Planalto já faz sondagens para substituir Graça Foster

Valdo Cruz e Natuza Nery
Folha

O governo Dilma começou a avaliar nomes para uma eventual saída de Graça Foster do comando da Petrobras. Segundo a Folha apurou, a presidente gostaria de mantê-la no cargo, mas não descarta que a manutenção de sua amiga se torne inviável.

Integrantes do Executivo já iniciaram sondagens informais em busca de substitutos não só para Graça Foster como para as demais diretorias da estatal. Um dos nomes citados é o do atual presidente da Vale, Murilo Ferreira.

Se decidir pela troca, sua intenção é fazer a mudança como mais uma etapa da reforma ministerial, fazendo o anúncio também das novas diretorias de bancos públicos e de Itaipu Binacional.

Assessores presidenciais disseram que Dilma teme que novas revelações da funcionária Venina Velosa da Fonseca, que alertou Graça Foster por e-mail sobre irregularidades na estatal, eliminem as condições para que ela siga à frente da empresa.

EX-GERENTE VAI DEPOR

A ex-gerente de Abastecimento da Petrobras deve depor nos próximos dias, em Curitiba. Ela trabalhou com o ex-diretor Paulo Roberto Costa, um dos principais envolvidos no esquema.

O governo trabalha com a possibilidade de Venina Fonseca cumprir suas ameaças e revelar novos detalhes dos alertas que teria feito não só a Graça Foster, mas a outros diretores da estatal.

Segundo auxiliares, Dilma não acredita no envolvimento de Graça em irregularidades na estatal. Avalia que ela é vítima da limpeza que realizou na empresa, pois foi a responsável por trocar toda a diretoria quando assumiu o comando da Petrobras.

O problema, reconhecem assessores de Dilma, é que pode colar na imagem da presidente da estatal a avaliação de que ela não deu a devida importância aos alertas que teria recebido da ex-gerente da Petrobras.

Fornecedores têm reclamado que o ritmo da estatal diminuiu e que há atraso nos pagamentos.

7 thoughts on “Planalto já faz sondagens para substituir Graça Foster

  1. Como a Graça vai ‘explicar’ isso?
    No texto mandado para Graça, Venina pediu que Geovanne fosse retirado imediatamente da empresa e apresentou um parecer jurídico para tanto. “A demissão deve ser implementada ainda que esteja o empregado gozando de auxílio doença, visto o risco representado pela manutenção de seu vínculo empregatício para a continuação das averiguações”. Na nota oficial divulgada ontem, a Petrobras ialegou que Geovanne não foi demitido, em 2009, porque “seu contrato de trabalho estava suspenso, em virtude de afastamento por licença médica”. A demissão dele só foi efetivada muito tardiamente, quatro anos depois, em 2013.

  2. Caro Tamberlini, eles usam da mesma estratégia que a Dilma usou, quando confrontada com a ex- Receita Federal, Lina Vieira, exonerada por falar a verdade. O método é o mesmo.

    • É, mas está a cada minuto mais difícil de explicar tudo. Mas falta de vergonha na cara para dar desculpas esfarrapadas tem demais. Não falaram que o triplex no Guarujá não era do Lula e sim ‘uma cota’ da Bancoop pertencente a Dona Marisa. Eu nunca ví tanta bondade! Colocar porcelanato, construir um espaço gourmet e colocar um elevador interno privativo em ‘uma cota’ é demais. O pior é que tiram com a nossa cara.

  3. O Brasil virou um país sem lei, aparelhado, administrado e dominado pelas minorias organizadas. Somados aos sindicatos de servidores públicos, parece que “está tudo dominado”.

    E as classes dominantes são bem conhecidas. São os sem terra escolhendo onde e quando invadir, ditando normas, desrespeito constituição e demais leis, como e com quem negociar e, finalmente, quais as reivindicações que devem, a qualquer custo, ser atendidas.

    Os indígenas, sentem-se donos do país, exigindo e recebendo, aqui e ali, terras do tamanho de estados, não se importando com a população que irá utilizar. Matam, invadem, andam armados, com bebidas: é uma festa. Querem terra para manter seus domínios natos, mas também querem os “bens de consumo” da civilização branca, além de muita aguardente e armas.

    Os sem casa, aprenderam com os sem terra e a todo momento invadem prédio públicos e privados. Outra “marmelada” é o “minha casa, minha vida”. Os custos não são compatíveis com a baixa qualidade dos imóveis vendidos/entregues para os desesperados. Sem contar a falta de fiscalização: já há um percentual de “felizardos compradores” que, ao invés de uso para si, locam os imóveis. E a festa continua!
    E tem mais, diversas mais. Seria preciso muito espaço para nominá-las e explicá-las. Explicá-las, sim. Algumas, criadas por dentro de outras, com as mesmas pessoas e fundos, só trocam de nome. E se dizem entidades representativas de grupos da “sociedade civil organizada”.

    E os políticos profissionais, infiltrados em todos os movimentos, aproveitadores de todas as ocasiões, usam, mais e mais, a maioria dos “cidadãos” necessitados: incautos que são levados de arrasto.

    Enquanto isto, as “políticas públicas” restringiram-se aos sistemas de distribuição das bolsas e das cotas, das campanhas milionárias – muitas sem sentido e sem qualquer valor educativo ou socializante.

    Pergunto: por onde andará o projeto de país que o PT prometeu quando foi criado e durante as campanhas e os governos Lulla/Dillma e que substituir a proposta dita e havida como dos neoliberais?

    E a educação de qualidade, a segurança eficiente, a saúde para todos? Afirmaram, durante anos, que FHC não fizera em oito, por falta de vontade política! Doze não foram suficientes? Dezesseis serão?

    No curto espaço de tempo entre o término do período da ditadura e o da redemocratização, o povo e a nação participaram, sonharam e buscaram construir um projeto de país. E tudo, parece, ficou só no papel! A Constituição Cidadã, Carta Magna do País, mais do que “colcha de retalhos”, virou pano de chão.

    De Tancredo/Sarney a Dillma, passaram-se apenas três décadas e, para quem quer e consegue enxergar, hoje temos nosso país numa triste e aparente situação, sem solução.

    Ontem, na ditadura, mergulhado no totalitarismo, no “cala a boca”. Hoje, numa democracia destrambelhada, mergulhado na lama. Por onde se anda, tudo fede, tudo cheira a podre.

    O serviço público e algumas de nossas principais estatais, antes orgulho de muitos, hoje sobrevivendo nas costas de parcelas de servidores ainda não corrompidos, nem pelo dinheiro e nem pelas idéias. Mas este contingente de bons brasileiros, dia após dia, está minguando. Uma parte deles já capitulou ou está em fase final de degradação. Também não é para menos: com governantes que se omitem ao ponto de “não verem nada”, com chefes, chefetes e lideranças que agiram e continuam agindo como salteadores, servindo de péssimos exemplos!

    Nos últimos tempos, antes de dormir, fico a imaginar: qual será a barbada de amanhã? E o novo escândalo, onde explodirá? Que empresário e/ou político estará envolvido nos próximos? Mais uma descoberta de assalto aos cofres públicos. Quanto mais foi roubado do Brasil e do povo brasileiro? Mais quantas parcelas de reais/dólares/euros desviados retornará em forma de doação?

    As desculpas, as traquinagens e as mentiras, certamente, serão as mesmas de sempre.São tão comuns que não necessitam de perfeição. É dizer e o povão bate palma.

    Mudanças? Só quando o povo brasileiro, ou pelo menos a parcela que ainda pensa e tem vergonha na cara, der um basta, disser um rotundo e irretocável”CHEGA” e for para às ruas, para dentro dos três poderes constituídos e, cara a cara, dizer-lhes, em alto e bom som: o Brasil é nosso e nós somos o Brasil! Vocês, bem vocês são apenas nossos representantes e nossos empregados.

    Mas é preciso que a maioria desorganizada, deixe de bater com a cabeça no chão, de chorar, de reclamar, de se esconder, de repetir que “isto não é comigo”, de esperar milagres ou que alguém, caindo dos céus, faça aquilo que é responsabilidade de cada um de nós.

    E a hora já está passando. Amanhã, talvez seja tarde e não tenhamos mais língua na boca e nem esperança no coração.

    E para isto é fundamental mais do que simples coragem ou revolta. É preciso consciência, civismo, nacionalismo e responsabilidade consigo, com os outros e para com as futuras gerações.

  4. Amigos… esse é o retrato real, literal e definitivo do quanto convivemos com o crime organizado denominado partido político… o já não tão poderoso chefão, ouvido pela PF nesta semana, como sempre, não sabia de nada, antes, durante e depois. ..

    Graça Foster… mais uma aloprada… prestigiada… também não sabia de nada.
    Alguém sabe?.. . Substituto ? … a CVM só soube agora?…

    Cadeia é pouco para essa quadrilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *