Precisamos lembrar sempre que é proibido proibir (ou não?)

O cantor, músico, produtor, escritor, poeta e compositor baiano Caetano Emanuel Viana Teles Veloso, o genial Caetano Veloso, na letra da música “É Proibido Proibir”, revela uma série de ‘sinais’ que nos ligam ao movimento Tropicalista.

A música “É Proibido Proibir”, em 1968, foi desclassificada e amplamente repudiada durante o III Festival Internacional da Canção, porque Caetano entrou requebrando no palco, simulando uma relação sexual, e o público logo começou a vaiar. Impossibilitado de cantar pela ruidosa irritação da plateia, o compositor acabou agredindo verbalmente o público e o júri, mas  ninguém ouvia nada, tal a confusão.

O valor incontestável da anárquica “É Proibido Proibir” foi registrado num compacto simples, gravado pela Philips, em 1968, que, de um lado, apresentava a composição como foi idealizada pelo autor e, do outro, mostra-a com os imprevistos do festival: as vaias do público e os protestos de Caetano Veloso.

É PROIBIDO PROIBIR
Caetano Veloso

“A mãe da virgem diz que não
E o anúncio da televisão
E estava escrito no portão
E o maestro ergueu o dedo
E além da porta
Há o porteiro, sim…

E eu digo não
E eu digo não ao não
Eu digo: É!
Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir…

Me dê um beijo meu amor
Eles estão nos esperando
Os automóveis ardem em chamas
Derrubar as prateleiras
As estantes, as estátuas
As vidraças, louças
Livros, sim…
E eu digo sim
E eu digo não ao não

E eu digo: É!
Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir…

Me dê um beijo meu amor
Eles estão nos esperando
Os automóveis ardem em chamas
Derrubar as prateleiras
As estátuas, as estantes
As vidraças, louças

Livros, sim…
E eu digo sim
E eu digo não ao não
E eu digo: É!

Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir… “

              (Colaboração enviada por Paulo Peres – Site Poemas & Canções)

4 thoughts on “Precisamos lembrar sempre que é proibido proibir (ou não?)

  1. caetano está mais perdido do que barata em caminhão de mudanças.
    Agora está de maõs dadas e com a carta de vinhos e champagnes francesas com dona maria antonieta de higienópolis…….eh@eh!eh

  2. Essa gente do show buziness sepre arruma alguma coisa para criar polêmica. com isso vira foco da mídia, que é o que interessa para vender, no caso, discos e shows.
    Há pouco o elemento queria proibir biografias.
    Depois entrou na onda dos blac blocs e até se fantasiou de um deles.
    É isso.

  3. É proibido proibir.
    Deus do céu, provavelmente 99% dos brasileiros pensa que foi Caetano, o gênio tupiniquim que cunhou esta frase tão conhecida.
    Mas não foi, ela foi usurpada. A frase “É proibido proibir” foi criada na França como slogan pelos estudantes franceses quando da “revolta estudantil” de maio de 1968.

    Já o Gil, quando do fim do “Tropicalismo” falou: O Sonho acabou.
    Ora, ora, ora, lembro-me que um dia alguém (John Lennon) já tinha dito esta frase quando de término da banda The Beatles.

    A nível tupiniquim temos a frase (Que país é este?) dita por Francelino Pereira e que muitos da geração atual acham que a citação é do Renato Russo.
    Se não me falha a memória, num post do Carlos Newton ele nos lembrou a respeito de muitos jovens pensarem que a frase era do cantor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *