Planalto calcula mudanas em caso de vitria de Biden e especialistas avaliam que Bolsonaro deveria mostrar mais cautela

Charge do Amarildo (agazeta.com.br)

Ingrid Soares
Correio Braziliense

Ao retornar do feriado em Guaruj, na cidade paulista, o presidente Jair Bolsonaro volta as atenes para o cenrio eleitoral norte-americano. Segundo interlocutores palacianos, o chefe do Executivo acompanhar o desenrolar do resultado das eleies americanas na noite desta tera-feira, dia 3, do Palcio do Alvorada.

Auxiliares se preparam para dar assistncia a Bolsonaro durante a madrugada. O presidente dever acompanhar a contagem junto com o ministro das Relaes Exteriores, Ernesto Arajo e demais aliados. O chefe do Executivo no esconde a ansiedade em ver seu amigo e candidato preferido, Donald Trump, ser reeleito, em detrimento do democrata, Joe Biden. Caso Trump vena, Bolsonaro j avisou que quer ser o primeiro a dar os parabns.

POSSE – No ltimo dia 20, Bolsonaro disse que espera comparecer posse de Trump, reeleito. “Com toda certeza, espero, se essa for a vontade Deus, comparecer posse do presidente brevemente reeleito nos EUA. No preciso esconder isso, do corao, no interfiro, mas do corao e pelo respeito que tenho ao povo americano e pelo trabalho e pela considerao que Donald Trump teve conosco, que me manifesto dessa maneira neste momento”, declarou.

No entanto, especialistas avaliam que o chefe do Executivo deveria mostrar mais cautela. A mdia das pesquisas nacionais nos Estados Unidos mostra Biden com vantagem sobre Trump. Caso Biden ganhe, a Amaznia e o Pantanal devem ganhar mais importncia para os Estados Unidos.

POLTICA AMBIENTAL – O candidato democrata j criticou a poltica ambiental brasileira e avisou que colocar o tratamento ao meio ambiente sob uma lupa. Em declaraes recentes, Biden reforou que pretende reunir o mundo caso o pas no seja eficiente em defender a Amaznia.

O cientista poltico Rodrigo Prando, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, afirma que Bolsonaro rompeu a tradio de manter um distanciamento salutar com os EUA e se alinhou ao governo Trump, especialmente por questes ideolgicas. Prando defende que caso Trump seja reeleito, o bolsonarismo sofrer impacto.

Presidentes no tm amigos, tm interesses. Se Trump for derrotado, ser um impacto na prpria trajetria de Bolsonaro. Se Biden for vitorioso, o que vai mudar o tom com o qual Biden vai ser relacionar com o Brasil. Biden coloca como ateno especial a falta de poltica ambiental do governo brasiliero. Ele vai ficar mais atento, assim como outras organizaes internacionais em relao ao que ocorre na Amaznia e o Pantanal, ressalta.

MISTURANa anlise do especialista, Bolsonaro introduz no plano internacional questes ligadas poltica interna. Ele faz uma mistura de amigos, famlia e poltica. As questes do Estado devem ser guiadas por lgica impessoal, e o governo est distante desses princpios. Tem retrica de confrontar China e favorecer os EUA, mas na prtica, no se sustenta em uma realidade em que dependemos de ambos.

Ele aponta tambm que Biden sofrer ataques da base bolsonarista ideolgica, mas que sua eleio fortalecer o discurso da oposio poltica brasileira contra Bolsonaro. Vo colocar Biden na lista de comunistas. Todos os democratas desejam uma vitria de Biden. Uma derrota do Trump vai arejar o mundo e fortalecer o discurso antibolsonarista no Brasil, demonstrando que, se Trump for derrotado, Bolsonaro tambm pode s-lo em 2022, acredita Rodrigo Prando.

O especialista afirma que, em caso de vitria de Biden, o presidente brasileiro seria obrigado a rever a relao com a Casa Branca, com uma reestruturao dentro do Ministrio das Relaes Exteriores. O problema que, para ter sada diplomtica, precisa ter diplomatas. E o bolsonarismo fez terra arrasada na diplomacia brasileira, que, historicamente sempre teve bom trnsito internacional. Se tiver que pensar numa sada, o governo precisa reestruturar o MRE, o que significa tirar poderes do chanceler Ernesto Arajo, que muito mais ideolgico do que pragmtico, argumenta Prando.

TOM MAIS AMENO – Para Marco Antonio de Meneses Silva, coordenador de Relaes Internacionais do Centro Universitrio IESB, em um cenrio com Biden vencedor, as relaes comerciais no sofreriam mudanas. Porm, Bolsonaro teria que adotar um tom mais ameno, pois o novo presidente norte-americano estar propenso a exercer presso maior sobre o Brasil na rea ambiental.

A depender de como ser a composio da equipe de Biden, isso acaba sendo fator que influencia esse ajuste e moderao por parte de Bolsonaro. O Ministrio das Relaes ter que fazer reajuste de poltica autnoma em relao subserviente que vinha implantando. A expectativa est deixando todo mundo apreensivo. Ser um duro golpe na ala ideolgica do governo e tambm para os filhos do presidente, que vem demonstrando apoio incondicioanal a Trump, aposta o acadmico.

8 thoughts on “Planalto calcula mudanas em caso de vitria de Biden e especialistas avaliam que Bolsonaro deveria mostrar mais cautela

    • Uma coisa certa, com Bid ou Trumpete, no vai mudar nada
      E eles vo continuar dizendo que a capital do Brazil Buenos Aires.
      E outra os mendigos de l falam ingls e as esmolas so em dlares….

      eh!eh!eh
      Viva a Democracia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.