Política externa tem de respeitar os interesses nacionais

Mauro Santayana
Jornal do Brasil

A outra razão que contribui para que o governo do PT seja tachado de comunista, e muita gente saía às ruas, é a política externa, com a lenda do “bolivarianismo” que teria adotado em suas relações com o continente sul-americano.

Não é possível, em pleno século XXI, que os brasileiros não percebam que, em matéria de política externa e economia, ou o Brasil se alia estrategicamente com os BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul), potências ascendentes como ele; e estende sua influência sobre suas áreas naturais de projeção, a África e a América Latina – incluídos países como Cuba e Venezuela, porque não temos como ficar escolhendo por simpatia ou tipo de regime – ou só nos restará nos inserir, de forma subalterna, no projeto de dominação europeu e anglo-americano?

Ou nos transformarmos, como o México, em uma nação de escravos, que monta peças alheias, para mercados alheios, pelo módico preço de 12 reais por dia o salário mínimo? Jogando, assim, no lixo, nossa condição de quinto maior país do mundo em território e população e sétima maior economia, e nos transformando, definitivamente, em mais uma colônia-capacho dos norte-americanos?

COMPETIÇÃO DESLEAL

Ou alguém acha que os Estados Unidos e a União Europeia vão abrir, graciosamente, seus territórios e áreas sob seu controle, à nossa influência, política e econômica, quando eles já competem, descaradamente, conosco, nos países que estão em nossas fronteiras?

Do ponto de vista dessa direita maluca, que acusa o governo Dilma de financiar, para uma empresa brasileira, a compra de máquinas, insumos e serviços no Brasil, para fazer um porto em Cuba – a mesma empresa brasileira está fazendo o novo aeroporto de Miami, mas ninguém toca no assunto – muito mais grave, então, deve ter sido a decisão tomada pelo Regime Militar no Governo do General Ernesto Geisel.

Naquele momento, em 1975, no bojo da política de aproximação com a África inaugurada, no no Governo Médici, pelo embaixador Mario Gibson Barbosa, o Brasil dos generais foi a primeira nação do mundo a reconhecer a independência de Angola.

Isso, quando estava no poder a guerrilha esquerdista do MPLA – Movimento Popular para a Libertação de Angola, comandado por Agostinho Neto, e já havia no país observadores militares cubanos, que, com uma tropa de 25.000 homens, lutariam e expulsariam, mais tarde, no final da década de 1980, o exército racista sul-africano, militarmente apoiado por mercenários norte-americanos, do território angolano.

INTERESSE NACIONAL

Ao negar-se a meter-se em assuntos de outros países, como Cuba e Venezuela, em áreas como a dos “direitos humanos”, Dilma não faz mais do fez o Regime Militar brasileiro, com uma política externa pautada primeiro, pelo “interesse nacional”, ou do “Brasil Potência”, que estava voltada, como a do governo do PT, prioritariamente para a América do Sul, a África e a aproximação com os países árabes, que foi fundamental para que vencêssemos a crise do petróleo.

Também naquela época, o Brasil recusou-se a assinar qualquer tipo de Tratado de Não Proliferação Nuclear, preservando nosso direito a desenvolver armamento atômico, possibilidade essa que nos foi retirada definitivamente, com a assinatura de um acordo desse tipo no governo de Fernando Henrique Cardoso.

GOLPE MILITAR

Se houvesse, hoje, um Golpe Militar no Brasil, a primeira consequência seria um boicote econômico por parte do BRICS e de toda a América Latina, reunida na UNASUL e na CELAC, com a perda da China, nosso maior parceiro comercial, da Rússia, que é um importantíssimo mercado para o agronegócio brasileiro, da Índia, que nos compra até mesmo aviões radares da Embraer, e da África do Sul, com quem estamos também intimamente ligados na área de defesa.

O mesmo ocorreria com relação à Europa e aos EUA, de quem receberíamos apenas apoio extra-oficial, e isso se houvesse um radical do partido republicano na Casa Branca.

Os neo-anticomunistas brasileiros reclamam todos os dias de Cuba, um país com quem os EUA acabam de reatar relações diplomáticas, visitado por três milhões de turistas ocidentais todos os anos, em que qualquer visitante entra livremente e no qual opositores como Yoani Sanchez atacam, também, livremente, o governo, ganhando dinheiro com isso, sem ser incomodados.

Mas não deixam de comprar, hipocritamente, celulares e gadgets fabricados em Shenzen ou em Xangai, por empresas que contam, entre seus acionistas, com o próprio Partido Comunista Chinês.

59 thoughts on “Política externa tem de respeitar os interesses nacionais

  1. Interesse nacional é o exército boliviano invadir uma Refinaria da Petrobras, estatizá-la, não pagar e o PT não tomar nenhuma providência ? Ou é fazer empréstimos subsidiados e secretos para vários países ditatoriais, onde não se presta contas de nada ! Patético …

  2. Hoje Angola é governada por um sanguinário ditador, que tem até redes de importação de escravas sexuais e a sua filha é a 8.ª pessoa mais rica do mundo. Mesmo assim, o BNDES faz empréstimos secretos para a Odebrecht construir obras lá !

  3. É… vai ver é interesse nacional pedir para dialogar com o EI, “ceder” as refinarias da Petrobrás para os bolivianos, deixar a Argentina retaliar e dar calote nos exportadores nacionais, deixar a Venezuela dar calote de US$4 bilhões para as empreiteiras financiadas via BNDES, ou o calote venezuelano de US$8 bilhões em Abreu Lima, ou o perdão de US$840 milhões para as piores ditaduras africanas… ufa, cansei. Essa “política” externa só demonstra uma contaminação por uma ideologia ultrapassada e asquerosa (para o povo, mas excelente para a nomenklatura) e o quanto o governo é realmente um anão diplomático. Pior é o encerramento protagonizado por este velho senil, quem pensa que é para falar de hipocrisia, justo ele, o bastião da hipocrisia esquerdista.

  4. Este cara é um Franklin Martins piorado. Não sei como uma pessoa que tem uma certa cultura não consegue ver e entender o bando de corrputos, ladrões e assassinos que estão no poder desde 2003.
    O aeroporto de Cuba foi feito com empréstimo do BNDES, não só este aeroporto foi financiado pelo BNDES, como também diversas outras obras em diversos outros países.

    Vejam:

    http://tribunadainternet.com.br/obras-financiadas-em-outros-paises-que-fazem-falta-ao-brasil/

    Enquanto isto nossos portos, nossas estradas, saúde e educação estão em situações precárias.

    Muitos destes empréstimos do BNDES foram caracterizados como secretos. Outra CPI necessária para desmascarar este governo corrupto, deve ser instituída o mais rápido possível.

    Este cara e tum tal de renato lima merecem um cargo neste governo incomPTente.

    Ler qualquer coisa que este cara publica é perda de tempo.

  5. O recado das manifestações foi dado, entretanto, contudo, todavia, nunca deixarão o poder por via eleitoral nem por impeachment, quanto mais renunciando. Chegará um momento que a própria população pedirá uma intervenção militar.

    • Não este tal de santayana não é jovem, ele é um colunista que escreve no Jornal do Brasil há muitos anos. Acredito, que para escrever tais sandices ele já deve estar com algum problema de memória.

  6. Nada a ver! OS EUA apoiam a ditadura recolocada no Egito, só um exemplo!aí me aparece um articulista que consegue ler a mente de todos e dizer oque acontecerá caso este governo corrupto caia por intermédio de uma intervenção militar…

  7. El nacionalismo es sinónimo de “regresión” y supone “la amenaza más grave para la construcción de Europa”, afirma el escritor peruano Mario Vargas Llosa, que acaba de adaptar para el teatro el Decamerón de Boccaccio. “Es increíble que esto reaparezca en Europa, donde pensábamos haber superado algo tan limitado”, dijo el viernes el escritor en una conversación con la prensa en Aix en Provence (sur de Francia), donde es el invitado de honor de la Fiesta del Libro.

    En un contexto de fiebre nacionalista en regiones como Cataluña o Escocia, el Nobel de Literatura de 2010 arremetió contra “una visión sectaria y limitada de la vida, que siempre genera guerra, discriminación y racismo”. “Esto es exactamente lo contrario de la civilización y la integración dentro de la diversidad”.

    En el encuentro, en francés, el autor de “Conversación en La Catedral” o “La fiesta del chivo”, entre otros muchos títulos, añadió a propósito del nacionalismo que “encerrarse en lo conocido es una regresión”. “Es la amenaza más grave para la construcción de Europa”, apostilló.

    A sus 78 años, el autor peruano se muestra en cambio “más bien optimista respecto a América Latina”, donde “está avanzando la cultura democrática”. “Hoy en América Latina hay un consenso en favor de la democracia e incluso de la economía abierta de mercado, lo cual era antes impensable”, se felicitó Vargas Llosa, considerado un liberal, que no dejó de criticar que se haya “satanizado” tanto este calificativo.

    En América Latina “no hay dictaduras militares. Está Cuba, que es una dictadura más o menos anacrónica, y Venezuela, que camina hacia la dictadura, sin haber llegado del todo a ella, porque hay una oposición muy viva”. Vargas Llosa observó divertido que algunos gobiernos de izquierda de la región, como el de Evo Morales, reelegido para un tercer mandato en Bolivia, o el de José Mujica en Uruguay han adoptado medidas que considera liberales.

    Activismo político aparte, el escritor tiene en camino varios proyectos literarios. Vargas Llosa acaba de terminar de escribir una pieza de teatro, “Los cuentos de la peste”, inspirada “muy libremente” en el “Decamerón” del italiano Boccaccio, “una obra que siempre (lo) ha impresionado”, según afirma.

    • Há única forma mais rápida de ter de volta os milhões surrupiados dos cofres público e sem aquelas “manobras” jurídicas malucas: recuperação do dinheiro desviado lógico, e de todos bens como imóveis, carros, joias e etc de todos parentes do primeiro ao terceiro grau.

      • Você escreve em nome próprio. Não me consta que represente TODOS aqui. Assim sendo, o seu palco de refrega está atualmente na Síria, no Iraque e no noroeste da Nigéria, onde o Boko Haran jurou fidelidade. Sugestão de viagem mais próxima. Tome um avião para Abuja, na Nigéria, ponha uns 160 mil nairas no bolso para as despesas de viagem (mais ou menos 800 dólares), alugue um carro com seu cartão brasileiro, percorra o país em direção norte até Kano e procure lá se apresentar ao Abubakar Shekau. Veja-o antes nos vídeos do Youtube para reconhecê-lo quando encontrá-lo. Ele e seus lugares tenentes entendem inglês. Se passar no exame de admissão sem ser decapitado como espião, pode até se transformar no jihadista Abu PC e de lá comentar para a Tribuna da Internet. Aqui as idéias são livres.

    • É desse tipo de jornalista que o PT gosta !
      “Em 2005, por não honrar os pagamentos mesmo após negociações da dívida, o contrato foi executado, cobrando-se do blogueiro a quantia de R$ 4,2 milhões. O banco já estava buscando bens para penhora quando ocorre o acordo judicial entre as partes.
      Pelo acordo, o devedor-executado teria sua dívida repartida em duas parcelas: uma de R$ 2,38 milhões (subcrédito A) e outra de R$ 1,9 mi (subcrédito B). Pagando a primeira, ficaria DESONERADO da segunda. Isso mesmo: R$ 1,9 milhões não precisariam ser pagos ao BNDES, banco público gerido pelo governo federal.
      Esse tal “subcrédito A”, nos termos do acordo firmado entre BNDES e Luís Nassif, poderia ser pago ATÉ O ANO DE DOIS MIL E DEZESSETE. Isso mesmo: praticamente dez anos depois da data da celebração do acordo. São 120 parcelas que, sendo pagas, eliminam a exigência do pagamento do tal “subcrédito B” e, vale reiterar, num acordo judicial firmado SEM QUALQUER GARANTIA DE BENS.
      Ainda assim, em agosto DESTE ano, o banco NOVAMENTE executou Luís Nassif, alegando o seguinte (termos da execução de número 582.00.2005.200321-5, que tramita na 17ª Vara Cível de São Paulo_____________________________________________________
      Desde terça-feira, o jornalista tem destacado em seu blog informações em defesa do protesto contra a imprensa marcado para hoje a partir das 19 horas no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Nassif é do conselho consultivo do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, que integra a organização do protesto, intitulado “Contra o Golpismo Midiático e em Defesa da Democracia”. Movimentos sociais de apoio ao governo, como centrais sindicais e a UNE, já manifestaram adesão ao movimento.
      A EBC informou que o jornalista foi contratado porque a legislação “prevê a dispensa de licitação para pessoas ou empresas de notória especialização”.
      Nassif fechou um novo acordo depois de ter expirado, em julho, o contrato de R$ 1,2 milhão que tinha para fazer o programa Brasilianas.
      Nassif disse que sua contratação sem licitação se deve ao fato de o contrato ter como objetivo http://fb.me/1xdQ23phL
      um “trabalho intelectual”, com “pessoas com reputação em sua área e reconhecimento público, que ajudam a reforçar a cara da emissora”. “Em relação à minha área – comentários econômicos -, há muitos e muitos anos fico entre os três jornalistas mais votados (no prêmio Comunique-se) na categoria jornalismo de economia, mídia eletrônica, além dos prêmios que recebi como jornalista de economia da mídia impressa”, afirmou.

  8. Do que vive o Santayana? Dinheiro publico e vindo do governo federal. Então, o que esperar dele?
    As mesmas mesmices, as mesmas ideias insanas. Já disse aqui: entre um jumento e o Santayana fico com o jumento, pois este pelo menos tem uma linha definida de pensamento.

    • Paulo, tenho a honra de ser advogado do Mauro Santayana e desafio vc a colocar o seu nome completo aqui porque vou processá-lo por afirmar que ele vive de “dinheiro público e vindo do governo federal”. Falou, vai ter que provar, e se não provar, vai ser processado para aprender antes de escrever como vcs estão fazendo há muito tempo, sem que ninguém reaja. Não é a primeira vez que estou dizendo que vou proceder à abertura de processo contra quem acusar o Mauro Santayana de receber dinheiro público, de ser agente russo, etc. Agora, se vc assume o que diz, coloque aqui o seu nome, para facilitar sua identificação, se não colocar em 5 dias, vou pedir ao meu escritório que encaminhe, à justiça, pedido de intimação à Tribuna e ao Carlos Newton para que repasse o IP, e o nome do seu provedor de internet. Já copiei um print do seu comentário, com a devida URL, e o print do texto que acabo de escrever.

  9. CN
    Este senhor falta com a verdade quando diz que os cubanos com o MPLA expulsaram o exercito sul africano de Angola. A guerra foi na fronteira com a Namíbia.A ajuda militar russa para Angola chegou a US$ 4 bilhões, mais os Russos ja´estavam e dificuldades no Afeganistão.
    O governo do MPLA viu-se constrangido a negociar coma UNITA e Africa do Sul, já que tinham de sustentar grandes operações nesta guerra e não dinheiro para gastar.
    Desta forma o caminho das negociações foi aberto com a retirada das tropas da Africa do Sul e Cubanas resultando assim no acordo de Bicesse (Portugal) e as eleições de 1992.
    As tropas Sul Africanas nunca foram expulsas da fronteira de Angola.

  10. Mesmo sabendo que a TI é um espaço altamente democrático, para nós leitores é dose pra leão na atual situação conviver com artigos tão cínicos e oblícuos como o do Sr. Santayana.

  11. Qualquer um que ler o Sr. Santayana, deve ter bem claro que ele foi comentarista político da Rádio Praga, órgão oficial do governo comunista checo, também redator-chefe da Rádio Havana, nas produções em português. Mas vamos relevar isso, a questão é que a maioria dos seus textos não são reais, não é uma questão de lado, ideia divergente ou contraditória, são textos baseados nas mais deslavadas mentiras e fantasias de alguém que: ou vive numa realidade paralela ou é mal-intencionado.

    • Paulo, tenho a honra de ser advogado do Mauro Santayana e desafio vc a colocar o seu nome completo aqui porque vou processá-lo por afirmar que ele vive de “dinheiro público e vindo do governo federal”. Falou, vai ter que provar, e se não provar, vai ser processado para aprender antes de escrever como vcs estão fazendo há muito tempo, sem que ninguém reaja. Não é a primeira vez que estou dizendo que vou proceder à abertura de processo contra quem acusar o Mauro Santayana de receber dinheiro público, de ser agente russo, etc. Agora, se vc assume o que diz, coloque aqui o seu nome, para facilitar sua identificação, se não colocar em 5 dias, vou pedir ao meu escritório que encaminhe, à justiça, pedido de intimação à Tribuna e ao Carlos Newton para que repasse o IP, e o nome do seu provedor de internet. Já copiei um print do seu comentário, com a devida URL, e o print do texto que acabo de escrever. O mesmo vale para o Caio Efrom.

      • Prezado Dr. Ricardo Ferraz,

        A Tribuna da Internet é um veículo livre, que acolhe e respeita todas as tendências ideológicas, filosóficas e religiosas. Pessoalmente, tenho um respeito enorme por Mauro Santayana e conheço a biografia dele. Acredito que, com sua interferência na condição de advogado, essas ofensas indevidas hão de cessar. Mauro Santayana é um dos maiores jornalistas brasileiros e precisa ser respeitado.

        Atenciosamente,

        Carlos Newton,

        Editor da TI

      • Agora, Ricardo Ferraz, os covardes se omitirão ou mudarão de nome. Fica a impressão de serem ultra-reacionários sem respeito algum ao contraditório. Leonardo Boff e Carlos Chagas são outras de suas vítimas.

  12. É um belo discurso no sentido retórico, faz bem a operação de nos posicionar em favor ou contra um dos lados. E naturalmente, estende a sua opinião favoravelmente a um deles. Não obstante, é uma insanidade acreditar que nós, como brasileiros, deveríamos ter qualquer tipo de posicionamento explícito a favor de algumas das duas potências do mundo bipolar que lentamente se desenha. Os BRICs na verdade são um termo de análise econômica e não política. Militarmente só contam o R e o C. Economicamente o C está muito acima dos outros dois. Além disso estamos geograficamente posicionados ao lado do “inimigo”, somos parte da América e não do extremo oriente ou eurásia. A crise interna por que passamos nos ensina que, passados mais de meio século da criação do FMI e dos acordos de Bretton Woods, não conseguimos ainda nos livrar da danação que acomete as economias exportadoras da variação dos preços dos nossos produtos primários no mercado internacional. Vargas blefou contra os EUA, sendo dúbio em relação a guerra em curso, e só aderiu a um lado depois de saber quem iria ganhar e de saber de quem obteria os melhores benefícios se desse o seu apoio (no caso os EUA que nos instrumentaram com uma indústria de base em siderurgia a que a Argentina há muito ambicionava, mas esperava obter apoiando os fascistas). E ainda assim demorou-se a decidir, pois não havia nenhum benefício imediato em empenhar a nação numa guerra entre países da Europa. Posto isso, fica claro que nossa posição não deve ser de adesão ou confronto com nenhuma dessas potências, manter nossas ligações com os Estados Unidos para ter acesso ao maior mercado do mundo e a indústria de tecnologia e também ao lado da China que é quem compra nossas commodities.O discurso retórico busca angariar apoio não ao desenvolvimento da nação brasileira e sua independência mas aos que o articulista vê como aliados e dos interesses que defende.

  13. Para a informação do Caio e do Paulo2, Mauro Santayana trabalhou na Rádio Praga no governo de Alexsander Dubcek, presidente deposto logo depois pela invasão soviética de 1968, à qual Mauro Santayana se opôs frontalmente, e por todas as maneiras, como mostra a cobertura que fez, à época, para o Jornal do Brasil e a Revista Manchete, com o pseudônimo de Lauro Kubelyk. Por fazer isso, Mauro Santayana teve depois, que deixar o país, para trabalhar em ujm país capitalista, a então Alemanha Ocidental, como correspondente do Jornal do Brasil . Em outro exemplo de sua integridade, ele se recusou, mesmo tendo direito, a pleiteá-la, qualquer tipo de indenização por ter sido perseguido à época da ditadura militar, dizendo que que não poderia, de forma alguma, receber nenhum tipo de recompensa pelo que considerava, naquele momento, ser seu dever de consciência, de patriota e de cidadão.

  14. O Dr.Ricardo Ferraz se apresenta no blog como advogado do articulista em tela, a meu ver, um tanto tardiamente.
    O jornalista Santayana é criticado neste espaço democrático pela sua posição política há muito tempo, sem que tivéssemos a intervenção do advogado em sua defesa ou, então, para nos informar melhor a trajetória desse profissional, como faz hoje, mediante comentários acima.
    Tentar processar dois comentaristas porque afirmaram detalhes incorretos sobre a vida do articulista, sem maiores consequências porque milhares de textos registrados em blogs possuem esta característica, soa-me como exagero, ameaçador, uma espécie de patrulha desnecessária.
    O advogado poderia alertar aos comentaristas o que publicou, afirmando que estaria observando futuros registros que fugissem da verdade com o seu cliente para processar seus autores, mas não desta forma, à base da surpresa, do imprevisto, de tocaia.
    Mais a mais, respeitosamente, o causídico deverá em nome da Justiça e da verdade fazer o mesmo com outros blogs existentes, onde encontrará pessoas que repetem essas informações sobre o jornalista por desinformação, e não por maldade.
    A confirmar esta intenção de processar Paulo2 e Caio Efrom pelos seus comentários, o advogado correrá atrás de papel ao vento, pois precisará permanecer 24 hs diárias à procura de textos que abordam os artigos de Santayana e, da mesma maneira, sob pena de incorreção, apenas conduzir dois cidadãos à Justiça, deixando de lado centenas de outros que cometem os mesmos erros involuntários!
    Não concordo com esta medida judicial, pois o nível dos comentaristas da Tribuna da Internet saberia aquiescer devidamente as informações do advogado, e não mais iriam se repetir comentários que não correspondessem às informações trazidas pelo defensor do jornalista em questão.
    Demonstrações nesta ordem e com tantos claros para ser preenchidos, causam espécie em se tratando de página na Web, local que não pode ser levado em consideração como pressuposto de se escrever somente verdades, fatos incontestáveis, diante do uso que o público faz desta ferramenta de consulta e comunicação sem maiores cuidados.
    Exigências e obrigações neste sentido se perdem pela quantidade de imbecilidades publicadas, diluindo por completo a gravidade que o advogado tenta estabelecer aos textos dos comentaristas mencionados que, certamente, levarão em conta os dados bibliográficos de Santayana trazidos à tona, e não mais repetirão o que LERAM em outros espaços com este, espalhados pelos quatro cantos deste País de dimensões continental!
    Espero que o nobre advogado Ricardo Ferraz reconsidere a sua intenção.

    • RESPOSTA AO SR BLEND:

      O sr. Francisco Blend afirma que:

      O Dr.Ricardo Ferraz se apresenta no blog como advogado do articulista em tela, a meu ver, um tanto tardiamente.

      O jornalista Santayana é criticado neste espaço democrático pela sua posição política há muito tempo, sem que tivéssemos a intervenção do advogado em sua defesa ou, então, para nos informar melhor a trajetória desse profissional, como faz hoje, mediante comentários acima.

      Senhor Blend,

      Não estou aqui em defesa do Sr. Mauro Santayana, até porque o Sr. mauro Santayana não tem de ser defendido de nada, já que o ônus da prova cabe a quem acusa, não a quem está sendo acusado. Estou aqui, como já fiz algumas vezes anteriormente, para alertar que os senhores comentaristas, que outro dia chamei de “linguas soltas”, estão correndo risco de ação na justiça por calúnia e difamação, e para avisar que pretendo mover, em princípio, devido processo legal contra ao menos dois deles.

      O sr. afirma que:

      Tentar processar dois comentaristas porque afirmaram detalhes incorretos sobre a vida do articulista, sem maiores consequências porque milhares de textos registrados em blogs possuem esta característica, soa-me como exagero, ameaçador, uma espécie de patrulha desnecessária.

      Sr. Blend,

      Que eu saiba “milhares de textos registrados em blog registram essa característica”, é uma afirmação falsa. Que milhares de textos são esses ? Se o senhor me indicar, moverei igualmente processo contra seus autores. Não existem esses “milhares” de textos. Tanto isso é verdade, que o Senhor Caio Efrom foi buscar fontes, para justificar sua afirmação sobre o suposto passado do Sr. Mauro Santayana como agente comunista e trouxe aqui apenas três links, que reproduzem uma mesma ilação – não afirmação -de uma mesma e única origem.

      O sr. Blend afirma que:

      O advogado poderia alertar aos comentaristas o que publicou, afirmando que estaria observando futuros registros que fugissem da verdade com o seu cliente para processar seus autores, mas não desta forma, à base da surpresa, do imprevisto, de tocaia.

      Quero lembrar, sr. Blend,

      como já disse, que já tinha alertado, anteriormente, aos comentaristas, e não o fiz na base do imprevisto, nem da tocaia – embora não tenha absolutamente nenhuma classe de satisfações a lhe dar a respeito do meu comportamento.

      O sr. Blend também afirma que:

      Mais a mais, respeitosamente, o causídico deverá em nome da Justiça e da verdade fazer o mesmo com outros blogs existentes, onde encontrará pessoas que repetem essas informações sobre o jornalista por desinformação, e não por maldade.

      A confirmar esta intenção de processar Paulo2 e Caio Efrom pelos seus comentários, o advogado correrá atrás de papel ao vento, pois precisará permanecer 24 hs diárias à procura de textos que abordam os artigos de Santayana e, da mesma maneira, sob pena de incorreção, apenas conduzir dois cidadãos à Justiça, deixando de lado centenas de outros que cometem os mesmos erros involuntários!

      Para sua informação, sr. Blend:

      Novamente, QUALQUER pessoa (nem por desinformação, nem por maldade – já que se trata de canalhice mesmo) que afirmar que o Sr. Mauro Santayana recebe dinheiro do PT ou do governo federal, será processada, assim como a que escrever que ele já foi agente do serviços secreto soviético.

      Se são “centenas”, como o sr. afirma, deve ser fácil – ficaria extremamente grato – me apontar mais algumas.

      Quanto a “correr atrás de papel ao vento”, quero informar ao senhor que hoje existem empresas especializadas em MONITORAMENTO e AVALIAÇAO que funcionam com a utilização de avançados softwares, no controle, 24 horas, de tudo o que está sendo publicado na internet sobre determinado assunto ou pessoa, e que o que me fez aparecer por aqui, nesta Tribuna, foi o fato de ter sido justamente alertado por uma dessas empresas, que presta serviço a muitos de nossos clientes, a propósito da virulência e falsidade dos ataques pessoais que o jornalista Mauro Santayana tem recebido neste espaço, todos já devidamente documentados – por meio de facsimile eletrônico das páginas – desde o seu começo – o que me permite antecipar que a lista de comentaristas em mira para serem devidamente processados, vai além do Sr. Caio Efrom e do Sr. Paulo_2.

      • Sr. Ricardo Ferraz,
        Agradeço as respostas ao meu comentário anterior.
        Por outro lado, o meu nome é Francisco BENDL, e não Blend, conforme o senhor registrou, que levo em conta como indelicadeza de sua parte.

        O sr. Ferraz assim se manifestou:

        Que eu saiba “milhares de textos registrados em blog registram essa característica”, é uma afirmação falsa. Que milhares de textos são esses ? Se o senhor me indicar, moverei igualmente processo contra seus autores. Não existem esses “milhares” de textos. Tanto isso é verdade, que o Senhor Caio Efrom foi buscar fontes, para justificar sua afirmação sobre o suposto passado do Sr. Mauro Santayana como agente comunista e trouxe aqui apenas três links, que reproduzem uma mesma ilação – não afirmação -de uma mesma e única origem.

        BENDL, assim responde:

        A minha afirmação não é falsa, pois a sua observação se contradiz ao final quando um comentarista da Tribuna da Internet para provar que não agira com má intenção, encontrou as informações inadequadas em várias postagens na Web, não necessitando pesquisar em centenas de blogs existentes a opinião de milhares de pessoas que se utilizam dessa ferramenta de comunicação.

        O sr. Ferraz assim se manifestou:

        como já disse, que já tinha alertado, anteriormente, aos comentaristas, e não o fiz na base do imprevisto, nem da tocaia – embora não tenha absolutamente nenhuma classe de satisfações a lhe dar a respeito do meu comportamento.

        BENDL, assim responde:

        Da mesma forma, a minha conduta na Tribuna da Internet e também fora dela, diz respeito unicamente à minha pessoa, não havendo a necessidade de eu explicá-la ao senhor ou quem quer que seja.

        O sr. Ferraz, assim escreveu:

        Se são “centenas”, como o sr. afirma, deve ser fácil – ficaria extremamente grato – me apontar mais algumas.

        BENDL, assim responde:

        “quero informar ao senhor que hoje existem empresas especializadas em MONITORAMENTO e AVALIAÇAO que funcionam com a utilização de avançados softwares, no controle, 24 horas, de tudo o que está sendo publicado na internet sobre determinado assunto ou pessoa, e que o que me fez aparecer por aqui, nesta Tribuna, foi o fato de ter sido justamente alertado por uma dessas empresas, que presta serviço a muitos de nossos clientes, a propósito da virulência e falsidade dos ataques pessoais que o jornalista Mauro Santayana tem recebido neste espaço, todos já devidamente documentados – por meio de facsimile eletrônico das páginas – desde o seu começo – o que me permite antecipar que a lista de comentaristas em mira para serem devidamente processados, vai além do Sr. Caio Efrom e do Sr. Paulo_2.”

  15. mas não desta forma, à base da surpresa, do imprevisto, de tocaia…. nem à base do imprevisto, nem da tocaia. Procure em artigos recentes do Mauro Santayana publicados na Tribuna, e verá que esta é a QUARTA vez que me pronuncio para a eventualidade de abrir processo por calúnia e difamação não a primeira. Mais: uma coisa é emitir uma opinião, chamando o Sr. Mauro Santayana de comunista, por exemplo. Outra é dizer que recebe dinheiro – qualquer tipo de remuneração – POR QUALQUER FONTE, do PT ou do Governo Federal. Esta não é uma afirmação hipotética, mas direta e peremptória, . Vamos tomar as devidas providências legais, e já o estamos fazendo – para sua informação também em outros blogs – se bem que em nenhum lugar, como aqui na Tribuna, elas se manifestem de forma tão estúpidas, repetidas e virulentas com relação ao meu cliente. Ao Carlos Newton, meu agradecimento. Sabemos que tem feito reiterados alertas nesse sentido, e também de reconhecimento à sua posição na atividade e no campo em que exerce a sua profissão.

  16. Lamento profundamente a sua decisão.
    Interessante que, ao jornalista, lhe é facultado publicar da mesma forma, interpretações estúpidas, repetidas e virulentas com relação à verdade histórica, em defesa de sua posição política e ideológica.
    Também deveria ser processado porque leva incultos e incautos a adotarem sua linha de pensamento, desvirtuando episódios do passado com relação aos crimes cometidos pelo comunismo, que somam aproximadamente cem milhões de seres humanos desde a sua implantação à força em vários países.
    Ora, fazer crer que este sistema é melhor que a democracia e capitalismo não deixa de ser uma propaganda caluniosa, enganosa, principalmente se considerarmos a queda desse regime na antiga União Soviética e como ele se mantém atualmente em Cuba, Coréia do Norte e China!
    Evidente que as ações que serão impetradas contra meus dois colegas neste blog dependerão de várias fases de julgamento, mas, desejo sinceramente que não logrem êxito.
    A meu ver, se está exigindo um comportamento absolutamente impossível de controlar na Web, e não acredito que duas pessoas serão punidas enquanto milhões estão escrevendo artigos ou comentários piores!
    Afinal das contas, este é um dos riscos do progresso, igualmente de quem optou pela profissão de jornalista que, em tese, deveria ser isenta e imparcial, porém decidiu estar a serviço de uma ideologia retrógrada, criminosa, e nada lhe acontece!
    Democracia?
    Liberdade de expressão?
    Ou se utilizar de tais condições proporcionadas pela democracia e agir com autoritarismo, exatamente o contrário do comunismo, que atua autoritariamente e renega direitos coletivos e individuais?
    Volto a pedir:
    Que esta decisão seja abortada, pois não vai alcançar o seu objetivo, de moralizar as redes sociais.
    Aliás, tão utópico quanto o sistema divulgado ardorosamente pelo jornalista Santayana.

  17. Caro Sr. Ferraz, a informação, que somente repassei, está amplamente divulgada na internet. Nestes sites: http://www.youtube.com/watch?v=RphKPxlV7bg, http://www.felipemourabrasil.com.br/2013_07_01_archive.html, http://blogdonavarro2010.blogspot.com.br/2013/07/os-crocodilos-do-foro-de-sao-paulo-que.html e diversos outros. No site Wikipedia sobre o Sr. Santayana: “Trabalhou como jornalista e chefe das emissões em português da Rádio Havana, em *1966* (*grifo meu), e como comentarista político da Rádio Praga, entre *1968 e 1970* (*grifo meu). Em Bonn, na Alemanha, foi correspondente do Jornal do Brasil (1970 – 1973)”. Nestes períodos, órgãos oficiais do governo comunista de então, nos dois países. Também, na revista Palavra o texto é bastante semelhante (revista “Palavra”, ano 1, nº 7, Outubro de 1999, pág. 124).Desta forma, devido a estar amplamente referenciada, tomei como verdadeira a informação, como qualquer um o faria. Entretanto, se o senhor, pela primeira, vez afirma para mim, em nome do seu cliente, que não o são, peço desculpas ao seu cliente por ter somente repetido uma informação que tomava como verdadeira. Peço assim ao editor Carlos Newton, que retire a frase “Além disso…KGB” para que não continue se propagando. Ademais, reservo-me no direito, assim espero, de seguir criticando as fantasias e inverdades contidas nos textos abjetos do comentarista. Saudações.

Deixe uma resposta para Ricardo Sales Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *