Porque votar é um dever

http://www.jequiereporter.com.br/blog/wp-content/uploads/2013/08/oq-rola-na-internet-386x268.jpg?8f5e75Carlos Chagas

Quem será prejudicado caso o Congresso aprove o fim da obrigatoriedade do voto? O trabalhador. Porque se votar tornar-se um direito, não um dever, quantos optarão por ficar em casa ou ir à praia em vez de enfrentar filas para escolher candidatos nos quais não acreditam e até desprezam? O cidadão comum, aquele que não aguenta mais assistir o festival de roubalheira encenado pela maioria de nossos políticos, aproveitará a oportunidade para evitar sacrificar-se. Precisamente aquele que, mesmo a contragosto, costuma eleger gente igual a ele, apesar das frustrações.

As elites comparecerão às urnas, para continuar ditando as regras que engordam seus benefícios. Resultado: mais espaço para a permanência do mesmo de sempre.

Provavelmente esta semana a Câmara decidirá a respeito, dentro do fracasso que tem sido a reforma política. Basta ver que deputados e que partidos votarão pelo direito ou pelo dever. De qualquer forma, não há debate nem discussão a respeito. Parecem anestesiados os integrantes das bancadas ditas de esquerda, sem noção das consequências.

CONSPIRAÇÃO EM MARCHA

Deve cuidar-se o senador Aécio Neves. Os paulistas estão em conspiração aberta para impedir sua candidatura às eleições de 2018. Querem Geraldo Alckmin como candidato, em especial agora, quando o PT se encontra em curva descendente. Não cuidavam, os paulistas, de substituir o mineiro quando a candidatura do Lula ia de vento em popa, depois da reeleição de Dilma. Quando as coisas começaram a desandar e até os panelaços ganharam as ruas, perceberam que a vitória deixou de constituir-se num sonho impossível. Para perder outra vez, Aécio era o preferido. Mas diante da hipótese de o Lula não concorrer, ou da possibilidade dele perder a eleição, os ventos mudaram. Os paulistas estão novamente embalados. O primeiro passo será desgastar e afastar o ex-governador de Minas. Para isso não hesitarão na busca de pretextos para demonstrar a fragilidade de sua candidatura.

Fernando Henrique, José Serra e outros empenham-se na tentativa de apresentar Alckmin como a melhor solução. Vem por aí uma campanha destinada a demonstrar as excelências de seu governo em São Paulo. Ao mesmo tempo, pretendem avançar nas bases tucanas de outros estados. As eleições municipais do ano que vem servirão de teste: se elegerem a maioria dos prefeitos, exceção, é claro, dos candidatos em Minas, formarão sólida base para o futuro. Em suma, o grande adversário dos paulistas do PSDB não é o Lula. É Aécio…

18 thoughts on “Porque votar é um dever

  1. Sr. Chagas, muito bom artigo, tenho 86 anos, continuo a votar, minha formação cívica, foi da “Escola Pública Getuliana, que ensinava; infelizmente as Escolas de hoje, não ensinam para formação da CIDADANIA E CHEFE DE FAMÍLIA, a a juventude dos 16 anos, pode votar, que inventou isso, não foi com o intuito de formar CIDADÃO, mas de “curral eleitoral”, que mantêm a canalhada nos podres Poderes.
    Ao olhar os Poderes em Brasília, o “oceano de lama”, a HIPOCRISIA IMPERAR, sou tomado de desalento, em não ver uma luz no fim do túnel em que enfiaram o BRASIL.
    Infelizmente à MÍDIA, com as raras exceções, não cumpre seu papel, de esclarecimento do VALOR DO VOTO, MESMO OBRIGATÓRIO, EM NOSSAS VIDAS, PORTANTO SOMOS RESPONSÁVEIS PELA PODRIDÃO, QUANDO O VENDEMOS DE ALGUMA FORMA. Na cidade em que sobrevivo, nossa Associação tem um Boletim/jornal, em que criei uma “COLUNA: CIDADÃO E CIDADANIA, E TEM REPERCUSSÃO POSITIVA.
    Chegar a essa idade, sonhar na juventude com um PAÍS sem MISÉRIA, e viver com parâmetros de Dignidade e Cidadania, e ver a corrupção desenfreada que grassa no PAÍS, levando angustia e sofrimento à 200 milhões de seres, ao fim do dia, ver mais corrupção, o “CORAÇÃO CHORA”, E ROGA À DEUS SUA PIEDADE PARA NOSSO POVO.
    CAROS JORNALISTAS DA GRANDE MÍDIA, CRIEM ESSA COLUNA, “CIDADÃO E CIDADANIA”, NOS ÓRGÃOS QUE ATUEM, COMO PRATICA DO AMOR FRATERNO, POIS, ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO, DE ILUMINAR MENTES E CORAÇÕES; ESCLARECER E INFORMAR COM DIGNIDADE É PRECISO.
    Finalmente, na REPÚBLICA, PELO DIREITO de ESCOLHA-VOTO, SOMOS RESPONSÁVEIS PELAS MAZELAS.
    QUE DEUS NOS AJUDE.

  2. Caro Chagas,

    “Quem será prejudicado caso o Congresso aprove o fim da obrigatoriedade do voto? O trabalhador. Porque se votar tornar-se um direito, não um dever, quantos optarão por ficar em casa ou ir à praia em vez de enfrentar filas para escolher candidatos nos quais não acreditam e até desprezam?”

    -ORA, esse tipo de eleitor, que vota em “candidatos que não acredita e até despreza”, e esse tipo de voto, não farão falta alguma nas urnas. Até ajudaria se ficasse em casa.

    “As elites comparecerão às urnas, para continuar ditando as regras que engordam seus benefícios. Resultado: mais espaço para a permanência do mesmo de sempre.”

    -Neste país de desdentados” já é considerado da ELITE quem sabe ler (e entender) e escrever alguma coisa. Pelo sentido do texto, deve ter muita elite neste país – e que vive sem trabalhar; tantas que são capazes de mudar o quadro político atual para um PIOR DO QUE O ATUAL, caso a parcela desinformada e desencantada com as eleições venha a ficar assistindo o Chaves no dia da votação…

    Abraços

  3. Muito bem Carlos. Concordo

    Pela idade, não sou obrigado a votar, e estava pensando seriamente em me abster
    nas próxima eleições, o que nunca fiz. Agora não. Vou continuar votando !
    Realmente, o voto tem que ser obrigatório.

  4. Caro Sr. Jornalista, Chagas, desculpe- discordar, mas o senhor está muito longe de São Paulo e não conhece a fundo o des-governo dos franceses no Estado há 28 anos (4montoro)…
    Comece a investigar as grandes “obras” faraonicas super-corruptadas nos des-governos franceses e verás que acorrupção do gerardo efeagacê ultrapassa a cada dos bilhões.
    Obras essas que nunca acabam, sempre uma desculpa esfarrapadas para esconder a sua incompetência administrativa….
    Metrô, Santas Casas de Saúde, RodoAnel, são casos de corrupção do gerardo egeagce e toda sua quadrilha de franceses, a proposito todas bem escondidas e blindadas pela midia deste Páis…
    gerardo é umquadro de paisagem, sem tempero algum, sua modesta carreira politica não sai de Pinda…..

  5. CN,
    Lendo hoje blogs e jornais, fico impressionado com o que se constata na imprensa e o que se verifica na administração pública dos entes federados.
    Contamos com um rebotalho de classe política.
    Se votar é um direito e uma obrigação, pensava eu. Hoje, tenho dúvidas.
    A classe politica iria ficar felicíssima e o povo também!
    Alias, tenho até uma sugestão….o título de eleitor seria um documento somente exigível para votar no dia das eleições!
    Com o litoral que temos,…e o sol na maioria das praias em dia de eleição,….que felicidade não ter que votar!
    Viva o Brasil!

  6. Tornar o voto um direito e não um dever requer uma mudança de cultura. O cidadão que sai de sua casa para explodir a cabeça de um adolescente na Bolívia em uma partida de futebol tem motivação: assistir aos jogos de seu time. Temos outros exemplos de motivação mundo afora. O exercício do voto deve ser movido também pela motivação. Precisamos melhorar nossa relação com a política para construir uma sociedade melhor. Infelizmente os partidos e seus correligionários não nos representam na busca por uma sociedade mais estruturada. É um processo lento mas não pode parar.

  7. Também acho que, por enquanto, o voto deve ser obrigatório. Ao contrário do que diz o jornalista, porque só irão votar os “fanáticos” pelos bandidões que estão aí no poder. E, entre Aécio e Alckmin, os paulistas serão muito mais Alckmin. Sugiro a quem desmerece nosso governador que, pelo menos no twitter, confira quantos serviços e obras ele entrega, principalmente no interior do estado. A capital, desgraçadamente, pertence àquele tipo de que só vamos nos livrar em 2017.

  8. Sinceramente a justificativa apresentada por Chagas para a candidatura de Alckmin no lugar de Aecio não convence e nem faz sentido. Se isso for verdade, é por outros motivos, sabe-se lá quais, já que Alckmin é um verdadeiro picolé de chuchu – não fede nem cheira -, pouco confiável em termos de caráter, uma incógnita política, interesseiro e ardiloso.

    Aliás o PSDB já morreu e não sabe.

  9. o voto nulo já é uma realidade… não é pelo fato de ter que ir lá votar que se vota… vejam o resultado da última eleição para governador do Rio de Janeiro…

    Rio de Janeiro – se não tiver nada errado aí….

    eleitorado – 12.134.961
    votos no eleito – 4.343.298
    votos no outro – 3.442.713

    votos em brancos – 319.823
    nem foram votar – 2.713.771
    votos nulos – 1.315.356
    TOTAL “não votos” – 4.348.950 (praticamente 36% do eleitorado)

    TOTAL não votos – votos no eleito
    4.348.950 – 4.343.298 = 5.652 a favor dos “não votos”

    pelo visto, obrigação não adianta nada…

  10. Sou contra a obrigatoriedade do voto e da prestação de serviço militar. Em especial ainda não atingi a idade para ficar isento de votar, daqui a quatro estarei livre desta aberração. Na maioria estes políticos que ai estão não são dignos de confiança, acredito que 99,99% são os incompetentes. Veja agora este tal de Cunha querendo livrar os pastores evangélicos de pagarem impostos. Este cara esta agindo em favor da sua crença religiosa. Pelo fim da obrigatoriedade do voto.

  11. É mais do que natural que o candidato seja o Alckmin. O Aécio tem obrigação moral de recuperar Minas Gerais das mãos PETRALHAS! Foi simplesmente vergonhosa a derrota dele em seu estado natal, aliás derrota dupla, quando os mineiros elegeram o MARGINAL PIMENTEL (com fraude ou sem fraude) e elegeram a BOÇAL E IGUALMENTE MARGINAL ANTA PRESIDANTA!
    E quanto a obrigatoriedade do voto, acho um absurdo, acho que deveria ser um DIREITO a ser concedido somente aqueles que tivessem pelo menos o CPF válido!
    Aí sim o voto de cada cidadão-contribuinte começaria a ter um valor muito maior.

  12. O QUE TODOS CIDADÃOS DEVEM SABER: O fundamento da cidadania é o direito de votar e ser votado.” O voto é como se fora uma moeda”. Em uma face é o direito e na outra o dever; são indissoluveis. Votar dá a pessoa a consciência de cidadania. Os pilantras que não têm consciência de pátria, querem elitizar o voto. Com o complexo de “cachorro vira-latas” como dizia Nelson Rodrigues, querem imitar os Estados Unidos. Esquecem todavia que os fundamentos históricos dos Estados Unidos são amparados pelo direito “anglo-saxão”, e o dreito que ampara os fundamentos históricos brasileiros é “romano-germânico”. Mesmo não votando o brasileiro sabe que será multado em uma pequena quantia pra lembrá-lo de seu dever cívico.

  13. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém!

    Lá vem a turminha do voto, de novo!

    Querem que ” o trabalhador”, como diz o Chagas, ” CONTINUE”, ATRAVÉS DO VOTO, MUDANDO O BRASIL!!!

    ” HÁ!HÁ!HÁ! ”

    Este país é uma piada, além de uma MERDA!

    Saudações,

    Carlos Cazé.

  14. Considerando-se que a maioria do eleitor brasileiro não tem um mínimo
    de interesse por política, são alienados. Alguns vão a caminho para votação, sem saber em quem votar, ficando a mercê dos cabos eleitorais que fazem boca de
    urna, acabam votando no candidato que faz a propaganda mais rica e que tem mais
    cabos eleitorais, e quando se tem que votar em 5 candidatos, aí é que
    a coisa piora. Quem vai votar contra a vontade, geralmente não tem ideia da importância do seu voto, votará certamente no candidato que é mais conhecido, como: Artistas, jogadores
    de futebol, apresentador de programas de televisão sensacionalista etc.
    A maior parte do que chamam de elite vota no candidato do pobre e a maior parte do pobre vota no candidato do rico. Tanto Brizola como Darcy Ribeiro. sempre tiveram excelente votação na zona Sul do
    Rio de Janeiro. Os lugares mais pobres do Brasil, costumam eleger os piores candidatos.
    Acredito que o voto facultativo iria melhorar a representação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *