Presidente da Petrobras rebate Bolsonaro: preços da gasolina e do diesel vão continuar a subir

Bolsonaro reflete a máxima “nada está tão ruim que não possa piorar””

Pedro do Coutto

Num episódio até segunda-feira desta semana inédito, o presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, rebateu afirmações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro a respeito da política de preços que a estatal está colocando em prática, segundo ele afirmou, para acompanhar as oscilações de mercado, especialmente o preço internacional do barril que alcança US$ 79 e a flutuação do dólar no universo financeiro internacional com reflexo direto no sistema cambial brasileiro.

O episódio, como não poderia deixar de ser, provocou surpresa, já que, na manhã de segunda-feira, Jair Bolsonaro num evento na Caixa Econômica Federal afirmou que iria manter contato com o ministro das Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, para encontrar um caminho capaz de levar a uma outra política de preços. O presidente da República ao tocar no assunto acrescentou uma ironia que a meu ver significa um humor negro. Disse ele: “nada está tão ruim que não possa piorar”.

MAIS DESGASTE – Reportagem de Dimitrius Dantas, O Globo de ontem, e reportagem de Nicola Pamplona, Folha de S. Paulo, destacam o episódio que, a meu ver, adiciona mais uma parcela de forte desgaste de Bolsonaro na opinião pública. O general Silva e Luna baseou o seu argumento no desempenho econômico e financeiro da Petrobras, de acordo com a vontade dos acionistas da empresa. Mas o interesse dos acionistas da Petrobras colide com a capacidade da população em absorver os aumentos em série e manter inalterado o nível de consumo. Não pode ser, não é possível, uma vez que a gasolina este ano teve o preço aumentado em 39%, muito acima do índice inflacionário de janeiro a setembro.

O reflexo na inflação é inevitável. O consumidor e a consumidora, como sempre no Brasil, acabam pagando a conta uma vez que não existe crédito sem débito ou débito sem crédito. Se os preços creditam a Petrobras, debitam a população na escala inflacionária. Até que ponto, pergunto, a sociedade brasileira poderá suportar os sucessivos aumentos com os seus salários estagnados e reduzidos ? Qual será o limite de piora a que se refere o presidente da República confrontada pelo presidente da Petrobras, inclusive no plano político do eleitorado, no desfecho voltado para as urnas de outubro do próximo ano ? Bolsonaro perdeu mais pontos inéditos.

REAÇÃO DO EMPRESARIADO –  Numa entrevista aos repórteres Rennan Setti e Mariana Barbosa, O Globo de ontem, o empresário Alfredo Setubal, presidente da Itaúsa, holding da qual faz parte o banco Itaú, focaliza e sintetiza o que os empresários brasileiros estão desejando que é um projeto pró-Brasil mais importante do que uma posição política contra Lula nas urnas de 2022. Alfredo Setubal destacou a preocupação com o baixo crescimento da economia brasileira, como reflete o desempenho do Produto Interno Bruto, perspectiva de 2021 para 2022.

Este crescimento, assinala, está estimado em cerca de 5%, porém o fato é que a base do ano passado, portanto em 2020, foi muito baixa. Assim – esclareceu – os 5% não incidem sobre um PIB de R$ 6,6 trilhões, mas sim em relação a um percentual de crescimento acentuadamente mais baixo. Existem setores, por isso, que estão calculando um avanço de 0,5% no próximo ano. “Se não fizermos nada o desastre vai permanecer. Nosso país está crescendo muito menos do que a média mundial”, destacou.

Acrescento, 0,5% é retrocesso já que a população brasileira cresce à velocidade de 1% ao ano e a renda per capita nada mais é do que a divisão do PIB pelo número de habitantes. Mas a questão principal que não será resolvida com as reformas propostas pelo ministro Paulo Guedes concentra-se no desemprego de 14,8 milhões de brasileiros e brasileiras.Com o desemprego nessa escala é impossível qualquer avanço social e qualquer reforma fiscal, pois a política fiscal depende diretamente do consumo. Com o desemprego nessa ordem e com os salários estacionados, na minha opinião, é impossível  a economia brasileira se recuperar.

JUROS ESTRATOSFÉRICOSReportagem de Geralda Doca, Dimitrius Dantas e Pollyanna Brettas destaca que no evento de segunda-feira na presença do presidente Jair Bolsonaro, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou a abertura de um crédito popular entre R$ 300 e R$ 1000 para aqueles que recebem o auxílio emergencial.

Ocorre que os juros cobrados são de 3,99% ao mês, de acordo com a matéria, o que torna impossível que os que contratarem o crédito possam pagá-lo, pois 3,99% ao mês, incluindo os montantes, são juros superiores a 60% ao ano. Para se ter uma ideia, para os últimos 12 meses o IBGE aponta uma inflação de 10%. Os juros de quase 4% por 30 dias são muito mais altos do que os cobrados por exemplo pelo Itaú ou pelo Bradesco. É incrível que o governo concorde com tal escala.  

8 thoughts on “Presidente da Petrobras rebate Bolsonaro: preços da gasolina e do diesel vão continuar a subir

  1. O general Silva e Luna baseou o seu argumento no desempenho econômico e financeiro da Petrobras, de acordo com a vontade dos acionistas da empresa.

    …..’vontade dos acionistas”…..

    Resumindo, os acionistas estão pouco se lixando para o povo brasileiro, o que importa é a conta gorda no final do Mês, e em dólares, que é bem melhor do que o real do Itamar…
    E vai ficar itamar mesmo…..

    • O presidente demitiu o economista Roberto Castelo Branco no início do ano, da presidência da Petrobrás, exatamente por causa dos aumentos da gasolina e do Diesel, preocupado com seu gado caminhoneiros, dando uma resposta aos seus apoiadores. Pois bem, nomeou o general Silva e Luna, que está fazendo pior em relação a aprovação ases aumentos, que vai bater em 8 reais até o fim do ano. Bolsonaro agora nada faz e cobrado coloca a culpa nos governadores e chama o Ministro das Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque cobrando providências, por não ter coragem de cobrar do general da Petrobrás. Mas, o almirante Bento está perdido no cargo, sem saída diante da crise Hídrica e da iminente tragédia dos apagões elétricos, que acabou com o governo FHC, possibilitando a vitória de Lula, que derrotou José Serra.
      A tragédia continua, uma atrás da outra. Uma via crucis, que massacra os mais pobres, principalmente com os aumentos do gás de cozinha, da conta de luz e do aumento dos gêneros alimentícios. É só ir aos Supermercados para constatar o drama das famílias.

  2. Eles mentem descaradamente, são psicopatas, a vida deles é mentir.e enganar o povo, aliás, o gado só é ´´util nas eleições, fora disso, são apenas números…..
    Aqui mesmo já disse que o racionamento do Tucanistãoi nunca acabou como afirmava os Tucanorruptos Tucanalhas.,

    Moradores de SP relatam falta de água; Sabesp reduz pressão
    Diminuição da vazão agora ocorre das 21 às 5 horas; em casas sem caixa d’água, locais mais altos e distantes, a medida dificulta a rotina

    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/cidades/moradores-de-sp-relatam-falta-de-agua-sabesp-reduz-pressao,8cd4b3e5939fbe1924d9c5ce88be515bg5dv0ifn.html

    • Logo o Tucanalhas de Plantão vai colocar a culpa em São Pedro……

      A propósito, para onde foi parar meu dinheiro que era para despoluir o Esgotão Coveiro.???

  3. Pedro do Couto, li também a entrevista do executivo do Banco, presidente da Itaúsa, Alfredo Setúbal, no jornal, O Globo.
    Fiquei impressionado com o pessimismo do Itaú. Disse ele: ” o próximo presidente herdará um país, que andou pra trás nos últimos 40 anos e cresceu aquém do restante do mundo”.
    Faço um reparo nessa afirmação de Alfredo Setúbal: o país andou para trás nos últimos seis anos, com Dilma, Temer e principalmente Bolsonaro, o pior dos três últimos presidentes. Um homem que não ama a pátria, preguiçoso, não trabalha e vive de palanque em palanque discursando mentiras, inflamando a nação e atacando as instituições. Um verdadeiro desastre.
    Destaco ainda mais uma de Setúbal: ” seja lá quem for, ‘ pegará um país em frangalhos’, inflação elevada e crise Hídrica”. Este será o legado de Bolsonaro, presidente em campanha permanente, com o silêncio constrangedor do Ministério Público e até do TSE.
    Setúbal é a favor das Reformas administrativa e tributária, do aumento dos juros (um colírio para qualquer banqueiro) e também, um defensor ferrenho da Terceira Via.
    O que isso significa: que o Empresariado do setor dos Bancos já abandonaram Bolsonaro e estão a procura de um Terceiro em quem apoiar para impedir a reeleição de Bolsonaro e a volta de Lula.
    Setúbal também declarou, que o presidencialismo não deu certo no Brasil. Logo, Setúbal do Itaú está flertando com o Parlamentarismo. Sua insistência, de que o país precisa de renovação, infere- se que apoia um candidato do PSDB, que tem sua base na Meca do Capitalismo- São Paulo. O PSDB tentou um Plebiscito para a implantação do Parlamentarismo e foi derrotado. Quem seria o homem da Terceira Via, João Dória ou Eduardo Leite. Apostaria em FHC, se ele realmente quisesse assumir esse fardo, que destrói o ser humano por dentro e por fora, mas que todos buscam com sofreguidão. Michel Temer, o homem da mesóclise e da Pacificação e um excelente escriba de cartas, também está de olho na Terceira Via.
    Ano que vem, vamos acompanhar, mais um circo Eleitoral.
    A nação não merecia isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *