Planalto articula com Congresso para para evitar ‘hiato’ sem vacina e poupar Bolsonaro de desgaste ainda maior

Charge do Zé Dassilva (Arquivo do Google)

Andréia Sadi
G1

Pressionado a resolver a falta de insumos para dar continuidade à vacinação no Brasil, o governo federal pediu a líderes governistas no Congresso para buscar medidas que evitem o eventual “hiato” de 30 a 40 dias sem vacina, no Brasil.

Esta é a conta desenhada e temida nos bastidores do governo: se o Executivo não resolver o envio de insumos da China para a produção da Coronavac, além dos entraves para receber a Astrazaneca, da Índia, a vacinação no Brasil pode ficar suspensa por um período de cerca de um mês, segundo assessores presidenciais.

O atraso, se confirmado, será desastroso e vai ampliar o desgaste da imagem do governo junto à opinião pública no tema combate à Covid.

Ciente do diagnóstico, o Planalto virou monotemático nos últimos dias: busca saídas jurídicas para ampliar a compra de vacinas, por meio de medidas provisórias, além de discutir com outros fornecedores a oferta de vacinas.

Diferentes fontes ouvidas pelo blog confirmam as estratégias – mas não sabem detalhar o que seriam essas medidas provisórias, tampouco quais fornecedores estão na mira do governo federal.

O governo também está em contato com China e Índia. Governadores de diferentes partidos e estados pressionam o presidente Bolsonaro a assumir pessoalmente a negociação com a China, para garantir os insumos.

Em São Paulo, João Doria cobra resposta do Ministério da Saúde para o fim desta semana. Ao blog, ele disse nesta manhã que “irá à China se necessário”.

O presidente da frente parlamentar Brasil-China, deputado federal Fausto Pinato, disse ao blog que a conta pode “passar” do atraso de 30 dias se o Brasil não mudar sua postura com a China. “Vamos para o final da fila, pode demorar isso mesmo ou passar”.

Ele diz que está em contato diariamente com integrantes do governo na China.“ A embaixada não fala muitas vezes o que pensa. São pragmáticos. Não vão nos retaliar. Mas, se não houver acenos, mudanças, vamos para o final da fila. Precisa mudar o corpo diplomático, por exemplo”.

O deputado defende que o presidente Bolsonaro telefone para o presidente chinês. Segundo Pinato, ele tem informações de que há uma irritação com a postura do Brasil com a China.

No governo de São Paulo, nos bastidores, a conta de João Doria e aliados também é essa: sem insumos, a vacinação pode atrasar “até mais” do que 30 dias.

3 thoughts on “Planalto articula com Congresso para para evitar ‘hiato’ sem vacina e poupar Bolsonaro de desgaste ainda maior

  1. A política nacional atingiu o seu nível mais alto de deterioração, inutilidade, incompetência, corrupção, venalidade, sadismo, desprezo pelo povo, na História Brasileira (evidente que incluo executivo e judiciário)!

    Planifica-se, no antro de venais, até mesmo explicações sobre existir, no reino das abelhas, as operárias, a rainha, e o fenômeno da produção de mel, menos, evidentemente, a elaboração de planos e/ou medidas que aplaquem, diminuam o sofrimento do povo a respeito da pandemia, hoje à mercê da gravidade de contágio do vírus e sem qualquer perspectiva de haver vacinas para todos!

    Bolsonaro, mentecapto, dotado de poucas luzes, visão obtusa, quer compensar a sua criminalidade com relação à vida do cidadão através de inaugurações de trechos de estradas, banheiros públicos, piscinas particulares, nadar na praia acompanhado de seguranças e ser ovacionado pela sua claque.
    Quanto a se envolver na solução dos problemas relativos à saúde pública, para quê?

    Na razão direta da nossa alegria quando elegemos Bolsonaro e tiramos o PT do governo, hoje, a satisfação de ontem virou um tormento, um pesadelo, um massacre da população com este personagem grotesco e desclassificado na presidência desta republiqueta que, nunca antes, mereceu ser o Brasil assim denominado de 2019 para cá.

    O país se tornou um feudo, legitimamente.

    O povo, roubado, explorado, manipulado, sendo alvo de violências indescritíveis, sem quaisquer direitos a não ser obrigações, sustenta o rei e seus príncipes encastelados em seus condados:
    Executivo, Judiciário e Legislativo.

    Não produz, morre;
    Não paga impostos, é massacrado;
    Se paga impostos, o dinheiro não reverte para as necessidades da população.
    Resultado:
    Desemprego, miséria, pobreza, pessoas morrendo por doenças as mais exóticas e variáveis, salário tão absurdamente injusto que, simplesmente, equivale a 200 vezes menos os proventos dos ladrões e corruptos membros de nossos “poderes constituídos”.
    O cidadão brasileiro está sendo eliminado de maneira sórdida, cruel, sádica e hedionda.

    Somos gado indo para o inexorável matadouro e sem gemer ou nos debater, pelo menos??!!

Deixe uma resposta para Francisco Bendl Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *