Pizzolato será mais um preso com mordomias na Papuda

Deu em O Tempo

A vinda do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato da Itália ao Brasil, prevista para este início de mês, já está envolvida em polêmica. O questionamento, feito pelo Ministério Público do Distrito Federal envolve a acomodação dele no Complexo da Papuda, em Brasília, que seria com “mordomias” na cela, conforme “O Globo”, desta sexta.

O MP teria pedido informações sobre “itens de conforto diferenciado” do pavilhão e considera que há “tratamento privilegiado” no local, porque, onde cabem 60 presos, estão quatro: os condenados no mensalão Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, o ex-deputado Natan Donadon (condenado por peculato) e José Carlos Alves dos Santos (anões do Orçamento).

As dez celas da ala, reformadas em 2014, têm portas de madeira no banheiro, vasos e pias de louça, cerâmica em parte do piso, chuveiro quente e beliche. O primeiro detento do local — Luiz Estevão — ficou lá quatro meses sozinho.

VAGAS OCIOSAS

Em ofício de 11 de março, antes da decisão da extradição, o MP pediu à Subsecretaria do Sistema Penitenciário do DF (Sesipe) para preencher vagas ociosas da ala com outros presos, o que não foi feito . “A manutenção de número reduzidíssimo de reeducandos em uma ala cujas celas, além de possuírem melhores condições, comportariam quantidade muito maior de pessoas, importa por vias transversas em conferir tratamento privilegiado”, diz o documento, segundo o jornal.

O MP ressalta que os presos na ala têm perfil socioeconômico semelhante e destoante da maioria da população carcerária. O chefe da Sesipe, João Lóssio, disse que não comentaria o assunto por “segurança”.

Pizzolato foi condenado em 2013, no caso do mensalão, a 12 anos e sete meses de prisão por ter autorizado repasse de R$ 73,8 milhões que o banco mantinha no Fundo Visanet para uma das empresas de Marcos Valério de Souza, operador do mensalão. Em troca, recebeu propina de R$ 336 mil. Ele fugiu para a Itália com passaporte falso e foi preso pouco antes da condenação no Brasil.

5 thoughts on “Pizzolato será mais um preso com mordomias na Papuda

  1. O pior e o vergonhoso acobertamento , por parte do ministro da justica , dos novos crimes que o Pizzolato cometeu ao fugir do Brasil.

  2. O Pizzolato, loguinho estará em prisão domiciliar, afinal o STF é muito complacente com a criminalidade
    política, até porque é neste segmento que surgem os “juristas” de notório saber jurídico e ilibada conduta,
    assim como os últimos indicados.
    O PT criou uma classe de juristas, formados pelos bacharéis em direito, com pós-graduação em ideologia
    marxista-leninista, com o objetivo de ser inocentado em todas as tramas ilegais, com o argumento de que
    no Brasil só se pode fazer justiça social, atropelando a legislação.
    Eles não roubaram. Apenas expropriaram o patrimônio que é público, em favor da população pobre, que é
    a verdadeira proprietária de tudo o que existe neste pais, mas que foi roubada por todos estes anos, pelas “zelites”. Essa é a desculpa, e o reconhecimento, pela justiça aparelhada.
    A desigualdade de tratamento, já começa pela cadeia que ficará, por pouco tempo certamente o condenado, prisão pelo que parece 5 estrelas, que a exemplo de certas salas de aeroportos, só entram
    VIPs, nada de misturar tubarão com bagrinho. Assim é o igualitarismo do PT, cada casta tem a cadeia que merece, mas isso só quando a justiça “Deles” resolve injustiçar companheiro, herói do povo brasileiro.

  3. No caso aí é consequência de acordo entre os governos brasileiro e italiano. O governo italiano exigiu para extraditá-lo que ele fosse colocado numa prisão nos moldes das da Itália para esses casos. O MP tomou conhecimento, como foi publicamente noticiado, e devia ter se insurgido antes da concretização do acordo. Parece-me que esse é o preço que temos que pagar para tê-lo atrás das grades. O caso do Cacciola é que foi de amargar. Conseguimos extraditá-lo porque ele marcou bobeira e saiu da Itália, gastamos uma nota para trazê-lo de Mônaco alguns anos atrás e rapidamente ele retornou livre e limpinho para desfrutar na Itália da grana que obteve no golpe financeiro aqui. O mesmo ocorreu com o PC Farias. Foi um trabalhão trazê-lo da Tailândia, ele não durou na prisão e morreu assassinado em sua casa de praia. E seu dinheiro sumiu…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *