Por que investigados festejam a nomeação do novo diretor da Polícia Federal?

Fernando Segóvia cumprimenta Leandro Daiello (à dir.) no gabinete do diretor da PF, em Brasília

Segóvia (à esq.) cumprimenta Daiello na sede da PF

Bernardo Mello Franco
Folha

Depois de se livrar do procurador que o denunciou duas vezes, o presidente Michel Temer está mudando o comando da Polícia Federal. A troca atende à pressão de outros políticos sob suspeita e lança novas dúvidas sobre o futuro da Lava Jato. O delegado Leandro Daiello dirigiu a PF por quase sete anos. Foi bombardeado no governo Dilma Rousseff, mas conseguiu resistir no cargo. Não teve a mesma sorte com Temer, que assumiu com a promessa de não interferir nas investigações.

Agora a polícia passará a receber ordens de Fernando Segóvia, um delegado com fortes conexões na política. Entre seus padrinhos, despontam figuras notórias do PMDB e o ministro Gilmar Mendes, conhecido pelos embates com a Lava Jato.

SARNEY E PADILHA – O ex-presidente José Sarney é apontado como o principal patrocinador da escolha. O político aposentado já foi alvo de duas denúncias no esquema da Petrobras. É acusado de receber dinheiro desviado dos cofres da Transpetro.

O ministro Eliseu Padilha também fez lobby por Segóvia. Chefe da Casa Civil, ele foi denunciado sob acusação de participar de uma organização criminosa. É identificado pelos apelidos de “Primo”, “Bicuira” e “Fodão” nas planilhas da Odebrecht.

Outro entusiasta do delegado é Augusto Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União. Autor do relatório das pedaladas que embasou o processo de impeachment, ele foi acusado de receber propina para encobrir desvios na Petrobras.

NA HORA H – A troca de comando ocorrerá no momento de maior atrito entre a PF e o Planalto. Há dois meses, um relatório da polícia acusou o presidente de chefiar o “quadrilhão” do PMDB. Poucos dias antes, os homens de preto estouraram o bunker do ex-ministro Geddel Vieira Lima em Salvador.

A exemplo de Temer, o delegado Segóvia assume com a promessa de não atuar para “estancar a sangria” da Lava Jato. Mesmo assim, é curioso ver tantos investigados festejando a escolha de seu novo investigador.

13 thoughts on “Por que investigados festejam a nomeação do novo diretor da Polícia Federal?

  1. Tomara que decepcione o Temer oso, & Cia da corja, conforme a Drª Raquel, que tenha Consciência, e não compactue com os ladrões do cofre público, e não seja o traidor da PF, que está a merecer à confiança do Zé Mané, o roubado dos impostos escorchantes que paga. Que Deus no ajude, mas façamos nossa parte de esclarecer o trabalhadores desavisados, que votam em canalhas, cujo resultado está ai!

  2. Ripley’s Believe It or Not! (Acredite se Quiser, no Brasil) era[1][2] originalmente uma coluna publicada em centenas de jornais em todo o mundo, apresentando fatos tão inusitados e inacreditáveis que o leitor poderia questionar suas alegações[3]…[apud wikipédia]…

  3. E o general continua no seu profundo sono como a princesa da Sleeping Beauty. Tá na cara, está blowing in the wind, todo mundo vê e muitos sentem na carne a desgraça que nos assola. Mas, o que fazer, se o general não vê?
    Que beleza ser brasileiro…

  4. Se os militares não acordarem do berço esplendido logo , logo serão os próximos a perderem suas prerrogativas .
    Porque os velhos canalhas continuam a mandar nos bastidores .
    Não adianta ter só um Moro em Curitiba , um Bretas no Rio de Janeiro , quando tem um Temer no comando do país e um apanhados de ministros e deputados , governadores , políticos em geral minando a lava-jato !!!

  5. Coelho,

    -Seguindo sua lógica;

    – Meia dúzia de parafusos de ouro rejeitando a corrosão estão incluídos numa máquina dominada por ferrugem.

  6. “Pedaladas verbais”, e o ” impeachment” do W. Waack, âncora da Globo. Queda do Diretor da PF, braço forte da Lava Jato, queda do W. Waack, braço forte na mídia em prol da Lava Jato e contra o $istema político podre. A quem interessa isso ?

  7. Sendo realmente verdade, o que se investiga no Brasil passará a ter a chancela dos possiveis acusados. Tendo que responder a gravíssimas acusações, passa pela cabeça de alguém que tenha o tico e teco com algum grau de funcionalidade que Temer não usaria seu cargo de Chefe do Executivo para se esquivar das acusações e mesmo envenenar a estrutura logísica que ajudou a montar o processo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *