Planalto entra em pânico com a prisão de Loures e lança ataque contra Janot

Resultado de imagem para janot charges

Charge do J. Gomes (O Estado/CE)

Deu em O Tempo
(Agência Estado)

Assessores próximos de Michel Temer acusam o procurador geral da República, Rodrigo Janot, de “irresponsabilidade jurídica e intelectual” ao afirmar que o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso neste sábado, dia 3, pela Polícia Federal, é o “verdadeiro longa manus” do presidente. A estratégia do Palácio do Planalto, agora, será enfrentar o Ministério Público e o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

Para embasar a crítica a Janot, auxiliares de Temer usam uma degravação feita pelo Palácio do Planalto da conversa entre o presidente e o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

“INAUDÍVEL” – Segundo os assessores de Temer, a Procuradoria Geral da República escondeu um trecho da conversa na qual Temer faz a seguinte afirmação a Joesley: “Pode passar pro e-mail dele (Loures); é da minha mais estreita confiança.” Nas versões da conversa que têm sido divulgadas até agora, a palavra “e-mail” aparece como “inaudível”.

Na avaliação do Planalto, Temer não pediria para Joesley enviar um e-mail a Loures para tratar de assuntos impróprios. “Só uma pessoa com irresponsabilidade jurídica e intelectual poderia fazer uma afirmação dessas”, disse um assessor próximo do presidente.

Ao reapresentar no STF o pedido de prisão preventiva de Rocha Loures, Janot o classificou como “homem de total confiança, verdadeiro longa manus do presidente da República, Michel Miguel Elias Temer Lulia”. A expressão em latim significa executor de tarefas.

PREOCUPAÇÃO – A prisão de Rocha Loures provocou muita preocupação no Palácio do Planalto. Nos bastidores, a avaliação do governo é a de que há uma parceria entre Janot e Fachin para desgastar o presidente.

Em conversas reservadas, assessores do Planalto dizem não acreditar que Rocha Loures incriminará o presidente simplesmente porque “não tem o que delatar”.

Afirmam, porém, que tudo está sendo feito pela Procuradoria para pressionar Rocha Loures e “arrancar” uma delação contra Temer.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O desespero é total no Planalto. A matéria cita “assessores de Temer” que não existem. Todos foram demitidos ou presos. Tadeu Filippelli e Rocha Loures estão na cadeia; José Yunes e Sandro Mabel se demitiram e saíram de fininho. Só restou o assessor jurídico Gastão Toledo, que não fala com a imprensa. Quem está dando declarações são os assessores da Casa Civil e da Comunicação Social, que não trabalham diretamente com Temer e não podem falar em nome do presidente. Ou seja, é tudo conversa fiada. (C.N.)

4 thoughts on “Planalto entra em pânico com a prisão de Loures e lança ataque contra Janot

  1. O método Lula de incriminar os promotores e juízes para se defender do indefensável está sendo imitado pelo Planalto.
    Ao final, se a lei brasileira permitir, vamos ter um desfecho parecido com o de Nixon: ele renunciou e “obteve” o perdão do seu sucessor Geraldo Ford. E parece que já está tudo arrumado: Rodrigo Maia é genro do Angorá que está sendo protegido por Temer.

  2. os ladrões vagabundos do Palácio do planalto estão incrédulos diante dos acontecimentos. ficararam décadas ROUBANDO a nação sem ser inoportunados.

  3. Há um ano, antes do impeachment, a Folha revelava, que o agora homem da mala de Temer, esteve com os procuradores Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon Lava jato de Curitiba e selaram um “acordo de procedimento”:
    manter Rosalvo Franco no cargo de superintendente da Polícia Federal no Paraná. Na mesma noite, Temer informou que aceitou o pleito dos procuradores.

    https://goo.gl/77dziG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *