Polícia Federal vai intimar Boulos, do PSOL, por ataques ao presidente Jair Bolsonaro

Lideranças comunitárias trocam PT por Boulos em SP | A Gazeta

Guilherme Boulos é candidato à Prefeitura de São Paulo

Mônica Bergamo e Joelmir Tavares
Folha

A Polícia Federal procurou os advogados do pré-candidato a prefeito de São Paulo Guilherme Boulos para intimá-lo a prestar esclarecimentos sobre postagens feitas por ele em que criticava o presidente Jair Bolsonaro.

A investigação acontece no âmbito de um inquérito aberto no Departamento de Inteligência Policial (DIP). O advogado Alexandre Pacheco Martins, que representa Boulos, vai à PF em Brasília, nesta segunda (28), para entender do que se trata. “Vamos verificar o conteúdo da investigação para então nos manifestarmos nos autos”, diz Martins.

Boulos e Tatto se embolam em propostas e discursos na briga por voto da esquerda em SP

PSOL CONTRA PT – Em guerra pelo voto da esquerda na eleição municipal de São Paulo, as campanhas de Guilherme Boulos (PSOL) e Jilmar Tatto (PT) têm propostas coincidentes em várias áreas, repetem a estratégia de mirar a periferia e já enfrentaram nos bastidores até suspeita de plágio.

Temas como tarifa zero no transporte coletivo, desapropriação de imóveis para programas de moradia e renda básica são ouvidos frequentemente nos discursos de ambos. Neste domingo, por exemplo, os dois candidatos escolheram o mesmo bairro da zona leste de São Paulo para o início de suas campanhas.

O risco de o psolista ficar à frente do petista durante a corrida eleitoral, como indicam as pesquisas mais recentes, preocupa setores do PT. À margem disso, Boulos e Tatto têm mantido um clima de cordialidade e descartam por ora atiçar a batalha que agita a militância esquerdista.

RIXA VELADA – Em um dos episódios dessa rixa velada, apoiadores de Boulos levantaram a hipótese de que o PT tivesse copiado a campanha do PSOL ao realizar a convenção que oficializou o candidato petista na laje de uma casa em uma comunidade da zona sul.

Uma semana antes, o oponente havia sido confirmado como postulante em um evento semelhante, em um campo de futebol também em um bairro da zona sul. A legenda propagandeou a iniciativa como a primeira convenção partidária da capital sediada na periferia.

Mais do que uma questão meramente geográfica, a ida às franjas da cidade tinha por trás, nos dois casos, a estratégia de colocar os bairros periféricos como centro da campanha e de um eventual governo na prefeitura.

CENÁRIO DE GRAVAÇÕES – A equipe de Tatto nega ter imitado a ideia do adversário, diz que ele já vinha usando uma laje como cenário para gravações e fotos e que o evento estava sendo preparado antes da convenção do PSOL.

Líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto), Boulos ganhou concorrência nesse terreno nos últimos meses com a disposição do oponente em debater o uso de imóveis abandonados na região central para atender à demanda por habitação.

A “reabilitação de edifícios vazios ou subutilizados nas áreas centrais da cidade para as famílias de baixa renda” foi listada no site de Tatto como uma de suas principais propostas para o tópico.

FUNÇÃO SOCIAL DO IMÓVEL – Assim como o oponente, o candidato do PT tem feito a defesa da função social da propriedade para justificar a destinação de prédios já existentes para os sem-teto.

Associado pejorativamente à figura do invasor, Boulos fala em aproveitar a campanha para desmistificar a atuação do movimento de moradia e defender que “o MTST nunca invadiu a casa de ninguém”.

Em 2013, Tatto e Boulos já faziam um enfrentamento indireto, em diferentes lados da catraca, sobre uma política de passe livre. O petista era secretário municipal de Transportes da gestão Fernando Haddad (PT) quando eclodiram os protestos pela redução das tarifas. Agora, os dois se sobrepõem nessa pauta, com argumentos semelhantes para justificar o benefício —ambos defendem uma implementação por etapas, até se universalizar a tarifa zero.

7 thoughts on “Polícia Federal vai intimar Boulos, do PSOL, por ataques ao presidente Jair Bolsonaro

  1. Ainda bem que este ordinário deste Boulos, um aproveitador das boquinhas da política brasileira, descarado, que sempre viveu ás custas da família, agora travestido de sem teto para enganar o eleitor de cabresto, idiotizado pela ladainhas dos esquerdopatas, não se candidatou a Prefeito do Rio de Janeiro…
    Senão seria eleito na certa…
    Carioca vota em até em macaco, rinoceronte, jacaré e outros bichos que causam repugnância pelo caráter que demonstram quando estão assentados nas cadeiras do poder…
    Credo !

  2. Politicamente tenho ogeriza ao comportamento do Boulos. Mas não entendo essa prepotência do governo do Bozo. Não se pode mais criticar o idiota da vez? É ditadura? Quem dará suporte a esse regime de exceção, os velhinhos da reserva altamente remunerada? Give me a break, bozo.

  3. Mamatocracia: Ministro do Superior Tribunal Militar ganhou R$ 671,9 mil ao se aposentar

    O Almirante de Esquadra Álvaro Luiz Pinto, ministro do STM (Superior Tribunal Militar), recebeu R$ 671,9 mil em junho, a título de licença-prêmio na aposentadoria.

    O fato foi revelado nesta terça-feira (22) pela FolhaJus, newsletter semanal da Folha sobre o universo jurídico.

    O valor surpreendeu magistrados e membros do Ministério Público consultados pelo Blog.

    O STM atuou sem transparência.

    Há exatamente três meses, o tribunal não quis confirmar –ou negar– informação anônima de um leitor de que o ministro receberia R$ 990 mil.

    Consultado se a dúvida do leitor era procedente, a assessoria de imprensa do STM informou: “Amanhã teremos uma resposta“.

    Três dias depois: “[A consulta] já está com o ministro-presidente para despacho”.

    Uma semana depois: “Ainda não foi despachado”.

    Uma semana e um dia depois: “Tem como você me passar um e-mail cobrando a demanda?”

    Nas semanas seguintes, não foi possível localizar no site do STM o valor efetivamente recebido pelo almirante. Voltamos a consultar o STM neste final de semana. O tribunal não se manifestou até a conclusão deste post.
    (…)
    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/mamatocracia-ministro-do-superior-tribunal-militar-ganhou-r-6719-mil-ao-se-aposentar/

    Purga já nas FFAA!

  4. Juiz condena militares por esquema com desvio de alimentos e prostitutas.

    Um conluio entre oficiais e praças do Exército e empresários do ramo da alimentação, investigado pela Polícia Federal, começou a ser destrinchado pela Justiça após quase 15 anos.

    O esquema, segundo as denúncias do Ministério Público Militar, tinha como base pagamentos de propina dos empresários a militares a fim de receber vantagens nos processos de licitação do Exército para compra de alimentos, além de fraudes nos editais e superfaturamentos de compras.

    As ligações [interceptadas] demonstram que o contato de B. e C. [capitães do Exército] era tão estreito com J.L. [empresário] que este último contratou prostitutas e promoveu uma festa em um motel de Manaus para os referidos Oficiais Alexandre Augusto Quintas, juiz federal substituto.

    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/07/21/esquema-corrupto-no-exercito-tem-festa-com-prostitutas-e-desvio-de-alimento.htm

    PURGA JÁ!

  5. Besteira a PF perder tempo com esse celerado, por causa de críticas ao Presidente. Pra mandá-lo pra cadeia, basta investigar o financiamento da quadrilha do mtst.

  6. Por culpa dos displicentes e preguiçosos -entre os quais os militares- que não se instruíram e não fizeram instruir-se,
    liberando a canalhada para baixar o pau à vontade na “ditadura” na cabeça indiscernente do gado e da estudantada inexperiente, a gente continua a estar na mão desse sistema imundo -curralizada e polarizadamente o mesmo- em vez de poder escolher gente nova e não contaminada pelo sistema em eleições novas e livres, depois de uma devida intervenção militar total.

Deixe uma resposta para carlosp Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *