“Precisamos de políticos que sejam simples e façam caridade”, diz o poeta Antonio Rocha

Cecilia Beraba - Pois então... | Facebook

Charge reproduzida do Arquivo Google

Paulo Peres
Poemas & Canções

O professor, teólogo, escritor e poeta carioca Antonio Carlos Rocha, Doutor e Mestre em Ciência da Literatura, escreveu o poema “Uma Política de Simplicidade” como contraponto ao livro “Uma Política de Bondade”, escrito pelo Dalai Lama em publicado em Portugal, pela Editorial Estampa, 1991. O poema de Antonio Rocha é uma lição de vida e se adapta com perfeição à conjuntura atual da política brasileira.


UMA POLÍTICA DE SIMPLICIDADE
Antonio  Rocha

Precisamos de políticos
Que sejam simples
E tenham simplicidade
E façam caridade.

Queremos parlamentares
Que não pensem em si,
Nem no partido
Nem se preocupem
Com o próprio
Conforto.

Queremos pessoas públicas
Homens e mulheres
Abnegados, abnegadas
Determinados, dedicadas
Ao estrito bem comum.

Se tiverem carro
Que seja uma só unidade.
Simples.
Que seja só um carrinho
Sem muito luxo.

Se tiverem casa,
Ou ganharem uma,
Que seja uma só, uma só
Nada de ostentação.
Uma casinha de campo, pode
Um sitiozinho simples, pode
Uma fazendinha pode
Tudo bem simplinho.

Queremos que o
Fundo Partidário
Seja transformado
Em Fundo Operário
E cada trabalhador
Receba o 14º salário
No dia do seu
Aniversário.
E o excedente
Vá para a Saúde
Para a Educação.

Queremos presidentes,
Governadores, ministros,
Secretários, vereadores,
Prefeitos, deputados,
Senadores
Sem auxílio-paletó
E sem nenhum auxílio.

Vistam-se e calcem
De forma simples.

Mas o que é ser simples?
É quando todos, todas
Têm o suficiente
Para viver feliz e
A felicidade é
Compartilhada
Igualitariamente.

12 thoughts on ““Precisamos de políticos que sejam simples e façam caridade”, diz o poeta Antonio Rocha

  1. O esquerdismo,como metástase de um câncer,chegou até na poesia.

    PS-Os esquerdistas,como o autor dessa poesia socialista,Antonio Rocha,ao repetir a exaustão termos como “caridade”,”igualidade” e “simplicidade”
    (…),não se dão conta de que esse discurso socialista necessita sempre de pessoas dependentes do Estado.

    PS-O socialismo é de tal ordem uma insanidade total que julga as pessoas como extremamente dependentes desde o nascimento até o fim da vida como “carentes eternos”,um bando de imbecis que jamais terão prosperidade (todas) por conta própria,que necessitam sempre de ser amparadas,que o Estado,deve ser o pilar de suas vidas.

    PS2-Em vez de propalar essa farsa,porque não
    valorizam a auto dependência ,a autonomia,a
    ausência total do Estado nas suas vidas?
    (…)

    PS3-É oportuno registrar o que disse o Ph.D Layle Rossiter em seu excelente livro MENTE ESQUERDISTA:

    “Todo esquerdista é um doente mental.Porque somente um doente mental entrega a sua vida ao Estado…”

    PS-Esse discurso vencido socialista que despreza
    a independência das pessoas e as induzem a serem “homens-massas” (*) impedem que façam suas vidas por “recursos próprios” em todas as áreas da vida.

    (*) Oportuno,principalmente nos dias atuais,a leitura ou releitura do clássico de Ortega Y Gasset
    REBELIÃO DAS MASSAS.

    Trata-se de uma realista e honesta avaliação filosófica do “homem-massa”,aquele que veio ao mundo para ser dirigido,amparado,sem personalidade,igual em quase tudo com a grande massa da população,…,e sem qualquer ato de independência e sem responsabilidade alguma.

    • Um pouco mais DE ORTEGA Y GASSET e o conceito do “HOMEM-MASSA”

      Por “Homem-Massa” não se entende uma classe social,mas um modo de ser que surge em todas as classes sociais.

      Massa é o conjunto de pessoas a que podemos denominar “homem-médio”.

      Massa é quem não se valoriza,que se sente como todo o mundo e que se sente bem sentindo-se idêntico aos demais.
      Que não se individualiza.Que não tem personalidade,auto-dependência (…).

      É característico do nosso tempo o predomínio da massa e do vulgar.

      Mesmo na vida intelectual,que por sua própria existência requer a QUALIFICAÇÃO ; nota-se o triunfo de pseudos-intelectuais desqualificados.

      O homem excelente é diferente do homem vulgar.

      Aquele é o que exige muito de si mesmo e este que não exige nada,que se contenta com o que é e está satisfeito consigo mesmo (uma ilusão auto-destruidora).

      O homem-massa é o homem cuja vida carece de projeto e caminha ao acaso.
      Por isso não constrói nada,ainda que suas possibilidades sejam enormes.

      A MASSA ATROPELA TUDO O QUE É DIFERENTE,INDIVIDUAL,QUALIFICADO E SELETO.

      Quem não é como todo o mundo,quem não pensa como todo o mundo,corre o risco de ser rejeitado e/ou eliminado.
      (…)

      Resumo da ópera:

      Socialismo-comunismo, precisam
      arregimentar o máximo de “homens-massas”. A INDIVIDUALIDADE é
      combatida sempre.A COLETIVIDADE repleta de imbecis é a meta principal.

      A imolação no altar do Estado,tem nos “homens-massas” tem a matéria-prima
      para suas insanidades.

      (…)

    • Acusa-se a Rede Globo pela sua doutrina de esgarçamento da conduta coletiva, nacional. E que os partidos de esquerda ter-se-iam aproveitado do “esterco” resultante da aculturação midiática do padrão globo, para cultivarem suas “ervas daninhas”.
      Pergunta-se: será se a moral da nossa sociedade passou mesmo por um processo de depravação massificante, ou ela já guardava traços vulneráveis, preexistentes, que favoreciam a ação do corruptor?
      Por que o Brasil sempre foi um porto seguro para acolher tantas desgraças importadas? Como por exemplo: funk, grupos neonazistas e essas “Seitas Capetalistas”?
      PS: já fui militante de esquerda; nunca vi criaturas do caráter tão imundo! Contudo, Carlo, lamento informar-lhe: o estabelishment da sinistra (esquerda) mundial avança célere e irreversível. Faça uma leitura dos pré-eventos que vêm-se desencadeando ao redor da terra e monte sua projeção.
      Talvez tenha sido o tresloucado, Donald Trump, o último bastião a obstacular o movimento levogiro cosmopolitano. Doravante, a coisa vai correr frouxa!

      • Paulo III !

        É exatamente isso que a grande massa de imbecis coletivos não percebe que a insana e satânica Nova Ordem Mundial (governo ditatorial e totalitário mundial-China na proa),e ainda não foi consolidada, de forma irreversível,por causa do entrave TRUMP.

        PS-A fraude eleitoral feita pela grande imprensa,mídia em geral e Big Techs, americana e mundial (dupla PedoJoe/Canalha Harris) já
        é a demonstração que esses satanistas pretendem.

        PS2-Mas nada está definido.

        Tem 2 mega obstáculos no caminho dos globalistas:

        1) A reversão das fraudes (votos não reais em Biden)

        2) A decisão do Colégio Eleitoral em 14/12/20 (conforme a Constituição Federal americana o que realmente vale).

        Aguardemos os fatos!

    • Sinto muito em lhe dizer, mas pelos seus dizeres, sua doença mental alcançou níveis estratosféricos!….mais dependente do Estado são os capitalistas que fingem que são independentes, mas acumulam rendas e patrimônio, com a exploração de gente inculta, e, isto, não proporcionar Educação e Cultura, é um dos pilares dessa gente nefasta, esses “Capetalistas” que têm dependência extrema do Estado….acabe-se este, como no Anarquismo, e os capitalistas, os mais satanicos do Planeta, desaparecem.

  2. Tenho uma profunda admiração pelo meu amigo e professor, Antônio Rocha.
    A sua fé, sua esperança, ele as mantém permanentemente, pois nada o abala na crença que abraçou, o Budismo.

    Sinceramente – Rocha vai entender o que quero dizer -, às vezes penso que o meu amigo endoidou, aloprou, quando leio suas postagens eivadas de otimismo.
    Essa poesia de hoje, por exemplo:
    Sem eu precisar pedir permissão ao professor, dá a entender que comeu cogumelos estragados, ao imaginar que algum parlamentar brasileiro fará caridade!
    Até pode, Rocha, com o nosso dinheiro.

    Diante desse confronto entre as aspirações do meu amigo budista com a realidade que nos cerca, a distância é tão imensa que somente através de anos-luz poderemos ter uma ideia da impossibilidade de contarmos com auxílio parlamentar para o povo.

    Logo, se utopia e das grandes, aplaudo a qualidade da poesia, típico de Rocha com seus artigos estupendos, porém o conteúdo é absolutamente impossível de se pensar que um dia acontecerá tal milagre.

    Mas, Rocha é assim mesmo:
    Uma usina de força, de ânimo, de otimismo e de esperança.

    Abração, caríssimo.
    Saúde e paz.

    • 1) Meu amigo Chicão está certo, escrevo para uma humanidade pós-hecatombe, os sobreviventes… que vão tentar e começar a consertar o mundo…

      2) Mano também acertou, é uma poesia-prece, uma oração.

      3) Lionço amigão Gratidão !

      4) Agradeço ao Peres e ao nosso editor CN, um democrata humanista, aceita diversas correntes.

      5) Obrigado a todos, inclusive os que discordam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *