Plínio Arruda Sampaio: uma carreira QUASE importantíssima, chega aos 80 anos, sem nada. Mas superou Dilma, Serra, Marina.

Atendendo a pedidos seguidos, vou lembrando do que Plínio PODERIA ter sido e não foi, culpa do sistema. Culpa dele mesmo, só os 80 anos que completará no próximo dia 26. Cumprimentado nas ruas, foi inequívoco vencedor do encontro com Dilma, Serra e Marina.

Vou usar muito as palavras PODIA ou PODERIA, amplamente existentes na sua biografia. Deputado federal aos 32 anos, PODIA ter sido prefeito em 1961. Apoiado pelo governador Carvalho Pinto, liderava as pesquisas, praticamente eleito, quando Janio Quadros VETOU sua candidatura, por ter rompido com o governador. Apoiou Prestes Maia, integrou seu governo.

Católico-apostólico-romano, jovem ainda, foi presidente da JUC (Juventude Universitária Católica). Mas combatia o capitalismo, rotulando-o de “individualista e desumano”. Assessor de João Goulart, foi cassado logo em 1964, exilando-se no Chile.

Passou a trabalhar para a ONU até 1968, quando se transferiu para os EUA, mantendo a mesma vinculação. Na Universidade de Cornell, terminou o Mestrado em Desenvolvimento Econômico. Voltou ao Brasil, cometeu o erro ou equívoco de entrar no PT em 1981.

Em 1986, PODIA ter sido governador. O PT preferiu Suplicy, que perdeu para o “Disque Quércia para a Corrupção”. Entendimento geral: Plínio teria ganho a eleição, Suplicy era pomposo, rebuscado e inoperante.

Candidato à Constituinte, apoiado pela Conferência Nacional dos Bispos, foi o segundo mais votado de SP.

Plínio vetadíssimo

Não vai aparecer mais em debates ou entrevistas. No Jornal Nacional , nos debates da Folha-UOL e em outros programas eleitorais, só os três.

O debate da Bandeirantes QUASE NÃO ACONTECIA, por causa do candidato do PSTU. Entrou com ação no STJ (Superior Tribunal de Justiça) tentando invalidar o fato. A ação foi negada 72 horas antes de acontecer o debate. Se ele ganhasse, a Band já havia decidido: não havia condições de realizá-lo.

Na Band, todos perderam

Dilma, nervosíssima, errava até as palavras, perdia os papéis, até que em determinado momento gritou: “Achei”. Com a boca sequíssima, não percebeu que havia água na mesa e mais, debaixo. Quando Joelmir Beting fez a pergunta sobre a “dívida” interna, se apavorou, mudou de assunto.

Marina Silva, que decepção. Por que “apostar” em ser boazinha, o problemas não era esse e sim de apresentar projetos e compromissos.

Serra mostrou a razão deste repórter há 8 anos dizer que ele não SERÁ PRESIDENTE. Não conseguia nem identificar quem era seu ADVERSÁRIO, “debatia” com Plínio e Marina. Ha!Ha!Ha!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *