Planalto não pagou limusines que Dilma usou nos EUA

Sem verbas, o Itamaraty está atrasando todos os seus pagamentos

Thais Bilenky e Fernanda Ezabella
Folha

O proprietário de uma empresa de limusines em San Francisco (EUA) disse que entrará na Justiça americana contra o governo brasileiro se não receber o pagamento de US$ 100 mil pelos serviços de transporte prestados durante a viagem oficial da presidente Dilma Rousseff à Califórnia, em julho.

O cônsul-geral de San Franciso confirmou que o montante não foi quitado, mas considerou “normal” o “atraso”.

“Ainda não recebemos os recursos de Brasília. Não sei exatamente a razão. Deve ser algum problema orçamentário, então a gente não pôde ainda realizar o pagamento”, disse Eduardo Prisco Paraiso Ramos à Folha.

Segundo o brasileiro Eduardo Marciano, dono da NS Highfly Limousine, a comitiva contratou 25 motoristas, dois ônibus, um caminhão, três vans e 19 limusines. Marciano disse que usou US$ 40 mil de recursos próprios para custear parte das diárias dos 25 motoristas mobilizados e das vans, que ele sublocou.

A história veio à tona após um texto ser publicado no domingo (16) na CNN iReport, um site da emissora americana que publica blogueiros diversos não afiliados à CNN. O blog foi escrito pelo usuário Mack2008, que diz ser um chef de cozinha (“executive pastry chef”, em inglês) de Miami, Flória (EUA). A maioria de seus posts está relacionada ao Brasil e à crise do governo.

 

A presidente esteve na Califórnia no dia 1º de julho, mas os veículos foram usados de 16 de junho a 2 de julho para os preparativos da visita. Dilma antes passara por Nova York e Washington em uma série de eventos para vender o pacote de infraestrutura do governo a investidores estrangeiros e em encontro com o colega americano, Barack Obama.

“Estou cansado de ir ao consulado [em San Francisco]. Não quero levar o governo para a corte aqui. Mas não posso ter um prejuízo desses”, disse Marciano. O empresário lamentou que as diversas tentativas de comunicação diretamente com o Itamaraty foram frustradas.

16 thoughts on “Planalto não pagou limusines que Dilma usou nos EUA

  1. Já não bastava a diária de us$ 11 mil. Agorq calote de us$ 100 mil em carros e 19 (!!!) limusines, circulando como uma legítima imperadora da Banânia, tal qual o o rei de Zamunda do filme Um príncipe em Nova Iorque, a que ponto patético chegamos? É muito descaramento da “rainha” e seu séquito.

    • Além das 19 limusines (bastariam mais duas vans e carros executivos para levar a turma toda) a presidente só se hospeda nas suites presidenciais, caríssimas, de hotéis também caríssimos. O fato de ser presidente não implica que ela precise de se hospedar assim. Ah, desculpe, esqueci que não é com o dinheiro dela, que se diz de um partido de trabalhadores, é com o nosso, que somos os trabalhadores deste país onde estamos perdendo empregos, com a inflação passando dos 9% (por enquanto), e com as verbas para educação, saúde, saneamento e infraestrutura tendo que ser brutalmente cortadas pela derrocada financeira que a incompetência desse governo está causando.

  2. O presidente dos EUA leva seus próprios carros, aqui não tem condições e ainda tem que dar calote nos outros, é uma vergonha esta país, por isto é que sempre ganhará a pecha de país emergente, não tem grana e ainda quer ser metido a besta, só podia ser esta turma do PT.

        • Oh camarada hehe.. também tô alugando sem “pixulecos” minha Fiat Elba CSL 1.6 1990/1991, vermelha com foice martelo nas laterais, pneus “roxo” em bom estado… todo em vidro fumê 70% pois aqui como não seguem as regras, quanto mais as leis. o melhor de tudo, é que não se leva multa e nem se perde pontos na carteira de habilitação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *