“Por que Merkel pode ficar 16 anos no poder e Ortega não?”, defende Lula o ditador da Nicarágua

Após encontros com as principais lideranças da Europa, Lula é capa do El  País deste domingo

Lula não entende a diferença entre premier e presidente

Deu na Folha

Após a reeleição do ditador da Nicarágua, Daniel Ortega, em um pleito de fachada, o ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comparou a permanência no poder do latino-americano com a da primeira-ministra (chanceler) da Alemanha, Angela Merkel, que completou 16 anos à frente do país europeu.

“Por que Angela Merkel pode ficar 16 anos no poder e Daniel Ortega não? Por que o Felipe González [primeiro-ministro da Espanha entre 1982 e 1996] pode ficar 14 anos no poder? Qual é a lógica?”, questionou o petista em entrevista ao jornal espanhol El País.

MARIDO E MULHER – Lula respondia à pergunta feita pelas jornalistas sobre a situação na Nicarágua. No início do mês, Ortega, 75 anos, ganhou a eleição em que disputou o quarto mandato consecutivo. Ao lado da mulher, Rosario Murillo, sua vice, ele concorreu com cinco outros candidatos —todos parte do teatro, já que são aliados do governo.

O ex-presidente começou dizendo que “todo político que começa a se achar imprescindível ou insubstituível começa a virar um pequeno ditador”. “Por isso sou favorável à alternância de poder. Eu posso ser contra, mas eu não posso ficar interferindo nas decisões de um povo. Nós temos que defender a autodeterminação dos povos.”

Depois, no entanto, fez a comparação com os líderes europeus. As jornalistas, então, rebateram que os dois permaneceram no poder sem encarcerar opositores —nos meses que antecederam a eleição, o regime de Ortega prendeu sete candidatos de oposição, acusados de lavagem de dinheiro e traição à pátria.

PASSANDO PANO… – Ao responder, o petista relativizou o regime e lembrou do seu tempo detido. “Eu não posso julgar o que aconteceu na Nicarágua. No Brasil, eu fui preso, eu era considerado Presidente da República eleito e fui preso. Fiquei 580 dias na cadeia para que Bolsonaro fosse eleito”, afirmou. “Eu não sei o que as pessoas fizeram para ser presas. […] Se o Daniel Ortega prendeu a oposição para não disputar a eleição como fizeram no Brasil contra mim, ele está totalmente errado.”

A relativização de Lula ao regime de Ortega vai na linha da posição do seu partido, que publicou nota celebrando a reeleição do ditador nicaraguense.

No texto assinado por Romenio Pereira, secretário de Relações Internacionais, a legenda classifica o pleito como “uma grande manifestação popular e democrática” e diz que o resultado confirma “o apoio da população a um projeto político que tem como principal objetivo a construção de um país socialmente justo e igualitário”.

RELATIVANDO CUBA – Outro regime abordado na entrevista foi o de Cuba, que coibiu no último dia 15 manifestações de opositores, ao proibir a realização dos atos e colocar militares nas ruas para garantir que permanecessem vazias. Os protestos dariam sequência aos atos de julho, quando milhares foram às ruas contra a ditadura comunista, motivados pelos cortes de luz, a perseguição a dissidentes e a falta de alimentos e remédios.

O petista defendeu que não apenas na ilha caribenha manifestações são proibidas e que no mundo inteiro a polícia é violenta. “Agora, é muito engraçado porque a gente reclama de uma decisão que evitou protesto em Cuba e a gente não reclama que os cubanos estavam preparados para dar vacina e não tinha seringa, e os americanos não permitiram que entrasse vacina em Cuba.”

O regime cubano alegou, desde o início da crise sanitária, enfrentar dificuldade para adquirir insumos médicos em razão do embargo americano ao país.

SÓ O EMBARGO – As jornalistas do El País rebateram que é possível condenar o bloqueio e pedir a liberdade de opositores. Para Lula, no entanto, o problema da democracia em Cuba não será resolvido “instigando os opositores a criar problema para o governo”, mas sim encerrando o embargo.

Durante a entrevista, o petista, provável candidato à Presidência nas eleições de 2022, também aproveitou para exaltar seus anos no poder e criticar a gestão do rival Jair Bolsonaro, que chamou de mentiroso.

“Quando deixei a Presidência em 2010, o Brasil estava numa situação internacional e numa situação interna de crescimento econômico, de respeitabilidade muito grande”, disse. “O que estamos vendo hoje é que o Brasil está quebrado.”

QUADRILHA DE MORO – Para ele, a eleição de Bolsonaro fez parte de um momento de “anomalia na política mundial”. “O eleitor brasileiro votou no Bolsonaro pelas mesmas razões que o americano votou no [Donald] Trump. Foi um momento de desajuste emocional de uma parte da humanidade.”

Disparou ainda contra o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, também virtual candidato à Presidência no próximo ano. “O juiz Moro e procuradores tinham formado uma quadrilha política e econômica para destruir a mim e ao meu partido”, afirmou sobre as investigações da Operação Lava Jato.

Lula está desde a semana passada em viagem pela Europa. Ele foi recebido por líderes como o presidente francês, Emmanuel Macron, o premiê espanhol, Pedro Sánchez, e discursou no Parlamento Europeu. Macron é desafeto de Bolsonaro, com quem tem atritos desde 2019.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Esse é o cara, diria Barack Obama, assistindo ao contorcionismo de Lula para passar o pano nas ditaduras da Nicaraguá e de Cuba. Mas o ponto alto foi a comparação entre Merkel e Noriega, realmente Piada do Ano. (C.N.)

18 thoughts on ““Por que Merkel pode ficar 16 anos no poder e Ortega não?”, defende Lula o ditador da Nicarágua

  1. Porque que Angela Merkel pode ficar 16 anos no poder e Daniel Ortega não?” Lula

    “Angela Merkel não mandou prender opositores” Repórter

    A Jornalista atropelou o Rei da Cachaça com um basculante e a Quadrilha Petralha não conseguiu anotar a placa….

    eh!eh!eh

  2. NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Esse é o cara, diria Barack Obama, assistindo ao contorcionismo de Lula para passar o pano nas ditaduras da Nicaraguá e de Cuba. Mas o ponto alto foi a comparação entre Merkel e Noriega, realmente Piada do Ano. (C.N.)

    Sr. Newton, a tradução para o português não foi completa., ocultaram o restante que o Obhrama disse.

    “Esse é o cara, de pau””

  3. É a democracia!
    Não basta chamar Maduro do ditador. Putin e tantos outros. Cada país tem seu sistema de governo.
    Cada vó tem o governo que merece. Nós temos Bolsonaro. Estão reclamando de que? O cara foi reeleito n vezes. Assim como Lula iria ser eleito em 2018.

  4. CN, não é a piada, é a cretinice do ano. Seguindo
    nessa linha de raciociio, se um empresário pode ficar rico, porque um traficante não pode, né, lullalau?
    Repugnante!

    • Sr. Silvio Rocha, já nem é mais uma realidade paralela, é uma outra DIMENSÃO.

      Nós nunca vamos entender o Nirvana deles.
      Só pagamos o Nirvana.
      E temos que agradecer e lamber os beiços.

      Um abraço,
      José Luis.

  5. Se o Sistema Eleitoral da Nicarágua permite reeleições sem limite, qual o erro da fala de Lula (???)

    Aqui sabemos que a Constituição da República de 1988 recebeu alteração por Emenda Constitucional para permitir a reeleição de FHC.
    Portanto, foi através de reforma fora daquele período de Revisão Constitucional.

    Infelizmente, foi previsto apenas um momento de Revisão Constitucional, salvi engano em 1990 ou 92, pouco tempo depois de promulgação da Magna Carta, tratamento de certos assuntos com forma e sistema de governo.

    Penso que o momento próprio deveria ser a Revisão Constitucional estipulada para ocorrer de 20 em 20 anos a fim de certos assuntos e a Carta não parecer ultrapassados e esta emendada frequentemente ao sabor e aos ares de governos.

  6. Não tanto passando pano.

    Lula afirmou ao fim:

    “Se o Daniel Ortega prendeu a oposição para não disputar a eleição como fizeram no Brasil contra mim, ele está totalmente errado”

    Logo, ao afirmar isso, ele faz um contraponto na própria afirmação anterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *