Piada do Ano! Jungmann manda apurar vazamentos em inquérito de Temer

Resultado de imagem para jungmann

Jungmann é o contrário de Temer. Você sabia?

Carlos Newton

Atendendo a insistentes pedidos do presidente Michel Temer, o ministro Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, determinou que a Polícia Federal apure o vazamento de informações sobre o inquérito que investiga irregularidades no chamado Decreto dos Portos, que beneficiou empresas ligadas ao chefe do governo. Em nota divulgada à imprensa, o ministro acrescentou que é “inadmissível” comprometer o direito de defesa de qualquer cidadão ou do presidente da República, acrescentando que vazar informações é ato passível de sanções penais.

Como se vê, a política é um teatro. Enriquecido ilicitamente, Temer faz o papel do “perseguido” e dá uma entrevista emocionante, para proclamar: “Não tenho casa de praia, não tenho casa de campo, não tenho apartamento em Miami, não tenho vencimentos e salários a não ser aqueles dentro da lei”.

POBRE MENINO RICO – Quem vê o presidente da República se defendendo com tanta veemência, até pensa que estamos de volta aos tempos de Getúlio Vargas, que ficou 15 anos no poder e não se tem notícia de que seu patrimônio tenha aumentado, muito pelo contrário. Mas a realidade atual é muito diferente.

Para garantir o futuro da família, Temer está transferindo seus bens em vida. Passou para o nome do filho Michelzinho não somente a titularidade da mansão no Alto de Pinheiros, uma das áreas mais valorizadas de São Paulo, como também a propriedade de dois luxuosos conjuntos de sala no centro da cidade, um patrimônio total avaliado em R$ 8 milhões, nada mal para um pobre menino rico de apenas 9 anos.

A bela Marcela também foi agraciada com a compra de uma belíssima, que lhe foi vendida pelo amigo José Yunes, no valor estimado em R$ 4 milhões.

PARTE DO PATRIMÔNIO – Esses R$ 12 milhões de mãe e filho são apenas parte do patrimônio de Temer, tudo ganho com vencimentos e salários “dentro da lei”, nas próprias palavras do presidente, que recentemente teve um arroubo de transparência e anunciou que iria exibir sua movimentação bancária, mas logo a seguir se arrependeu, sem indicar o motivo.

Agora, Temer exige investigação sobre o vazamento, como se fosse legalmente possível obrigar o jornalista a entregar suas fontes. O ministro Jungmann, constrangido, apenas finge atendê-lo, pois sabe que não vai dar em nada e a força-tarefa da Lava Jato continuará vazando informações, sempre que for do interesse da nação. Apenas isso.

###
P.S.
O mais curioso nesta história é que Jungmann é o contrário de Temer e nem casa própria possui. Mora em imóvel alugado e seu único bem disponível é um carro usado, no valor de uns R$ 50 mil. É suplente de deputado e precisa desesperadamente do cargo de ministro para pagar as contas. Concluindo: a gente pode até não gostar do Jungmann, mas não há dúvida de que se trata de um homem honesto, coisa rara na política. (C.N.)

10 thoughts on “Piada do Ano! Jungmann manda apurar vazamentos em inquérito de Temer

  1. Um homem que já foi ministro várias vezes, que entrou na política pela mão do Sarney e serve Temer na justiça não tem uma residência? Ou é um estroina ou ocultador de bens.

  2. A PGR Raquel Dodge tem obrigação de fazer a 3ª denúncia contra Temer !

    Caso contrário ela estará cometendo crime de prevaricação !!!

  3. Não que tenha alguma coisa contra ele, mas que estorinha complicada a dele. Suplente de deputado no PPS de Pernambuco, é alçado a ministro no governo Temer. Eis um pouco deste “pobre coitado”. https://pt.wikipedia.org/wiki/Raul_Jungmann .
    Quer dizer que em toda sua estada na política e assumir seus cargos mais cortejados, ele só conseguiu um carro de uns 50 mil? Pois é.

  4. Quando alguém faz doação de bens ou dinheiro, mesmo que seja para parentes, deve pagar um imposto estadual chamado ITCD ou ITCMD, que é
    o imposto de transmissão causa mortis ou doação.
    Sera que isto foi pago?

  5. Dizia a minha sábia e já falecida avó. ” No Brasil, quem não rouba ou mão herda, tem merda.
    Pois é, sendo assim, imagina-se que as “práticas”
    tão arraigadas nos meios políticos, chagaram as nossas praias, com as caravelas.

  6. Fico imaginando como “qualificar” profissional e funcionalmente pessoas que, por diversos fatores, aceitam cargos para “ajudar” vigaristas, corruptos, canalhas.
    Desconhecem os “predicados” de seus chefes, são como eles ou trabalham pelo país?
    Ser ministro deveria ser missão! Uma honra que precisa merecer pessoas honradas.
    Não discuto honestidade do ministro, mas sua capacidade ou a falta dela.
    Será que não consegue ver – ele e outros, que em governixos como os que temos tido, serão apenas “usuários e/ou frutuários dos cargos”?
    Como ministro, tem sido um belo bedel!
    O que poderia ser em um desgoverno?
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *