PMDB queria um diretor amigável na Polícia Federal, mas amizade tem limite

Resultado de imagem para operação abafa charges

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Merval Pereira
O Globo

A ideia inicial do governo Temer era mudar o comando da Polícia Federal. Não aconteceu no primeiro momento, e com a chegada do Torquato Jardim ao Ministério da Justiça voltou-se a falar do assunto. A questão é que o diretor não muda o trabalho da Polícia Federal, porque ele tem autonomia em relação ao governo e os delegados têm autonomia em relação a ele. Por isso, não tem mais como mudar esse sistema que está em funcionamento, e com bons resultados.

O ministro Torquato Jardim deixou claro que a escolha de Fernando Segóvia não foi dele e sabe-se que a sua nomeação teve apoio de todo o PMDB, com a intenção de ter uma pessoa pelo menos amigável no cargo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A análise de nosso amigo Merval Pereira está corretíssima. O novo diretor-geral da PF, mesmo se quisesse, não conseguiria inviabilizar a Lava Jato, como é o sonho do Planalto e da bancada da corrupção, que é amplamente majoritária no Congresso, nas Assembleias estaduais e nas Câmaras municipais. O delegado Fernando Segóvia, novo diretor, é muito respeitado na corporação, jamais se subordinará aos pecaminosos interesses de Temer & Cia. Apesar do boicote do governo e do corte de verbas, a Lava Jato vai em frente, porque é indestrutível. A corrupção na Itália conseguiu inviabilizar a operação Mãos Limpas, mas naquela época (anos 90), ainda não havia a internet para influenciar a opinião pública. (C.N.)

20 thoughts on “PMDB queria um diretor amigável na Polícia Federal, mas amizade tem limite

  1. Há varias formas administrativas que o DG da PF poderia usar que podem resultar no atraso das investigações…

    Na conversa vazada com Joesley, Aécio deixou muito claro um dos caminhos possíveis para estancar a lava-jato: trocar delegados da Polícia Federal e direcionar os inquéritos.

    https://goo.gl/L7nDhg

    É preciso ser muito poliana para não ver o movimento Temer/Aécio que vai resultar no atraso das investigações… e na consequente impunidade.

  2. Meu caro Carlos Newton, creio que você pode estar enganado em relação ao novo Diretor-Geral da PF, Fernando Segóvia. Primeiro, essa história de que o Ministro da Justiça, Torquato Jardim, não escolheu Segóvia, é papo furado, pois o novo Diretor sempre foi a primeira opção de Torquato. Segundo, Fernando Segóvia é da quota do PMDB. Está lá para parar a sangria. Ele escolheu o delegado Sandro Avelar como seu braço direito, como Diretor Executivo. Avelar é amigo de Tadeu Filippeli, que foi assessor de Temer e que foi preso. Avelar foi Secretário de Segurança do DF. Fernando Segovia vai trocar o superintendente da PF no Paraná, Rosalvo Franco, um dos pilares da Lava Jato. E vai ser trocado pelo delegado José Alberto Iegas, que participou da encrenca na PF do Paraná, no caso da escuta na cela do doleiro Alberto Youssef. O delegado Eugênio Ricca vai ser o Diretor de Combate ao Crime Organizado. Ele é o atual Secretário de Segurança do governo do Espírito Santo que é do PMDB. Veja o cerco que estão aprontando com a operação Lava Jato. Somente os ingênuos acreditam que o Temer e o PMDB dão ponto sem nó.

    • Prezado Adamo de Castro. Pelo que apurei, a troca de chefias não significará inviabilização da Lava Jato, cujo prosseguimento é considerado ponto de honra pela corporação. Quem se atrever a boicotar será imediatamente denunciado e terá sua carreira denegrida. Por isso, insisto, vai se repetir na Polícia Federal a mesma situação hoje verificada na Procuradoria-Geral da República. Posso estar errado, é claro, e isso logo saberemos.

      Abs.

      CN

      • Também concordo com a análise do Adamo. O fato do Iegas ter participado ativamente da mentira do grampo ilegal para acabar com a lava-jato no início evidencia o ataque do PMDB para enfraquecer a investigação.

        • Desculpem, Aranha e Adamo, mas o delegado que fez confusão no caso do falso grampo ilegal na cela do doleiro Youssef foi Mario Renato Castanheira Fanton, que tentou denunciar supostas irregularidades praticadas pela força-tarefa e foi ouvido pelo juiz Moro. Este delegado realmente tentou anular provas da Lava Jato.

          Abs.

          CN

          • Prezado Aranha, obrigado pelo envio da matéria. Na parte que nos interessa, nada diretamente contra o Iegas, que tinha sido superintendente, e nunca se soube que tenha tentado boicotar a Lava Jato. A matéria é meio sensacionalista, porque a história do grampo mostrou-se fantasiosa, o modelo estava obsoleto, algo até ridículo. Quem fez a confusão foi o outro delegado, conforme afirmei. Mas, repito, sempre posso estar enganado. Vamos aguardar.

            Abs.

            CN

  3. Todos sabem como é no serviço público. Não precisa agir direto, basta ficar trocando peças, cortar verba ou aplicar em outros setores, criando outros direcionamentos, incentivar e priorizar outras atividades e a coisa vai desandar. O que pode segurar a peteca é o controle externo, pois os processos ainda estarão sob o crivo da justiça e do MPF. Só com o tempo saberemos, mas a coisa toda, pelo noticiado até agora, assusta.

      • Claro ! ! !

        Mais que certa a decisão de raquel dodge de ficar contra a autonomia administrativa, funcional, financeira, da polícia federal ! ! !
        Sem essa autonomia , a polícia federal continuará do jeito que tem que continuar:
        Nas mãos de senadores, deputados, presidente, governadores, etc etc etc . . . . Corruptos, “acertados” com os traficantes de drogas, milicianos, etc etc etc ! ! !
        Além do que, a vaidade do ministério público federal em manter a querida policia federal . . . De 04 (quatro) e com as nádegas bem servida aos políticos e ao crime organizado, satisfaz o libido das várias orcrims (organizações criminosas) que se tornaram os partidos políticos desse brasil ! ! !
        Ou seja, polícia federal fraca é a garantia de um ministério público federal . . . Forte . . . E protagonista de todos os acontecimentos investigativos ! ! !
        Ainda bem que raquel dodge foi colocada por michel e gilmar a frente da procuradoria da república a troco de trabalhar em favor do brasil, pois se assim não fosse, agora sim seria o final da lava jato ! ! !
        Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        “debaixo do sol tudo é vaidade . . . Vaidade . . . Vaidade . . . Vaidade ! ! !”

  4. Meus caros, Temer & Cia, com suas quadrilhas hediondas, com inicio da corrupção do FHC de entrega do patrimônio público, e desmonte do Estado de Direito, afundaram o Brasil neste oceano de lama, o transformando em republiqueta democradura. Que o Cidadão-trabalhador-eleitor tome vergonha nacara e vote com Dignidade, para termos um Governo Digno. Estamos escravo de mil patifes, escudados em uma colcha de retalhos com 100 emendas espúrias: A Constituição, que o Dr. Ulisses a chamou de Cidadã, e que pós ditadura/64, passou a ser protetora da canalhada.
    Que Deus nos ajude a termos um Brasil decente e justo.

    • Entre o temer e FHC você se esqueceu (ou foi ato falho…) da bomba de nêutron que foram os 13 anos de lulismo e o coronel-sindicalismo que deu poder e força para sarney, renan, collor e cia e causou a maior corrupção da história da humanidade. Título inquestionável que o Brasil agora possui.

  5. E.T. – Região dos Lagos:
    Todo órgão precisa de um controle externo, pois no Brasil, mesmo se declarado autônomo, os caciques, serão sempre nomeados direta ou indiretamente, pelo presidente, e aí já viu né? Autonomia seria bem vinda sim, se o caciques fossem escolhidos internamente. E por todo o efetivo.

  6. Se eu fosse desconfiado … eu poderia pensar que, ao ampliar as operações da PF sem ampliar seu quadro de policiais, a intenção poderia ser de enfraquecer todas as operações … e principalmente a Lava-jato.

    • ele quis dizer exatamente isso : vou ampliar as operações da polícia federal, .
      assim retirarei a profundidade das investigações da lava jato ! ! !
      ele está certíssimo ! ! !
      o brasil tem como maior patrimônio a merda ! ! !
      e que a merda continue ! ! !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *