Pimentel se defende acusando a PF de vazar notícias

PF diz que governador é chefe de organização criminosa

Lucas Pavanelli
O Tempo

O governador de Minas Fernando Pimentel (PT) entrou com uma petição junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que o órgão investigue “vazamento de informações” relacionadas à operação Acrônimo, da Polícia Federal, que investiga o petista em um suposto esquema de desvio de recursos públicos para abastecer sua campanha ao governo do Estado no ano passado.

A informação foi confirmada à reportagem pelo advogado de Pimentel na ação, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

O STJ não confirmou o recebimento da petição, nem a abertura de uma investigação sobre o assunto porque o processo corre em segredo de Justiça. “O ministro já disse que não vai falar a respeito”, informou a assessoria de imprensa do tribunal.

CHEFE DA ORGANIZAÇÃO…

Na última sexta-feira a revista “Época” publicou trechos da investigação em que a Polícia Federal classifica Pimentel como “chefe de organização criminosa”. A reportagem da revista também mostra uma nota fiscal referente a uma viagem que o governador teria feito em novembro de 2013 com a esposa Carolina Oliveira a um resort no litoral baiano e que teria sido custeada pelo empresário Benedito Oliveira Neto, o Bené, suspeito de lavagem de dinheiro. A conta teria sido de R$ 12 mil e a PF investiga se Pimentel recebeu “vantagens indevidas” de Bené.

“Os vazamentos foram criminosamente preparados contra o governador”, ataca o advogado criminalista que pediu, ainda, acesso aos documentos que baseiam a investigação. Para Kakay, há “distorções no inquérito”.

SEGUNDA FASE

A Polícia Federal deflagrou na última quinta-feira a segunda fase da operação Acrônimo. Foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão em endereços no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais – dentre eles o escritório particular de Pimentel localizado no bairro da Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

A PF pediu autorização para realizar buscas na residência oficial do governador, o Palácio das Mangabeiras, mas teve o pedido negado. Na primeira fase da operação, a PF realizou buscas em um apartamento utilizado por Carolina, em Brasília.

O governador de Minas se manifestou sobre o caso na última quinta-feira, durante a cerimônia de posse do novo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) Paulo Cézar Dias. “Não bastasse a arbitrariedade cometida dias antes contra mim e a minha mulher, com a invasão de seu apartamento em Brasília, utilizando mandado expedido a partir de premissas falsas, querem agora externar esse abuso, esse arbítrio, ao território de Minas”, afirmou.

5 thoughts on “Pimentel se defende acusando a PF de vazar notícias

  1. Dizem que o Pimentel é o mais honesto do PT (Partido dos Trambiqueiros, sucessor do PT-Partido dos Trabalhadores).

    Pelo que tem sido publicado, à saciedade, percebe-se que a Carolina dele difere da do Chico Buarque, aquela que o tempo passou na janela e só ela não viu…

    A Carolina do Pimentel, segundo as publicações, chega junto com o tempo.

  2. É normal.

    Caro Jornalista,

    Veja quanta diferença entre PAÍS e FAZENDA:

    Enquanto nos Estados Unidos os ladrões da FIFA trataram de murchar as orelhas e assumir a culpa por medo de uma “punição mais forte” do PODER JUDICIÁRIO de lá, por aqui os bandidos, ao invés de procurar provar inocência, procuram desqualificar as provas e o delator e ainda dão entrevistas “cheios da moral”! Lembra-se da Operação Satiagraha?

    Lá, quanto mais alta a instância, pior poderá ser a punição e mais respeito bandido tem pela Corte.
    Por aqui A JUSTIÇA NÃO METE MEDO em ladrão rico! No máximo, ficará alguns dias na “cadeia”, para fazer uma média com a imprensa, e depois poderá ficar “preso em casa” (como milhões de trabalhadores brasileiros) e com o dinheiro roubado!

    Não vi nenhum dos envolvidos de lá xingar o delator americano Chuck Blazer, 70 anos, ex-integrante do Comitê Executivo da Fifa, da Concacaf e da Federação de Futebol dos Estados Unidos, que apontou todo o esquema à Justiça, nem vi ninguém passar a mão na cabeça dos ladrões por serem, além de idosos, VELHOS SAFADOS.

    Por aqui até a nossa CAPATAZ criticou o delator e, por conseguinte, o instrumento da delação premiada!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *