Política, traições, relações humanas e reviravoltas compõem trama de David Baldacci

Júlia de Aquino
Instagram literário @juentreestantes

“Será que o passado está vindo atrás de nós?”

Nada é o que parece ser! Essa é a primeira coisa a se ter em mente ao ler sobre “Traição em família”, minha penúltima leitura de 2020. Trata-se de um livro “perfeito” em alguns pontos, e que vai surpreender qualquer leitor, independente de suas preferências literárias ou estilo.

GATILHOS Gatilhos são temas que podem ser delicados para algumas pessoas e desencadear nelas reações psicológicas diversas, como ansiedade, choro etc.

O livro “Traição em família” narra situações que podem ser gatilhos para algumas pessoas: fogo, violência física e psicológica, claustrofobia e estupro.

HISTÓRIA DO LIVRO – Quando Willa, a sobrinha da primeira-dama Jane Cox é sequestrada após sua festa de 12 anos, ela convoca os detetives Sean King e Michelle Maxwell para que encontrem a menina. Mas, para resolver o caso, Sean e Michelle passarão por cima de todo mundo, até mesmo do FBI e do Serviço Secreto, e não hesitarão nem mesmo em ferir o ego da primeira-dama, se for necessário.

PERSONAGENS – Além da história excepcional, os personagens são um dos aspectos mais marcantes da obra. As relações entre eles são complexas e bem construídas. E mais que isso: o livro aborda questões profundas sobre o relacionamento humano e sobre o que é “certo ou errado”.

O tamanho do livro pode parecer grande, e é possível que um leitor pense, antes de ler, que o autor é daquele tipo de escritor descritivo e detalhista em relação às pessoas e lugares. Ele é detalhista, mas a maneira como ele apresenta os personagens a quem lê é fluida e delicada. Não são longos parágrafos descritivos que nos explicam quem eles são; entendemos isso em cada acontecimento, analisando suas atitudes e comportamentos.

Os detetives protagonistas (Sean e Michelle) são muito carismáticos e talentosos. Foi bacana descobrir que o autor fez uma série de sete livros da dupla. Pelo que pesquisei, a Arqueiro não os publica mais, mas ainda é possível encontrar as obras de David Baldacci em sebos e alguns sites, como a Estante Virtual.

ESCRITA DE BALDACCI Esse foi meu primeiro contato com o autor, e ele já conseguiu deixar uma excelente “primeira impressão”. David Baldacci tem uma escrita intrigante, que nos envolve nos mistérios do começo ao fim.

Os capítulos são curtos e os diálogos são constantes e inteligentíssimos! É uma leitura rápida e surpreendente – exatamente por não imaginarmos isso no início. Ficamos tão mergulhados na história que, quando piscamos, já estamos terminando!

Além da trama principal, há uma história paralela: alguns problemas pessoais de Michelle Maxwell, parceira de Sean King. Mas, além de não interferir em nada na narrativa, ainda permite que conheçamos melhor a dupla de detetives.

O QUE ESPERAR Reviravoltas, relações políticas, questões familiares, traições e acontecimentos inesperados. É uma obra sobre vingança, lealdade e, mais uma vez, relacionamentos e laços humanos. Se você aprecia tais elementos na Literatura, certamente vai gostar do livro.

Na realidade, a reta final da história nos deixa com vontade de “ler devagar para não terminar”. Mas nesse ponto já estamos muito envolvidos e nossa curiosidade não nos deixa ler poucas páginas.

Livro: Traição em família
Autor: David Baldacci
Editora: Arqueiro
Páginas: 384

###

TRECHOS MARCANTES

“A cada dia que passava, aumentavam as possibilidades de, em vez de localizarem a menina, encontrarem apenas um corpo”.

“Fora um trabalho exaustivo sob um calor mortal, mas sua mente e seu corpo estiveram movidos pelas duas mais fortes emoções humanas. Ódio. E amor”.

Você precisa se livrar do ódio. Porque, se não fizer isso, ele vai destruir sua vida. E, pior, não vai deixar nenhum espaço para que o amor entre”.

10 thoughts on “Política, traições, relações humanas e reviravoltas compõem trama de David Baldacci

  1. NOTA DE ESCLARECIMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS CONCURSADOS À POPULAÇÃO:
    A desinformação é o princípio da dominação que os políticos utilizam contra a população, senão vejamos:
    •A reforma que você aplaude promete acabar com férias de 60 dias.
    Entretanto o servidor público não tem férias de 60 dias! É juiz que tem. Mas juiz não está incluído na reforma! Percebe?!…
    •A reforma prevê o fim dos super salários. O servidor não tem super salário. Ao contrário! O servidor público está sem reajuste há 6 anos.
    Mas Juízes e políticos têm super salários. Mas eles não estão incluídos na reforma!
    •A reforma prevê o fim da aposentadoria compulsória como forma de punição. Servidor, quando erra, não é aposentado. Ele é demitido.
    Já os juízes são aposentados “como punição” por atos ilícitos que praticou.
    Mas juízes não estão incluídos na reforma.
    •Servidor tem estabilidade. Ela impede que políticos pilantras encham o serviço público de “guardiões”, aspones, comissionados e assessores para assuntos alheios ao interesse público. Se o servidor público erra, ele é demitido. Os guardiões e aspones comissionados não. E estes ganham muito mais do que os servidores concursados.
    •Quando você sofre um acidente, quem te socorre é um bombeiro, que é um servidor atingido pela reforma. Quem te leva pro hospital é um motorista, também servidor. Quem te opera é uma equipe de servidores (médicos, enfermeiros, auxiliares, etc). Quem te protege é um policial militar, civil e federal servidor. Quem educa seu filho é um professor servidor. Quem varre as ruas em que você anda é um gari servidor. Quando você entra na justiça, quem processa o seu feito é um servidor. Muitas vezes, ele até elabora a minuta da sentença para o juiz, e você nem sabe disso, porque o juiz tem de três a quatro assessores só para redigirem a minuta da sentença para ele.
    Todos esses servidores são atingidos pela reforma. Todos estão sem reajuste há anos. Todos trabalham para o Estado te atender, apesar dos políticos. Porém, é contra os servidores que você se volta, porque os verdadeiros culpados, que ganham fortunas, empregam parentes, são aposentados quando roubam e tiram férias de 60 dias, convencem facilmente a população de que o problema do Brasil é o servidor.
    Vários servidores tiveram seus vencimentos congelados desde 2015; o 13° dos servidores municipais e estaduais foi parcelado em 2018 e 2019, e muitos ficaram meses sem receber qualquer remuneração. Mas em nenhum momento faltou dinheiro para pagar políticos e seus comissionados, nem para fazer rachadinha…
    Há soluções? Sim, claro!
    1) Vote melhor. Pare de reeleger bandidos.
    2) Fiscalize políticos ao invés de endeusá-los.
    3) Estude. Leia. Informe-se. Um cidadão desinformado é um campo fértil para políticos pilantras.
    4) Lute do lado certo. Você é um cidadão que depende de serviços públicos. Se você acha que o servidor concursado não presta corretamente este serviço, por que pensa que os apadrinhados, sem concurso público, fariam melhor?
    5) Há penalidades disciplinares previstas na legislação em vigor para os maus servidores.
    Todo ano, centenas de servidores públicos são demitidos por praticarem atos ilícitos, e são demitidos “a bem do serviço público”.
    Agora, analise quantos magistrados são demitidos; quantos políticos são cassados, e; depois se pergunte novamente onde está o problema e quem deveria ser atingido por esta reforma!
    Em todo lugar, há bons e maus profissionais. Ninguém defende mau servidor aqui. Queremos que haja uma reforma justa. Se, mesmo depois de saber que os verdadeiros marajás e os que têm benesses não serão atingidos pela reforma, você ainda continuar pensando que o problema continua sendo o servidor, que estudou e disputou uma vaga em concurso público de provas e títulos, em igualdade de condições com os concorrentes, sejam pobres ou ricos, então o problema não está no servidor, o problema está em você.

  2. Prezada Autora Srta. JÚLIA DE AQUINO,

    Excelente dica de Leitura para todos nós que gostamos de Ler.

    Googlei e descobri que grande Escritor é DAVID BALDACCI, especializado nos gêneros Thriller, Policial e Infantil. Criador de Best-Sellers.

    Ficarei de olho em suas Obras, a começar por “Traição em Família”.

    Muito Obrigado.

    • Oi, Flávio! Que ótima sua contribuição!

      Eu também o descobri por causa desse livro e me surpreendi! Já quero ler todos dele!

      Fico feliz que tenha apreciado a dica. Realmente é um livro que vale muito a pena! Como a Arqueiro não o publica mais, sugiro procurar em seos ou na Estante Virtual (que é bem confiável).

      Forte abraço e ótimo final de semana! =)

  3. Júlia,

    Saliento que esta página, que é de tua autoria, tem um grande significado para nós e à TI:
    Trata-se de cultura, portanto, inestimável a tua colaboração.

    Agora, sabes que não vivemos no melhor dos mundos, pelo contrário, somos participantes de crises e caos sem precedentes na história, até pela questão da pandemia, que matou mais de 236 mil brasileiros!

    Dito isso, penso que deverias, volta e meia, sugerir livros que abordem certos episódios nossos, da nossa história, desta caminhada que já faz mais de 500 anos e que não chegamos a lugar algum ainda.
    Tanto pela desinformação existente sobre o Brasil, quanto pela análise de se saber os porquês de não darmos certos como nação desenvolvida, e cidadãos que teriam possibilidades de crescimento pessoal e coletivo.

    Quais seriam os empecilhos?
    De quem seria a culpa?
    Por que o povo se alienou de maneira tão absurda e radical?
    Por que ainda endeusamos homens que, ainda por cima, nada valem?!

    Os que repetem a frase que, a História se repete, não sabem o que estão dizendo.
    Nada é repetido, pois as pessoas que protagonizam certos acontecimentos não são as mesmas de antes.
    O que se deve fazer é estudar, analisar os fatos, e trazê-los à baila para que saibamos os impasses que não estamos vencendo, e que estão impedindo o nosso progresso.

    Enfim, deixo apenas uma sugestão, se não te importas, claro.

    Saudações.

    • Fransciso, perfeita sua colocação! E agradeço muito a sugestão.

      Eu acabo trazendo para cá os livros que li recentemente. Confesso que tenho lido poucos acerca da História ou temáticas de nosso país. Mas obviamente posso começar a relacionar os que leio a nossas diversas questões nacionais.

      Mais uma vez, muito obrigada pela sua ideia! O mais bacana daqui é isso mesmo: a troca literária (de dicas, ideias etc) =)

      Muito obrigada pelo elogio e fico muito feliz por gostarem das publicações semanais.

      Forte abraço!!!
      Júlia

    • José, vale muito a pena conhecê-lo! Eu também não conhecia, mas já virei fã.

      Sobre a frase, obrigada por sinalizar. Foi um erro. O correto seria:
      “…o livro aborda questões profundas sobre o relacionamento humano e sobre o que é “’certo ou errado’”.
      Vou pedir alteração para o Carlos Newton.

      Ótimo final de semana para você e BOAS LEITURAS =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *