Por que todos se omitem na luta pelas reservas (US$ 1 trilhão) da Petrobras?

Maia participa de sessão da Câmara no início deste mês; deputado anunciou desistência da pré-candidatura à Presidência. (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Maia conseguiu aprovar o projeto na calada da noite

Carlos Newton

É saudável que haja uma permanente discussão sobre os interesses nacionais, num debate que se situe acima de preferências políticas ou ideológicas. E quando o tema é energia, nenhuma instituição conhece tanto a política do petróleo como a Aepet (Associação dos Engenheiros da Petrobras). Seus integrantes são profissionais de altíssimo nível, que desenvolveram técnicas revolucionárias para possibilitar a exploração do petróleo brasileiro em águas profundas.

MADE IN BRAZIL – Seu conhecimento científico e técnico chegou a tal ponto que tornou possível a extração do óleo existente nas profundezas do pré-sal, um avanço extraordinário na indústria petrolífera mundial, com tecnologia “Made in Brazil”.

O quadro atual é preocupante. Primeiro, os engenheiros lutaram para encontrar as riquezas. Depois, se empenharam em desenvolver a técnica para explorá-las. Agora eles se veem na obrigação de lutar para que essas reservas não sejam entregues às multinacionais do setor, e pedem ajuda aos brasileiros nessa estratégica defesa dos interesses nacionais, que dependem da decisão do Senado.

PROJETO ENTREGUISTA – Os membros da Aepet estão propondo que os brasileiros demonstrem sua rejeição ao projeto aprovado na Câmara que permite a venda de 70% das reservas da Petrobrás, obtidas pela chamada Cessão Onerosa (o que pode representar até 3,5 bilhões de barris).

O projeto Aleluia vai permitir, também, a entrega do petróleo do excedente da Cessão Onerosa, avaliado entre 9 e 14 bilhões de barris.

O projeto foi criminosamente aprovado na Câmara, em regime de urgência, sem passar pelas Comissões Técnicas, praticamente sem debates, na calada da noite, em plena euforia da Copa do Mundo.

US$ 1 TRILHÃO – Considerados os 70% da Cessão Onerosa e a totalidade do excedente, está se tratando de riqueza potencial de mais de US$ 1 trilhão, estimando-se o barril de óleo a US$ 70, que a Petrobras extrai pelo custo de miseráveis US$ 8 no pré-sal.

O projeto foi encaminhado ao Senado para ser votado após o recesso. E os engenheiros da Petrobras pedem aos brasileiros que, com um simples e-mail ou telefonema, pressionem os senadores para evitar mais este crime de lesa-Pátria.

Podem fazê-lo pelo telefone Alô Senado: 0800 6122 11 (ligação gratuita), de 2ª a 6ª feira, das 8 às 19 horas. O telefonema é gravada e a atendente registra a mensagem, que pode ser enviada para um, vários ou todos os senadores. Podem também enviar correio eletrônico para um ou vários senadores veja a lista completa em

www25.senado.leg.br/web/senadores/em-exercicio 

####
P.S. 1
Os deputados são ignorantes, nem sabiam o que estavam votando, na calada da noite, na pauta urdida por Rodrigo Maia, que é um completo idiota, também não sabia do que se tratava. Maia é privatista; para ele, vender as riquezas da estatal é o máximo… 

P.S. 2 – E agora, onde estão os representantes do povo, tipo Bolsonaro, Alckmin, Ciro, Marina, Alvaro, Amoedo, Haddad, Manuela etc.? Onde estão os militares? Os generais Villas Bôas, Augusto Heleno e Hamilton Mourão, o pessoal da reserva, que tanto dá palpites na política, onde eles estão? E a Marinha, a Aeronáutica? Cadê os marinheiros do 11 de novembro e os pilotos de Aragarças? Onde está a UNE, a OAB, a ABI, a Sociedade Protetora dos Animais, onde se esconde esta gente? 

P.S. 3 – Só restou a Aepet? Não faz mal, antes só do que mal acompanhadoO assunto é de extrema importância e vamos voltar a ele, com a insistência necessária. (C.N.)

40 thoughts on “Por que todos se omitem na luta pelas reservas (US$ 1 trilhão) da Petrobras?

  1. Votar algo dessa importância, sem longas discussões em varias comissões temáticas, é PURA MALANDRAGEM! Evidentemente há muitos “alguéns” por trás dessa trama sórdida!

  2. Doe todo o óleo. De graça mesmo; mas que mantenha o índice de nacionalização das obras de extração, prospecção e refino.
    Países nem querem saber do óleo e sim das obras.
    Todas foram para o exterior e nós ficamos aqui DESEMPREGADOS.
    O foco deve ser: “desenvolvimento da industria petrolífera AQUI NO BRASIL, se quiserem nosso PETRÓLEO.

  3. Outra coisa é a industria de química ligada ao setor de petróleo.
    Tem que segurar esta indústria aqui no Brasil. Aí sim valerá a pena termos o petróleo.
    OBS: As obras começaram a ser mandadas para o exterior na gestão da Graça Foster no governo da Anta.

  4. Sabemos que o petróleo é importante, ainda hoje, para o Brasil. Agora devemos pensar que daqui a no máximo 12 anos toda frota automotora do mundo deverá ser elétrica. A propósito o JN essa semana trás uma reportagem sobre isso. Óbvio que ainda restará uma frota de motores a combustão mas que se depreciará com grande rapidez. Ninguém acaba uma reserva de trilhões de barris em 20 anos. Portanto se pudermos vender isso o mais rápido possível melhor, enquanto vale alguma coisa. No futuro país como Venezuela e os do Oriente Médio estarão em grandes dificuldades. É aqui quem recebe royalties do petróleo também devem olhar pra frente pois essa verba em pouco tempo não significará mais nada.

    • Caro Gregório: compreendo seu pensamento, seus argumentos. Porém, embora eu seja leigo no assunto, penso também nos subprodutos do petróleo, presentes nas diversas atividades, sem que percebamos. Acredito no progresso que faremos com as diversas fontes de energia, mas não entreguemos nossa riqueza desse modo. Poderemos usar a energia solar, por exemplo, como nunca foi utilizado. Só espero que não se criem estatais como Solbrás, Ventobrás…Aquabrás não está tão distante…Paz e Bem!

  5. “A criação do monopólio estatal em 1953 foi, segundo ele [Roberto de Oliveira Campos, 1917-2001], um pecado contra a lógica econômica. Criou-se uma cultura de reserva de mercado, hostil ao capitalismo competitivo, fomentando uma burguesia estatal protegida da crítica e imune à concorrência. Criou-se uma falsa identificação entre o interesse da empresa e o interesse nacional, de sorte que toda crítica à gestão da empresa e a busca de alternativas passaram a ser vistas como traição ou falta de patriotismo.” (http://braziljournal.com/roberto-campos-um-visionario-do-fetiche-a-petrossauro).

    O artigo publicado por Carlos Newton é um bom exemplo desta observação feita por Campos.

  6. Cadê a AEPET quando a dilma comprou a sucateada refinaria lá nos EUA ?
    Cadê a ANP quando o lula saqueou a petrobras resultando no petrolão que gerou trilhões de prejuízos ao país?
    Sou contra esta venda do petroleo ainda enterrado nas profundezas do pré sal.
    Mas estes todos funcionários da petrobrás só ficam mamando em altos salários e até farmácia paga para parentes.
    É um esbúlio o que estes barnabés fazem na petrobras pois são altamente improdutivos e ineficientes porém pagos à pêso de ouro.
    A solução é vender a petrobrás como foi feito com a CVRD.
    Nas mãos de políticos como hoje se encontra não dá mais.

  7. E, a Associação dos Engenheiros da Petrobrás nunca viu que a corrupção andava solta nas obras da Petrobrás? Se o petróleo é nosso e o custo de exploração é de 8 US$ o barril porque temos um combustível tão caro? Isto a associação não explica. Estão apenas e tão somente preocupados com as mordomias que serão perdidas. Se o povo paga, para que fazer esforço!

  8. O impeachment da Dilma serviu para isso e para muito mais coisas que não preciso nem escrever pois todos sabem.

    E ainda tenho que ler comentários que o Petróleo vai perder o valor a curto prazo, a é?

    Então porque os estrangeiros estão vindo para o pré-sal? Seriam eles otários?

  9. Caro CN … já que é tudo isso que o senhor escreveu … a AEPET poderia explicar porque a Petrobrás investe e a produção é a mesma???

    E o que realmente aconteceu com o Eike???

    A AEPET, pelo que observo, está é defendendo os empregos dos petroleiros kkk KKK kkk???

    HUMMM … em vez de Engenharia é a Geologia kkk KKK kkk???

    Um aperto de mão!!!

  10. Caro Newton, traidores da Pátria essa cambada do congresso e executivo. estarei passando minha indignação a essa canalhada, mas, o Cidadão, tem que repudiar esses criminosos hediondos da caneta em 07/10, para não serem coniventes. Chego a conclusão: Tiradentes morreu por um Brasil Liberto e Soberano, nos dando sua vida como exemplo de Honra e Dignidade, e essa cachorrada que aí está, transformou o Brasil em republiqueta democradura, que Deus nos acuda, mas, façamos nossa parte, por Dever de Consciência, pois, a Ela, prestaremos contas no pós túmulo de nossas Obras.

  11. Prezados, só a título de curiosidade, segue artigo do Coronel Gélio Fregapani sobre esse assunto:

    “Com a alta dos combustíveis e a greve dos caminhoneiros, muitas pessoas começam a se questionar: Se o Brasil tem petróleo suficiente até para exportar, se há uma grande empresa petroleira nacional, se essa petroleira refina o próprio petróleo, então porque precisamos pagar preços do mercado internacional? A resposta é muito fácil. Desde que se implantou a política antinacional de FHC, a Petrobrás foi obrigada a ter “parceiros” internacionais na exploração dos campos que ela descobriu. Além disso, ele vendeu (doou) 30% das ações da empresa no mercado internacional.

    A colocação das ações da empresa na Bolsa de Nova Iorque submeteu a Petrobrás automaticamente à soberania, e particularmente à Justiça norte-americana, sendo que os acionistas podem alegar, a qualquer tempo, perdas devidas a iniciativas da estatal definidas pelo Governo brasileiro, como a própria política de preços exige.

    Em paralelo começaram os leilões de nossas reservas petrolíferas e em muitos campos já não há nem participação minoritária da Petrobrás. Posteriormente, José Serra conseguiu aprovar no senado uma lei que “dispensa” a Petrobrás de ter o mínimo de 30% dos campos do pré-sal por ela descobertos.

    Em função dessas medidas fica fácil ver que a Petrobrás não pode precificar o petróleo dela por um preço adequado a realidade brasileira. Ela não é dona dos poços que descobriu em território brasileiro com as tecnologias que ela mesmo desenvolveu e quanto mais caro cobrar maior lucro dará aos acionistas.

    Foi a combinação do FHC por ocasião da venda de ações em Nova Iorque que a venda de derivados no Brasil seria por preço internacional e é por isto que ele se recusa a baixar o preço, enquanto ficamos aqui bradando apenas contra a corrupção nos distraímos de outras coisas também importantes e a caravana passa levando o nosso petróleo e o nosso futuro.

    Os dirigentes da Petrobrás, com o aval do Presidente, reduziram as cargas das nossas refinarias permitindo a importação de derivados por terceiros, pois com menos derivados próprios fica aberta a porta para a importação. Pior ainda, se desfazem de lucrativas parcelas como a BR Distribuidora e da fábrica de fertilizantes, a única que o Brasil tem. (Sendo um dos maiores exportadores do agronegócio do mundo importamos quase a totalidade de fertilizantes usados aqui) Isto é para nós brasileiros mais uma vergonha; é uma grave vulnerabilidade.

    Desnacionalizar a Petrobras é prejudicar qualquer possibilidade de desenvolvimento. É renunciar ao nosso projeto de uma nação desenvolvida e até mesmo de ser uma nação independente. A população ainda não se deu conta de como será lesada pela privatização (sinônimo de desnacionalização pois não há empresa brasileira com cacife para comprá-la).

    Se esse governo fosse menos entreguista certamente faria uma campanha esclarecendo a população a dar preferência aos produtos nacionais produzidos com capital brasileiro, pois do contrário o lucro irá para fora. É possível observar exemplos como Irlanda, Noruega, Japão, populações abertas e simpáticas,

    MAS que só compram produtos nacionais, com leis que privilegiam o produtor interno e o gerador de empregos dentro do país e principalmente com políticos nacionalistas, pouco preocupados com o próprio enriquecimento pessoal ou abertura total para outros países em troca de apoio político e econômico. Evitar a desnacionalização e mesmo recuperar a parte já desnacionalizada da Petrobras é a grande oportunidade que esta crise nos oferece.”

    29/05/2018

    • Caro Francisco Vieira – Brasilia – DF … quando FHC instituiu a política de preços internacionais nos hidrocarbonetos, tipo petróleo e gás … foi alegado que seria o fim dos subsídios que levam à inflação!!!

      Coincidentemente, foi quando o RJ alcançou a capacidade de até exportar energia pela produção das usinas termelétricas a gás … aí, o o preço do gás foi para as alturas kkk KKK kkk e só é usado em carros!!!

      KKK KKK KKK

  12. ET: Pátria de MERCENÁRIO e de BANDIDO chama-se dinheiro no bolso! O resto é conversa de

    -E esse é o problema das pessoas boas e honestas: projetar nos outros as próprias virtudes, achando que os criminosos têm o coração bom, querem se recuperar, querem viver em paz, pensam nos seus semelhantes, anseiam uma nova oportunidade, querem ter uma vida simples, porém, honesta e que pensam tal como eles e coisa e tal…
    -Por isso sempre acabam caindo nas mãos, nas lágrimas e no canto de cisne de ladrões, dos estelionatários e dos mentirosos – boa parte travestida de político!

  13. O problema fundamental do país é não ser capitalista.
    Se o fosse, aqui teríamos facilidade para qualquer investidor (capital não tem pátria) em todas as áreas, reguladas apenas pela proibição de monopólios.
    Não sendo capitalista, fica-se na psicose do cobertor curto: puxa um pouco de um lado e descobre o outro.

  14. Tens toda razão Newton. Ninguém fala na venda por preço de banana de feira nossas hidroeletricas. Ninguém fala das bases americanas construidas em nosso entorno. Veja: duas na Argentina, duas no Paraguai, quatro no Chile, quatro na Colômbia uma na antiga Guiana Inglesa. Estão de olho grande na Embraer e na Base se Alcântara. Para fechar ainda vem para America do Sul na Colômbia a mando dos EEUU a OTAN. E ninguém diz nada nem os militares. Nelson Rodrigues que você bem conheceu, estava certo: “O brasileiro tem espírito de vira-latas”. Tem frequentadores aqui no Blog que quando vêm um americano saem correndo para beijar-lhe as mãos. Depois viram de costas e dizem: Desculpe poque estou de costas.

      • Esqueceu também de informar que a ELETROBRÁS é esta empresa pública que está agora vendendo meio Norte de empresas estatais quebradas e vagabundas na administração, e escondendo no Centro Oeste uma outra, que está na forca financeira, muito maior, a perder de vista, mas que jamais reconhecem que o Estado é essa ‘pujança’ deletéria capaz de, com um caixa recheado de moeda tilintante, quebrar meio mundo e mandar a conta para o consumidor.

        Aconteça o que acontecer, continuarão a dizer ‘amém’ para o Estado, mesmo que este surre o usuário com tarifas escorchantes, ou que ponha dinheiro do Estado (Dilma) para esconder as mazelas e apregoe que é para o benefício destes mesmos usuários alegando que o ‘estrangeiro’ é que lhe rouba.

  15. Dar créditos a AEPET hoje é o mesmo que dar créditos aos Juiz plantonista que tentou soltar lula. A AEPET hoje é um antro de ptistas que abandonaram seu conhecimento técnico, para fazer política. A AEPET foi “aparelhada” assim como foi a PETROS. E nós funcionários estamos pagando caro por tudo isso.

  16. Porque todos se omitem? Nossos políticos e os assim ditos setores organizados da sociedade não pensam mais no país, só em si mesmos. Seus projetos de poder se tornaram metas de ganho pessoal a curto prazo.

  17. Há algum tempo li que o custo da extração do barril de petróleo do Pré-Sal brasileioro era abaixo de 7 US. Bom, agora está a 8. O barril está sendo vendido a mais de 75 U$ e o brasileiro se sente um imbecil por pagar por uma gasolina ruim, de péssima qualidade, cara, e de sustentar uma empresa que produz é muita corrupção.

  18. Mandei este texto para todos os senadores:

    Senhores Senadores, Senhoras Senadoras
    Sou um brasileiro de 59 anos de idade, vivi grandes momentos na história desse país maravilhoso do qual tenho orgulho de ser filho, no entanto não concordo com muitas coisas que acontecem na Câmara dos Deputados, na calada da noite para prejudicar o Brasil e os brasileiros, como o são os senhores e as senhoras.
    Peço que demonstrem sua rejeição ao projeto aprovado na Câmara que permite a venda de 70% das reservas da Petrobrás, obtidas pela chamada Cessão Onerosa (o que pode representar até 3,5 bilhões de barris). O projeto Aleluia vai permitir, também, a entrega do petróleo do excedente da Cessão Onerosa, avaliado entre 9 e 14 bilhões de barris.
    Fico imaginando o tamanho dessa riqueza nas mãos de multinacionais que evadem divisas dando lucros exorbitantes aos seus países deixando o Brasil afundado nas crises econômicas que já foram fartas durante toda nossa história. Não compactuem com mais esse crime de lesa pátria. Deixem as riquezas brasileiras aqui no nosso país, transformando nossas fontes minerais em lucros que possam beneficiar nosso povo tão trabalhador, gentil e pacífico.
    Nós merecemos. Por favor derrubem isso. Não compactuem. Não traiam seu país e ao povo que os elege.
    Meu nome é Celso Luiz Costa, residente e domiciliado na cidade de Jaraguá do Sul, Estado de Santa Catarina. Tenho o sonho de ver minha neta crescer num país tão magnífico quanto o nosso, mas num país justo, honesto com seu povo, sem opressões e sem crises que nos afastam das riquezas que nos pertencem por direito.
    Obrigado.

  19. Ninguém pode com a turma do “Minério não duas safras”
    É ela que nos salva dos malvados de outros países que querem nos roubar.
    Se isso não é patriotismo, não sei mais o que é.

    UAU!!!!

  20. Muito bom o alerta dos engenheiros. É salutar a preocupação com o petróleo nacional. Eu só gostaria que os engenheiros tivessem tido, como os petroleiros em geral, tamanha preocupação quando a gangue corroeu a empresa por dentro. Se não fosse a Lava Jato e o impeachment, a Petrobrás hoje seria uma PDVSA da vida. Nesse período, não vi uma só manifestação dos engenheiros e muito menos dos petroleiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *