Piada do Ano! SUS perde 43 mil leitos e diz que é fruto de um melhor atendimento

Resultado de imagem para atendimento do sus

Estado do Rio foi o mais atingido e perdeu 35,5% dos leitos

Gabriel Shinohara e Victor Faria
O Globo

O Sistema Único de Saúde (SUS) teve uma redução de 43 mil leitos de internação desde 2009, numa queda de 12,7%, em números relativos aos meses de junho dos últimos dez anos. Só do ano passado para este ano, a diminuição foi de quatro mil leitos. Os dados são do Ministério da Saúde e foram obtidos pelo Globo.

Atualmente, o SUS conta com 298 mil leitos de internação, contra 341 mil em 2009. O estado que mais perdeu leitos foi o Rio de Janeiro, com uma redução de 35,5%, seguido por Sergipe e Goiás, com quedas de 26,3% e 19,4%, respectivamente.

TENDÊNCIA MUNDIAL – Em resposta ao Globo, o ministério afirmou que a redução segue uma tendência mundial de substituição dos leitos de internação pelo atendimento ambulatorial e domiciliar.

Os leitos complementares, que incluem os de UTI e de unidade intermediária, tiveram um aumento de 22,8 mil para 30,9 mil no mesmo período. De acordo com o Ministério de Saúde, isso reflete um investimento mais forte nos processos de maior complexidade.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É uma desculpa esfarrapada, uma piada sem graça, com o Ministério querendo comparar o Brasil com países mais desenvolvimento onde não há miséria nem desemprego, as pessoas têm condições de se tratar em casa ou em ambulatório. Mas isso não é verdade. Com raras exceções, em todos os países as pessoas se dividem entre as que têm plano de saúde e as que não têm. E é claro que há diferenças entre os planos de saúde. Há os que conseguem ser piores do que o SUS. Esta é a pior característica do capitalismo – a divisão das pessoas em classes, no tocante ao tratamento médico, ou seja, ao direito à vida. (C.N.)

 

10 thoughts on “Piada do Ano! SUS perde 43 mil leitos e diz que é fruto de um melhor atendimento

  1. O SUS há muito tempo vem sendo sucateado.
    Para piorar, o SUS da Praça Seca que fica próximo ao Morro São José, dominado pela milícia, dizem que fechou por causa dos milicianos, que tem raio de ação até a praça da Praça Seca
    Pelo andar da carruagem, este país não tem mais jeito, vai de mal a pior. Essa é a dura realidade.

  2. Assim como os criminosos governos anteriores , diga-se de passagem de esquerda, arruinaram o país com a má gestão, roubos e corrupção nunca vistos na história do mundo, coisa que chagou aproximadamente a 1 trilhão de dólares, tenta-se criminosamente, por parte de seus apoiadores e comparsas, responsabilizar este governo de apenas 7 meses.

    Sabe como é né, para não fugir à regra, o brasileiro é mesmo um retardado, e dar palpite, sem nenhum fundamento em fatos, é parte da sua doentia personalidade.

  3. Saúde é coisa que gasta muito dinheiro. É preciso gestão eficiente, capaz de assegurar atendimento conforme a necessidade de cada um. A base deve ser atenção básica. Se a equipe do psf (agora esf) funciona bem ela consegue fazer o trata bem a hipertensão, o diabetes, rastreia as doenças malignas e assim as interrompem ou evita que degenerem pra complicações como AVC, infartos do coração, perda renal, neoplasias… Isso significaria menos custo com hemodiálise, com cateterismo, com cirurgias, com quimioterapia… E o mais importante, garante bem estar aos assistidos. Além disso, precisa contar com uma rede de especialistas pra reforçar aqueles casos mais emblemáticos que o psf fica inseguro. Deste modo, iria pro hospital apenas os casos realmente necessários. E dentro dos hospitais, acho muito boa a ideia de criação de intermediárias mesmo. Olha, se tem onde deixar o paciente em observação até que melhore e assim decidir se precisa internar ou não, diminui tanto internamentos desnecessários como evita mandar pra casa pessoas que precisam de mais cuidados. Outra coisa importante, algumas cidades de fato contam com serviço de atenção domiciliar, uma espécie de Home care do sus. Isso também é bem vindo. Desospitaliza mais rápido. Pois o paciente sai do hospital com a certeza de que será acompanhado em casa. Sobre leitos de uti, é sim uma demanda necessária e crescente. Não tem como esquivar-se em investir em equipamentos de terapia intensiva. A população hoje vive mais, e idoso tem sim manifestação mais graves de doenças comuns demandando suporte de intensivo mais frequentemente. Além disso, temos uma endemia de acidentes acometendo jovens, e traumas graves criam demandas de intensiva também. Logo, é o seguinte: aumentar a oferta de uti é imprescindível. Concordo que se possa diminuir os leitos de enfermaria desde que seja assegurado atenção básica em toda comunidade brasileira de segunda a sexta-feira; desde que seja garantido atenção domiciliar aqueles que não podem mais ir por meios próprios até o posto de saúde; desde que o médico do psf possq contar com apoio do especialista ambulatorial; desde que tenha lhe assegurado suporte intensivo quando necessitar. Agora o que vemos é que as prefeituras, por razões diversas, menosprezam o essencial, que é a atenção básica. O sujeito se forma, vai pro interior trabalhar. Trabalha um, dois e no terceiro mês começa a ser desrepeitado pela secretaria de saúde. Começam a reclamar que pede exame demais; começq a querer que se atenda e dê atenção a fulanim que é cabo eleitoral; começa a querer que o sujeito acompanhe o prefeito nas inaugurações… Ou seja, o profissional perde autonomia e independência. Aí vai embora quando não é demitido antes. O governo federal deveria de uma vez por todas assumir ele mesmo a atenção básica de todo o país. Pagar ele mesmo as equipes. Não deixar na mão das prefeituras os PSFs. Aí a coisa muda.

  4. Caro amigo Jacob,

    Concordo plenamente com a tua última frase do comentário acima, que o nosso Brasil não tem mais jeito, e que vai de mal a pior.

    Sem nada a contestar ou reformular esta tua afirmação porque verdadeira.

    Se estamos regredindo como povo e nação, tal destruição paulatina advém de décadas. Mas foi no governo petista que nos mandaram abaixo, que nos implodiram.

    Logo, tentar reconstruir o país com as pedras que restaram será uma tarefa imensa, trabalhosa, e não sabemos se dará alguma coisa.
    No entanto, é com este material existente que deveremos nos reerguer, por mais difícil e quase impossível que se construa algo decente, mas temos de tentar.

    Agora, continuo batendo na mesma tecla:
    Se quisermos de fato reerguer este país e termos chances de desenvolvimento somente com o LEGISLATIVO FECHADO!!!

    Forte abraço.
    Saúde, meu amigo.

    • Prezado amigo Bendl,
      Muito grato pela sua concordância e explanação. Não há dúvidas que o Lula colocou o Brasil na UTI.. mas o governo atual está mais preocupado em governar ideologicamente do que reconstruir o Brasil, não se pode usar os crimes do governo passado para desculpar a paralisação do país.
      Nesses 7 meses a única iniciativa desse governo foi a aprovação da Reforma da Previdência e assim mesmo, só foi aprovada porque o projeto foi da câmara do deputados.
      Um grande abraço amigo

  5. Boa tarde.

    Carlos Newton, este seu comentário é ímpar e o que mais me preocupa. Vamos para o capitalismo liberal, mas saúde, educação, e segurança não podemos abrir um milímetro na coletividade solidária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *