Polcia Federal investiga ataques virtuais ao sistema do TSE

Conduo de crise por Barroso tem sido criticada por membros do tribunal

Rafael Moraes Moura
Folha

A Polcia Federal j iniciou a investigao sobre os ataques virtuais feitos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Uma equipe especializada na apurao de crimes cibernticos, especialmente de casos de pedofilia e tentativas de fraudes bancrias na internet, vai atuar no caso, segundo o Estado apurou.

O presidente do TSE, ministro Lus Roberto Barroso, apontou a ao de milcias digitais e disse na ltima segunda-feira, dia 16, ver motivao poltica nos ataques virtuais sofridos pela Justia Eleitoral no domingo, dia 15, dia de votao do primeiro turno das eleies municipais. Nos bastidores, a conduo da crise no TSE, que tambm sofreu com atrasos na divulgao dos votos, tem provocado crticas atuao de Barroso.

“LSTIMA” – Um ministro da Corte Eleitoral, que pediu para no ser identificado, considerou uma lstima o comportamento de Barroso. O presidente do TSE tem sido criticado reservadamente por integrantes, tanto do TSE quanto do Supremo Tribunal Federal (STF), por mudar a verso sobre a lentido na atualizao dos votos e por responsabilizar a gesto de sua antecessora, Rosa Weber, pela deciso sobre a centralizao na divulgao dos dados.

As eleies de 2020 foram as primeiras em que a divulgao da totalizao dos votos foi centralizada no TSE. Antes, cada um dos 27 tribunais regionais eleitorais fazia as suas totalizaes, de forma independente. A mudana nos procedimentos foi determinada na gesto de Rosa Weber no TSE, que acolheu um relatrio tcnico da Polcia Federal.

FAKE NEWS - A lentido na totalizao dos votos inflamou a militncia digital bolsonarista, que voltou a lanar suspeitas sem provas sobre a lisura do processo eleitoral. Tambm ampliou o desgaste interno do secretrio de tecnologia da informao do tribunal, Giuseppe Janino Janino um dos criadores da urna eletrnica no Brasil.

O TSE, no entanto, tem procurado afastar qualquer relao entre os ataques virtuais ao sistema da Corte Eleitoral e a lentido na divulgao dos votos.

De acordo com a apurao da ONG SaferNet, s 9h25 do domingo foram divulgadas informaes de servidores e ex-ministros do TSE obtidas em ataque ocorrido em 23 de outubro. Os dados, porm, eram referentes ao perodo entre 2001 e 2010, e no tinham qualquer relao com o processo eleitoral.

CREDIBILIDADE – Mesmo assim, o fato foi usado nas redes para colocar em dvida a segurana das urnas eletrnicas. A divulgao foi feita no dia da eleio para trazer impacto e para fazer parecer fragilidade do sistema eleitoral, declarou Barroso. Um dos que deram vazo a esta narrativa foi o deputado federal bolsonarista Filipe Barros (PSL-PR), investigado pelo Supremo no inqurito das fake news.

Em coletiva na ltima segunda-feira, Barroso apontou as ligaes polticas dos grupos que embarcaram na campanha de desinformao a partir das primeiras notcias de ataques ao TSE. Barroso tambm deu na ocasio uma nova verso para o atraso na totalizao dos votos no primeiro turno, feita apenas s 23h55 do domingo.

Segundo ele, a entrega de um supercomputador pela empresa Oracle foi atrasada por causa da pandemia do novo coronavrus. Comprado em maro, o equipamento chegou em agosto. Assim, afirmou o ministro, no houve tempo suficiente para testes prvios e a inteligncia artificial do sistema no foi capaz de aprender a tempo a processar o volume de informaes que recebeu.

DESEMPENHO – Conforme revelou o portal do Estado, a Polcia Federal recomendou ao TSE a centralizao da divulgao dos votos em Braslia, na sede do prprio TSE, alegando que a medida melhoraria consideravelmente a segurana operacional e teria o potencial de continuar com um desempenho satisfatrio. A informao consta em relatrio da PF, assinado em outubro de 2018 e acatado pela equipe tcnica do TSE. O documento foi enviado ao tribunal pelo ento diretor-geral da PF, Rogrio Galloro.

No relatrio de 2018, a PF apontou que, naquela poca, a transmisso dos arquivos de cada urna ocorria de forma descentralizada, com um servidor web em cada Tribunal Regional Eleitoral (TRE) responsvel por receber os boletins de urna das sees eleitorais daquela regio. Ou seja: cada Estado apurava e divulgava os seus votos.

Observa-se que mudar a arquitetura de servidores para estarem fisicamente localizados no prprio TSE melhora consideravelmente a segurana operacional deste sistema e tem o potencial de continuar com um desempenho satisfatrio, em virtude dos crescentes avanos nas tecnologias de comunicao em rede, diz trecho do relatrio da PF, assinado por trs peritos da corporao.

VULNERABILIDADE – De acordo com a PF, a descentralizao na divulgao dos dados representava um ponto de vulnerabilidade, j que as informaes referentes aos votos de cada regio estariam distribudas no TRE de cada Estado. como se houvesse 27 bancos de dados, um em cada Estado, ao invs de um nico banco de dados, concentrado no TSE. Com a migrao dos servidores web e banco de dados locais dos TREs para o TSE esta exposio minimizada, sustenta o relatrio.

A medida, alegou a PF em 2018, acabaria reduzindo a quantidade de equipes de profissionais envolvidos (no processo) e aumentando a segurana do controle de acesso ao cdigo e s funcionalidades do processo de totalizao

7 thoughts on “Polcia Federal investiga ataques virtuais ao sistema do TSE

  1. “Um ministro da Corte Eleitoral, que pediu para no ser identificado, considerou uma lstima o comportamento de Barroso. O presidente do TSE tem sido criticado reservadamente por integrantes, tanto do TSE quanto do Supremo Tribunal Federal (STF), por mudar a verso sobre a lentido na atualizao dos votos e por responsabilizar a gesto de sua antecessora, Rosa Weber, pela deciso sobre a centralizao na divulgao dos dados”

    Pois, ento: a LC aqui tratou logo de aplicar mais uma goleada no bis favorito.

  2. “Segundo Barroso, a entrega de um supercomputador pela empresa Oracle foi atrasada por causa da pandemia do novo coronavrus. Comprado em maro, o equipamento chegou em agosto. Assim, afirmou o ministro, no houve tempo suficiente para testes prvios e a inteligncia artificial do sistema no foi capaz de aprender a tempo a processar o volume de informaes que recebeu”

    Pergunta que se deveria fazer: por qu Barroso no ordenou, se o problema era o tempo de adaptao ao supercomputador, a totalizao local e a totalizao a ser homologada pelo TSE simultaneamente ?

  3. Quanto bla bla bla toa!
    Quantas horas foram gastas para explicar que houve duas horas de atraso no processamento do sistema!
    Computador novo, rotina nova, condies perfeitamente favorveis a ocorrer algum ‘acidente’ no processamento.
    Vamos trabalhar, gente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.