Por que o Brasil está importando mais gasolina e diesel se tem produção recorde?

Infográfico: aís quadruplicou a produção de petróleo nas últimas duas décadas

Balança comercial da Petrobras,, em milhões de barris

Célio Martins
Gazeta do Povo

O Brasil tem comemorado um recorde atrás do outro quando o assunto é produção de petróleo. Em novembro do ano passado o país superou, pela primeira vez em sua história, a marca de 3 milhões de barris de petróleo produzidos diariamente. E fechou o ano com outra marca histórica: 1 bilhão de barris na soma dos 12 meses, aumento de 7,8% em relação ao volume produzido em 2018. Mas, contraditoriamente, vem aumentando a importação de gasolina e diesel. Brasil nunca comprou tanta gasolina e diesel de outros países como nos últimos anos.|

O salto da produção se deu, em grande parte, graças ao pré-sal, que em dezembro correspondeu a 66,8% da produção nacional, totalizando 2,1 milhões de barris por dia.

PRODUÇÃO EM ALTA – O país quadruplicou a produção de petróleo nas últimas duas décadas. E na comparação com o mês anterior houve aumento de 2,6% e, em relação a dezembro de 2018, uma alta de 40,6%. O campo de Lula, localizado na Bacia de Santos, foi o maior produtor, registrando 1 milhão de barris/dia de petróleo.

A abundância de combustível fóssil poderia levar alguém a imaginar que, finalmente, o país não precisa mais comprar derivados de petróleo de ninguém, especialmente gasolina e diesel, e que também os brasileiros poderão pagar menos na hora de abastecer o carro.

Na prática, porém, não passa de ilusão. Mesmo com a produção acima do que os brasileiros consomem, o Brasil continua a importar petróleo bruto e derivados.

UM SALTO ENORME – Os números da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que em 2010 a importação de gasolina ficou em 3,2 milhões de barris. De lá para cá houve um salto enorme e, no ano passado, as importações chegaram a mais de 30 milhões de barris, quase dez vezes mais que há uma década. O mesmo aconteceu com diesel: em 2000 eram pouco mais de 36 milhões de barris importados e em 2019 o número passou de 80 milhões.

A explicação para a crescente importação de derivados e dos preços altos, segundo especialistas, está em uma série de fatores, mas basicamente podem ser resumidos em quatro pontos: o aumento do consumo, a baixa capacidade das refinarias instaladas no Brasil, a qualidade do petróleo produzido pelos poços brasileiros, a alta carga tributária sobre combustíveis e a influência dos preços no mercado internacional.

QUESTÃO DO REFINO – “Nós produzimos petróleo pesado e nossa capacidade de refino desse tipo de óleo ainda é muito limitada, sem contar que falta tecnologia. Para conseguirmos processar esse petróleo nós temos que importar óleos finos de outros países. Outro problema é que somos um país de dimensões continentais, tornando mais fácil importar e transportar gasolina e diesel para algumas regiões do país, distantes dos centros nacionais de produção”, diz o professor Celso Grisi, da Fundação Instituto de Administração (FIA).

Para o economista José Mauro de Morais, coordenador de Estudos de Petróleo no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a grande importação de gasolina e diesel está ocorrendo porque não houve os investimentos necessários em refinarias. “Foram planejadas refinarias imensas no Maranhão e no Ceará, mas não deram em nada. Então nós vamos ficar assim por muitos e muitos anos, já que não estamos investindo em refinarias”, prevê.

PRIVATIZAÇÃO – Na avaliação do economista do Ipea, a solução a médio e longo prazos será privatizar o setor de refino de petróleo para atrair investidores – a Petrobras quer vender oito refinarias até 2021. “Mas para isso será preciso manter a liberdade de preços. Se o empresário perceber que os preços estão sendo controlados pelo governo, ele não vai investir no Brasil.”

Sergio Massillon, diretor institucional da Federação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Gás Natural e Biocombustíveis (Brasilcom), tem avaliação semelhante sobre os motivos da importação de gasolina e diesel, mas vê isso como um fator positivo para o país. “A importação de derivados de petróleo é consequência da diferença entre a demanda e a capacidade de os produtores de combustíveis fósseis atenderem à esta demanda. Destarte, a importação é fator positivo pois evita o desabastecimento destes produtos no mercado brasileiro”, ressalva.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Muito importante a matéria enviada pelo comentarista Duarte Bertolini, sempre atento. Mas o repórter entrevistou quem não devia. Deveria ter ouvido os especialistas da própria Petrobras, que lhe contariam uma história bem diferente. A estratégia da Petrobras é inaceitável. Deixam as refinarias com 40% de capacidade ociosa, para justificar a importação de gasolina e diesel. O assunto é importantíssimo e vamos voltar a ele, para abrir essa caixa-preta da Petrobras. (C.N.)

21 thoughts on “Por que o Brasil está importando mais gasolina e diesel se tem produção recorde?

  1. “Destarte, a importação é fator positivo pois evita o desabastecimento destes produtos no mercado brasileiro”, ressalva.”

    -Tá bom. É melhor comprar do que produzir!

  2. “a Petrobras quer vender oito refinarias até 2021. “Mas para isso será preciso manter a liberdade de preços. Se o empresário perceber que os preços estão sendo controlados pelo governo, ele não vai investir no Brasil.””

    -O governo precisa controlar mesmo, pois mesmo controlando, ainda a empresa terá lucro. E quem não puder concorrer, dá sinal que só pretendia entrar aqui no mercado para tirar o couro. Só se o preço estivesse nas alturas.

    • Os preços precisam ser controlados pelo governo, ou, de alguma forma, o governo precisa abrir mão de tributos a fim de que mantenha os preços numa razoabilidade a não prejudicar a economia, os mais pobres, inclusive da classe média (recém empobrecida novamente), com o inflacinamento de preços dos produtos e serviços.

  3. O assunto é muito imporatnte, pois nesta semana tive uma discussaõ com meu filho (engenheiro) sobre a Petrobras.

    Ele, reproduzindo o que ouve de amigos seus, também engenheiros só que trabalhando na Petrobras, me contradisse frontalmente, citando a mesma história de que o nosso petróleo não serve para gasolina, por isso a importação.

    O papo só ficou estranho quando lembrei (isto os jovens não podem fazer, exatamente por serem jovens) que desde criança, quando coleciona a Revista Petrobrás, ouvia de que naõ era possivel liberar os carros a diesel no Brasil, porque a gasolina brasileira não servia para tirar muito diesel, tirava mais outros subprodutos e gasolina, por isso exportvamos gasolina.

    Pode ser que a hsit´roia na essencia seja verdadeira ou seja

    Nosso sistema de processamento e refino é inadequado apar o tipo de Petroleo do do pais”

    Mas em 66 anos ainda nao descobrimos uma forma de aproveitar o maximo d enosso petroleo?

    Nenhum outro pais no mundo tem um petróleo tao “vagabundo” como o nosso?

    Necessitamos ressuscitar Monteiro Lobato , Horta Barbos e outros??

    Talvez uma campanha:

    “O Petroleo poderia ser nosso ”

    Antigamente, não tínhamos petróleo;

    depois nao sabíamos explorar;

    depois nao tínhamos dinheiro para explorar;

    depois nao sabíamos refinar;

    depois tinhamos que nos associar para explorar e refinar ( Abreu Lima diz algo???);

    depois necessitamos de diesel;

    depois necessitamos de gasolina;

    depois necessitamos exportar gasolina para garantir o alcool;

    depois necessiatmos vender a Patrobrars para fortalece-la;

    depois temos que usar a Petrobrar para tudo;

    depois a Petrobras depende visceralmente do governo mas o governo só atrapalha;

    depois o lucro deve ser internacional mas o peso do monopolio e de evitar a quebra, totalmente nacional;

    depois, depois, depois.

    Que tem caroço neste angu, ah! isso tem!!!!!

  4. “Jordan Maxwell, Aaron Russo. Alex Jones, Rick Siegel”

    Tudo paranoico conspiracionista iguais a você, surtado.

    Alex Jones está enfrentando problemas na justiça americana, até mesmo acusações da ex-esposa…

  5. As pessoas enxergam na Privatização uma solução para tudo.

    No caso, porém, passa muito longe do que expressou no artigo.

    Isso porque as estrangeiras que vierem a comprar unidades hoje de estatais vão preferir reduzir a produção ou mesmo interromper e fechar a refinaria. Pois tudo faz parte de uma estratégia mundial que envolve governos estrangeiros do primeiro mundo.

    É fundamental que
    ao menos seja imposto às empresas estrangeiras que venham, tanto explorar, produzir ou refinar petróleo, um percentual obrigatório para o mercado interno – somente podendo exportar o excedente – medida esta que fez parte da política americana décadas atrás.

    E assim, enquanto a gente acha que dá passo à frente, com o tempo, logo recua.

    Quantas grandes empresas estrangeiras não compram concorrentes agindo dessa forma?

  6. Repetirei aqui o comentário do mestre Bortolotto:

    “Infelizmente o que argumenta nosso Editor-Moderador, o grande e experiente Jornalista Sr. CARLOS NEWTON, seria correto se a Petrobras SA fosse uma Empresa Estatal pura, com 100% do Capital Social da União. Lamentavelmente a situação hoje é a seguinte em números levemente arredondados para gravar:

    PETROBRAS SA
    Capital Total ( Ações Ordinárias e Preferenciais).
    40% Estrangeiros
    32% União
    18% Brasileiros ( Pessoas Físicas e Jurídicas)
    8% BNDES
    2% FGTS

    Vemos que embora a União tenha 51% das Ações Ordinárias que dão direito ao Voto e portanto Nomeia o Presidente e parte proporcional da Diretoria, a União só detém 1/3 ou 32% do Capital Total da Petrobras SA. Logo, embora o petróleo/gás seja estratégico e a curto prazo a União deve intervir para evitar VOLATILIDADES, não pode interferir forte no preço de Mercado dos Derivados como fizeram os Governos do PT com péssimos resultados.
    E quem fez a maior DESNACIONALIZAÇÃO da Petrobras SA foi o Governo PARTIDO DOS TRABALHADORES que em 2010 vendeu na Bovespa e Bolsa de Valores NY +- US$ 70 Bi de Ações da Petrobras SA para Investir no Pré-Sal. Quanto a reduzir a alta Tributação dos Derivados de petróleo Brasileiros ( +- 50% do Preço de Bomba) é impraticável porque mesmo assim a União em 2020 ainda está com Deficit Fiscal Primário de +- R$ 124 Bi e totalmente Endividada mesmo depois de todo o grande esforço de Ajuste, e os Estados estão em pior situação ainda, a maioria Endividados e pagando a Folha Salarial parcelada.”

    -Ou seja, o Brasil não é um país, mas uma fazenda e ela já foi vendida, doada, amealhada pelos governantes ladrões. E o pouco que ainda nos resta terá que ser vendido também para tapar os rombos produzidos pelos “entendidos em economia em em roubar!”

    • Há algum engano, amigo Vieira. Defendo a Petrobras porque é uma empresa BRASILEIRA importantíssima. Trabalhei lá por três anos. Jamais a defendi por ser ESTATAL. Mas acontece que vivem criticando afirmações que jamais fiz, as pessoas simplesmente pensam (?) que eu fiz. Aí fica difícil.

      Abs.

      CN

  7. Se o Brasil é autossuficiente em petróleo, por que ainda importa o recurso?
    Juliana Gragnani
    Da BBC News Brasil em Londres – 6 novembro 2019

    “A resposta é bem simples: somos numericamente autossuficientes, produzimos mais volume do que consumimos. Mas os produtos não são os mesmos. Nosso parque de refino ainda não é capaz de refinar grande parte do óleo produzido nem de suprir a demanda interna por outros derivados”, responde, por e-mail, o professor Paulo Couto, coordenador do LRAP (Laboratório de Recuperação Avançada de Petróleo), da Coppe/UFRJ e professor da Escola Politécnica da universidade.

    • Coitado do professor, abriu a boca para dar uma péssima aula. Deveria estudar mais um pouco o que realmente acontece na Petrobras. Amanhã vamos explicar o que precisa ser aberto na caixa-preta da empresa.

      CN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *