golpe que achavam que iria acontecer muitos também desapareceram. Por falar em golpe, por onde andam os ilustres generais da reserva Augusto Heleno e Braga Netto?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *