PMs impulsionam atos no 7 de Setembro com críticas e ataques ao Supremo e ao Congresso

Sargento Da Silva postou uma conclamação

Vinicius Valfré
Estadão

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), determinou o afastamento do chefe do Comando de Policiamento do Interior-7 da Polícia Militar de São Paulo, coronel Aleksander Lacerda. A decisão foi tomada após o Estadão revelar publicações do oficial em rede social com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF), insuflando a participação de “amigos” nas manifestações de 7 de Setembro, uma postura que tem se espalhado em ao menos seis Estados.

Em suas postagens, o oficial afirma que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), é “covarde”, que Doria é uma “cepa indiana” e que o deputado Rodrigo Maia (RJ), recém-nomeado secretário de Projetos e Ações Estratégicas de São Paulo, é beneficiário de esquema “mafioso”.

DORIA REAGE – “No Estado de São Paulo nós não teremos manifestações de policiais militares na ativa de ordem política”, disse Doria.

A decisão de Doria é uma reação a algo que está longe de ser um caso isolado. Nas redes, proliferam as manifestações de policiais militares da ativa e da reserva, com chamamentos para que participem em massa da mobilização de 7 de Setembro.

A convocação parte de policiais de patentes variadas, em diferentes Estados, conforme levantamento do Estadão. Na internet, a mobilização dos oficiais e praças ainda é reforçada por deputados-PMs, que têm em integrantes das forças estaduais suas bases de apoio. Há pessoal da ativa e da reserva incentivando manifestações em São Paulo, Rio, Santa Catarina, Espírito Santo, Ceará e Paraíba.

RUPTURA INSTITUCIONAL – A preocupação com os atos foi compartilhada na reunião que teve a participação de 25 governadores. Na conversa, deixaram claro que não se trata de impedir a livre manifestação de expressão, direito garantido pela Constituição. Mas destacaram que o que tem marcado a organização dos atos é o caráter de apoio a uma ruptura institucional, com ameaças de invasão do Supremo Tribunal Federal e do Congresso.

O medo de ruptura ligada às PMS faz parte do cenário traçado por oficiais-generais e ex-ministros da Defesa como Raul Jungmann, conforme revelou o Estadão.

A reportagem questionou a principal organização dos policiais, a Associação Nacional de Entidades Representativas de Policiais Militares e Bombeiros Militares, se tem orientado a participação nos atos. A instituição declarou que “ainda não deliberou”. Haverá uma reunião na próxima quinta-feira, e o tema poderá ser tratado. Ao contrário de integrantes da ativa, homens da reserva podem participar de manifestações.

GOVERNADORES EM ALERTA – A adesão de militares a atos pró-Bolsonaro no Dia da Independência ligou o alerta de governadores. No Rio, Eduardo Da Silva Marques Junior, o sargento Da Silva, não comanda batalhões, mas se comunica com um grande contingente. Tem mais de 162 mil seguidores no Facebook.

No domingo, Da Silva, que é da ativa, publicou uma foto em que aparece fardado ao lado do presidente Jair Bolsonaro. “Soldados do Povo! Guerreiros por Natureza! 7 de Setembro será um grande dia! Milhões de cidadãos de bem de todas as regiões do Brasil estão com o senhor!”, escreveu o policial.

Na cúpula das PMs, o incentivo à manifestação em favor do presidente por parte de militares da ativa em vários Estados é visto como pontual. “Dentro de um cenário nacional, há uma sinalização para a generalização desses posicionamentos”, disse ao Estadão o coronel Euller Chaves, presidente do Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das PMs.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É extremamente negativa a radicalização que invade o país, provocada pelo próprio presidente da República, por motivos meramente pessoais, visando claramente a usurpar o poder e criar uma nova ditadura. Sem a menor dúvida, Bolsonaro está sendo altamente irresponsável, sob aplausos entusiásticos dos oficiais da reserva das três Forças, que deveriam estar mais atentos ao interesse público, conforme deveriam ter aprendido nas escolas militares. (C.N.)

10 thoughts on “PMs impulsionam atos no 7 de Setembro com críticas e ataques ao Supremo e ao Congresso

  1. RUPTURA A FAVOR DO QUÊ, da SITUAÇÃO e da OPOSIÇÃO, dos me$mo$ que nos enrolam há 131 anos, ou da EVOLUÇÃO que propõe mudanças de verdade, sérias, estruturais e profundas ? Eis a questão da ora, pertinente, até porque o Tinhoso é dúbio, mora nos detalhes, fala uma coisa e faz outra, discursa para a situação, para a oposição e até para a evolução mas senta no colo do famigerado centrão, ou seja, na retórica, busca adaptar-se a todas as situações à moda camaleão ensaboado, forjado nos baixos cleros do militarismo e do partidarismo, politiqueiro$, a favor de si próprio e dos seus tentáculos, velhaco$. E, nesse contexto, torna-se invevitável a pergunta que não quer calar, de suma importância. RUPTURA, em favor do quê, afinal de contas: da EVOLUÇÃO, do megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, a terceira via de verdade, da Nova Política de Verdade, com Democracia Direta e Meritocracia, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, ou da situação, a 1ª via, e da oposição, a 2ª via, do mais dos me$mo$, do continuísmo da mesmice, raso e seco, que, aliás como já disse o Dr. Ayres Britto, ex-STF, é golpe, do nada por coisa nenhuma, que implica apenas na troca da guarda, ou dos bandidos de estimação no comando da chave do erário geral da nação, que têm aversão às mudanças de verdade, sérias, estruturais e profundas ?

  2. Polícias públicas
    ou
    Milícias institucionalizadas?

    A linha tênue que separava o crime organizado dentro das PMs
    com o narcotráfico das favelas cariocas e paulistas – alastrou-se pelo Brasil todo depois que BROXAnaro foi alcançado à presidência pelo voto popular.

    Mesmo com o afastamento de toda a familícia será um trabalho de várias gerações afastar assassinos narcotraficantes das instituições de Segurança Pública do país.

  3. A ruptura nesse caso recairá no colo dos brasileiros de bem, honestos, trabalhadores, que pagam seus impostos a duras penas. A ruptura será porque ousamos combater a corrupção daqueles que são pagos com nosso suor. A ruptura será pq as engrenagens do sistema foram paradas por alguns instantes. Nós, o povo não queremos ruptura, queremos o respeito e o cumprimento das Leis apenas, queremos o respeito à Constituição. E isso incomoda muito quem está a sua margem. Queremos que essa gente vá trabalhar honestamente, só isso poxa!

  4. Os que criticam Bolsonaro me faça mudar de opinião e ato continuo meu voto.

    Quem vem estuprando a pobre constituição ?

    Quem vem se metendo nos outros poderes ?

    Quem Bolsonaro mandou prender por critica-lo ?

    Quem vem sendo ameaçado de morte ?

    Quem foi que sofreu atentado ?

    Quem Bolsonaro mandou desmonetizar ?

    Quem mandou recolher revista que fazia denuncia ?

    Enfim, é realmente é Bolsonaro que anda cometendo mesmo ato contra a democracia ?

  5. Outra dúvida cruel.
    Rupturas e rupturas.
    A ruptura cometida pelos guardiões da Constituição (STF) contra o governo é ruptura do bem. Mas já a insurgência contra a ruptura do bem, segundo alguns, é uma ruptura do mal.
    Entonces Bolsonaro é um golpista genocida que pratica diuturnamente e noturnamente a ruptura do mal.
    Adjetivando as rupturas, quando os bolcheviques em 1917 fuzilaram toda família imperial do Czar Nicolau foi uma ruptura do bem, quando Fidel Castro enganou todo mundo pra derrubar Batista foi outra boa ruptura do bem.
    Mas quando em plena Guerra Fria onde o mundo estava polarizado entre União Soviética e Estados Unidos e o povo brasileiro optou por se alinhar com os americanos foi golpe, foi ruptura. Esta entonces foi a ruptura do mal, segundo os bem aventurados comunas apátridas nosso alinhamento seria do bem se fossemos títeres de Cuba ou União Soviética.

    • Outra dúvida cruel.
      Rupturas e rupturas.
      A ruptura cometida pelo governo contra as instituições só é do bem para os bolsotrouxas. Mas a reação das intituições contra a ruptura do bem, segundo alguns, é uma ruptura do mal.
      Entonces Bolsonaro é um golpista genocida que pratica diuturnamente e noturnamente a ruptura do mal, como escreveu o bolsotrouxa. Esta entonces foi a ruptura do mal, segundo os bem aventurados bolsotrouxas nosso alinhamento seria do bem se fossemos títeres de milicianos.:-)

  6. Que venham para as ruas todos esses insoburdinados! Mas que venham para realmente tomar o poder, destituir governadores e impor o(s) seu(s) governos ou desgovernos.. Quem puder mais que chore menos.
    Agora se der errado(alta possibilidade) que paguem pelos seus erros. não venham depois implorar por anistias. E consequencia mais do que óbvia, o Bozo tem que ser escorraçado do poder e assume o vice General Mourão, tal como prevê a C.F.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *