Por que padres e pastores sempre detestaram a reencarnação?

12José Reis Chaves
O Tempo

Muitos padres e pastores acreditam e querem que a salvação dos seus fiéis tem que passar por eles, o que não é novidade, pois eles, como todos nós, são seres humanos ainda muito imperfeitos e, portanto, egoísticos.

Assim, apesar de os líderes religiosos falarem muito na doutrina paulina da graça, segundo a qual a salvação nos é dada de graça, eles dão a entender que seus fiéis têm que estar unidos a eles, sem o que não haveria salvação. Daí que muitos dizimistas dão-lhes vultosos valores em dinheiro e em outros bens materiais para conseguir ficar bem com eles, o que, psicologicamente, faz os fiéis se sentirem falsamente seguros diante de Deus e até com certa tranquilidade para adquirirem a salvação, como se ela pudesse ser comprada com o dízimo!

Até que é bom estarmos bem e em paz com todo mundo. A nossa evolução espiritual e moral leva-nos para essa paz e harmonia com todas as pessoas, inclusive com os líderes religiosos. Jesus foi enviado por Deus ao nosso mundo, exatamente, para trazer para nós o Evangelho, que é um manual de regras que nos ensina como podemos acelerar a concretização da nossa harmonia com Deus, com todas as pessoas e com todos os seres vivos do universo, harmonia essa que torna realidade a nossa felicidade.

E a base dessa harmonia, não só no cristianismo, mas em todas as religiões, está nessa convivência pacífica e amorosa não só com os padres e pastores, mas com todos os nossos semelhantes. E essa harmonia com todos se transforma em bem para nós mesmos, pois colhemos o que semeamos. O Mestre dos mestres diz que a cada um será dado de acordo com suas obras.

CÉU E INFERNO

Não existem um céu e um inferno estáticos, geográficos e sempiternos. Uso no plural esse adjetivo “sempiternos” porque é ele que, verdadeiramente, significa “para sempre”. Realmente, eterno (“aionios”, em grego) tem o sentido de tempo indeterminado, indefinido, e não de “para sempre” como entrou em nossa língua portuguesa e outras. E um ensino de Jesus deixa-nos, também, claro, que não existem mesmo essas penas “sempiternas” ou sem fim: “Ninguém deixará de pagar até o último centavo” (Mateus 5: 26). Quando, pois, estivermos quites com os nossos débitos cármicos, não vamos pagar mais nada, o que joga por terra totalmente as penas sempiternas.

Como todos nós sabemos, o cristianismo tomou outros rumos bem diferentes daqueles do tempo dos apóstolos e das primeiras gerações cristãs. Ele passou a ensinar outras “verdades”, que foram impostas pela força. E a função dos líderes religiosos transformou-se numa profissão, às vezes, até muito rendosa. A exceção está com os líderes espíritas, que procuram reviver aquele cristianismo primitivo. E um detalhe: Enquanto os líderes religiosos, como vimos, têm na religião seu ganha-pão, os líderes espíritas são voluntários, não vivendo da sua religião, mas para a sua religião, o que incomoda muito os outros líderes religiosos. E é por isso que o espiritismo é a religião mais atacada, mais difamada e a mais caluniada!

E do espiritismo, o que mais incomoda os padres e pastores é a reencarnação, que é de fato uma grande verdade evangélica ocultada por eles durante séculos, a qual até conta com o aval de vários segmentos científicos. Ademais, sem ela, seria falsa a tão decantada misericórdia infinita de Deus!

53 thoughts on “Por que padres e pastores sempre detestaram a reencarnação?

  1. Olha, o seu texto parecia ser mais interessante.
    Mas essa de jogar o espiritismo como o coisa do bem, bacana, pura, isso tudo demonstra falta de humildade e chega a transbordar orgulho. Dizer que os religiosos só pensam em dinheiro é uma covardia. Você tá pegando no atacado todo mundo.
    E eu nunca vi um padre pregando que a salvação está na doação à Igreja, na obrigatoriedade do dízimo.
    O senhor confunde certas práticas mercantilistas de alguns pastores e acaba jogando tudo dentro de um mesmo balaio, o balaio das religiões cristãs. Isso é mais uma vez covardia. Mal caratismo.
    O senhor tá pegando trechos do Santo Evangelho e ao invés de analisá-lo num contexto, usa como pretextos que justifiquem uma outra religião, que é o espiritismo… Isso é aproveitamento.
    Quanto ao espiritismo, prega um autorredenção humana, mas isso não existe. O homem por si só é fraco. O homem é ambicioso, invejoso, FRACO. A fraqueza nos humaniza.
    Você usar dos valores de uma crença para tentar justificar outra é aproveitamento barato.
    Você usar trechos do Evangelho para justificar o espiritismo, ao fazer isso está desconsiderando o que muitos homens sábios vêm estudando ao longo de 2000 anos… Você se baseia tudo na premissa de um único homem inteligente, tão inteligente que conseguiu formar uma religião, estou falando de Alan Kardec. Agora quanto a Jesus, Ele era o próprio Deus na terra, creia você ou não.
    Nele sim está a redenção humana. Ele é forte suficiente para fazer que o ser humano supere tudo. Sua Palavra é alento para tudo. Sua Palavra se encaixa em tudo que imaginar. Sua Palavra é a coisa mais completa que alguém seria capaz de fazer. Quer saber de uma coisa, sou católico, mas não pago dízimo, nunca um padre veio me pedir dinheiro.
    Que não faltam padres sacanas por aí, porém, eu não tenho nenhuma dúvida. Que a cnbb tem umas atitudes ridículas, como a causa da reforma política, isso é fato. Que Sua Santidade tem tido um comportamento inaquedado, isso é sem dúvida.
    Agora que existem falsas igrejas que não a católica por aí explorando a boa fé alheia, isso é verdade também. Mas também, pra ser honesto, só tive oportunidade de conversar com um pastor uma única vez na vida, e este pastor me mostrou ser uma pessoa muito prudente, por isso nem quero discutir a causa das igrejas evangélicas.
    Claro, assim como espíritas interpretam à Palavra conforme suas premissas e A adapta para se justificarem, há segmentos cristãos que realmente deturpam o Evangelho. Veja o caso da teologia da prosperidade, um despautério sem pé nem cabeça, tudo pra encher o bolso de sei lá quem. E outra coisa maléfica, a teologia da libertação. Aqui eis realmente um estupro do Evangelho.

    • Os espíritas são cristãos.
      A reencarnação um fato.
      Me mostre um escândalo entre os espíritas.
      Não há corrupção, pedofilia, ou qualquer outo desvio, de caráter ou social.
      Os espíritas, de fato, se orientam pelas palavras de Cristo.
      Perdoar é a palavra chave.
      Solidariedade é a conduta.
      Smor é a missão.
      Por isso falar mal dos espíritas sem os vonhecer, é falta de caráter.
      Que Deus o ampare na sua misericórdia.

      • Apontar erros dos outros eu não posso apontar de ninguém.
        Quem acusa um pedófilo é a justiça não sou eu não; quem define o ser pedófilo não é uma instituição em si, mas um indivíduo. O senhor me pedi pra eu apontar um pedófilo, um escândalo de um espírita é realmente brincadeira, pois além de me colocar em sinuca imoral, o senhor chega aos ares do absurdo de associar crença religiosa com caráter individual. Nisso o senhor está condenando a todos os que não comungam com sua crença. Ora, se não existisse escândalo entre espírita então qualquer escândalo no mundo pode vir de qualquer canto menos de um espírita. Isso vai além das raias do absurdo, sem disassociar de arrogância, ideia de pureza. Onde está a arrogância e a ideia de pureza está a ideia de presunção; a presunção é similar a orgulho. E orgulho é o inverso de toda doutrina cristã: que prega humildade.

  2. Escrevi várias vezes que não é dado ao homem saber a verdade a respeito do “outro mundo”.
    Muito menos que, cientificamente, a reencarnação está comprovada, caso contrário, teríamos as explicações sobre “para onde vamos”.
    Nesta linha de pensamento, também não creio em uma vida somente, pois teria sido um desperdício a existência humana tão efêmera, pois dotado de uma inteligência que ultrapassa seus limites terrenos.
    Não que eu não admita a possibilidade de ir e vir deste plano para outro, agora que seja para expiarmos nossas vidas pregressas até a “faxina” total de nossos erros e não mais retornar a este mundo de aperfeiçoamentos, digamos assim, então acabará um dia o planeta Terra e o ser humano continuará na fila à espera da reencarnação porque em dívida com ele e seu próximo.
    Acho que não é tão simples assim.
    Da mesma forma, uma existência isolada e vamos aguardar o Juízo Final, sabe-se lá por quantos milhões de anos!
    Seria o caso de se perguntar a Deus, se possível fosse e Ele consentisse, a respeito daqueles que nasceram com deficiência física ou mental;
    Que nasceram em ambientes que lhes condenaram à marginalidade;
    Que jamais tiveram o calor de uma família e seu amparo e proteção;
    Como ficaria a situação dos índios, aborígenes, tribos africanas, que nunca foram catequizados ou conheceram a Bíblia e o Novo Testamento;
    Dos que nasceram e morreram em seguida, em tenra idade;
    E sobre as mortes coletivas, tipo acidente de avião, de trem, navios que afundaram, guerras, e que levaram milhões embora sem que lhes fosse esta a vontade, interrompendo seu ciclo de vida, realizações, crescimento individual e social;
    Ou, então, sobre as pessoas que professam outras religiões, tanto monoteístas quanto politeístas, de que maneira seriam julgados com os demais?
    A verdade é que temos somente dúvidas e não certezas.
    E não se trata de falta de fé ao se questionar as possibilidades existentes que não constam no Novo Testamento ou porque Kardec não previu ou, se imaginou, lá pelas tantas poderia estar equivocado.
    Assim como o Budismo, que nutro muita simpatia por esta doutrina, apenas não aceitando e de forma categórica, que a reencarnação possa se dar em formas de vidas as mais diversas, inclusive formiga, baleia, papagaio, cachorro, onça, cobra … pois seria simplesmente uma involução. Claro, posso estar errado por que não?
    Portanto, antes de se pensar na outra vida, temos de levar esta em dia, adequada, correta, na medida do possível, e que a contabilidade final aponte mais dados positivos que negativos.
    O que acontecerá depois, só Deus sabe.

  3. O senhor fez reflexões memoráveis, Sr. Bendl.
    Eu compreendo sua preocupação com os que vieram ao mundo com deficiência, órfãos, pobres…
    Pois penso exatamente o seguinte: os problemas que temos são o que nos moldam no caráter.
    A dificuldade existe para ser superada.
    Se todos já nascessem belos, ricos, bons, onde estaria então o campo para a transformação pessoal? Onde ficaria o espaço para a autorresponsabilidade? O que de tempo seria dedicado à contenção dos impulsos imediatos?
    Logo, cada um tem e precisa da sua própria cruz para viver. A gente precisa tanto das dificuldades do dia-a-dia para suprir o espírito quanto do pão e água e oxigênio para manter a carne. Daí não estou querendo ser masoquista, pelo amor de Deus!
    Mas acho que não precisamos é nos desesperar à toa. Criar terror diante o terror não vai ajudar em nada, ao contrário é tão eficiente quanto apagar fogo com uma tocha na mão.
    Sem querer entrar na psicologia da ajuda, que aliás acho que serve pra muito pouco, porém onde se ver um problema, acho que deve ser frisado uma solução. Onde houver lacunas, ver meios de preencher as lacunas. Preencher o vazio das faltas com o conteúdo do próprio esforço e superação. A superação é que dá os momentos de felicidades. E a felicidade é o que todos desejamos.
    Logo, Deus fez tudo certo. O homem que é fraco, chorão, criança… É hora de se assumir de verdade.
    Nossa, e quanto à parte de se voltar depois à vida em formas não humanas é um horror!
    Se se em outras épocas se ameaçava à fraqueza moral com a ardência do couro no fogo eterno do inferno, agora ameaça-se com uma reencarnação em forma de carangejo, cabrito, borrego… Quanta criatividade!

    • Prezado Francisco Menezes,
      Assim escreveste:
      “Logo, cada um tem e precisa da sua própria cruz para viver”.
      Pergunto:
      Diante de se ter somente uma vida, quais foram os critérios divinos para que algumas existências viessem tão bem e outras com tantas dificuldades?
      Um sindrômico não tem como lutar da mesma forma que alguém plenamente dotado de físico e mente, convenhamos;
      Da mesma forma um tetraplégico em comparação a uma pessoa saudável.
      Portanto, a cruz de cada um precisaria ser questionada sob a égide de uma existência apenas, e as razões pelas quais Deus determinou que este ou aquele viessem em condições bem mais difíceis de carregar as suas dificuldades, que outros teriam como carregá-la de maneira mais suave, digamos.
      Esta questão de nascimentos de gênios, por exemplo, Einstein, Wagner, Mozart, Verdi, Balzac, Machado de Assis, Tolstoy, Cervantes, Descartes, Schopenhauer, Buda, Kardeck, a meu ver seria uma injustiça para nós, simples mortais, não achas?
      Por que estes citados foram dotados de tanto talento e vocação, inteligência e criatividade, enquanto que a maioria absoluta apenas bate palmas?
      Tais discrepâncias me lembram o célebre escritor australiano, ex-padre, Morris West, autor de As Sandálias do Pescador, que virou filme, estrelado pelo notável Anthony Quinn, já morto.
      O livro que me reporto e de sua autoria, que aborda essas diferenças entre seres humanos, chama-se Os Fantoches de Deus.
      Ainda resta alguma esperança, ainda existe alguma possibilidade de sobrevivência da humanidade? E quem poderia ser o instrumento da salvação do homem?
      … Ou os pequenos fantoches de Deus – as crianças que não contam com inteligência ou perspectiva – podendo apenas exibir um sorriso meigo?
      Um abraço, Menezes.

      • Sr. Bendl, os critérios quem a de conhecê-los são as próprias pessoas conforme as próprias necessidades ou excessos. Tentar entender os critérios de Deus para com os outros isso já é julgar o mundo conforme a medida do próprio nariz. A medida que se usa pra medir a si próprio não pode ser usada pra calcular e medir a medida alheia. Logo, a medida leva ao conhecimento do critério. Como cada um tem sua própria medida, só a cada um é dado a possibilidade de conhecer os critérios de Deus na sua vida.
        Se eu disser que a vida de um sindrômico é ruim, isso eu estou afirmando baseando a vida dele no critério que é a minha vida, de acordo com parâmetros que me satisfaz, medindo com o que sobra de mim. Isso por si só é um equívoco. Do mesmo modo seria um equívoco eu dizer que a vida de alguém mais rica, família organizada etc. fosse melhor que a minha, pois neste caso estou medindo de acordo com o que falta pra mim. Observe que quando se julga critérios, você julga os seus critérios como parâmetro-mor, o que é uma cilada.
        Isso se estende a outros pontos como o senhor citou. Veja, dizer que Einstein, Kardec, Machado Diassis são mais mais inteligentes e dotados que o senhor, o senhor incorre no vacilo de julgar os critérios de Deus com base num conhecimento que lhe falta em relação a esses sujeitos, que seria o conhecimento de física, de espitualidade, de cultura literária… O senhor entendeu a dinâmica, Sr. Bendl?
        Com certeza, Einstein não nasceu sabendo física. Machado Diassis não nasceu escrevendo. Kardec não nasceu pregando. Foram homens que se dedicaram a estudos específicos. Daí o mérito.

        • Legal, Menezes, muito bem escrito.
          Mas posso discordar de ti, não posso?
          Posso interpretar que talento e vocação não se aprende, se nasce com eles e por quê?
          Ora, se o esforço compensasse predicados, jogadores de futebol hoje seriam como Pelé!
          Há mais preparo físico; usa-se de mais tática e estratégia no futebol; há mais profissionalismo.
          Meu caso:
          Acho que escrevo em demasia.
          LONGE DE MIM, MAS MUITO LONGE, A PERDER DE VISTA, que eu venha a ser um escritor por mais medíocre possível, menos um literato famoso!
          Da mesma forma um Senna, caso contrário, qualquer motorista de caminhão ou ônibus pelas horas que dirigem seus veículos seriam excepcionais pilotos de corrida e, no entanto, nos defrontamos com cada barbeiro!!
          Podemos melhorar a nossa performance, eu diria, mas angariar talento e vocação vai uma diferença abissal.
          Então por que alguns as possuem e a maioria das pessoas não?
          Assim como a beleza (beleza interior é para decoradores, diz a piada).
          Não adianta a mulher que não é bela ou o homem que é feio irem malhar; cuidar da pele, roupas da moda, se as pessoas não voltam os rostos para eles ao andar pelas ruas.
          Ora, por que uns nascem tão formosos e outros tão apavorantes?
          Por que Deus concedeu a certas pessoas o encantamento e às demais imagens comuns ou não lá muito agradáveis?
          De onde o critério utilizado?
          E, posso sim, perguntar-Lhe sobre tais diferenças que não estou sendo orgulhoso ou deixando de ser humilde.
          Isso se Ele quisesse me responder ou continuar mantendo o seu silêncio enigmático.
          Portanto, Menezes, são questões que não estão respondidas, que precisam ser esclarecidas, que não adianta a crença que tens que vai elucidar as minhas dúvidas, pois não temos um comportamento padrão, muito menos a nossa mente pode ser bitolada, se é que entendes a minha dinâmica com relação à minha vida e existências que observo.
          Bom prá ti, que segues com as tuas convicções e, eu, com as minhas dúvidas.
          Outro abraço (nessas alturas acho que devo te pedir permissão).

          • Pode sim, senhor Bendl, o senhor pode discordar sem problema. Rsrss. E permito o abraço sim.

            Agradeço o elogio pela minha escrita. Seu modo de pensar é bem simples e real. Os seus questionamentos são os de muitas e muitas pessoas, inclusive meus também, em certa medida.
            O meu argumento proposto tem um único objetivo: fazer as pessoas entenderem que o importante é o que elas têm. Pra não viver com aquilo que não têm.
            Ora, quem não desejaria ter nascido belo? A formosura é um fenômeno encantador. Mas se a pessoa não tem formosura, viva com sua feiúra. Aceite-a. Realmente, este papo de beleza interior é conformismo de galinheiro. Mas se a criatura é feia, viva a feiúra. Culpar Deus? Ora, Deus já deu a vida. A vida precede à beleza. Viver do que não se tem é a pior escravidão que existe. O ser que vive do que não tem e para o que não tem é um miserável que sequer conseguiu agradecer pelo que pouco que tem. Mais uma vez, observe que meu discurso pauta na autoaceitação. Autoaceitação não é mesma coisa que conformismo. Conformismo é entregar-se. Autoaceitaçao é mais um reconhecimento e se conhecendo pode-se seguir em frente, sem negar a si mesmo. Indivíduo nenhum pode negar a si mesmo. A pior degradação é negar a si mesmo. Quem nega a si mesmo nega a vida que Deus lhe deu.

  4. Estudiosos afirmam que até o século 4, o Cristianismo primitivo aceitava a Reencarnação. Meu querido Budismo vai além e fala que podemos Renascer na forma de insetos, vegetais e minerais. É como se o Espírito ficasse preso, naquela forma insetívora, tipo uma prisão. A Evolução não é em linha reta, não é ascendente, mas em espiral.

    Novidade: li hoje, clareando o dia, que Santo Antônio compartilhava o pãozinho e assim ele pode ser considerado o Pai do Socialismo Espiritualizado. Estamos no mês dele, não apenas o protetor dos Enamorados, mas é uma Energia de Encontro, que ajuda a encontrar coisas que você queira ou precise.

    No Esoterismo afirma-se que Ananda, o primo irmão de Buda, um Ser tão elevado, depois renasceu como Santo Antonio.

    Respeito todas as interpretações, não quero magoar ninguém, mas adorei saber que o Espírito (Bodhisatva) Antonio de Lisboa, onde morei, é o Pai do Socialismo Equilibrado.

    • Meu caro amigo Rocha,
      Esperava eu a tua participação neste tema porque sei que adotas o Budismo como doutrina.
      Gosto de ler teus comentários a respeito, pois o fazes com a calma devida, a paciência necessária e a tolerância de sempre.
      A contemplação que se aprende no Budismo deve ser extraordinária.
      A pessoa voltar-se para ela mesma, pensar, viver em paz e transmitir a paz, é mesmo de suma importância.
      Inegavelmente compreender-se em primeiro lugar e depois os outros com base em nós mesmos ou nos eleva ou, lá pelas tantas, queremos que o mundo pense a aja igual a nós, criando um isolamento entre o próprio ser humano que, a meu ver, é comprovado pelos monges, que vivem isolados ou padres e freiras que estão enclausurados porque assim querem viver, longe das tentações mundanas.
      Também não sei até que ponto essa existência seja útil, pois se encontraram um refúgio a suas vidas, também renunciaram à luta diária, em fazer o bem a outrem, em estender as suas mãos aos que necessitam tanto de ajuda.
      Enfim, eis a dicotomia natural do ser humano:
      Vida espiritual ou material?
      Mas, como atender ao espírito se está preso em um corpo físico?
      E como viver apenas materialmente, se é o espírito é quem nos impulsiona à frente?
      Um abraço.

  5. Sr. José Chaves, parabéns pelo artigo, O “Evangelho de Jesus”, é o “Código da Vida”, e a Reencarnação, consta de forma contundente de sua existência, na Parábola da “conversa com o Dr. da Lei Judaica: NICODEMOS, em razão da “Ressurreição”, que ele acreditava, mas, não sabia como e acontecia, e JESUS, A EXPLICOU O QUE ERA, E COMO ACONTECIA. AS PARÁBOLAS:(S.MATEUS, CAP.XVI, VV.13 A 17; S.MARCOS, CAP. VIII VV.27 A 30; S.MARCOS CAP.VI, VV.14 A 16; S.LUCAS, CAP. IX, VV 7 A 9; S.MATEUS,CAP.XVII.VV.10 A 13; S.MARCOS, CAP.IX, VV. 11 A 13.), A VOLTA À VIDA MATERIAL, CHAMADA “RESSURREIÇÃO”, DO CORPO FÍSICO, É IMPOSSIVEL, E A “DOUTRINA ESPÍRITA”, EXPLICA À “REALIDADE”, NA CONVERSA COM NICODEMOS: O QUE NASCIDO DA CARNE É CARNE E O QUE É NASCIDO DO ESPÍRITO É ESPÍRITO, JESUS ESTABELECE A DISTINÇÃO POSITIVA ENTRE ESPÍRITO E O CORPO. O QUE É NASCIDO DA CARNE É CARNE INDICA CLARAMENTE QUE SÓ O CORPO PROCEDE DO CORPO E QUE O ESPÍRITO INDEPENDE DESTE.
    Caro irmão em DEUS FRANCISCO MENEZES, o Professor e sábio Hippolyte , respeitado por seus pares, não fundou o “ESPIRITISMO”, Ele CODIFICOU, “MENSAGENS” VINDAS DO MUNDO ESPIRITUAL, ADOTOU O “NOME DE ALLAN KARDEC”, POR RECONHECER, QUE NÃO ERA OBRA SUA, E DEU O TITULO “LIVRO DOS ESPÍRITOS”, DANDO À PUBLICO, EM PARIS EM 18 DE ABRIL DE 1857, SEGUINDO MAIS 4, SENDO O “TERCEIRO” O “EVANGELHO DE JESUS”, SEGUNDO O ESPIRITISMO, COMO “CÓDIGO MORAL”.
    Kardec não fundou RELIGIÃO, Ele Codificou “CIÊNCIA E FILOSÓFIA” DADA PELOS ESPÍRITOS, que tem como consequência o AMOR FRATERNO CRISTÃO, no “Religar” os que seguem em VERDADE, o Evangelho, e nunca taxou a “Doutrina Espírita” como Religião.
    Caro Menezes, em nome do Mestre, a partir do “Concilio de Nicéia”, do “pacto dos bispos com Roma” quanto sangue e dor tem sido derramado, peço à DEUS, pelo PAPA FRANCISCO, pela coragem e MORAL levando a “FOCOS DE LUZ” a HUMANIDADE DESGARRADA DO AMOR FRATERNO CRISTÃO.
    Permitam reproduzir, o que foi publicado neste BLOG, para nossa meditação e reflexão, de um seguidor de JESUS, sendo HINDUÍSTA: GANDHI: NÃO CONHEÇO NINGUÉM QUE TENHA FEITO MAIS PARA A HUMANIDADE DO QUE JESUS. DE FATO, NÃO HÁ NADA DE ERRADO NO CRISTIANISMO. O PROBLEMA SÃO VOCÊS, CRISTÃOS. VOCÊS NEM COMEÇARAM A VIVER SEGUNDO OS SEUS PRÓPRIOS ENSINAMENTOS.
    Caro Menezes, o verdadeiro ESPÍRITA não faz proselitismo, respeita a consciência e livre arbítrio do próximo, busca a pratica do AMOR FRATERNO, por CRER NA REENCARNAÇÃO, QUE É ESPÍRITO EM EVOLUÇÃO À CAMINHO DA LUZ DIVINA, NÃO TEM “SACERDOTES” COMO ESPÍRITO ENCARNADO, CONVERSA COM OS DESENCARNADOS, BUSCANDO INFORMAÇÕES PARA O “ESFORÇO” DE PAUTAR SEU CAMINHAR NESTE MUNDO DE DOR, EM FRATERNIDADE CRISTÃ.
    O Sr. CHAVES, em seu artigo, mostrou “facetas” negativas DAS RELIGIÕES, inclusive o irmão também o faz, mas…certas palavras doem, e não ajudam à “busca da LUZ”, e como ESPÍRITA, ex- Católico, ao citar Kardec, como “fundador de”Religião”, me senti, obrigado a “informar” sobre alguns conceitos da “DOUTRINA ESPÍRITA”, COMO CIÊNCIA E FILOSOFIA.
    2/3 da Humanidade creem na REENCARNAÇÃO HÁ MILÊNIOS, A 2 MIL ANOS, JESUS A REFERENDOU, MOSTRANDO COMO LEI DIVINA, PORTANTO CÓSMICA, ONDE ENCONTRAMOS ÀS RESPOSTAS: SAÚDE/DOENÇA, RICO/POBRE, PERFEITO/ALEIJADO, SÓ AS “CHAMADAS RELIGIÕES CRISTÃS”, A RENEGAM, APESAR DO “REFERENDO”DE JESUS, O CRISTO.
    QUE O PAI CELESTIAL ILUMINE NOSSAS MENTES E CORAÇÕES.

  6. Se nascem muito mais pessoas do que morrem, onde é que fica a “fábrica” de almas?
    Acreditar na reencarnação é muito bonito para se fazer filmes; mas levá-la a sério é falta de lógica, para dizer o mínimo.
    Mais uma perguntinha: Porque os hospitais espiritas, tem como primeira característica o tratamento de transtornos mentais?

    • Prezado Ronaldo Luiz,
      Não seriam, por acaso, os transtornos mentais que mais nos atormentam a vida?
      Não seriam essas pessoas que devem ser mesmo auxiliadas, amparadas e cuidadas?
      E, lamentavelmente, as mais repudiadas pelos hospitais e clínicas, salvo rios de dinheiro para interná-las?
      Minhas reverências a esta obra espírita maravilhosa, imensurável na sua importância porque recebe o perturbado, o confuso, a sua mente em grandes atribulações.
      A meu ver, um dos maiores exemplos de amor pelo próximo.
      Um abraço.

    • Tema instigante, prezado Ronaldo, existem mais de uma Lógica, podemos vê-la pluralmente… Lógicas Ocidentais, Lógicas Orientais, Lógicas Budistas etc. Espíritos de Luz afirmam que a tal “fábrica de almas” fica no Espaço, A Terra pertence um total de 10 bilhões de almas, temos 7 bi encarnadas, faltam ainda 3 bi, que ficam se preparando. Pode-se tb reencarnar/renascer em outros planetas… qto aos Hospitais Espíritas não tenho conhecimento disso, mas lembro que, de acordo com o Budismo, tudo nasce primeiro na Mente (bom ou mal) e muitas vezes os transtornos são influenciados por obsessores, veja por exemplo, essa tristeza que anda acontecendo com crimes de faca no RJ. Espíritos do Mal influenciam pessoas desequilibradas e elas cometem crimes… um dia a Ciência vai aceitar isso, não importa se no século 25 ou 30… Abraços…

    • Caro Ronaldo, a matéria (o corpo) por sí mesma , é inerte, quem lhe dá “vida” é o ESPÍRITO, que tem uma “bagagem” de vidas sucessivas (reencarnações), evolutivas, com “amor e desamor fraterno”, ou como consta no V.Testamento, ora sendo “Caim” ora “ABEL”, simbolicamente, representam o MAL e o BEM, como temos sido mais “CAIM”, o resultado está EM NÓS e à nossa volta.
      A Consciência é o repositório de nossas ações (obras), boas ou más, e a “MENTE” é o “canal” que forma o “corpo carnal” sobre o “corpo espiritual”, que quando está “lesado” por vidas anteriores, pelas nossas ações(obras) negativas, formará um corpo físico defeituoso, razões da má formação, mesmo com os “GENES dos Pais, sadios, para formação perfeita.
      A “DOUTRINA ESPÍRITA”, É CIÊNCIA E FILOSOFIA, NÃO FOI CRIADA PELO “HOMEM”, FOI DADA PELOS “ESPÍRITOS” EM MENSAGENS, NÃO SE “IMPÕE” NO “CRÊ OU MORRE”, INFORMA PARA QUE À “LUZ DA RAZÃO E LÓGICA”, decida à “AÇÃO”- E PRATIQUE (EXEMPLIFIQUE), NO LEMA “FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO”,
      NÓS DO CHAMADO MUNDO CRISTÃO, AINDA NÃO COMPREENDEMOS “DEUS” COMO PAÍ MISERICORDIOSO, APRESENTADO POR JESUS, E FICAMOS COM UM “DEUS” DO VELHO TESTAMENTO, RANCOROSO E PARCIAL, DANDO A POUCOS ÀS BENESSES DA MATÉRIA, E A MAIORIA, A DOR.
      Faça o teu Coração, o Templo de DEUS, e estudemos o Evangelho, tendo olhos para ver e ouvidos para ouvir, sem cunho Religioso ou Religiosidade, mas…”COMO CÓDIGO DA VIDA”.

  7. Ronaldo, perdão pelo meu esquecimento.
    Quanto à fábrica de almas, na razão direta que somos “fabricados” por um homem e uma mulher (que conclusão magnífica esta minha, mas foi em tom de retórica, por favor), evidente que nossos componentes mentais, espirituais e corporais são delineados a partir da nossa concepção, que se somam mais tarde com o nosso crescimento e aquisição de experiências, afora um comportamento bom ou não que definirão nosso caráter e personalidade, levando sempre em consideração vínculos físicos com nossos genitores, que serão também fundamentais à formação desse novo ser humano e desta alma “novinha”.
    Quer dizer, acho que é assim, pois também especulo, e podes me contestar à vontade.
    Mas, observa:
    O homem e a mulher que se desenvolvem belos, admirados por todos, vamos e venhamos, a vida abre portas a todo instante, fruto da união do homem e da mulher que “construíram” aquele ser bonito(a).
    Agora, no meu caso:
    Grande, feio, fora de moda, pobre, burro … deu no que deu!
    Claro que não fiquei sentido com meus pais, pois, em compensação, meus filhos e netos são estupendos!
    As netas são especiais e, os netos, incomparáveis.
    Pronto. Eis a receita para frustrações em termos de beleza física:
    Nossos descendentes, que nos fazem alegres e felizes, agradecendo permanentemente a Deus a nossa existência e testemunhar, sentir, viver, tamanha onda de satisfação e contentamento.
    Um abraço.

  8. Detestam a Lei de Reencarnação por uma série de motivos, é verdade. Mas gosto de citar 2 deles:

    1. Vendem aos seus fiéis uma salvação rápida e fácil: basta uma só passagem pelo planeta Terra e já estão “eternamente salvos”. Rápido, não?! Desde que aceitem Jesus, por exemplo. Uma aceitação fácil e sem muitos esforços! Sem a necessidade da prática constante da caridade incondicional. Desde que também contribuam, é claro, com constante soma financeira para suas agremiações religiosas;

    2. Sendo sacerdotes de suas correntes religiosas, imaginam que já estão automaticamente “salvos”, pois “se consideram” representantes da divindade no planeta. Eleitos, agraciados, ou algo parecido! A Lei de Reencarnação portanto os deixa arrepiados, porque sob a vigência desta não há nenhum “privilegiado”, no mais amplo sentido. Esta Lei Universal de Reencarnação é a meritocracia plena, demonstrando o quanto Deus é soberanamente justo e bom!

    Aproveito o ensejo para divulgar o site da Federação Espírita Brasileira, para os que quiserem conhecer um pouco mais do Espiritismo. Por lá podem inclusive fazer donwloads gratuitos dos livros de Allan Kardec.

    FEB: http://www.febnet.org.br/

    • O médium e conferencista internacional espírita Divaldo Pereira Franco já proferiu incontáveis palestras sobre o tema “Reencarnação”, em muitos países deste planeta Terra.

      Há inclusive no youtube alguns vídeos de tais palestras, sobre o tema.

      Resolvi então divulgar um deles, que tem por título “Enfoques sobre a Reencarnação”. Quem desejar pode assistir, clicando abaixo:

      https://www.youtube.com/watch?v=3JrMuONkfv0

      Abraços a todos.

      • Caro Isac,
        Citaste um nome que respeito, que tenho por ele grande admiração: Divaldo Pereira Franco.
        Uma pessoa incomum.
        Vou mais longe: um catequista do Espiritismo, cujos conhecimentos o colocam como o mais importante espiritualista do mundo!
        E, antes que tu me venhas com meia dúzia de pedras na mão para jogá-las na minha cabeça, e com toda a tua força, posso discordar do célebre Divaldo em algumas situações ou não?
        E não me venhas com a pergunta de sempre:
        – Quem és tu pra discordar do Divaldo?!
        Pois justamente por eu não saber o que ele sabe, as minhas dúvidas; exatamente por não entender tão bem a sequência da vida terrena no mundo espiritual, que não tenho as suas convicções, simples.
        Agora, meu caro amigo, por eu não saber não significa que devo acreditar sem questionar;
        Por eu ter dúvidas, não que dizer que, em frente a alguém infinitamente mais bem preparado, eu deva admitir e aceitar as suas idéias sem ele ouvir antes as minhas colocações, e por mais ridículas que elas sejam.
        Em outras palavras:
        Por sermos seres humanos somos limitados, não temos o dom de conhecer o Universo, muito menos a vida espiritual se esta existir ou não passar de um produto da nossa imaginação como RECURSO EM PROVEITO PRÓPRIO OU NA ESPERANÇA que esta vida continue!
        Um forte abraço, Isac.

      • Na Paraíba temos o cirurgião-dentista Severino Celestino (periodontista, doutor em Clínica Odontológica e professor aposentado da Odontologia da UFPB) que também se tornou Doutor em Ciências das Religiões.

        Hoje ele é coordenador e professor da pós-graduação (especialização) em Ciências das Religiões, na mesma Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa-PB.

        Severino Celestino é espírita! Fala e escreve o hebraico, e tem conhecimento de outros idiomas também. É também conferencista internacional espírita, escritor (com vários livros publicados), tradutor, além de grande pesquisador da Ciência das Religiões.

        Divulgo abaixo um vídeo de conferência dele, abordando o tema “Vidas Sucessivas – Provas e Evidências”:

        https://www.youtube.com/watch?v=DNzVU2GODo4

        Assistam ao vídeo se puderem, e no próprio youtube poderão encontrar diversos outros vídeos do inteligentíssimo Dr. Severino Celestino.

        Abraços a todos.

  9. Eu não sei fazer limonada. Já Bendl é imbatível nessa arte, mesmo usando o mais azedo dos limões. Confesso que não sei argumentar contra quem já vem com uma pauta pronta cheia de verdades particulares e fés impostas, como “Jesus era o próprio Deus na terra, creia você ou não”, “a reencarnação é de fato uma grande verdade evangélica” e “mensagens vindas do mundo espiritual”.

    Aliás, contra a fé, não há argumentos mesmo. Eu só acho que ela é um negócio tão particular que não deveria ser externada, já que para os outros que não rezam pelo mesmo catecismo, a sua, habitualmente, é considerada como ridícula. Eu, por exemplo, acredito no Bule de Chá, de Bertrand Russell, que gira em torno do Sol em uma órbita elíptica entre a Terra e Marte, mas não tenho coragem de confessar por temer parecer tão ridículo quanto os outros, embora duvide que alguém possa refutar minha crença.

    Apesar da maioria negar, cada palavra dita por um crente é sempre parte do proselitismo da sua fé – entenda-se como crente o sectário de uma fé religiosa – e, sendo assim, qualquer discussão é inviável.

    • Rsrss. Fica realmente discutir assuntos de religião. Por que se você acredita nalguma coisa, claro, você vai puxar pro seu lado, logo seu interlocutor que não acredita o acusará de embrutecer o diálogo. Por outro lado, se você for discutir religião usando as premissas de crer num Bule de Chá, sem dúvida você vai querer pautar a discussão nessa sua descrença. Então, querer puxar a conversa pra que lado? Pro da fé? E deixar o descrente sem saída. Ou da descrença, deixando o crente em situação de vexame? O crente pode impor a discussão na base de sua crença? Não. Mas pode também aceitar que o outro leve pro campo do nada, pra satisfazer e discutir o nada? Ora, em assuntos de religião só deve participar quem acredita. Se você não acredita então despreze, desconsidere, deixe os “tolos” discutirem. Arranje um outro ateu e vão conversar sobre, sei lá, game of trhones. Não perca seu tempo.

  10. Meu caro Froes,
    Quase que me colocas na condição de alquimista!
    Mas, disseste a verdade, algo que venho tentando dizer aos nossos colegas sem ferir-lhes a susceptibilidade quando um debate sobre a vida após a morte ou a continuidade desta em outro plano ou que fica à espera de julgamento pelos atos praticados se bons ou ruins, trazem argumentos que estejam condicionados à crença de cada um.
    Observo ser difícil que a isenção esteja presente, portanto, a extrema dificuldade de se analisar novos pensamentos a respeito ou interpretações, diante da barreira que é colocada como alerta de convicções inarredáveis, então inegociáveis.
    Desta forma, o meu recado é no sentido de que acompanhar o que os outros escreveram ou porque consta no Novo Testamento ou Mantras não vamos avançar neste pântano de dúvidas e confusões, pois a “verdade” estaria em cada um, e não que houvesse uma discussão racional a respeito, haja vista que não seria pecaminoso ou uma blasfêmia se chegássemos à nossas próprias concluões, e da mesma forma que Buda, que era um príncipe ou Kardeck ou Confúcio, Lao Tse, Santo Tomás de Aquino, Santo Antônio, Santo Agostinho, que eram tão humanos quanto nós, com exceção de Cristo, mas que nos proporcionou inteligência que, se não para questioná-lo, foi para que descobríssemos por nós mesmos o que nos diz respeito, caso contrário, por que cargas d’água o tal de livre arbítrio?
    E, mais:
    Livre Arbítrio não é opção, já escrevi sobre isso, e conclusão minha, original, que eu diria até mesmo ser um pouco arrogante e prepotente esta minha interpretação, mas tive coragem de elaborá-la, evidentemente se certa ou errada, mas está lá o que penso sobre esta condição inata do ser humano.
    Um abraço, Froes.

  11. Sr. Carlos Newton,
    A ignorância sobre O VERDADEIRO ENSINO em toda a Terra, depois da última Era Glacial, é abissal. Todo o Ocidente se apega a Bíblia como se aquele fosse um ensino correto. Todas as Doutrinas ( Taoísmo, Bramanismo, Xintoísmo, Budismo Provisório(Hinayana e Mahayana), Cristianismo( de qualquer facção) e Islamismo, são ENSINOS PROVISÓRIOS. Segundo os Budas SAKYAMUNI( Sutra de Lótus) e NICHIREN DAISHONIN (Gosho Zenshu), aquelas Doutrinas Provisórias só falam e ensinam ATÉ O SEXTO BAIXO MUNDO da Existência, de um total de DEZ MUNDOS CÓSMICOS. OS MUNDOS DOS DEUSES (Céus do Mundo da Forma) e NIRVANA ( Céus dos Budas) aqueles Ensinos nada sabem. Um Deus, com a Visão Divina que possui, vê várias vidas passadas, vê a nossa mente e lê o nosso Karma. Quem naquelas Doutrinas Provisórias vê ou sabe alguma coisa?. Quanto à reencarnação(carne é pó), o TERMO CERTO É RENASCIMENTO. Quanto aos Icchantka ( homens de incorrigível descrença), O Buda tem para eles o seguinte conselho: quem morrer, verá.

      • Caro Sr. Nascimento e Sr. Newton, permitam, para nascer, só depois, do desenvolvimento do “corpo material”, presidido pelo Espírito, no ventre materno, portanto, a palavra reencarnação, significa à construção de um corpo físico, para nascer, e cumprir sua missão evolutiva espiritual nos dois Mundos: Material e Espiritual, à Caminho da Luz Divina, creiamos ou não, não importa, é LEI CÓSMICA, a que estamos sujeitos. Que o Mestre Jesus no ampare em nosso caminhar.

  12. Como é citado inumeras vezes nas obras de Kardec a REENCARNAÇÃO É A CHAVE, A ÚNICA, que nos permite ao menos ter uma idéia,digo eu, do sentido da vida.

    Sem ela, eu pessoalmente não seria capaz de dar a minima explicação para o sentido da vida, tudo seria extremamente incompreensível e sem sentido.

    • Caro Sandoval,
      Acho que não estou bem hoje, razão pela qual, e respeitosamente, vou discordar desta tua afirmação sobre ser a Reencarnação a chave …
      Não podemos ter certeza de nada neste aspecto, salvo o que lemos elaborado por pessoas semelhantes a nós, humanas, que erraram e acertaram ao longo de suas vidas ou, lá pelas tantas, nem isso, pois morreram ao nascer!
      Por outro lado, se as reencarnações não são automáticas, isto é, morre-se, mas não se nasce imediatamente, os tempos quando do retorno daquele espírito serão outros, mais complicados, quem sabe outros pais, locais diferentes, circunstâncias novas …
      Ora, o ambiente e as pessoas nos influenciam a vida sobremaneira, portanto, além do carma que trouxemos para ser expiado, acarretaremos novos e, assim, sucessivamente, sabe-se lá até quando!
      Nessas alturas, copio sem qualquer pudor Sócrates, ao exclamar que, “quanto mais sei, mais sei que nada sei”.
      Um abraço.

  13. Srs. THÉO FERNANDES/WILLY SANDOVAL,
    Peço permissão ao Ilustre CARLOS NEWTON, para dar um esclarecimento aos missivistas acima: RENASCIMENTO e MORTE( reencarnação para eles) É UM CASTIGO CÓSMICO. Os DEUSES e os BUDAS não renascem mais, a não ser em missão voluntária. Isso porque se LIBERTARAM DO MUNDO TRÍPLICE. (Mundos de Renascimento e Morte). Libertaram-se do KARMA. As Doutrinas que citei anteriormente, SÓ ENSINAM ATÉ O SEXTO BAIXO MUNDO DA EXISTÊNCIA. Desconhecem doutrinariamente os QUATRO NOBRES MUNDOS dos DEUSES e dos BUDAS. Ao lerem o SUTRA DE LÓTUS nada entenderam. Tentaram, apenas, mesclar suas doutrinas, caluniando a Verdadeira Lei.

    • Prezado Francisco Nascimento,
      Por favor, responda-me se quiseres, lógico:
      Tais afirmações que registras acima, sobre
      “… SÓ ENSINAM ATÉ O SEXTO BAIXO MUNDO DA EXISTÊNCIA. Desconhecem doutrinariamente os QUATRO NOBRES MUNDOS dos DEUSES e dos BUDAS. Ao lerem o SUTRA DE LÓTUS nada entenderam. Tentaram, apenas, mesclar suas doutrinas, caluniando a Verdadeira Lei” …
      Acreditas piamente nesses ensinamentos e por quê?
      De onde tiras a tua convicção neste sentido?
      De que existem andares abaixo da existência ou acima dela?
      Olha, lá pelas tantas a coisa pode ser tão simples, que inventamos situações para demonstrar conhecimento ou, então, tão complicada, que também criamos regras porque nada entendemos e sabemos!
      mas gosto muito de debater este tema, pois a política me deixou doente de tanta infecção e altamente contagiosa, que tomou conta do povo e do Brasil.
      Um abraço.

  14. Como a Igreja Católica se tornou talvez a ordem mais rica do mundo?
    Como algumas Igrejas evangélicas se tornaram milionárias? Religião virou
    um alto negócio? Cada um que tem a mente condicionada a uma filosofia religiosa acha que ela é a verdadeira, e cada um tem razão segundo seu entendimento.
    Moisés resumiu criando um Deus único dando-lhe até um nome: Jeová, este resumo é uma abreviação
    daquilo que está além da nossa imaginação. Quem tem ideia do que é Deus? (não vale frases feitas)
    Acredito que daqui algum tempo os cientistas vão descobrir que o espiritismo é ciência.

    • Não vejo nem uma contradição entre a minha crença em Deus e a ciência.
      A Verdade é única, e a ciência e a Palavra são nossos melhores instrumentos de testemunharmos a Verdade. O dilema nasce então quando a inteligência tenta tomar partido, como se a ciência ou a religião fosse uma ou outra a dona exclusiva da verdade. Quando isso acontece o prejuízo é grave. Veja: por muito tempo os homens da religião assumiram para si a verdade em detrimento dos da ciência e tivemos durante todo este período um período de trevas intelectual, trevas materiais, ausência total de progresso e bem estar humano. Nos últimos dois séculos a bola foi pro lado, os homens da ciência têm dominado e não têm poupado os da religião; a ciência está agindo na base do olho por olho, dente por dente… E o que temos? Um mundo de progresso material extraordinário mas acompanhado de um vazio espiritual, um vazio moral, uma tragédia de sentidos.
      Estar mais que na hora de os homens de boa vontade entenderem o erro que é dissociar religião de ciência. Eu entristeço a alma quando vejo discussões à cerca do criacionismo versus evolucionismo; eu me angustio quando vejo líderes religiosos pregando o milagre fácil; eu lamento quando vejo cientistas famosos escrevendo tratados deliróides na tentativa vã de provar que Deus não existe. Isso denuncia uma ingenuidade, uma imaturidade espiritual e mesmo racional.
      É certo que os métodos da ciência são fantásticos, é óbvio que o racionalismo é necessário e fundamental pra sobrevivência do homem, pois uma pedra é uma pedra, dois mais dois são quatro, um remédio pra hipertensão arterial não vai adiantar pra tratar um pneumonia bacteriana… Agora é tão verdadeiro também a limitação dos nossos sentidos, tão incertas nossas variáveis de precisão.
      Unir ciência e religião não é querer provar que uma visão mística não passa de uma alucinação epileptogênca; unir religião e ciência não é querer mostrar que a ciência apesar de tudo não consegue evitar a inevitável da gente, a morte. Unir ciência e religião é unir corpo e mente, alma e sentidos, é unir o racionalismo à esperança e fé de que não estamos por acaso perdidos na poeira do universo.
      Unir ciência e religião é trazer o homem para dentro de si, levá-lo para junto de Deus e trazer Deus para dentro de si.
      Passar bem!

      • Menezes,
        Foram tantos Francisco que deve ter havido confusão.
        Até então, vínhamos dialogando como civilizados e educados que somos.
        Alguma mudança?
        Tive a impressão que ficaste meio brabo com algum comentário, mas foi um dos meus?
        Aguardo teu retorno, por favor.
        Obrigado.

        • Não, não, que é isso, Sr. Bendl!
          Eu não fiquei bravo com o senhor não, de jeito nenhum. Por qual motivo?
          E aliás agradeço a preocupação.
          Até por que quando me dirijo ao senhor eu refiro vosso nome.
          O tema foi instigante, pois mexe com coisas da alma. É normal que as pessoas se exaltem. Mas em nenhum momento senti qualquer emoção, nem de alegria nem de raiva. Estou totalmente racional, como deve ser.
          Na verdade, muitos Franciscos mesmos, ainda bem, nome bonito desses…
          Desculpa a demora em ter respondido, eu estava estudando…
          Boa noite de sono pra nós todos!

          • Menezes,
            Grato pelo retorno.
            Não poderia haver desentendimento entre nós neste quesito tão complexo, a espiritualidade, religiões, crenças, seitas, doutrinas …
            Alegro-me com a tua posição neste sentido, sinal que terei sempre uma pessoa para trocar ideias a respeito.
            Um abraço e boa noite.

  15. Francisco Nascimento,
    Não sei se o cometário acima era para mim diretamente ou para os comentaristas do blog em geral.
    Mas, concordo plenamente com este registro que fizeste, de a Ciência e Religião, devem estar juntas e não separadas ou conflitantes.
    Gostei das tuas alegações porque pertinentes, sólidas, reais.
    Justamente esta a razão pela qual não aceito tão pacificamente um diálogo onde a religião predomine ou a ciência tenha precedência, pois ambas devem servir ao homem para que galgue os degraus da evolução, e não dividir a nossa mente entre fé e razão.
    Nada contra quem professa o Budismo, Judaísmo, Islamismo, Espiritismo, Cristianismo, e Politeísmo, nada, mesmo.
    Mas, revolto-me quando as religiões são usadas para nos diferenciar, nos enganar, utilizar-se da crendice popular para enriquecer, da mesma forma que alguns cientistas tentam ridicularizar os símbolos religiosos ou os espaços entre os acontecimentos que a Bíblia registra em termos de tempo.
    Enfim, este é um tema delicado, que não pode ser levado de maneira radical, salvo mediante compreensão, tolerância e vontade de dialogar, e não impor suas convicções como se elas fossem a verdade absoluta, estocástica, absolutamente imutáveis.

    • Caro Bendl, parabenizo tuas ponderações, bem como dos demais comentaristas, do belo e instigante assunto no chamado Mundo Cristão, conforme já disse acima, sou “fã” de Gandhi, e transcrevi sua frase(fala) sobre JESUS, e seu Evangelho, consignada aqui no Blog semanas atrás. Kardec, Codificador, e não autor, trnafou em Livro as “Mensagens dos Espíritos”, após muita pesquisa, pois, não aceitou que matéria inerte (as mesas girantes) pudessem responder à perguntas inteligentes, e com seu Espírito Cientifico e Pesquisador, buscou a VERDADE, e a encontrou com a RESPOSTA: somos nós, os ESPÍRITOS, dos Mortos da Terra, que movimentamos e respondemos as perguntas.
      Kardec, taxou a Doutrina Espírita, como CIÊNCIA E FILOSOFIA, TENDO COMO CONSEQUÊNCIA A RELIGIÃO, TANTO QUE O 3º LIVRO DA DOUTRINA É O EVANGELHO DE JESUS, SEGUNDO O ESPIRITISMO, QUE É CIÊNCIA SOBRE A “VIDA” COM O RESPALDO MORAL, AINDA PUBLICOU O LIVRO DOS MÉDIUNS (2º) CÉU E INFERNO 4º E A GÊNESE 5º, FORMANDO O CORPO DA DOUTRINA DOS ESPÍRITOS, E DECLAROU, É PREFERÍVEL SACRIFICAR 99 VERDADES, E NÃO ACEITAR UMA INVERDADE, SE A CIÊNCIA ASSIM DEMONSTRAR, ATÉ HOJE, COM TODA CIÊNCIA ELETRÔNICA, NÃO FOI, DESMENTIDA, UMA VÍRGULA SI QUER; MUITO PELO CONTRARIO, A CADA DIA, A CIÊNCIA MATERIALISTA, COMPROVA SEUS POSTULADOS.
      A DOUTRINA ESPÍRITA, PREGA A “FÉ” RACIOCINADA, NÃO A FÉ DO CRÊ OU MORRE” OU O FANATISMO, POR ACEITAR À REENCARNAÇÃO, COMO LEI DIVINA, DE UM PAI AMOROSO E JUSTO, QUE CRIA SEUS FILHOS SIMPLES E IGNORANTES, SEM PREFERÊNCIA, LHES DANDO DOIS INSTRUMENTOS, PARA O PROGRESSO À CAMINHO DA LUZ, A CONSCIÊNCIA E LIVRE ARBÍTRIO, TORNANDO-O RESPONSÁVEL POR SUAS OBRAS, E QUE PAGARÁ, SE INFRINGIR A LEI DO AMOR FRATERNO (PAGARÁS ATÉ ÚLTIMO CEITIL), RAZÃO DAS DESIGUALDADES ENTRE OS HOMENS (ESPÍRITOS REENCARNADOS), QUE DEIXAM FLAR MAIS ALTO O “CAIM BÍBLICO QUE TRAZEMOS”.
      CARO BENDL E IRMÃOS EM DEUS, O ESPÍRITO NÃO REGRIDE, À CONDIÇÃO DO ANIMAL IRRACIONAL, APÓS, FUNDAMENTAR UM, “CONCEITO DE LUZ E PAZ”, SOBE UM DEGRAU PARA À LUZ DO PAI CELESTIAL, COMO FILHO PRÓDIGO QUE É. QUE DEUS EM SUA BONDADE PATERNA, ABENÇOE A HUMANIDADE, NESTE MOMENTO DE TANTA DOR, DA SEPARAÇÃO DO JOIO DO TRIGO. BENDL, E DEMAIS, ACEITEM MEU FORTE ABRAÇO,THÉO. ps. FAÇAMOS DE NOSSO CORAÇÃO, O TEMPLO DE DEUS.

      • Meu querido Theo,
        Agradeço a tua participação neste assunto, que sempre será polêmico (sinal que nossos corações ainda não estão prontos?).
        E não deveria ocasionar discussões tão radicais, pois nada sabemos a respeito de vidas futuras ou pregressas que se relacionem conosco ou qualquer outra pessoa.
        Especulamos, nada mais.
        Admito que as pessoas acreditem no Espiritismo, Budismo, Cristianismo … nada contra, já escrevi a respeito.
        E, que diante da fé que nutrem pelo que abraçaram em termos espirituais, que divulguem as suas verdades, que enalteçam o que lhes faz bem.
        Mas, encontrarão em mim um inimigo figadal, que não negocia, que vai até o fim, ao me deparar com ameaças, amedrontamentos, admoestações, ainda mais quando elas avançam sobre meus descendentes.
        Justamente pelo princípio que me orienta desde pequeno que religião é caridade. Não é segregação, separação, distinguir este daquele, mas todos vivendo sob o manto da paz, da calma, do perdão, pois fomos “construídos” com muitos defeitos, então como podem nos cobrar comportamentos ilibados?!
        Que raio de poder tem este ente que desconsidera a nossa fragilidade, perturbações, confusões, haja vista que somos limitados?!
        Ora, este Buda bosta então era petista ou os petistas seguem o Buda bosta!
        Na medida que manda para o inferno quem lhe desobedece ou não segue a sua doutrina, pouco lhe interessa se inocente, igualmente agem os petistas conosco, que absolutamente inocentes pelo descontrole das finanças do governo por culpa de uma administração incompetente, corrupta e desonesta, o povo brasileiro é culpado, então deve pagar pelos danos!
        Um forte abraço, meu caro Theo.

  16. Sr. FRANCISCO BENDL,
    Todas as minhas respostas são ditos dourados dos Budas SAKYAMUNI e NICHIREN DAISHONIN. Leia meu BLOG. Leia os 80 mil ensinos do Buda SAKYAMUNI e o GOSHO ZENSHU do Buda NICHIREN DAISHONIN e irá encontrar literalmente o que eu escrevi. Vou lhe repassar a advertência do Buda: “””Se um homem ferir(desrespeitar o duvidar) dos Ensinos do Buda, não terá bons filhos, nem harmonia com seus parentes próximos, nem ajuda das divindades celestes. A doença e os maus espíritos virão dia após dia para atormentá-lo, desastres cairão sobre ele incessantemente e a má sorte o perseguirá onde quer que vá. Quando falecer, cairá no Inferno. Os efeitos o seguirão, como o eco segue o som e a sombra segue a forma.”””(Buda SAKYAMUNI – Sutra Ninno). Quanto à “sabedoria e iluminação” de alguns tarráqueos, o Buda se dirigiu a eles afirmando: “””” A sabedoria
    dos humanos da época presente (passada e futura) não se compara à de um cavalo ou de um boi e suas “iluminações” são inferiores à de um vaga-lume.”””(Buda NICHIREN DAISHONIN-Gosho Zenshu). Quanto aos QUATRO NOBRES MUNDOS, de ERUDIÇÃO, ABSORÇÃO, BODHISATTVA e BUDA, é claro que o Sr. nunca leu nem ouviu falar, pois suas doutrinas, por serem provisórias, NUNCA OS MENCIONARAM.

  17. Francisco Nascimento,
    Parece que profetizamos que, se esta discussão ficasse dentro somente do aspecto religioso ou doutrinário, haveria problemas, e eles aconteceram, lamentavelmente.
    Não vou ler o teu blog, pois este tipo de ensinamento não só não me interessa como eu o repudio!
    Vou mais além:
    São absolutamente falsos, pois elaborados por mentes doentias, delirantes, SATÂNICAS!

    Assim escreveste, Francisco:
    ” Vou lhe repassar a advertência do Buda: “””Se um homem ferir(desrespeitar o duvidar) dos Ensinos do Buda, não terá bons filhos, nem harmonia com seus parentes próximos, nem ajuda das divindades celestes. A doença e os maus espíritos virão dia após dia para atormentá-lo, desastres cairão sobre ele incessantemente e a má sorte o perseguirá onde quer que vá. Quando falecer, cairá no Inferno. Os efeitos o seguirão, como o eco segue o som e a sombra segue a forma.”””(Buda SAKYAMUNI – Sutra Ninno). ”

    Pois afirmo que este teu Buda é um bosta!
    Um doido, maluco, que deve ter comido cogumelo estragado para dizer tanta porcaria!
    Um idiota que faz este tipo de advertência, que se alguém o desrespeitar não terá bons filhos … desejando o mal da pessoa, de antemão não presta, não vale nada, é um idiota, um déspota espiritual, um ladrão.
    Não entendo como pessoas inteligentes, e tu me dás esta impressão, pode acreditar em tanta estupidez, alertas tão absurdos quanto estes do tal Buda, o bosta.
    Quem é este sacripantas para ter esta autoridade que julga ter?
    De onde tirou tais ensinamentos se não de delírios, de imaginação deturpada, encolerizada, raivosa?!
    Que poderes imagina possuir para até mesmo prejudicar os filhos do homem que não lhe obedecer ou não o seguir?
    Eis o mal do crente radical, que acredita sem questionar, sem saber, com medo do que venha a lhe acontecer porque uma besta quadrada previu, advertiu!
    Ou se trata de pessoas muito covardes ou também possuidoras de mentes que precisam de auxílio psiquiátrico!
    Pois não li e jamais irei ler tanta besteira, tamanha aberração, “ensinamentos” do mal, do ódio, que devo ter a máxima repulsa!
    Bah, Nacimento, que vergonha!
    E divulgares tais disparates como se verdades fossem, por favor, as pessoas que seguem este rito precisam urgentemente de ajuda, pois presas em grilhões de desesperança, detidas em correntes de crueldade, imobilizadas por elos sádicos!
    Pro raio que o parta com este Buda bosta, esta besta travestida em líder espiritual, sujeitinho que se acha o tal!
    Às vezes o sr humano me decepciona.
    Em pleno século XXI, acredita em bobagens milenares, e sequer se dá o trabalho de constatar quanta podridão existem nesses malditos ensinamentos.
    Quanta diferença de Cristo, vamos e venhamos!
    Enquanto o Buda bosta prega o castigo terrível, o Filho de Deus proclama:
    Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.
    Olha, Nascimento, nada contra ti pessoalmente, longe disso.
    Mas ficas com as tuas crenças antigas, ultrapassadas, com base em castigos e punições até para gerações futuras, que prefiro a modernidade, até mesmo por entender mais útil e proveitoso um liquidificador operando que os ensinamentos do Buda bosta!

  18. O falso ataca de novo!
    O criminoso da falsidade ideológica não sossega.
    A sua covardia o impele a ser como o Buda bosta, este mencionado pelo Nascimento, que deseja o mal do ser humano e de seus filhos se não for obedecido e atendido!
    É o caso desse usurpador do blog, esse indivíduo que se esconde atrás de nomes que não lhe pertencem.
    Enfim, eis dois exemplos de farsa, hipocrisia, deslealdade:
    O Buda, que Nascimento divulga, e as palavras do indivíduo acima.
    Que Deus os abençoe!

    • Gastaste teu latim à toa, caro Bendl. Claro que não para mim, que tenho inveja de teu raciocínio brilhante e das tuas brilhantes exposições, das quais sempre tiro grande proveito, além do simples prazer de lê-las, mesmo que discorde em algum ponto.

      Mas tudo isto era previsível. Não há sã consciência que suporte tanta asneira, que chega ao ponto de um dos franciscos sentenciar que “em assuntos de religião só deve participar quem acredita”, referindo-se ao meu comentário anterior, e completa dizendo que eu deveria debater sobre “game of thrones”, seja lá o que isso for. Ora, que diferença isso faz se ele mesmo não acredita nas religiões e nos deuses dos outros e eu também não?

      Por mim, fico com Nietzsche: “Fé significa não querer saber o que é a verdade.”

      • Meu caro Froes,
        Mais eu vejo medo naqueles que se dizem crentes para dialogar, que se despirem de suas crenças e debater a questão religiosa com a razão, mesmo que a fé os acompanhe nos debates, mas que ele seja consentido e estabelecido.
        Não, o pessoal radical não permite argumentos que contrariem aqueles que lhes foram ensinados ou lidos, certamente pelo receio que suas convicções possam ser abaladas.
        Acredito em Deus, repito pela enésima vez!
        Tenho sérias dúvidas quanto à forma de professá-Lo mediante regras ou condutas que nós, homens, especificamos.
        A começar pelas mortes que foram praticadas em Seu nome, e as injustiças, em consequência.
        Desta forma critico e questiono as linhas litúrgicas ou ecumênicas implantadas por seres humanos como eu, tomados de defeitos, erros e confusões, limitados, ignorantes e mentes sem o devido alcance necessário à discussão deste tema!
        Conclusão:
        Com exceção de poucos, o pau come!
        Ora, ora, prova incontestável do quanto estamos imaturos para crescer espiritualmente, que não suportamos o contraditório, que passa longe a tolerância e, até mesmo, os ensinamentos de Cristo!
        Obrigado pela tua intervenção, Froes, pois ela foi pontual e conveniente.
        Um abraço.

        • (Repetindo, pois postei em lugar errado)

          Quando o assunto é religião, as discussões tendem a ser simples e estúpidas trocas de dogmas e imprecações. Infelizmente, porque o assunto, como disseste, Bendl, é apaixonante e rico quando a fé e a razão atuam pari passu.

          Acerca disso, permita-me citar os dois primeiros parágrafos da Carta Encíclica “Fides et Ratio”, do brilhante João Paulo II:

          “Tanto no Oriente como no Ocidente, é possível entrever um caminho que, ao longo dos séculos, levou a humanidade a encontrar-se progressivamente com a verdade e a confrontar-se com ela. É um caminho que se realizou — nem podia ser de outro modo — no âmbito da autoconsciência pessoal: quanto mais o homem conhece a realidade e o mundo, tanto mais se conhece a si mesmo na sua unicidade, ao mesmo tempo que nele se torna cada vez mais premente a questão do sentido das coisas e da sua própria existência. O que chega a ser objeto do nosso conhecimento, torna-se por isso mesmo parte da nossa vida. A recomendação conhece-te a ti mesmo estava esculpida no dintel do templo de Delfos, para testemunhar uma verdade basilar que deve ser assumida como regra mínima de todo o homem que deseje distinguir-se, no meio da criação inteira, pela sua qualificação de “homem”, ou seja, enquanto “conhecedor de si mesmo”.

          Aliás, basta um simples olhar pela história antiga para ver com toda a clareza como surgiram simultaneamente, em diversas partes da terra animadas por culturas diferentes, as questões fundamentais que caracterizam o percurso da existência humana: Quem sou eu? Donde venho e para onde vou? Porque existe o mal? O que é que existirá depois desta vida? Estas perguntas encontram-se nos escritos sagrados de Israel, mas aparecem também nos Vedas e no Avestá; achamo-las tanto nos escritos de Confúcio e Lao-Tze, como na pregação de Tirtankara e de Buda; e assomam ainda quer nos poemas de Homero e nas tragédias de Eurípides e Sófocles, quer nos tratados filosóficos de Platão e Aristóteles. São questões que têm a sua fonte comum naquela exigência de sentido que, desde sempre, urge no coração do homem: da resposta a tais perguntas depende efetivamente a orientação que se imprime à existência.”

  19. Senhoras e senhores comentaristas,
    Ante que me critiquem à vontade ou queiram me deletar deste espaço democrático, devo esclarecer o seguinte:
    Não sou Abraão, tampouco a sua reencarnação ou renascimento.
    Se eu ouvisse qualquer voz me pedindo para levar um filho meu ao altar para ser sacrificado por mim, das duas uma:
    Ou eu diria que a voz pertenceria a um maluco ou se tratava de uma pegadinha!
    Dito isso, quero dizer de forma a mais enfática possível que, pais e filhos, para mim são SAGRADOS!
    Jamais vou aceitar que qualquer ente que se julgue divino queira me castigar e, conforme meu comportamento em face desta punição, que meus descendentes também paguem por ela!
    Trata-se de uma aberração, uma ofensa à humanidade, uma agressão à própria Natureza.
    Observem, por favor, que estou sendo o mais sincero e franco possível. Aliás, assim tem sido a minha atuação na Tribuna da Internet.
    Portanto, quando me deparo com seitas, doutrinas, ensinamentos, crenças, que não pregam a compreensão, o afeto, o perdão, mas o castigo eterno e quanto mais cruel, melhor, dispo-me do manto da concórdia e visto a capa para grandes batalhas, e sigo determinado em combater esses males que ainda perturbam corações e mentes de certas pessoas.
    Nada, absolutamente nada contra a pessoa de Francisco Nascimento.
    Que ele professe a crença que quiser , obedeça as doutrinas que desejar, que siga as orientações que pensa dever obedecer, mas, na razão direta da sua liberdade de escolha, também tenho a minha de contestar não a sua fé, mas o escopo de normas e leis que ele reverencia, como este tal de Buda e sua ameaça absolutamente deplorável aos humanos que lhe afrontarem.
    Pois, eu lhe afronto!
    Falto-lhe com o respeito, inclusive, na medida que também o Buda violento e agressivo não leva em conta a minha condição humana, ainda mais quando investe contra aqueles que mais amo nesta vida!
    A minha indignação, a ponto de apelidá-lo de Buda bosta, é porque não há argumento que irá me convencer que será desta forma que seremos tratados após a morte se não seguirmos à risca seus mandamentos: condenados ao inferno, inclusive nossos filhos.
    O Buda bosta estava bêbado quando comentou com seus discípulos tal excrescência ou, então, atordoado estava quem escreveu errado tal ensinamento/ameaça/aviso/alerta!
    Se querem me ver sair dos trilhos é perceber ameaça à minha existência, quanto mais aos meus filhos, pois me posiciono inimigo imediato desse tipo de amedrontamento.
    Desta forma, perceberam que não acredito em céu nem inferno;
    Descreio da reencarnação;
    Também não levo a sério que temos apenas esta vida e ela se encerra após a morte.
    Pô, então acreditas em quê, vão me perguntar.
    Respondo:
    Não se trata de acreditar ou não, mas de um mar de dúvidas a ser respondido. Enquanto eu não me der por satisfeito, continuarei descrendo, perguntando, e aumentando minhas dúvidas sobre o além, principalmente se um qualquer me ameaçar de castigo, um falso deus, um pseudo líder religioso, um indivíduo arrogante e prepotente, um profeta de araque!
    NÃO OFENDI AO FRANCISCO NASCIMENTO, deixo por bem recomendado esta questão, mas a sua doutrina me ocasiona reações em meus “instintos os mais primitivos” (alguém já disse esta frase).
    Então, não vejo quem está à minha frente, quero apenas mostrar que se tratam de doutrinas que não se coadunam com a realidade de nossos sentimentos, aqueles que predominam sobre os maus, aqueles que nos movem em direção ao próximo, mas não de encontro a ele, e violentamente.
    Se me entenderam, obrigado.
    Se não me compreenderam, lamento.
    Mas não vou me desculpar por ter assim definido este Buda que prega ameaças, o bosta, porque é desta forma como eu o interpreto.
    Repito, este Buda que o Nascimento registrou como dele, da divindade, as suas graves admoestações.
    E não porque é indiano, chinês, japonês, tailandês … tendo em vista que o verdadeiro Buda, o príncipe indiano, que abandonou seu palácio e esposa para viver as dificuldades diárias e, assim entender e levar paz ao ser humano, este a minha reverencia e respeito, porém, ao ameaçador e violento, que vá para o inferno!

  20. Caro Bendl, como HOMEM DE BEM, reconheces o valor do BUDA, que rejeitou as benesses do Mundo, para pregar e exemplificar o AMOR FRATERNO. Não sou Budista, sou ESPÍRITA CRISTÃO, uma “DOUTRINA” dada a Humanidade pelos que já viveram, que se encontra, nas Parábolas do Evangelho de Jesus.
    A Doutrina Espírita, não faz proselitismo, informa sobre as questões que nos preocupam, e que as “DORES E FELICIDADE” são “frutos da arvores que plantamos”, e que ninguém paga pelos “ERROS” dos outros, como está no Evangelho” A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS”, PAGARÁS ATÉ O ÚLTIMO CEITIL”, “MUITO SERÁ COBRADO , A QUEM MUITO É DADO”, VEJA A COERÊNCIA DO ENSINO DE JESUS, INFELIZMENTE, OS HOMENS MATERIALIZAM OS ENSINOS EVANGÉLICOS, TRANSFORMANDO-O EM “BALCÃO DE NEGOCIO” VENDENDO O PARAÍSO, PREGANDO O MEDO DO INFERNO, CRIANDO O “DEMONIO” A DISPUTAR A “ALMA” COM UM DEUS, PARCIAL.
    O DEUS, APRESENTADO POR JESUS, É UM PAI AMOROSO, QUE SE PREOCUPA CONOSCO, QUE DE TEMPOS EM TEMOS, NOS MANDA UM MISSIONÁRIO A NOS LEMBRAR DO “AMOR FILIAL A ELE E AO PRÓXIMO”, E O QUE TEMOS FEITO: OS ASSASSINAMOS: JESUS, SÓCRATES, NOS TEMPOS MODERNOS: LUTHER KING, GANDHI, E QUANTOS ANONIMOS!??.
    RESUMO: AS DIFERENÇAS ENTRE A DOR E AS BENESSES NA HUMANIDADE É FRUTO NOSSO, ESSE “DEUS” PREGADO PELAS RELIGIÕES, É RAIVOSO E PARCIAL, PIOR QUE OS PAIS HUMANOS, QUE FAZEM TUDO PELOS FILHOS SE SENTIREM REALIZADOS E FELIZES.
    QUE DEUS PAI ABENÇOE A HUMANIDADE.

    • Meru querido Theo,
      Obrigado pela compreensão, e teres entendido que o Buda verdadeiro eu o reconheço como santo!
      Um abraço do meu coração para o teu, apertado, sentido, de admiração e amizade.

  21. Bendl, desculpe, mas não precisava usar estes termos. O Sagrado tem diversas formas, ângulos e leituras/interpretações. Era só, como ensinou o Buda indiano/nepalês Sidarta Gautama: “guardar o nobre silêncio”. Jesus… diversas vezes… tb guardou este nobre silêncio…

    • Professor Rocha,
      Aceito humildemente a reprimenda.
      Mas, peço que do alto dos teus conhecimentos sobre a matéria, me diga se este Buda citado pelo Nascimento é o Buda que conhecemos, que eu o identifiquei no último comentário, e declarando a minha admiração e reverência pelo indiano.
      Não acredito que o “nosso” Buda ameaçasse com o inferno o ser humano e seus filhos, caso não lhe seguissem as orientações ou doutrinas ou ensinamentos, até porque JAMAIS li algo a respeito do Budismo com tal alerta!
      Quanto a guardar o nobre silêncio, a única defesa que posso fazer de mim mesmo, professor Rocha, é que devo atazanar a vida dos terráqueos por várias encarnações até me corrigir!
      Agora, diante da onipresença e onipotência de Deus, Ele sabe que para tirar o Chicão dos trilhos basta uma palavra ou menção contra os seus filhos, então ele (eu) perde as estribeiras.
      Obrigado pelo recado, professor, que eu o recebo até mesmo um pouco envergonhado, mas acredito que eu deva ter atenuantes, cuja condenação dos meus colegas não será tão extrema em face de comentários que fiz no passado sem ter usado este tipo de palavras.
      Um abraço, se o aceitares, pois não sou digno mais da tua amizade e consideração.

      • Salve Chicão, claro que continuamos amigos… pra valer ! … Buda não liga para essas nossas “terraquices”, próprias aqui no planeta Terra…

        Buda é Amor 100% Incondicional (não espera nada em troca), e se é Amor é Perdão ! Buda nunca ameaçou ninguém, as contrário… ficou 8008 (pode ser um nº simbólico) vidas se preparando, tipo “estagiário” para alcançar a Libertação Final.

        Em primeiro lugar, tal como Jesus, Buda nunca escreveu nada, os dois conheciam bem as Escrituras da época, mas foram os discípulos, após a morte de ambos que escreveram… e aqui começam as interpretações, cada linhagem/denominação puxando brasa para sua sardinha…

        O Buda indiano que você falou é o mesmo Sakyamuni (o Sábio dos Sáquias) da citação que o Nascimento disse. Ele pertence a uma linhagem – diferente da minha – que identifica o monge japonês (1222-1282) Nichiren (ou Nitiren Daishonin) como o Buda Original … admiro muito Nichiren, mas tenho outra visão dele.

        Nessas questões Teológicas, Budológicas, Cristológicas, o melhor mesmo é extremo cuidado… e como diz o bom Carlos Newton, que agradeço por permitir esse tipo de debate, e la nave va…

        Abraços Búdicos !

        • Professor Rocha,
          Grato pelos esclarecimentos.
          Bom, se o Buda reencarnou mais do oito mil vezes, devo me preparar para 64.000!
          E voltar crocodilo, antes de ser humano de novo.
          Um forte abraço.
          Saudações pessoais, nessas alturas.

  22. Froes,
    Muito obrigado por esta postagem que vai ao encontro daquilo que tentei transmiti acima!
    De que adiantam estudos e conhecimentos sobre o além, se não conhecemos a nós mesmos?
    E como ingressamos dentro de cada um de nós, se não pela existência que temos e suas circunstâncias (Ortega Y Gasset).
    Não há como se desprender desta realidade pessoal, da nossa individualidade, para que adotemos padrões de comportamentos que mais conflituam a nossa vida que melhorá-la, principalmente quando ocidentais teimam em professar religiões ou doutrinas orientais, pois as mentes trazem consigo modos e costumes completamente diferentes.
    Não quer dizer que eu seja contra, não, mas aumentam nossas dificuldades à compreensão da mensagem, de modo que passemos a adotar posições radicais a respeito.
    Enfim, alegro-me que a Igreja tenha avançado no sentido de aceitar que filósofos e demais religiões mais pesquisem o ser humano que deixá-lo de lado para concentrarem-se em Deus, pois é inegavelmente mais fácil e produtivo que a gente se entenda porque real, palpável, visto, que apenas ter a fé como companheira para absorver a complexidade de uma existência e, principalmente, fora dela.
    Mais um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *