Popularidade do presidente russo atinge nível recorde diante de crise na Ucrânia

Vladimir Putin

Da Agência Brasil

O presidente russo, Vladimir Putin, atingiu o nível mais alto de popularidade no país desde sua reeleição em maio de 2012. Os índices estão diretamente relacionados à intervenção russa na crise ucraniana, indicaram hoje (11) os principais institutos de sondagens russos.

Mais de dois terços dos inquiridos (69%) afirmaram que aprovam a política de Vladimir Putin, segundo um estudo realizado em finais de fevereiro pelo instituto independente Centro Levada. A pesquisa entrevistou cerca de 1.600 pessoas de 45 regiões russas. O resultado representa aumento de 9%, na comparação com o mesmo período de 2013.

O mesmo estudo revelou que 30% dos inquiridos (contra os 35% registrados em fevereiro de 2013) desaprovam a atuação do chefe de Estado russo.

Em outra sondagem realizada pelo instituto VTsIOM, os níveis de popularidade de Putin ficaram em 68%, revelando ainda que, para 53% dos inquiridos, a crise na Ucrânia é o “principal assunto” da atualidade.

*Com informações da Agência Lusa

2 thoughts on “Popularidade do presidente russo atinge nível recorde diante de crise na Ucrânia

  1. Agora, as costumeiras aves agourentas que defendem o fascismo nada comentam. Estão todos perplexos.
    Onde estão os corvos, que achavam que só pelo fato de a URSS haver se desintegrado a Rússia não mais seria o que sempre foi?
    Meu velho pai era também da direita, mas um pouco mais esperto. Costumava dizer: “O problema para a Europa não é o comunismo, mas a Rússia”.

  2. “O recalque de Putin

    Não seja como o resto do mundo, caro leitor. Não se engane com esse homem, ele não é o que parece. Vladimir Putin pode sim, matar de passarinhos a crianças. Seu pai lutou contra a operação Barbarossa de Hitler (ver “Operação Barbarossa financeira”) e foi gravemente ferido na Segunda Guerra Mundial. O próprio Putin já reveleou que seu maior divertimento quando criança era assistir aos filmes russos sobre espiões e matanças. Ele sempre teve como maior desejo se tornar membro da KGB.

    Formado em direito em 1975 em Leningrado, entrou no mesmo ano para a KGB como oficial junior, chegando ao posto de tenente-coronel.
    Analistas financeiros erraram no começo dos anos 2000, ao atribuir o crescimento econômico à linha dura de Putin. Na realidade o que aconteceu na Russia, aconteceu em outros países, sem a necessidade de linha dura. Os emergentes subiram de status juntamente com a Rússia, por falta de opção de se investir o dinheiro que sobrava do mercado imobiliário pré-crise de 2008 no mundo. O preço disso para a Rússia? A Rússia caiu no índice de democracia, ocupando desde 2011 a posição 117 entre os 167 países avaliados. O país mais democrático do mundo é a Noruega.

    E graças a Putin, o leste Europeu sofreu um viés de baixa sendo arrastado para a nova “onda vermelha” comandada pelo tenente-coronel. Entre esses países está a Ucrânia, um nodo na garganta da Rússia desde sua separação……..”

    Para ler mais:

    http://www.mudancasabruptas.com.br/RussiaUcrania.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *