Polícia Federal se recusou a cumprir a ordem e evitou uma confusão ainda maior

Resultado de imagem para policia federal em curitiba

Polícia Federal conseguiu retardar a libertação de Lula

Carlos Newton

Desde que foi recebida a primeira ordem de soltura do ex-presidente Lula da Silva, emitida pelo desembargador plantonista Rogério Favreto, a direção da Polícia Federal logo previu que iria acontecer uma batalha jurídica de alto nível. A superintendência da PF em Curitiba foi então instruída a conduzir o caso com o máximo cuidado, protelando o cumprimento da decisão até segunda ordem, para possibilitar que outros personagens entrassem em cena – primeiro, o juiz Sérgio Moro, e depois o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no TRF-4.

Após o vendaval, ficou claro que a Polícia Federal fez bem em retardar o cumprimento da estranhíssima ordem do desembargador Favetro, que é petista de carteirinha e só falta ir trabalhar vestindo a camiseta vermelha do partido. Se a primeira ordem de libertação fosse cumprida, iria haver uma confusão ainda maior.

CONTRA-ORDENS – De férias em Portugal, o juiz Sérgio Moro entrou no circuito e se comunicou com o presidente do TRF-4, Thompson Flores, que lhe sugeriu consultar o relator Gebran Neto antes de cumprir a ordem. Moro foi em frente e, como a Polícia Federal esperava, recusou-se a acatar a decisão de soltar Lula.

O desembargador Favreto emitiu nova ordem de soltura e anunciou que iria pedir a punição do juiz Moro pelo descumprimento de sua ordem, mas a Polícia Federal continuou fazendo olhar de paisagem, até que o relator Gebran Neto emitiu a contra-ordem, proibindo a PT de soltar Lula.

Por óbvio, o desembargador Favreto ficou possesso. Às 17h30m emitiu a terceira ordem de soltura, e desta vez deu à Polícia Federal o prazo de uma hora para soltar o criminoso.

A PF, IMÓVEL – Não adiantou nada o ultimato do desembargador plantonista, porque os federais continuaram imóveis. Já haviam recebido a informação de que o impasse seria dirimido pelo presidente Thompson Flores, e ficaram aguardando.

Curiosamente, os petistas acharam que tinham vencido a parada e começaram a distribuir informações de que Lula estava no Instituto Médico Legal, fazendo exame de corpo de delito para ser solto, uma invencionice.

Na verdade, os federais estavam embromando, até que, às 19h30m, o presidente do TRF-4 pôs fim ao impasse, desautorizando o desembargador Favreto e determinando que Lula permaneça na prisão.

###
P.S.
Foi mais um episódio vexaminoso para a Justiça, como disse ao jornal Zero Hora o jurista Gilson Dipp, ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça e ex-presidente do TRF-4: “Houve um imbróglio deplorável, decisões fora de padrão, um total desserviço ao Judiciário e à sociedade, que não sabe quem pode decidir isso ou aquilo. Uma briga entre juízes é um conflito desnecessário e inoportuno”. E assim cai o pano, em mais uma comédia jurídica à brasileira. (C.N.)

49 thoughts on “Polícia Federal se recusou a cumprir a ordem e evitou uma confusão ainda maior

    • Não é bem assim, porque desse canalha, até ele mesmo, sabe que só se pode falar mal.

      O apedeuta não se elege nem para chefe de torcida de pequeno clube, e o que os petistas querem é estar na mídia por estar, para eles basta porque as aspirações de luiz inácio se expiraram no dia da sua prisão, e sabe que nunca mais sairá de lá, com Moro vivo ou morto.

      A esquerda sempre foi frouxa, e o que eles querem é uma bolsa ditadura para gastarem em suas vidas de merda, sem fé em nada, a não ser no próprio fracasso.

      Falou bem o senador Ronaldo Caiado: “lula é um bandido frouxo”.
      Definição melhor ainda não vi, e foi nisso que Moro se baseou para trancafiar o apedeuta.

      Petistas e esquerdistas aparelharam a universidades e todo o serviço público, e chegou a hora de dar um basta nessa bandidagem. Seus futuros serão Cuba, Venezuela ou outras republiquetas. Aqui é Brasil, e o buraco é mais embaixo. Vão se dar mal porque bandido como o luiz inácio só merece cadeia.

  1. Oh!!!! Até parece que estes desembargadores soltaram o primeiro bandido do país em uma armação com advogados. A Justiça acabou com o país, ali nasceu e mora em berço esplêndido a corrupção. Há pouco tempo, um desembargador soltou uns 30 políticos presos pela Lava Jato, soltou traficante. Esta Justiça brasileira não cumpriu Constituição e as leis. Quem tem dinheiro, manda.

  2. Lula é apenas mais um bandido que seria solto por este Judiciário brasileiro como tantos outros. O problema maior é a eleição, aposto, que após as eleições vão soltar Lularápio e ninguém vai fazer nada. A briga é grande pela chave do cofre do dinheiro público, bandido matando bandido.

    • Antonio
      Por favor, comparar Lula com qualquer bandido não dá!
      Me diga um bandido que roubou a esperança, dinheiro e a dignidade de um povo. Não vais encontrar um ladrão tão poderoso, corrupto e nefasto como ele. Perto dele, Al Capone é ladrão de bico de crianças.

      É preciso marcar este cretino na paleta. A hora dele está chegando!!!

      Fallavena

      • Fallavena eu não tenho bandido preferido. No meu entendimento, todos os bandidos eram para estar presos, desde Lularápio ao Alckmin. Todos, sem exceção, enquanto acontecem as exceções, os bandidos tem esperança de continuar a assaltar os cofres públicos sem nenhuma consequência. Para mim, todos são bandidos, todos roubaram nossa esperança e nosso país. Repito não tenho bandido de estimação.

  3. “Curiosamente, os petistas acharam que tinham vencido a parada e começaram a distribuir informações de que Lula estava no Instituto Médico Legal, fazendo exame de corpo de delito para ser solto, uma invencionice.”
    Teve um comentarista que foi quadrúpede o suficiente…kkkkkkkkk

      • Porque seu candidato está preso por corrupção e lavagem de dinheiro, com provas incontestes…se por um conluio dos demônios ele saísse candidato você correria para os braços dele….kkkkkk

  4. Lua reapareceu. Como um palhaço fracassado. Comandante do exército Brancaleone.
    Caiu a máscara dos petistas. Querem mesmo venezuelanizar o país. Ficou claríssimo.

    • Aranha

      infelizmente não temos muitas saídas. mas uma delas é, a partir de já, acabar com o petismo. E os puxadinhos irão junto. Boulos, Manuel e outros lixos que ora estão aqui e em outras estão lá, também sumirão.

      Vamos democratizar o país. Uma nova constituição, uma nova forma de governo democrático, um legislativo de verdade e um judiciário com cara e com jeito de guardião de justiça.

      E quem não gostar que vá para o lixo de país que entender melhor.

      Exterminar o PT é uma missão para a parcela séria e honesta da sociedade. E será pelo voto.

      As “mamas da nação ” eles já perderam.

      Fallavena

      • Sr. Antônio Fallavena, pelas suas manifestações, dá para ver que és um dos mais sérios comentaristas deste blog, além de um cidadão preocupado, que gostaria que este país fosse administrado e governado por pessoas sérias e honestas, e que vigaristas e desonestos não tivessem mais tantos poderes.
        O que se percebe sobre o que aconteceu neste domingo é que a situação de Lula se agravou mais ainda. Tentaram dar um golpe, mas o feitiço virou contra os feiticeiros.

      • E como tirar os milhares de trastes como esse Favreto, que infestam em todas as áreas? Pelo que eu entendi ele não era nem juiz concursado…pode isso Arnaldo?

  5. Desembargadores não precisam ser necessariamente juízes de carreira. Podem ser oriundos do Ministério Público ou da Advocacia. É o quinto constitucional. Constituição Federal, art. 94.

    Art. 94. Um quinto dos lugares dos Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais dos Estados, e do Distrito Federal e Territórios será composto de membros, do Ministério Público, com mais de dez anos de carreira, e de advogados de notório saber jurídico e de reputação ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade profissional, indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de representação das respectivas classes.

      • Veja o Toffoli. A constituição diz que Ministro do Supremo tem que ter notório saber jurídico. Aquela mula sequer passou em concurso para juizeco…

        • Wander

          O caso Toffoli é uma vergonha.
          Um “analfabeto funcional” terminou ministro pela indicação do apedeuta.

          É incompreensível que ainda tenha pessoas que respeitem o STF.

          A imensa maioria dos ministros tem “compromissos” com coisas escusas. Vários tem episódios ridículos, desrespeitosos com a constituição e tantas coisas mais. E lá estão, julgando os outros, gastando e ganhando salários e mordomias.
          Como uma nação pode sobreviver a isto?
          Como ser um cidadão sério?

          Sr a justiça funcionasse, alguns deles estariam com Lula, na cadeia.

          Fallavena

      • Mas no caso de serem oriundos do Ministério Público, pelo menos passaram por um concurso público.
        No caso de advogados, como é o esse Favreto, parece terem faltado “saber jurídico” e “reputação ilibada”, numa clara indicação política da entidade representativa dessa classe à época.

  6. Ordem ilegal não se cumpre. O episódio serviu para provar que a máfia tocada também tem corruPTos infiltrados a serviço da organização criminosa que sente saudades da “democracia popular” dos stalinistas e quer voltar ao poder de qualquer maneira, passando por cima da lei e de todas instituições. O plano de fuga do chefão terá de ser adiado até a próxima presepada jurídica.

  7. O fato, sim, é novo – em processo. E o juiz deve se manifestar pelo que está nos auto.
    O fato pode ser público e notório, porém, somente avaliado pelo Judiciário quando provocado.
    “O Judiciário é inerte e só age quando provocado, afirmou Luiz Fux, considerando equivocadas as afirmações de que há uma “judicialização da política” ou o exercício de um “ativismo judiciário” no país, em palestra na FGV.

    Assim o Desembargador Favreto decidiu pedido em HC contra decisão da autoridade tida como coatora, apontada no remédio, que foi o Juízo de Execução Penal, a quem dirigido o pedido inicial.

    Nesse sentido, em entrevista à BBC, o Desembargador Favreto disse que a autoridade coatora não era o Juiz Moro, e sim de Execução Penal. Logo, com isso podemos compreender que, anteriormente, o Juízo de Execução decidiu denegando pedido anterior da defesa a qual, por sua parte, se dirige ao Plantão do Tribunal.

    Se de forma planejada ou não, como não há prazo para interpor HC contra decisão, então, cabe à defesa a estratégia quanto ao momento de apresentá-lo.

    Ainda que chame atenção para o histórico do Desembargador e o oportunismo da defesa, não houve nenhuma contrariedade às regras.

    Dessa forma, assiste razão ao Des. Favreto, que além de decidir no Habeas Corpus.
    Aliás, decisão que poderia ser revista depois, já que os autos seriam encaminhados ao relator da segunda instância, para revisão do colegiado, segundo teria afirmado na mesma entrevista. Também o Desembargador teria encaminhando a interferência de Moro à Corregedoria e ao CNJ, eis que este foi provocado, ao que tudo indica, mantém contato com agentes da PF ou da Procuradoria.
    O nome disso que conheço é prevaricação.
    Agiram como anarquistas. E o relator Gebran Neto se antecipou. Aliás, sequer poderia decidir. na ocasião.
    Tudo isso demonstra que temos, sim, uma Justiça de Exceção atuando no caso.

    • Qual é o fato novo? Deixemos a hipocrisia de lado, é evidente o conluio entre o PT e o juiz de plantão. A decisão já transitou em julgado no TRF-4, portanto o pedido de HC sequer merece acolhimento neste tribunal, ainda bem que Moro conhece bem as leis.

    • Quantos sofismas!

      Quantas vãs palavras para defender um canalha que mal sabe que tu existes.

      O mundo é feito de cidadãos, canalhas e puxa sacos de canalhas.

  8. “”” … o jurista Gilson Dipp, ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça e ex-presidente do TRF-4 … “””
    lógico que tem suas motivações para expor suas cautelas.
    mas, nós, leigos e cidadãos que sustentamos as várias corjas em atividade neste país, pensamos diferente.
    a verdade – e a verdade DÓI –
    a verdade é que a justilssa tupiniquim, com algumas exceções, está
    A V A C A L H A D A !!!
    consultei outros termos, mas o correto é este!
    decisões esdrúxulas, absurdas, de uns tantos de um tal de stf, não podem ter sido exaradas sem a “devida” “contrapartida”; é quase evidente!
    nós que estamos de fora, vendo o cotidiano, percebemos que não pode ser senão assim – toma-lá-dá-cá !!! É CRUEL !
    ainda mais quando se sabe sobejamente que “não há almoço de graça”!
    isto na que se diz ser a Mais Alta Corte; e lá, nas mais baixas e nas mais baixinhas, como será mesmo?
    Historietas “juridicais” que correm à boca pequena, e à boca grande também, são muitas e até demais.
    Algumas folclóricas, outras nem tanto – à vera, e de crudelíssima realidade.
    .
    SOU OBRIGADO a crer na Integridade de todos?
    Integridade há, como exceção.
    Há muito que reitero, sem troça:
    MORRO DE MEDO da justilssa tupiniquim !!!

  9. Um desembargador petista embarcando num golpe em pleno domingo!

    Mas o bem sempre sai vencedor.

    A parte honesta deste país exige que o criminoso condenado continue cumprindo a sua pena.

  10. Pergunta que não quer calar : óbvio que Lula, mesmo que libertado, seria novamente preso, findo o plantão.
    Por que então tanto empenho em soltá-lo? Qual o verdadeiro objetivo? Fuga? Nova novela para se render? Alguém me ajude a entender

  11. Mas, se um desembargador decidir, não pode mandar soltar até o Fernandinho Beira-Mar? Eles não são super-hiper-poderosos? Basta pedir para um amigo simular um HC!!!!

    Brincadeiras à parte. As autoridades brasileiras perdem qualquer limite. Não vejo diferenças entre o adicto etílico Waldir Maranhão, que tentou desfazer o impeachment, e esse adicto à militância política, Rogério Favreto. Ambos se acharam semideuses.

  12. Polícia Federal irrepreensível como sempre. Uma reforma no judiciário é urgente. Chega de cargos por indicação. Limpeza geral!!!

  13. Agora é assim? Dependendo da casa do réu um juiz de primeira instância pode intervir no processo e fazer essa cagada toda? O certo era soltar ontem, e hoje se fosse o caso corrigir. A culpa disso tudo é do deus Moro.

  14. NÃO HÁ “DECISÕES” CONTROVERSAS, HÁ APENAS UMA DECISÃO ERRADA, DE UM MILITANTE INFILTRADO NO JUDICIÁRIO, QUE EXTRAPOLOU E TOMOU UMA DECISÃO PARA A QUAL NÃO TINHA COMPETÊNCIA:

    Quem indiscutivelmente partiu para quebrar a hierarquia do Poder Judiciário, afrontando o Estado de Direito e a democracia, agindo explicitamente por motivação político-partidária, foi o desembargador de porta de cadeia.
    Inaceitável a atitude desse elemento, cujos atos reiterados de promoção de anomia jurídica, constituem evidências inarredáveis para a sua exoneração sumária do serviço público.

    Imagine-se o caos institucional, caso as atitudes irresponsáveis desse indicado pela presidentA (não é juiz de carreira, mas ocupante de polpudos cargos em comissão em Porto Alegre/RS e Brasília/DF, quando governava o partido político no qual foi filiado durante décadas, até sua nomeação para desembargador federal), tivessem sido exaradas nessa segunda-feira.

    Ele não foi induzido a qualquer erro, mas agiu por três vezes e deliberadamente, praticando advocacia administrativa em favor de representantes de um partido político e contra a ordem institucional da nação brasileira.
    Isso é crime de lesa-pátria. Ponto final!

    P.S.: “Sergio Moro é um juiz vocacionado. Ele procedeu muito bem.” CARLOS VELLOSO, magistrado de carreira, foi ministro e presidente do Supremo Tribunal Federal (STF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *